15 outubro 2021

Resenha - Atrás da Porta



Carl é um excelente advogado, mas quando se depara com o caso de Mark, ele se vê precisando buscar mais ajuda para poder elaborar a defesa de seu cliente e descobrir mais sobre o que realmente ocorreu. Detalhando um relacionamento que não tinha nada que justificasse o crime ocorrido, ele sai em busca de uma renomada psiquiatra que apresenta experiência no tema para poder ajudá-lo, ou pelo menos tentar ajudar.


“- Pessoas matam em nome dessa busca do prazer, você deve saber melhor que ninguém, pois está fazendo a defesa de uma.”


Simone é uma psiquiatra que tem muita experiência na questão de comportamento sexuais, tendo escrito já alguns livros e realizando pesquisas para o seu próximo livro sobre eles, ela está profundamente envolvida com os seus estudos. No entanto, quando Carl vem a sua procura pedindo seu auxílio para ajudar o seu cliente, ela se dispõe a ajudar e passa a estudar o caso utilizando seus conhecimentos e aproveitando para conhecer mais sobre eles.

Continuando com seus atendimentos e se preparando para escrever sua nova obra, ela se vê cada vez mais curiosa e intrigada sobre o que realmente ocorreu entre Lara e Mark atrás daquela porta. No entanto, quanto mais se embrenha na obra, mais perguntas surgem… e quando seu parceiro e amigo, Edward, passa a ajudar a polícia na busca de um serial killer as coisas começam a se tornar ainda mais complexas…\


“Para que a psiquiatria pudesse ajudar a polícia, seria necessário chegar a um perfil de patologia, o que era difícil nos casos em que Edward estava trabalhando.”


Com uma capa que logo chama atenção pela sua beleza, essa é uma daquelas obras que é bela de uma maneira sombria e maravilhosa na mesma intensidade! Até que ponto a mente de alguém pode levar uma pessoa a ir? Até que ponto estamos mesmos livres para descobrir esses limites sem ultrapassarmos? 


“- É um cacto, Simone. Parece comigo: espinhento, resistente e não muito bonito.
Cuidado, Carl. O interior de um cacto é aquoso, suave.”


Simone precisará ser rápida para descobrir o que aconteceu, mas será que ela conseguirá ser rápida o bastante? Misturando temas para maiores de 18 anos como sexo, romances intensos, histórias hilárias e problemas mentais, essa é aquela obra que te prende do início ao fim e te surpreende a cada página.
 



Atras da Porta é um daqueles livros que você inicia lendo despretensiosamente, ainda que esperando que vá ser bom, mas acaba sendo surpreendido com uma escrita envolvente e instigante e uma trama que faz você sentir que já entendeu tudo que vai acontecer para em seguida chegar a constatação de que na verdade você não entendeu foi nada. Repleta de ironia, e com reviravoltas jamais esperadas somos levados a mudar teorias, a nos envolver com os personagens e a temer que estejamos gostando da pessoa errada. Muito bem desenvolvido pela autora esse é aquele tipo de história que prova que não é necessário ter muitos personagens para criar um enredo de tirar o fôlego e uma trama de deixar qualquer um de queixo caído.

Simone é a protagonista principal da história e é aquela personagem que se mostra desde o primeiro momento alguém inteligente, determinada e que não se importa com o que tem que fazer ou até onde ir para descobrir o que realmente ocorreu. Extremamente sagaz ela é daquelas que exerce com perfeição o papel de psicóloga mostrando o quão grandioso e difícil é o trabalho desses profissionais. Sempre um passo a frente de todos, até mesmo do leitor, essa é aquela protagonista que leva a outro nível o desbravar da mente para descobrir o que de verdade aconteceu ali naquela situação. Extremamente real e crível, Gavazzani criou uma protagonista que destrincha a mente humana e ensina o leitor a conhecer mais sobre o outro, mas também sobre si.

Já os dois rapazes, Carl e Mark, não deixam nada a desejar. Mantendo o foco em si, mas ao mesmo tempo não estando presente, o leitor é convidado a tentar descobrir mais sobre o que está por trás daquelas mentes e principalmente sobre a culpa ou inocência de casa um ali. Falar muito sobre eles é correr o risco certo de revelar pequenas particularidades e verdades que são o ponto alto para fazer o leitor devorar cada capítulo numa sede insaciável por saber o que realmente aconteceu ali e o que levou aquela situação.




Com uma perfeita harmonia, a autora consegue mostrar diversas facetas dos personagens ali envolvidos levando o leitor a acreditar ter entendido tudo apenas para que a parte seguinte venha para mostrar um olhar completamente novo de forma a que ninguém mais é aquilo que acreditávamos que fosse. Transitando por comportamentos, histórias e buracos pela falta de informações o leitor é levado a acompanhar três pessoas que tinham tudo para não ter nada em comum, mas acabam por se entrelaçar em meio a um acontecimento que veio para fazer que seus caminhos se cruzem.

Cada atitude, cada olhar tem suas razões fundadas no passado e presente; utilizando-se do que a humanidade apresenta de melhor e pior, o leitor é levado a questionar tudo, até mesmo as pequenas atitudes que passariam despercebidas anteriormente.

Seu tamanho que a princípio pode deixar algumas pessoas receosas se deve a uma diagramação bem feita pela editora cujo espaçamento e margens foram pensadas de forma a garantir uma leitura mais agradável. A fonte também é outra coisa que chama bastante atenção pela sua beleza que se reflete também na capa que está simples, mas completamente conectada a obra. Assim como a trama, aqui os pequenos detalhes também contam muito para a construção completa e impecável desse livro onde erros não foram encontrados por mim.




