29 março 2021

Resenha - Sem Lógica Para o Amor




Annika é uma jovem que nunca conseguiu se encontrar no mundo e cada vez mais percebe que é muito “esquisita” para as outras pessoas. Muitos, com exceção de seus familiares e sua amiga Janice, sorriem dela e a ignoram. Por esse motivo, ela se isola do mundo e passa mais tempo a cuidar de animais como voluntária numa clínica veterinária, considerando gostar mais de animais que de pessoas.

Quando percebe seu deslocamento com o ambiente e desanimada com a faculdade, pede aos pais que venham lhe buscar para voltar para casa, é quando Annika é convidada a participar de um clube de xadrez, e como ela gostava de tudo que tinha mais “lógica”, coisas objetivas e concretas, acaba aceitando e tornando-se uma jogadora excelente, desistindo de ir embora.

Após alguns dias nesse clube, ela conhece Jonathan, um jovem que acabara de chegar à faculdade depois de passar por algumas situações difíceis e misteriosas de onde viera. Ambos acabam jogando algumas partidas de xadrez e Jonathan começa a investir, apaixonado, nesse relacionamento. Mesmo sem entender, de fato, as ações de Annika, Jonathan se apaixona por ela do jeito que é e ambos se envolvem profundamente. Contudo, numa noite juntos, Annika começa a sangrar e, muito desesperada, desmaia, parando no hospital. 

Depois desse dia nada mais é igual entre eles e acabam se separando por 10 anos. Jonathan se muda para Nova Iorque, mas retorna 10 anos depois. Annika e Jonathan se reencontram, ela ainda solteira e trabalhando como bibliotecária, bem mais independente, e ele saindo de um divórcio conturbado e trabalhando a fim de conquistar uma promoção na empresa.

Dessa vez, Annika é quem está disposta a tudo por Jonathan e ele, embora com medo de ser deixado novamente, ainda nutre um amor intenso por Annika.

Com a motivação na terapia e ao lado de Jonathan, Annika faz um teste para identificar se possui o Espectro Autista, mas quando tudo parecia estar mais claro e melhorando para eles, Jonathan fica incomunicável, após a queda das torres gêmeas, deixando-nos cheio de dúvidas e nervosos quanto ao que virá acontecer, se ele estará vivo, se Annika conseguirá fazer algo e como isso tudo vai terminar, torcendo por um final feliz.



[- Minhas Impressões -]

Sabe aquele livro que nem a sinopse ou resenha vai lhe dar a dimensão real da história? Apresento-lhes: “Sem lógica para o amor”, um romance que trata de reencontros e superação. Esse reencontro dá a oportunidade de um recomeço aos protagonistas, o que não dispensa a correção de alguns erros do passado e que, mesmo sendo ambos mais maduros agora, ainda terão que lidar com algumas lembranças dolorosas se quiserem enfrentar todos os obstáculos da vida juntos.

Essa história foi uma grande e agradável surpresa para mim, em especial, porque acreditava ser um romance adolescente, leve e descomplicado. Puro engano! Iniciei a leitura despretensiosamente e nas primeiras páginas comecei a acreditar que seria mais um romance “água com açúcar”, porque apresentava situações cotidianas, em que, na maioria das vezes, não conseguia compreender as atitudes da protagonista. Ela me deu uma grande lição!


“Permita-se embarcar nessa. Não deixe que uma experiência ruim a prive para sempre da felicidade de conhecer um cara legal.”


A narrativa intercala passado e presente, entre os primeiros anos de Annika e Jonathan como namorados e amantes e entre o ano do seu reencontro, o que deixa o leitor atônito (a) quanto aos motivos de não terem dado certo juntos, já que eram tão apaixonados um pelo outro. Até que, do meio para o meio - fim da trama, há uma enxurrada de informações que nos paralisam e faz tudo ter sentido. Fui tomada por um mix de emoções ao perceber as dificuldades de Annika e entender os motivos de existirem. Essas emoções são ainda mais fortes ao ver como Jonathan lida com as especificidades dela e com a vida de forma tão madura. Que mocinho incrível, humano e muito sensato, daqueles de se apaixonar à primeira leitura.


“Às vezes, é importante que as pessoas com quem nos preocupamos saibam que um único incidente não as define necessariamente.”


Ela é uma protagonista forte, embora limitada e sempre acompanhada por pessoas que lhe ama e ajuda. O mais duro é vê-la tentando se encaixar na sociedade, por diversas vezes se achando um erro ou uma esquisita que nunca fará nada direito. Essas situações me fizeram repensar na vida e na importância de nos aceitarmos. Muitas vezes, ela imita as atitudes das outras pessoas só para que acertasse e fosse vista como “normal”. Annika é aquela personagem em que temos a certeza de que não trairá seu amor, pois sua naturalidade e sinceridade extrema, ainda que às vezes dolorosa, faz dela ainda mais perfeita e única. É uma personagem completa e autêntica.