Esse livro pode ser considerado um thriller que chega pra dar um fôlego novo para as obras do gênero. Envolvendo o leitor em sua trajetória nos vemos em uma crescente constante de emoções e adrenalina que faz com que o leitor se surpreenda com seu desenrolar e desfecho. Ambicioso, mas muito bem feito, essa é aquela obra que instiga ao mesmo tempo em que retrata de maneira realista questões como problemas psicológicos, poder e desejo se unem para revelar o pior lado existente no ser humano.

Capaz de deixar qualquer leitor repleto dos mais diversos sentimentos, Gavazzani nos força a sentir raiva e viver momentos de tensão maravilhosos que acabam por forçar a sair da zona de conforto. Completo, intenso, revelador, sagaz, essa é aquela obra que todos que gostam do gênero precisam conhecer. Rápido e com uma leitura envolvente as páginas são passadas de maneira fluida despertando o desejo pela próxima até que a única coisa que reste seja o desejo de começar tudo de novo. Leiam, essa é uma obra mais do que recomendada e não é atoa que ela vem chegando onde chegou!









 

Livro: Atrás da Porta
Cortesia: Adriana Gavazzoni (Autora Parceira)
Número de páginas:  270
Amazon / Skoob

Lara, uma linda arquiteta, morre nas mãos de seu namorado Mark, um advogado Nova Iorquino.
Para ajudar a elaborar a defesa e sustentar sua tese de que a morte de Lara foi acidental, Carl, o advogado de Mark, contrata Simone, uma psiquiatra, professora e autora de livros sobre comportamento sexual.
Simone recebe de Carl um relato detalhado – escrito por Mark, sobre o relacionamento passional dele com Lara – e passa a estudá-lo.
Enquanto analisa o texto do suposto assassino, Simone continua a atender pacientes psiquiátricos, com perturbações de ordem sexual e fantasias não usuais, ao mesmo tempo em que pesquisa comportamentos sexuais sadomasoquistas para seu próximo livro.
Edward, amigo, sócio e parceiro de pesquisas de Simone, trabalha ajudando a polícia na investigação de um assassino serial que vem torturando e matando mulheres.



08 outubro 2021

5 motivos para Ler - Atrás da Porta

 

Alguns dias atrás eu vim trazendo a indicação desse livro que me deixou noites acordada e me surpreendeu em cada página, mas se você ainda não se convenceu, hoje eu venho te trazer 5 motivos pelos quais você precisa ler Atrás da Porta! Vem conferir:





1) Profissões
.
A autora abordou em sua história várias profissões diferentes, mas que realmente costumam trabalhar juntos. De uma forma extremamente coerente e real, somos levados a acompanhar todo o raciocínio de uma profissional de saúde que tenta descobrir o que realmente ocorreu ali. Outro ponto é a parte do direito, muitas vezes por si só não é o bastante para resolver tudo. Então é muito legal acompanhar um pouco mais de cada lado e ir descobrindo junto sobre.


2) Impactante
.
Esse é aquele tipo de obra impactante do início ao fim. Sendo revelado os detalhes aos poucos, a autora consegue levar o leitor numa expectativa crescente de forma a criar uma ansiedade boa no leitor e uma vontade incessante de saber o que vem a seguir.


3) Enredo fluido
.
O fato do enredo ser fluido faz com que o leitor se embrenhe em um fluxo de leitura intenso e rápido, mesmo não sendo cansativa, esse é aquele livro que te faz ficar acordado por horas e horas porque parar de ler é praticamente impossível. Com vários plot twist e descobertas a cada página essa é aquela obra que te faz sentir um misto de emoções maravilhosos.


4) Protagonista Independente
.
Eu amei a protagonista, de verdade. Ela é aquela personagem que mostra uma força e uma determinação incrível. É muito legal ver como ela realmente vai fundo e não tem medo de buscar e descobrir mais sobre o que aconteceu e ir além do que só o mínimo. Não posso falar muito, mas para quem lê é impossível não ficar apaixonada por ela.


5) Edição
.
A obra é daquelas que apresenta uma edição que dá prazer de ler. Com uma fonte de tamanho confortável, páginas amareladas, revisão bem feita e diagramação simples, mas completa, essa é aquela obra que dá prazer de ler tanto pelo seu enredo quanto pela sua edição.



29 setembro 2021

Resenha: Fomos, Somos, Seremos

 


Sabe aquele livro que consegue mexer profundamente com suas emoções? Daqueles que te fazem refletir, que te faz ler verdades difíceis, mas necessárias? Sabe aquela obra que você sabe que vai te mudar e fica ansioso por saber o que vem a seguir? Fomos, Somos, Seremos do autor Arthur Webber é essa obra, aqui o autor irá através de crônicas mostrar um pouco sobre a vida e te ensinar um pouco sobre você mesmo, mesmo que você não imagine o quanto.


“Antes de entrar no meu coração,
Entenda que ele
Tem algumas cicatrizes.
Por isso, eu conto
Com a sua colaboração.
Ele tentou aprender
Com o que aconteceu no passado.
Mas desde que você apareceu
Está mais acelerado.”


Fugindo do padrão de uma história que conta sobre vidas de personagens fictícios, aqui o que você irá encontrar é uma obra que irá falar com profundidade sobre a vida e sobre a importância de saber reconhecer o amor em seus mais diversos aspectos. Trazendo verdades difíceis, o autor não hesita em transmitir com palavras a dura realidade enfrentando na, talvez, mais árdua missão que encontramos aqui: a de amar.


Sendo o seu primeiro livro, o autor já demonstra ao longo de 80 crônicas carregadas de poesia o seu talento para escrita e a sua capacidade para emocionar e modificar a vida daqueles que se aventuram em sua leitura. Falando sobre um tema universal: o amor, somos levados em cada página a aprender mais sobre ele, a refletir sobre relacionamentos que não deram certos, sobre amores que não foram correspondidos, sobre relações tóxicas e especialmente sobre aqueles amores que doem de forma profunda em nós e que muitas vezes teimamos em resistir e deixar ir.


“Talvez fossem
Meus conceitos de coerência Desmoronando.
Talvez fossem
Minhas asas ganhando espaço
Pra voar.
Talvez fosse meu desejo confrontando
Meu medo de me libertar.”


De forma natural o leitor é levado a conhecer um pouco mais sobre a própria vida através de uma visão cedida pelo autor. Profundo, mas intenso, essa é uma daquelas obras leves, fluidas, de leitura rápida, mas que te faz refletir por muito tempo depois do término de cada crônica. Muitas vezes tão fechados em nós mesmos e ficados nos nossos próprios problemas não conseguimos notar que existem mais pessoas que também passam por aquela situação: e superam.

Aqui, o foco é trabalhar um pouco sobre tudo, sobre o amor, sobre a família, mas especialmente sobre você mesmo e sobre saber a importância de se amar. Já demonstrando uma capacidade incrível de traduzir sentimentos em textos, Arthur Webber é aquela pessoa que consegue colocar em palavras o que você sente e que muitas vezes você não poderia expressar tão bem.


“Sentia-se livre.
Mesmo preso a correntes
Que não o deixavam ir tão longe.
Estava confortável.
Mas queria fugir da zona de conforto
Toda hora.
Interpretava um personagem
Que os outros esperavam dele.”


Disponível em dois formatos, essa obra pode ser encontrada tanto de forma digital quanto de forma física de forma a agradar a todos os tipos de leitores. Com uma capa chamativa e que combina perfeitamente com o que entrega, essa é uma daquelas obras ideias para se presentear e presentear aqueles com quem nos importamos. Ainda que com uma diagramação simples, os detalhes foram pensados na medida certa de forma a fazer com que o leitor se sinta cativado ao mesmo tempo que não tira a atenção do que realmente importa: sua mensagem.

Essa foi uma leitura que parece ter chegado para mim em um momento certo ao me mostrar um pouco sobre minhas próprias experiências através de experiências que sequer eram minhas. Intenso, real e necessário, essa é aquela obra de cabeceira, aquela obra para um acalento e uma mensagem necessária! Falar muito sobre ela é estragar um pouco da experiência, a descoberta do que vem a seguir faz parte do apelo da obra e vale a pena.

Leiam e se permitam descobrir um pouco mais sobre quem você foi, sobre quem é e sobre quem poderá ser.








 

Livro: Fomos, Somos, Seremos 
Cortesia: Arthur Webber (Autora Parceira)
Número de páginas:  270

Escrever foi um ato de salvação. Compartilhar tem sido um ato de coragem. Sentir sempre será um ato de autoconhecimento. Ao longo de 80 crônicas poéticas que caminham pelo passado, presente e futuro, o autor apresenta em seu livro de estreia amores não correspondidos, doloridos e tóxicos. Amores de uma noite só e amores de uma vida inteira. Além do amor da família, dos amigos e aquele mais importante: o amor-próprio. Esse, inclusive, o mais difícil de ser nutrido, em sua opinião. Arthur Webber tem 28 anos, mora em Santa Catarina e é publicitário. Sem saber, começou a criar “Fomos Somos Seremos” em 2014, como forma de terapia para lidar com as coisas que não queria assumir para si mesmo. Escrever foi a sua forma de reaprender a viver. E hoje, ele espera que o livro traga reflexões - muitas vezes - desconfortáveis para remexer a vida de quem ler.





20 setembro 2021

Resenha - O CONTRATO



"Felizmente eu tive a decência de usar um número confidencial (daqueles que não aparecem o número para quem recebe a chamada) e desliguei depois de ouvir a voz grave e filhadaputamente sexy do Zaad. Sim, eu acabei de inventar um adjetivo que não existe, mas o Zaad é o tipo de homem que merece palavras novas para descrevê-lo."



Como falar desse hino que a Natasche escreveu, não é mesmo? O Contrato foi uma grata - e deliciosa - surpresa pra mim. Primeiramente, devo ressaltar que o livro não é indicado para menores de 18 anos, por conter conteúdo sexual gráfico, linguajar impróprio e pode desencadear gatilhos para portadores de síndrome de personalidade limítrofe por abordar a questão. E achei incrível que a autora colocou uma nota logo no começo do livro pra ninguém ler algo que se sinta desconfortável.

Agora sim, podemos começar. Foi meu primeiro contato com a escrita da Natasche, e não poderia ser melhor! É uma narrativa fluida, engraçada, divertida, e INTENSA; cada detalhe é esmiuçado sem se tornar maçante ou prolixo. E já vou falar pras assanhadas que nem eu que o livro entrega TUDO e mais um pouco, meninas! Os hots são MUITO bem escritos, e as cenas são quentíssimas, e muito românticas também. Cada página eu dava um suspiro ou tinha um surto diferente.

O Contrato é narrado em primeira pessoa, pelo Zaad e a Melissa. A Mel é uma das sócias de uma agência que ajuda empresas de médio a grande portes a saírem da falência, comprando uma porcentagem delas. E numa negociação com um árabe chamado Lucca, ela acaba se vendo numa situação horrível, onde ele, ao constatar que ela não é só intérprete e f#d#na, tenta estuprá-la depois da reunião, deixando-a em uma situação extremamente vulnerável. Essa cena não é explícita, mas pode desencadear algum tipo de gatilho também.