“Uma mulher é como um saquinho de chá; você nunca sabe quão forte é até que esteja na água quente.”


Já Jonathan é aquele mocinho inteligente, compreensivo e muito paciente. Ele não é perfeito, o que eu adorei, pois é mais real e palpável para o leitor. É um homem maduro para sua idade, mas entendemos os porquês no decorrer da leitura, quando nos deparamos com suas experiências desde a tenra idade.

Outra personagem muito importante na história é a melhor amiga de Annika, Janice, uma jovem descolada e equilibrada, uma pessoa maravilhosa e muito disposta, que ensina tudo sobre a vida à Annika, já que a mãe de Annika teve dificuldade em lidar com a síndrome da filha, em conjunto com a própria situação do pai. Os diálogos entre Janice e nossa protagonista são divertidíssimos e ajudam Annika a amadurecer muito até o final da obra. Essa amizade perdura da adolescência à fase adulta, dando um quê a mais para se apaixonar por Janice como uma personagem incrível e muito humana.




Embora tenham se conhecido no grupo de xadrez, esse é só mais um detalhe que se encaixa perfeitamente no conjunto da obra. Serve para entendermos a preferência e a situação de Annika, compreendermos como ela pensa e o porquê de agir como age. 

A ambientação é perfeita e tem tudo a ver com toda a história e o tema principal abordado. Perpassa principalmente aos lugares mais comuns para Annika, lugares onde ela se sentia mais segura e, por conseguinte, mais à vontade: na sua casa, na casa de Jonathan e no lugar onde ela trabalhava. Ainda assim, Annika se aventura, algumas vezes, em lugares diferentes, onde há multidão e ruídos, mostrando seu interesse em melhorar, em romper com suas limitações.




O desfecho traz diversas surpresas, tanto sobre os motivos de Annika e Jonathan terem se separado, quanto às conexões da história com um momento marcante em 2001. Além disso, alguns pontos se invertem, o que nos deixa nervosos, portanto, segurem os lencinhos, pois além de ter um final enérgico, deixando o leitor com o coração na mão até os últimos acontecimentos, deixa-nos também emocionados e satisfeitos com a superação de Annika e sua impetuosidade e coragem.

É uma leitura que nos faz repensar na vida, nos ensina a ser mais empáticos com os outros e aprender a lidar com nossas próprias limitações, a se aceitar, sem querer controlar tudo, o que, com efeito, é impossível. Além disso, compreendemos muito sobre a síndrome do espectro autista, algo tão novo e ainda misterioso para a ciência. Eu recomendo muito a leitura a todos, sem medo de errar!


“Não podemos parar de fingir por um momento e admitir que somos humanos? Que nem tudo que fazemos precisa ser feito para mostrar quanto damos duro todos os dias?”








Livro: Sem Lógica para o Amor
Cortesia: Editora Jangada
Número de páginas: páginas
Skoob
Onde comprar: Amazon

Annika e Jonathan se conhecem em uma partida de xadrez muito disputada no clube da Universidade de Illinois em 1991. Em meio a dificuldades de adaptação à vida independente após anos estudando em casa, Annika, apoia-se na colega de quarto para obter orientação sobre como se comportar em diversas situações da vida. Os dois confortos de Annika são jogar xadrez e ser voluntária na Clı́nica de Animais Silvestres. Jonathan, um estudante transferido de outra universidade, busca um recomeço após fazer escolhas equivocadas. Unidos pelas circunstâncias, os dois embarcam em um relacionamento, que termina de maneira abrupta. Em 2001, os dois se reencontram por acaso em um mercado de Chicago. Jonathan trabalha com finanças e é recém-divorciado. Annika, agora bibliotecária pública e mais hábil em situações sociais, está determinada a provar que o amor deles merece uma segunda chance. Entretanto, antes de reatarem, eles devem encarar a verdade sobre o motivo pelo qual o relacionamento deles se desfez.





26 março 2021

Resenha - Aliança de Fogo



Aliança de fogo é uma ficção que te entrega temas com muita atualidade, uma mistura de fantasia com um quê de distopia, e claro um lindo romance. Nessa história temos dois países divididos pela guerra e ambição de seus monarcas. Ao ler a história você irá conhecer Alignis do Norte, reinado pelo regente Hector, um reino perpetuado pelas linhagens da família real. 