"Dinheiro e poder constroem mais monstros do que doenças mentais. O Homem de Ferro é um unicórnio. Uma ideia utópica e fofa porque o normal é ser gênio, bilionário, playboy e filho da puta. Filantropo só nos quadrinhos e filmes da Marvel."


E a Mel só consegue sair daquela situação porque o Zaad, nosso árabe lindo e maravilhoso, intervém e ameaça Lucca a tomar conta da parte das Arábias que este administra. É um pouco depois daí que descobrimos que, na verdade, o Zaad é podre de rico, e é cotado para o sultanato de Omã, sua cidade natal. Basicamente, o cara é um príncipe gato, gostoso, cavalheiro e muito sexy. E interesseiro também! Depois de "salvar" Melissa de todo b.o, ele propõe a ela um casamento de conveniência, e os motivos são: 1. ela não pode mais sair da França sozinha/sem proteção (ou de qualquer outro lugar) sem ser perseguida pelos capangas de Lucca; e 2. Zaad precisa de uma esposa por 1 ano para poder viver a própria vida, fora do sultanato. Se vendo sem opções, Melissa aceita a proposta, morrendo de medo de morrer, mas também morrendo de tesão pelo homem!


A fala mansa e suave me deixa menos tensa. Assinto. O que mais eu poderia fazer naquele momento? Tudo o que eu precisava era sair dali. Esfrego o rosto com as duas mãos. Talvez fosse um pesadelo muito real, mas depois de me beliscar ainda estou sentada na poltrona espaçosa do jatinho ao lado de um árabe muito gostoso. E a porra do piloto já começou a taxiar.


De verdade, não sei nem como começar a falar sobre o quanto eu AMEI esse livro. Li em uns 3 dias (ele tem quase 600 páginas no kindle, um calhamacinho!), e simplesmente adorei a composição, e o quanto eu fiquei rendida por esses personagens. Por abordar a cultura árabe de forma bem responsável, a Natasche criou um ambiente muito propício pro romance entre uma ocidental e um oriental, e é palpável o preconceito da Mel no começo da narrativa, porque ela não sabe absolutamente nada da cultura do Zaad. Ao longo da história, somos imersos em Omã, e vemos que é um país incrível, apesar dos problemas (como qualquer outro). 


E o romance né, minha gente!!! O que foi isso? Zaad é um cara quentíssimo, e Melissa é totalmente desbocada e atirada! Eu me identifiquei MUITO com ela, porque é uma mulher bem resolvida com a carreira, e não precisa de homem nenhum pra dizer a ela o quanto é maravilhosa, gata e gostosa. A construção deles foi diferente do usual, e o Zaad é o cachorrinho da Mel (o que eu amei, né?)


"Qualquer ordem que essa mulher me desse eu cumpriria de olhos fechados, mas parece que ela ainda não entendeu. Melissa desliza a sua língua para dentro tão devagar e suave que eu perco a noção da realidade."


A narrativa do Zaad foi minha favorita, de longe! Ele é detalhista, vigoroso e faria de tudo pela Melissa. Ama como se não houvesse amanhã, e protege quem ama com sua vida. Zaad é um personagem masculino frágil, delicado, que precisa ser cuidado; é totalmente diferente do que achei quando peguei a sinopse, sinceramente. Estava esperando um badboy, e ganhei um FOFO, o que foi melhor ainda. O relacionamento é feito de forma gradual, e eles primeiro de tudo se tornam amigos, o que eu considero o mais importante.

É muito importante ressaltar também aqui na resenha que o livro não parece, mas tem situações MUITO pesadas acerca de família, relacionamentos e abandono. Ele é incrível justamente por isso: aborda de forma RESPONSÁVEL assuntos que devem, sim, serem falados em romances contemporâneo. Isso deu muita credibilidade aos personagens, os deixou mais críveis. É uma ficção - muito bem escrita -, mas poderia ser real, por tratar de temas pesados a partir de situações vividas pelo Zaad e pela Mel. Eles são um casal maravilhoso, mas tem problemas e defeitos, como qualquer outro. Os personagens secundários também foram PERFEITOS pra mim, e eu to doida pelo spin off do Malik, que a autora já falou que vai rolar!! 



"Você fala em relação saudável, mas isso deve ser construído pelas duas partes. Não pense que vai encontrar um homem que te respeite, te ame e que fará tudo por você sem que exista alguns defeitos no pacote. Tudo tem um preço, Melissa. Resta saber se você está disposta a ser tão saudável para o Zaad quanto quer que ele seja para você."


O único ponto que me deixou um pouquinho chateada foi uma situação de competição feminina entre a Mel e uma outra mulher, e isso não achei tão legal.  A Mel é uma pessoa difícil de lidar, então algumas falas dela também me deixaram encucada. O livro não perde a magia, mas amargou um pouco. Não sei se precisava, mas de qualquer maneira está lá, e isso não tira o valor da história, só me incomodou mesmo, porque não curto esse tipo de abordagem.

Enfim pessoal, espero muito que tenham gostado dessa resenha! Super agradeço à Natasche pela parceria com a gente do blog, e por ter escrito esse livro maravilhoso! Leiam, pois ele está disponível no Kindle Unlimited, e vale muito a pena!!