Do outro lado, temos Alignis do Sul, que antes era anexada a Alignis do Norte, um país dominado pela ditadura, discriminação, violência e terroristas, é presidido por Tersius Królu, um homem ambicioso e para o mau sentido, dominado pelo poder e vingança, e ele não medirá esforços para tomar Alignis do Norte. Dois países marcados pela guerra, desigualdade social e preconceito.

Alignis do Sul e do Norte travam uma guerra há muitos anos e discordam no modo como governar e o que almejam para seus países. Enquanto isso, Alignis do Norte quer uma união pacificadora, inclusiva e respeitada, Alignis do Sul quer total e absoluto controle sobre tudo e todos, sem intenção de gerir o país para o bem e para o povo. 

Nesse livro encontramos uma tensão política (que muitas vezes me trouxe para a situação da Síria) e tentativas de reerguer ambos os países e torná-los um território unificado e seguir uma vida em paz e harmônica.


"Como acreditar na unificação de países, quando mínimas diferenças já abrem abismos entre as pessoas que estão no mesmo espaço e que deveriam ser próximas?"


É em busca de um território unificado e pacífico que alianças serão propostas e em uma dessas tentativas o príncipe André, filho do regente Hector, é sequestrado e aqui começa uma nova luta para o resgate dele e de uma nova Alignis. 

Esse resgate não é só pelo príncipe, mas também de princípios, valores e um novo caminho. Essa é  missão de alguns personagens do livro: o resgate do príncipe André, e é através disso que caminhos, há muito tempo cruzados e esquecidos pelo tempo, voltam a se encontrar. Mahara e Ricardo se juntam a novos aliados para o resgate que irá mudar suas histórias e a vida do povo de Alignis.


" A tentativa de uma missão de paz é nobre, mas não elimina danos antigos e estruturais. Alguém precisa entender qual é a raiz desses conflitos entre Norte e Sul para achar uma solução".


Para compor esse enredo, Clarissa nos trouxe uma história envolvente num clima pesado e cheio de apreensão. Vidas são cruzadas e marcadas para fazer de Alignis um novo território e uma nova vida. E assim, Mahara conhece Ricardo. Ela é uma médica e trabalha no quartel, no Oitavo Batalhão de Alignis do Norte, cuidando de quem precisa de ajuda e que ainda está em construção, descobrindo sua força e propósito no mundo. Uma mulher forte desde de muito jovem, mas com muitos traumas a serem superados e com um coração bondoso. 

Ele é um jovem taciturno, profissional e calmo, tem seus próprios demônios e que não foi parar no batalhão à toa. Todos se perguntam quem ele é e de onde veio e o que pretende. Juntos e conseguindo aliados certos, eles irão lutar para conseguir acabar com a guerra. 

Duas vidas marcadas pelo tempo e por um passado triste que se unem por um objetivo que vai além da guerra. O que os uni? Desejos, destinos, propósitos e amor.




" Havia momentos na vida, seu pai costumava dizer, em que o mundo se dividia em um precipício assustador, uma vala profunda onde todos os medos e limites seriam testados".


O livro é dividido em três partes totalizando 33 capítulos entre situações de conflitos, guerras, divergências culturais, amores, lendas e amizades tudo isso bem construído na trama.

A construção da história se faz alternando entre presente e passado contados pela visão de Mahara e Ricardo, e algumas vezes, durante o mesmo capítulo tinha narrações de personagens secundários na história e que em alguns momentos isso pode deixar a leitura confusa.

As transições de passado e presente foram bem sinalizadas indicando o personagem do momento e a situação que ele se encontrava naquela época. E essas transições são importantes para construção da história de Mahara e Ricardo, e também para o conflito entre os territórios, é por elas que você entende como tudo aconteceu e como o destino às vezes brinca com a gente, principalmente quando queremos fugir dele. O destino aqui não é por acaso e sim um propósito, um objetivo.


" O destino é o encontro do acaso com o propósito"


Esse livro não é só um romance, senti muitas críticas por parte da autora em relação a situações políticas, apesar de ser uma ficção, trouxe-me para o momento presente, fazendo-me pensar sobre a segregação racial, desigualdades sociais, violência, medo e a situação atual de alguns países em guerra, entre outros temas que irão fazer você refletir da mesma maneira. É um livro completo que aborda de tudo um pouco de forma harmoniosa e bem elaborada, sem excessos de informações, escrito de forma direta, sem rodeios e com muita clareza.

O romance foi bem estruturado e elaborado, amei a ligação de Mahara e Ricardo desde o início. Não foi forçado, foi construído e evoluindo lindamente pelo tempo e destino de ambos. E o que dizer dos personagens secundários? Amei todos e foram tão importantes para construção do livro e da personalidade dos personagens principais,  mas isso você irá entender quando ler. Foi por causa deles que o casal chegaram aonde estão. Eles foram a base e o alicerce na falta que os pais fizeram aos dois. 