 

Livro: O Contrato
Cortesia: Natasche Costa (Autora Parceira)
Número de páginas:  578

Um contrato de casamento. Essa era a proposta mais absurda que Melissa já tinha ouvido em toda a sua vida. O árabe sexy, de olhos pequenos e castanhos, mantinha um sorriso no rosto enquanto a lembrava de que salvara a sua vida duas vezes.
Melissa estava em dívida.
Pior, o desgraçado que tentou estuprá-la era um magnata do petróleo e sozinha ela não teria poder para mantê-lo longe por muito tempo. Ela precisava da ajuda que Zaad estava oferecendo, afinal, ele era um dos filhos do Sultão de Omã.
Nada seria real. Era apenas um casamento de aparências e depois de um ano ela estaria livre e com dez milhões de reais em sua conta bancária. Haveriam alguns inconvenientes sim, mas nada que ela não pudesse contornar. O problema maior seria não se apaixonar por esse árabe gentil, elegante e sensual que está disposto a fazer tudo por ela.
Mas será que a aparição desse árabe no lugar certo e na hora exata foi mera coincidência?





17 setembro 2021

5 motivos para ler - O Contrato


Olá pessoal, tudo bem?
Hoje venho falar 5 motivos para vocês lerem "O Contrato" da Natasche Costa!
Eu simplesmente amei e acho que vocês deveriam também conferir, por isso aproveite para ver esses motivos e corre para garantir o seu livro pra ler!



1. Clichê Casamento Por Conveniência
Esse é um dos meus clichês favoritos em livros, porque nada de bom pode sair de um casamento por conveniência, que não seja o envolvimento do casal. Zaad precisa de uma esposa, e Melissa de proteção; por que não juntar esses dois interesses em um casamento?
Seria incrível se não fosse trágico (e bem sexy). Os dois se envolvem e, putz, você torce muito por eles!


2. Personagens Complexos
Zaad é um cara emotivo, intenso, que ama com todo o coração. Melissa é focada, determinada, e não quer se envolver sem estar segura que isso não vai machucá-la novamente. Zaad tem tantos problemas quanto Melissa quando se trata do psicológico. Os dois estão quebrados e, juntos, conseguem ver a luz no fim do túnel. São dramas complexos, e a construção dos personagens é gradativa; vemos a evolução clara ao longo da história.


3. Cultura Árabe
O livro é quase todo em Omã, e podemos ver um pouco da cultura árabe ao longo do livro; porque se utilizam aquelas roupas, como são os casamentos, como funciona o sultanato, e enfim; a autora fez uma imersão muito boa em relação ao Oriente Médio, desmistificando nossos preconceitos em relação a esses países.


4. Romance Intenso
Como eu chorava, esperneava, gritava com esses dois! Eu AMO quando o livro me dá sensações desse jeito, e O Contrato cumpriu TUDO o que prometeu. As cenas eróticas são deliciosas, as carícias fofinhas são românticas e intensas, e o amor entre eles... é incomensurável. É uma história pra gente se jogar de cabeça.


5. Playlist

Pra fechar, a Nat fez uma playlist INCRÍVEL no Spotify, que deu todo o toque a mais no livro, por nos ambientar perfeitamente nos dramas do casal, no local onde se passa a trama, enfim; tudo compactua, e as músicas são carregadas de sensualidade e intensidade. 


14 setembro 2021

Dia de Quotes - 24h adolescente e às vezes apaixonada


Olá Amigos leitores tudo certo?
Espero que sim, porque hoje, além de vim trazer para vocês alguns trechos que me marcaram bastante em quanto lia o livro ''24h adolescente e às vezes apaixonada'', a Sil também leu  e resolveu também trazer alguns trechos e que com certeza vocês irão curtir, até porque tem muitas passagens fofas e muito amorzinho que valem a pena mostrar. Confira abaixo:




“Posso te dizer que, durante algum tempo eu e ela ficávamos quando nos encontrávamos, mas porque ainda tínhamos química... Mas acho que isso só vai acabar quando eu conhecer alguém que me faça sentir algo mais forte do que eu senti com ela.”

“Meu coração disparou, aliás, acho que não estava nem conseguindo me sentir naquele momento, até mesmo porque naquele instante os lábios dele passaram muito perto do meu rosto. Eu me arrepiei completamente.”

“Ele acordou cedo, mesmo não precisando, e foi lá me dar um beijo.”

“É normal sentir medo quando estamos sentindo algo por alguém, errado é não enfrentar esse medo...”

“E, antes que eu pudesse terminar de falar, ele me puxou pelo braço, me virou para frente dele e me beijou, de forma tão intensa que eu não poderia falar e pensar em mais nada…”

“— Me beija de novo.— e ele prontamente me envolveu em um beijo de tirar o fôlego. Meu coração parecia que não iria mais caber dentro do meu peito, minha vontade era de permanecer ali.”



  


“— Uma coisa que eu posso te dizer, falando sério agora: é normal sentir medo quando estamos sentindo algo por alguém, errado é não enfrentar esse medo. Você tem que chamar ele para conversar e falar o que você pensa, ou simplesmente deixar de lado e esquecê-lo.”

“— Não podemos amar aquilo que não conhecemos, minha filha. Conheça e depois fale se ama."






TRECHOS DA SIL


''Ele se aproximou do meu ouvido e disse bem baixinho: - A praia nunca esteve tão boa como está nesse momento. Meu coração disparou, aliás, acho que não estava nem conseguindo me sentir naquele momento, até mesmo porque naquele instante os lábios dele passaram muito perto do meu rosto. Eu me arrepiei completamente.'' 

''- Para com isso, Bia, se você não acreditar no seu potencial, quem vai acreditar? E além do mais, não existe ninguém perfeito Bia. Você tem que parar de se sentir tão inferior às outras pessoas, amiga. Já reparei que você tem esse hábito.''