São amigos que todo mundo deveria ter por perto. Não podia faltar os personagens asquerosos como Miro, preconceituoso, machista, egoísta e xenofóbico, só pela descrição dessa pessoa você já percebe o nível do livro.

Falando de Mahara e Ricardo, foi muito bom ver a evolução de ambos na história, por acontecimentos do passado os dois eram pessoas fechadas e a certo ponto perdidos no caminho que deveriam seguir, e até entender os seus destinos eles teriam as respostas que buscavam, e o medo, a culpa, tudo substituído pela determinação e garra.
 

" Os fios do destino fizeram nossos caminhos se encontrarem uma vez mais. Eu sou sua, e você é meu Somos a colisão do acaso e do propósito"



A escrita da autora é maravilhosa, ela sempre traz uma mensagem em seus livros, essa é minha segunda leitura dela e não deixou a desejar, personagens bem construídos, leitura fluída e uma narrativa intensa na medida certa, deixando para o final os momentos de maior tensão e medo. Você avança na leitura e não faz ideia de como os personagens irão se sair da situação em que se colocaram, além de muitas frases de efeito que todos nós amamos e por isso, a autora sempre traz para gente em seus livros.
 

" Se quer que te escutem, precisará escutar primeiro"


Aliança de fogo foi um livro tranquilo de ler e entender apesar das informações chegarem aos poucos para gente, ela não entrega o ouro de cara, adorei como o enredo foi elaborado. A autora não quis ficar só no romance, ela soube mesclar bem as temáticas abordadas no livro. Além de tudo isso, o livro foi escrito em volta de uma lenda regional muito bonita e a todo momento os acontecimentos do livro te levam a lembrar e pensar nela. 

Como em todos os seus livros, Clarissa tem uma mensagem linda, e nesse não poderia ser diferente. Aqui percebemos que a união das pessoas, em prol de um propósito, é muito linda e sempre válida em qualquer situação, que juntos somos sim mais fortes, felizes e capazes de qualquer coisa. Que devemos olhar para o bem de todos, do coletivo, e assim teremos um mundo melhor, com amor e respeito. 

Durante toda a leitura, os acontecimentos presentes no livro, as atitudes dos personagens, e a situação crítica do momento fizeram-me pensar nos dias atuais, no nosso mundo real, na situação política de alguns países, nas injustiças, nas desigualdades, na violência que vivemos e vivenciamos diariamente. E de como seria mais fácil alcançar o mundo dos sonhos se todos trabalhassem juntos para que isso acontecesse. 

Foi um livro que abordou diversas temáticas sem se perder, do machismo ao feminismo, do preconceito a segregação, todos foram muito bem elaborados. Se esse era o objetivo da autora, parabéns. Para mim, isso ficou muito claro em todo o livro.








Título: Aliança de Fogo
Cortesia: Clarissa Coral (Autora Parceira)
Páginas: 306
Skoob
Onde comprar: Amazon

Nos tempos atuais, Alignis do Norte é um dos poucos países do Ocidente que ainda mantém uma monarquia no governo, e se encontra em fase de tensão política.
Durante ataques terrorista, um dos príncipes herdeiros acaba caindo em mãos inimigas, mobilizando uma missão de resgate dentro do exército. O sequestro, junto da chegada de novos recrutas, entre eles o estrangeiro e enigmático soldado Ricardo Werneck, coloca Mahara Sartori, a dedicada médica do 8º Batalhão, em confronto com seu próprio passado e princípios. Contudo, quando uma inesperada notícia chega até suas mãos, Mahara se vê diante de um caminho que jamais pensou em trilhar, onde cada passo dado poderá envolvê-la em uma jornada de perigos, segredos, atrações intensas e sentimentos proibidos.





24 março 2021

5 Motivos para Ler - Aliança de Fogo


Olá Gente !!
Hoje vim trazer para vocês alguns motivos do porque vocês deveriam ler o livro Aliança de Fogo, porque é um livro muito bom e que vale a pena vocês darem uma chance. Confira abaixo:



23 março 2021

Resenha - A história de Sojourner Truth, a escrava do Norte

 


O livro trata-se de uma obra biográfica da vida de Isabella Bomfree, que nasceu em cativeiro no ano de 1797, em Nova York. Uma escrava que, após fugir e ganhar a liberdade às custas de sua força e determinação trabalhou como empregada doméstica em casas de família e, mais tarde, como abolicionista e ativista social da igualdade e dos direitos raciais dos negros afro-americanos tornando-se conhecida como Sojourner Truth no ano de 1843.

Ao longo de sua vida foi afastada dos irmãos, que foram levados embora enjaulados para outros lugares, viveu com os pais e outros escravos a humilhação de morar em um porão e sentiu na pele de várias maneiras o sistema escravocrata dos Estados Unidos.

Lutou com unhas e dentes e muita coragem ao enfrentar os brancos para reaver o filho que fora vendido ilegalmente e conseguiu fazê-lo livre de seu dono, que o maltratava covardemente.

Em pouco mais de 100 paginas é possível acompanhar a vida de Isabella junto de sua família, mais tarde ao lado de seus filhos, sua fuga com um dos filhos e mais tarde toda a sua experiência com a religião. Então, ao fugir Isabella foi acolhida pelo casal Van Wagener, Isaac e Maria, até que a Lei de Emancipação ganhasse força.


"Agora, expressando a sua visão sobre a personagem de Cristo e de acordo com qualquer sistema de teologia existente, ela diz que acredita que Jesus seja o mesmo espírito que habitava os nossos primeiros pais, Adão e Eva, no início, quando foram criados pelo Criador."



Tornou-se conhecida oradora abolicionista no ano de 1851 ao improvisar um discurso na Convenção dos Direitos da Mulher elevando seu nome ao conhecimento e admiração na importante luta do movimento antiescravista.

Sojourner foi uma mulher de extremo caráter, honestidade, fidelidade e bondade, qualidades que foram atestadas e reforçadas por todas as pessoas com as quais ela trabalhou e/ou a conheceram durante os anos de sua vida. Vida esta que a todos marcou com sua impressionante presença e figura.




[- Minhas Impressões -]

Com relatos impactantes da vida e luta de Isabella, que mais tarde viria se tornar Sojourner fui inserida aos horrores vividos pela personagem da vida real. Sua história impressiona por sua coragem na luta contra a desigualdade, ou melhor dizendo pela igualdade entre as pessoas por e para o povo negro.

Uma mulher cheia de fé e de uma força de vontade gigantesca ao enfrentar os homens brancos e donos de escravos. Que sofreu ao longo de sua vida as feridas do corpo e da alma, porém sempre forte e de cabeça em pé sempre fazendo o bem ao próximo e ajudando em tudo o que era preciso.

Eu não conhecia Sojourner Truth e não sabia nada a seu respeito, mas, ao ler sua história percebi o quão importante ela foi e continua sendo para o movimento tanto das mulheres quanto dos negros. E pensar que a história dela realmente aconteceu e que ela viveu e passou por tudo o que o livro relata é realmente espantoso e abominável.


O relato de sua história não se prende às situações explicitamente, ou seja, a gente sabe pelo o que ela passou, porém o livro não se prende a esses acontecimentos descritivamente. Acredito que a intenção tenha sido a de deixar claramente entendido, todavia focando mais em sua fé inabalável em Deus e mais tarde na sua luta e envolvimento nos movimentos antiescravistas e pelos direitos das mulheres.

Sojourner Truth foi a pioneira na luta do feminismo negro e tornou-se uma potência em sua época para este momento extremamente importante da história afro-americana.

Ler sobre a escravidão não é nada fácil, pois machuca, dói e fere saber que seres humanos eram tratados de forma tão desumana e cruel por outros seres humanos. Esse livro proporciona que tenhamos a dimensão da importância que Sojourner representa até hoje, pois todos que lerem serão inspirados por sua hitória.

O livro tem uma escrita que nos envolve já logo no começo e em sua maioria os capítulos são bem curtos, facilitando uma rápida e extraordinária leitura. Quem ainda não leu e não conhece essa biografia incrível não sabe o que está perdendo.






Título: A história de Sojourner Truth, a escrava do Norte
Autora: Isabella Baumfree
Páginas: 127
Cortesia: Editora Principis
Skoob
Onde comprar: Amazon

Uma das mulheres afro-americanas mais famosas e admiradas da história dos Estados Unidos, Sojourner Truth cantou, pregou e debateu em reuniões capais em todo o país, guiada por sua devoção ao movimento antiescravista e sua ardente busca pelo direito das mulheres. Nascida em 1797, Truth fugiu da escravidão para, cerca de trinta anos depois, se tornar uma figura poderosa nos movimentos progressistas que remodelaram a sociedade americana. Oradora fascinante e profeta implacável, Truth hipnotizou o público com sua história de vida e com suas interpretações comoventes de hinos metodistas e suas próprias canções. Este relato inspirador da luta de uma mulher negra por igualdade racial é uma leitura essencial para aqueles interessados na busca contínua pelas igualdades de oportunidades.

uma história de respeito pela vida, pela luta e pelas ideias de quem nasceu escravo mas nunca se conformou em ser um.