''Eu fiquei paralisada com aqueles olhos azuis, sem reação. No fundo, também queria ser beijada por ele, depois de todo aquele clima.''


 


''Quando ele me beija, eu me perco dentro de mim, não consigo reagir, é como se ele conseguisse controlar até os meus pensamentos. E acho que ele já percebeu isso.''

''Quando Diego me viu, ele simplesmente parou de conversar com meus pais e ficou me olhando. O nosso olhar se encontrou e, realmente, é como se alguma magia estivesse acontecendo, não sei explicar, mas ele também estava lindo.''




13 setembro 2021

5 motivos para ler: 24h adolescente e às vezes apaixonada


Após a leitura do livro, eu precisava trazer os 5 motivos para vocês, pois com certeza vou convencê-los a ler assim que lhes dizer o que me deixou completamente apaixonada por essa história. Confira e não deixe de adquirir a obra, porque vale muito a pena mesmo!



01 - Temas Abordados: Achei muito interessante e adorei a maneira como a autora trouxe alguns temas que a gente passou ou passamos durante a nossa adolescência. Esse tipo de leitura pode ajudar muitos jovens que enfrentam os mesmos dilemas e procuram respostas assim como a nossa protagonista.



02 - Escrita da Autora: A autora desenvolve tão bem a história que nos vemos presos durante as páginas do livro, porque sua escrita é envolvente, cativante e de fácil entendimento para que jovens e adultos principalmente possam aproveitar muito bem a leitura.



03 - Ambientação: Uma coisa importante que sempre gosto de destacar é que dentro da história os cenários abordados se passam em cidades brasileiras, o que faz com que possamos imaginar determinadas situações ou locais de maneira muito mais realista. A Literatura Nacional tem essa vantagem de mostrar as maravilhas do nosso Brasil não é mesmo?



04 - Personagens: Todos os personagens são muito bem construídos durante a história e são muito importantes durante o autoconhecimento dos sentimentos de Bia. Também são extremamente apaixonantes, divertidos e cativantes. Tenho certeza que algum deles vai te chamar bastante atenção e vai fazer você se identificar com algum deles nas diversas situações que cada um ali vivencia.



05 - O DIÁRIO: Achei muito interessante o fato da Bia, a nossa protagonista, ter um diário. Achei que esse fato agregou muito à história, pois, de acordo com o que Bia passava no decorrer dos capítulos, podíamos ler como ela se sentia sobre certos acontecimentos, o que nos trouxe uma maior profundidade de como relamente estava se sentindo em determinada situação.



06 setembro 2021

Resenha - Sintonia Perfeita: The Reckless #1


É bem difícil pra mim falar desse livro, porque foi uma jornada bem intensa, cheia de altos e baixos, e por ser um livro enorme, potencializou todos os sentimentos que tive ao longo da leitura. Primeiramente, devo ressaltar que o livro não é recomendado para menores de 18 anos, por conter conteúdo sexual, gatilhos para pessoas sensíveis, uso de drogas, bebida alcoólica e violência. Então vamos lá!


Bryan e Mackenzie são amigos desde pequenos. O livro se passa entre 2015 e 2020, dividido em 3 partes; como se fosse o Passado, o Presente e um possível Futuro. Na primeira parte - minha favorita - Bryan e Mack são adolescentes, e constroem uma amizade incrível juntos depois que uma tragédia assombra a vida dos dois. Bryan, claramente, tem um sentimento por ela desde essa época, porém Mackenzie, depois de ter passado por uma experiência traumática em relação ao amor, decide não se envolver, para não "estragar a amizade" dos dois.

Nessa Parte I, Bryan é introspectivo, inteligente e lindo de morrer. É o famoso cara que todas as garotas - e garotos - querem. E Lilah ocupa o posto de primeira namorada do futuro badboy. Nesse namorico de escola, Mackenzie faz parte do grupo composto por Sebastian, Effy e Lilah, e numa das primeiras cenas dos dois juntos, já dá pra sentir que vai ser um romance intenso; Mack e Bryan cantam num karaokê e a tensão só aumenta quando ela descobre que, sim, ele canta MUITO bem.


"O som da voz de Bryan é algo que não dá para esquecer. É aquela que consegue criar uma marca; não só em seus ouvidos, mas que faz retumbar por semanas em sua cabeça. É o tipo de voz que mexe com seu coração."


Obviamente, Lilah morre de ciúmes dos dois, e a amizade entre ela e Mack fica estremecida. Passam-se algumas semanas, e a tragédia que assombra a cidade de Humperville acontece; Lilah vai embora sem avisar ninguém - inclusive Bryan, seu namorado - e ele fica destruído, assim como Mackenzie. Surge a amizade dos dois com Effy, a melhor personagem DO MUNDO, e tudo vai muito bem durante mais ou menos 2 anos. Entretanto, como o livro é um drama muito extenso, Mackenzie comete um erro quase imperdoável com Bryan, e foge de Humperville, deixando todo mundo pra trás, fazendo a mesma coisa que Lilah, na qual julgou tanto na época.

Depois de se passarem mais de 2 anos, e por uma ironia - ou não - do destino, Mack volta para sua cidade natal, e descobre que seu melhor amigo agora é Bryan McCoy, o gostoso badboy vocalista da The Reckless, banda de rock prestes a entrar em ascensão; sonho de todas, por ser inalcançável. Sua jaqueta de couro, o olhar matador e os coturnos pretos são sua marca registrada de cafajeste; ele não quer um relacionamento com ninguém, principalmente com a mulher que estragou sua vida na adolescência, e que seu coração traíra não deixa de bater acelerado por ela.