22 março 2021

Resenha - Vidas Roubadas




Neste livro nos deparamos com duas irmãs, Sabrina e Stella. Enquanto Sabrina sente uma imensa falta de seu falecido pai e não aceita a chegada de Adalberto, namorado de sua mãe, Stella acredita que ele possa ocupar o lugar que está vago.

Sabrina faz questão de demonstrar sua contrariedade à sua mãe e ao próprio Adalberto e tudo vai de mal a pior em um dia que, sozinha em casa, Adalberto aproveita a situação e abusa sexualmente dela. Os abusos passam a ser constantes e sob ameaça de que se contar algo a mãe ou a qualquer pessoa Adalberto irá fazer o mesmo com Stella, então Sabrina se cala e suporta longos e agonizantes cinco anos de estupros, humilhações e ameaças constantes, pois ele garante a ela que a culpa é da própria Sabrina, que sempre se insinuou e se exibiu para ele ao usar roupas curtas na intenção de provocá-lo.


"Lembro de me sentir suja, de me sentir culpada."



Sabrina culpa a mãe em silêncio e não consegue acreditar que ela nunca percebeu ou notou os sumiços de Adalberto quando ele invadia seu quarto e seu corpo a força e isso faz com que ela desenvolva um enorme rancor e uma tremenda mágoa pela pessoa que deveria proteger a ela e sua irmã Stella de todo e qualquer mal. 

Tudo piora quando Sabrina descobre que a maldade e podridão de Adalberto alcançou sua irmã e que ele fez a mesma coisa com Stella e o pior: que a menina a culpa pelo acontecido.

Sinceramente eu não sei como Sabrina conseguiu suportar tudo o que lhe aconteceu por longos e terríveis cinco anos sem fazer nenhuma besteira. Eu no lugar dela teria enlouquecido. E como se não bastasse todo o sofrimento, vergonha e culpa com que tem que lidar diariamente, Sabrina ainda apanha da mãe quando ela descobre e é expulsa de casa por ela, indo morar na rua, sem um teto sobre sua cabeça, sem comida, mas principalmente, sem apoio, carinho, amor e zelo da pessoa que deveria cuidar e proteger a ela e a irmã.



[ Minhas Impressões ]


Assim que dei início a leitura logo percebi que seria extremamente difícil e doloroso do começo ao fim, pois o assunto abordado não é nem um pouco fácil. Ele causa revolta, asco, desespero, ódio e um sentimento de impotência, mas também causa empatia e solidariedade.

Imagino que não tenha sido nada fácil e muito menos confortável para a autora tratar desse assunto em seu primeiro livro, todavia, entendo que ela sabia muito bem o que estava fazendo e o que pretendia ao falar de um assunto abominável, mas que infelizmente acontece com assustadora frequência.



Acredito que deva ter sido um trabalho de pesquisa seríssimo e que em vários momentos deva ter lhe causado dor, desconforto e lhe feito sofrer, porque não tem como ler algo assim e não se compadecer por Sabrina e Stella e penso que escrever tenha sido ainda pior.

Contudo, a autora criou uma narrativa que prendeu minha atenção pelo impacto da história e pela força de Sabrina. Confesso que me faltam palavras para dizer o quanto eu fiquei na torcida por ela, torcendo para que a sua vida fosse boa.

Além da força como pessoa, Joseli ensina sobre amor. O amor que Sabrina sempre sentiu pela irmã foi o que a fez aguentar os longos e torturantes cinco anos de estupros, ameaças e humilhações calada. Então quando a situação se repetem com Stella eu senti que todo o esforço, toda a luta foi em vão. Pelo menos foi essa a impressão que tive e quando tudo se confirmou e foi angustiante demais ver tudo se repetindo. 

E ao me sentir impotente e angustiada caí em mim ao me dar conta de que o que eu lia era ficção, mas que, na vida real, a história se repete e é revoltante demais saber que crianças e adolescentes são tratadas dessa maneira diariamente e nada ou quase nada é feito de forma a se combater efetivamente essa violência.




Vidas Roubadas
é um alerta, um grito de socorro e um tapa na cara da sociedade que, na maioria das vezes, trata a vítima como culpada e não lhe dá a devida atenção e são insensíveis a sua dor. 


O livro é forte e chocante e me doeu muito ler a violência praticada contra as duas irmãs, mas o que me encolerizou foi a reação da mãe de Sabrina ao saber o que acontecia com a filha. Em nenhum momento ela procurou ouvir a garota e muito menos duvidou do padrasto estuprador. A reação dela foi algo desumano, mas que, infelizmente, a gente sabe que acontece constantemente, uma mãe que prefere acreditar no homem e colocar a filha na rua.