Em meio a muitos dramas, raiva e rancor, a Parte II do livro se concentra em Mack tentando reestabelecer relações com sua família quebrada, sua melhor amiga Effy e, de quebra, seu melhor amigo e amor da vida, Bryan. Ao longo da jornada, ela também acaba ganhando de brinde os meninos da The Reckless, e suas maiores fãs: Gravity, Willa, Faith, Bailey e, obviamente, Effy.


"— Você não precisa fazer isso. — Seguro seus pulsos e ela para.
— Preciso sim. É o que os amigos fazem, eles cuidam um do outro."


Fazendo essa introdução enorme sobre a história, pra vocês se situarem melhor, vamos à minha opinião. Como disse no começo, foi uma jornada bem intensa, e LONGA. O livro tem como tema principal o amadurecimento de duas pessoas quebradas, machucadas pela vida, que precisam se reerguer sozinhas para, enfim, ter um relacionamento. 

Mack e Bryan sofreram muitas coisas, cada um à sua maneira, e a intenção não é desmerecer seus sentimentos; porém, creio que o livro poderia ter sido bem menor se os personagens conversassem e resolvessem suas pendências sem dramatizar tanto.

Eu adoro o estilo de romance slow burn (que acontece aos poucos) e o clichê friends to lovers (melhores amigos que se apaixonam), mas creio que a autora poderia ter dividido o livro, ou cortado algumas partes que, pra mim, não fizeram tanto sentido. Foram muitos detalhes que poderiam ter sido omitidos, mas que não tira a magia da obra. A construção dos personagens está impecável, os meninos da banda são INCRÍVEIS, e creio que as cenas de romance entre Bryan e Mackenzie - quando não estão brigando - foram muito bem escritas, e apaixonantes também.


"Já me passou pela cabeça que o toque de Bryan é o mais intenso e marcante que já experimentei. Que o olhar dele consegue atravessar a minha alma, atingir meu coração e fazer todo o rebuliço aqui dentro. Eu já senti que a sua presença não é só prazerosa, é essencial."


É um New Adult que precisa ser lido pouco a pouco; não dá pra devorar um livro desses. Tem o enredo central, sim, mas fiquei muito feliz que a autora soube dar a devida importância aos personagens secundários, e estou simplesmente louca pra ler os próximos livros dos meninos da banda. Dos principais, Bryan é de longe meu favorito; ele sofreu muito, e mesmo que tenha agido inconsequentemente em muitas partes do livro - o que me irritou bastante, confesso -, ele é verdadeiro, e nunca escondeu seus sentimentos por Mackenzie, muito menos suas intenções. Mackenzie teve redenção no final, mas a achei muito imatura, e egoísta em vários momentos; era como se ela não quisesse que o Bryan vivesse a própria vida, e até a metade da Parte III, eu não a perdoei por isso.


Falando agora dos secundários, Effy é uma mulher incrível, determinada, inteligente, engraçada, sensata e a melhor amiga do mundo. Quando Mackenzie abandonou Bryan, ela que o segurou; a relação dos dois é maravilhosa, muito saudável de verdade. É uma amizade pra se levar pra vida. E com Gravity não é diferente; Vity é louca, divertida e sabe muito bem o que quer. Ela e Effy se complementam, e são essenciais quando Mack volta, porque são as únicas que não a julgam logo de cara.


"Essas garotas são como a minha família, então, se você quer fazer parte dela, por favor, não seja o tipo de garota que acredita que o certo deve estar acima dessa lealdade. Eu mato e morro por cada uma delas."


A The Reckless também não fica de fora das palmas. Nunca pensei me apaixonar por tanto homem ao longo de um livro, mas esses meninos fizeram o impossível acontecer (risos) Ashton é o pegador mor, e o melhor amigo do mundo; Aidan é uma pessoa incrível, e daria o mundo por quem ama; Finnick é o metódico, lindo e controlado, e por isso o que estou mais curiosa pra desvendar; Chase é um FOFO, e eu amo muito esse garoto, não tem nem como.

Eles e Bryan formam uma equipe de dar inveja em muitas bandas por aí, e a amizade entre todos eles é maior que tudo. Eu considero pessoas que não são meu sangue como minha família, e ver esse tipo de relação em um livro é simplesmente TUDO pra mim. Demonstra que a autora sabe qual é a importância dos amigos em nossa vida, e isso foi um dos pontos mais importantes pra mim no livro.


"Tínhamos um diamante com rupturas abaixo do nome The Reckless. Garotos imprudentes que precisam ser lapidados. [...] Tínhamos uma banda e um propósito. Foi assim que quatro garotos, com uma carga emocional pesada, tornaram-se amigos. Não diria que os membros do clube dos quatro contariam tudo da vida um para o outro, mas com certeza mataríamos um pelo outro."


Enfim, poderia dissertar sobre muitas coisas acerca do livro mas, em suma, Sintonia Perfeita é sobre redenção, recomeços, perdas, erros e um amor capaz de perpassar as barreiras do tempo e da dor pra se consolidar. Não sei se iria querer um drama tão intenso assim pra minha vida, mas reconheço que foi um trajeto de amadurecimento emocionante. Sim, chorei em muitas partes, marquei muitas coisas, e apesar do livro ter problemas, não tiro o mérito da autora, pois foi maravilhoso ver os dois finalmente se colocando nos eixos, um pelo outro.

Espero muito que o segundo livro - do Aidan - seja uma ótima experiência, e que os próximos também. Recomendo a série para os que buscam um drama intenso, e uma jornada inesquecível!