Essa mulher não deve ser chamada de mãe, pois a responsabilidade de tudo de ruim que acontece com as meninas é totalmente dela. Uma mãe omissa, desalmada, cruel e sem coração. O final do livro não foi algo que me surpreendeu bastante e nem o qual eu ansiei que acontecesse - que fosse o melhor possível para Sabrina e Stella, porém dessa vez a ficção foi dura e muito realista.


Eu não conhecia a autora, mas a parabenizo por abordar em seu livro um assunto que precisa e deve ser amplamente discutido e enfrentado de frente pela sociedade, para que as políticas públicas e governamentais olhem com mais carinho e humanidade pelas vítimas de crime de estupro e as acolham sem julgamento.






Livro: Vidas Roubadas
Cortesia: Joseli Medeiros (Autora Parceira)
Número de Páginas: 48 páginas.
Skoob
Onde comprar: Amazon

Duas irmãs tem que lidar com o marido da mãe que é um abusador, elas não tem o apoio de ninguém, nem mesmo da própria mãe. Elas só podem contar com elas mesmas. Sabrina faz o pior para tentar proteger a irmã e garantir a liberdade de ambas, Stella tem uma decisão confusa e difícil para tomar. Qual seria a sua decisão estando no lugar das meninas?






19 março 2021

5 Motivos para ler "Vidas Roubadas"


Olá. apaixonados por livros. Tudo bem com vocês? Voltei com 5 motivos pelos quais acredito que o livro "Vidas Roubadas" mereça a sua atenção e leitura.




16 março 2021

Dia de Quotes - Vidas Roubadas

 Oi, gente. Tudo bem? Separei alguns quotes bem emblemáticos e importantes do Livro "Vidas Roubadas" que me chamaram muito a atenção e gostaria de mostrá-los a vocês. 


 

"Sempre tive uma imaginação boa, mas aí tudo mudou aos meus treze anos, quando minha mãe trouxe  um de seus namorados para dentro de casa."

 

"O mundo que se revelou para mim, não gostei nem um pouco, e não desejo a ninguém, mas, hoje, percebo que toda mulher, se não passou, vai passar por alguma coisa parecida. Parece que fomos feitas para isso, para sermos objetos sexuais ou propriedade de alguém."

10 março 2021

Resenha - Em Seus Braços


Livro:
Em seus Braços
Cortesia: Dani Nascimento (Autora Parceira)
Número de páginas: 347 páginas
Skoob
Onde comprar: Amazon

Summer, uma surfista, amante incontestável do mar. Até um acidente mudar sua vida por completo, agora só lhe restava lembranças do tempo em que passava livre no mar. Hoje presa em uma cadeira de rodas, se tornou amarga e sem esperanças.

Henrique Dantas, um neurocirurgião renomado, as suas mãos se tornaram lenda por salvar vidas. Mas após uma decisão arriscada, o fez se fechar para o mundo e abandonar tudo, inclusive a medicina. Uma perda irreparável, uma vida, um amor que ele viu se esvair e se perder por entre os seus "dedos".

Quando um apelo desesperado o faz voltar ao lugar que lhe causava os seus pesadelos, Henrique não imaginava que a garota grossa e rabugenta em uma cadeira de rodas fosse mexer tanto com ele.

Dizem que os opostos se atraem, mas e quando são iguais, poderiam se unir ou se destruir?

OBS: INDICADO PARA MAIORES DE 18 ANOS/ CONTÊM CENAS DE SEXO EXPLÍCITAS/ PODE CONTER GATILHO.

05 março 2021

Dia de Quote - Em Seus Braços


Hoje trouxe os quotes de um livro que eu amei, Em Seus Braços . Uma história rodeada de drama e superação e também de muito amor. Super Recomendo a leitura e já tem resenha aqui no Blog!

“Coração bandido! Não deixa a gente ser feliz por um minuto, eu pensei que ele era um super modelo, quando, na verdade, era um ogro arrogante com doutorado.”

 

“Ele se foi e tudo voltou a ser como era antes, no fundo, uma pequena esperança brilhou dentro de mim, mas amargurada como estava, era incapaz de admitir, quando, na verdade só queria que ele voltasse e com a mesma insistência que me fez reagir, me salvasse dessa prisão, salvasse-me de mim mesma.”

 

Resenha - As águas-vivas não sabem de si


Titulo: As águas-vivas não sabem de si
Autora: Aline Valek
Cortesia: Editora Rocco
Páginas: 296
Skoob
Onde comprar: Amazon

Escritora, blogueira, formadora de opinião com milhares de seguidores nas redes sociais, a paulista Aline Valek faz sua estreia no romance com o surpreendente As águas vivas não sabem de si. Mistura de suspense e ficção científica, o livro conta a história de uma mergulhadora profissional em meio à vida que pulsa numa estação a 300 metros de profundidade. Com uma narrativa fluida e sensível, a autora literalmente mergulha nos dramas vividos pela protagonista, que faz parte de uma equipe liderada por uma cientista obcecada pela ideia de encontrar inteligência no fundo do oceano, retratando com intensidade sentimentos e sensações como medo, solidão e claustrofobia, mas também uma enorme paixão pelo desconhecido e pelos segredos do fundo do mar, que só fala àqueles que sabem ouvir. Um paralelo subaquático perfeito para Gravidade, o premiado filme de Alfonso Cuarón.

Resenha - Filhos de Sangue e Osso


Livro:
Filhos de sangue e osso 
Autora: Tomi Adeyemi
Páginas: 548
Cortesia: Editora Rocco
Onde comprar: Amazon

Zélie Adebola se lembra de quando o solo de Orïsha vibrava com a magia. Queimadores geravam chamas. Mareadores formavam ondas, e a mãe de Zélie, ceifadora, invocava almas. Mas tudo mudou quando a magia desapareceu. Por ordens de um rei cruel, os maji viraram alvo e foram mortos, deixando Zélie sem a mãe e as pessoas sem esperança. Agora Zélie tem uma chance de trazer a magia de volta e atacar a monarquia. Com a ajuda de uma princesa fugitiva, Zélie deve despistar e se livrar do príncipe que está determinado a erradicar a magia de uma vez por todas. O perigo espreita em Orïsha, onde leopanários-das-neves rondam e espíritos vingativos aguardam nas águas. Apesar disso, a maior ameaça de Zélie pode ser ela mesma, enquanto se esforça para controlar seus poderes - e seu coração. 
Filhos de sangue e osso é o primeiro livro da trilogia de fantasia baseada na cultura iorubá O legado de Orïsha e está sendo adaptado para o cinema.
"Eles mataram minha mãe. Eles mataram nossa magia. Eles tentaram nos enterrar. Agora, nós ressurgimos!"

03 março 2021

Resenha - Última Rima

 

Livro: Última Rima
Cortesia: Samanta Galvão (Autora Parceira)
Nº de páginas: 155
Skoob
Onde comprar: Amazon

Uma importante oportunidade de trabalho faz com que a linguista forense, Drª Aline Rissi, retorne para sua cidade natal para atuar em um dos mais conceituados institutos do país. E assim, ajudar a polícia a descobrir mais sobre a morte misteriosa de uma jovem universitária.

O investigador Dante Melo é um homem charmoso, determinado a descobrir a verdade sobre a morte da irmã e assim, conseguir salvar o amigo de um destino cruel. Ao conhecer Aline, a atração foi instantânea, mas essa conexão pode ser mais profunda do que imaginavam, com consequências que ninguém poderia prever.

Aline e Dante precisam trabalhar juntos para desvendar os mistérios que cercavam um assassino que se autodenominava como o Poeta ao dedicar versos rimados para a vítima, antes que outra vida seja perdida.


Resenha - Românticos Incuráveis

 

Livro: Românticos Incuráveis - quando o amor é uma armadilha
Cortesia: Faro Editorial
Nº de páginas: 240
Onde encontrar: Amazon

Desejar, amar, se apaixonar, perder um amor... todo mundo conhece alguma loucura de amor, mas a experiência do amor obsessivo, apesar de comum, não é banal. Neste livro, Frank Tallis apresenta histórias extraordinárias de pessoas que ultrapassaram o real e criaram fantasias, romances e compromissos, onde não existia absolutamente nada, ou muito pouco. São histórias que falam sobre todos nós. Qualquer um que já se apaixonou terá experimentado os sintomas de uma loucura psiquiátrica completa: a desinibição, o pensamento mágico, a tendência ao toc de checar suas mensagens (ou as mensagens do seu parceiro) a cada cinco segundos... Segundo as pesquisas científicas mais recentes acerca dos mecanismos atrelados ao apego emocional, muitas pessoas sob o estado do “amor” dissolvem a divisão entre o que costumamos julgar ser normal e anormal. Da mulher que se apaixonou perdidamente pelo seu dentista e o perseguiu até que ele precisou mudar de país; ao rico empresário, casado há mais de 30 anos, que gastou toda sua fortuna com mais de 3 mil prostitutas; à linda garota com um ciúme tão doentio que afastou todos os homens da sua vida; e muitos outros casos que nos mostram que ninguém está imune à loucura do amor.

 

01 março 2021

5 motivos para ler - Última Rima

 

Oieee Pessoas !!! 

Hoje trago para vocês 5 motivos para vocês quererem ler o ROMANCE policial - Última Rima da Samanta Galvão ! - Confira - 


Instagram

I Love My Books - Blog Literário . Berenica Designs.