"Acho que faz parte de amar alguém. Você acaba se apaixonando como um todo. Qualidades, defeitos. Momentos bons e ruins. Tudo faz parte da história que você construiu com a pessoa que ama."









 

Livro: Sintonia Perfeita #1
Cortesia: Amanda Maia (Autora Parceira)
Número de páginas:  1223

Bryan McCoy é o nome do problema de Mackenzie Wilde.Sorriso cafajeste, andar que esbanja confiança, jaqueta de couro e os coturnos pretos são a marca registrada do garoto que um dia foi o melhor amigo de Mackenzie.
Quase dois anos depois de um incidente, que acarretou o fim de uma amizade de anos, Mackenzie está de volta à pacata cidade de Humperville, o lugar que se esforçou tanto para deixar para trás. Determinada a não se deixar abalar pelos erros que cometeu no passado, tentará se concentrar nas aulas de jornalismo e reconstruir o relacionamento com sua família.
Mas Bryan não se esqueceu da dor que a amiga lhe causou, nem da maneira como o apunhalou pelas costas. Diferente de tudo que Mackenzie se lembrava, ele agora é um amargurado e rancoroso vocalista da banda The Reckless e determinado a mostrar o que as marcas deixadas por ela fizeram com seu coração.




03 setembro 2021

Resenha - Um casamento por Vingança

 


Um casamento por Vingança traz como personagens principais o cirurgião Otto Rangel e Maria Teresa ou Maitê, como prefere ser chamada. Ela é filha do desafeto de Otto, o deputado João Guerra Cruz e por quem o médico carrega um ódio mortal e um enorme desejo de vingança. Com isso em mente, Otto se estabelece nas cidades de Mundo Verde e Brejo Negro para colocar em prática seus planos de fazer o deputado pagar pela morte de sua esposa, Milena, que estava grávida de oito meses de Luisa, na época que faleceu em um acidente de carro.

Os detalhes do acidente e do que de fato aconteceu no dia em que Milena morreu estão envoltos em pontas soltas e nenhum hospital parece ter os registros que podem trazer luz ao caso.

Otto quer justiça e para isso ele será capaz de qualquer coisa para conseguir o que quer. Até mesmo se casar com Maitê, a filha do demônio como se refere ao deputado em seus pensamentos.

Maria Teresa é a filha do meio do deputado João Guerra e trata-se de uma jovem doce, meiga e preocupada com a situação das famílias mais carentes da região. Está sempre envolvida nas situações do povoado, o que acaba colocando sua vida em perigo, e justamente por conta disso que ela conhece Otto, que a salva em dois momentos bastante tensos na história e exatamente por conta disso que ele vê a oportunidade perfeita de se vingar.

Otto traça um plano perigoso de conquistar o amor de Maitê e se casar com ela, mas se esquece de que ele também poderia acabar se apaixonando no processo e antes mesmo do casamento, ele já está completa e irremediavelmente apaixonado por ela de um jeito que nunca imaginou ser possível.


"Eu a amo de verdade. Até tentei me enganar, mas não consigo mais esconder de mim mesmo esse sentimento. Maitê me fez voltar a sorrir. É uma luz que atravessa a escuridão e tem me guiado. Caí em minha própria armadilha. Sinto-me como se tivesse preparado a corda em que eu mesmo estou me enforcando."


Contudo, Otto não desiste de sua vingança e começa a colher os louros de seus planos, já que seu futuro sogro não aceita o casamento dos dois. João Guerra não confia em Otto e acredita que ele esconde algo de todos, pois ninguém sabe nada direito de sua vida antes e depois de se estabelecer na região.

No dia do casamento vem o primeiro grande golpe contra o deputado, pois Marion, irmã de Milena e cunhada de Otto é a responsável por um grande escândalo que acontece na festa. Ela faz uma série de acusações contra João e revela alguns dos podres cometidos por ele.

As ações de Otto têm consequências terríveis para o seu casamento e causam grande dor e sofrimento a Maitê, a única pessoa inocente em toda a história. A verdade vem à tona da pior forma possível e ela acaba descobrindo que foi um meio para um fim na vingança de Otto contra seu pai.


"Emito sons guturais e, finalmente, consigo me libertar desse torpor. Grito. Um grito de um sofrer que me parte ao meio, que me rasga, sem ferir a pele, que me destrói, mantendo-me inteira. Choro. Meu pranto é ácido e cortante, minhas lágrimas parecem queimar o meu rosto numa mágoa terrível e assombrosa."




[- Minhas Impressões -]

A história desse livro é intensa do início ao fim. A autora criou um enredo completamente viciante e envolvente que me manteve presa às páginas sem que eu quisesse outra coisa da vida a não ser ler sem parar. Confesso que há muito tempo um livro não me causava um frisson igual o que senti lendo a história de Um casamento por Vingança, e eu fico muito feliz por ser com um livro nacional.

Gosto muito quando os capítulos são intercalados entre os personagens, pois dessa forma temos a oportunidade de saber como eles se sentem individualmente em relação ao outro e foi assim em todos eles.

A ambientação da história foi muito bem trabalhada pela autora com descrições detalhadas dos lugares onde tudo acontece, o que acaba por deixar a trama muito mais atraente e interessante aos nossos olhos e nos leva para dentro das situações com maestria.

Os momentos entre Otto e Maitê foram todos incrivelmente bem desenvolvidos e foi maravilhoso acompanhar o desabrochar do amor entre os dois, a luta de Otto para não ceder e se entregar ao sentimento que Maitê fez nascer em seu peito. Foi tudo lindo, quente e muito passional.

Otto é um personagem extremamente atraente e a descrição da autora de suas características e atributos físicos contribuíram muito para formar sua imagem em meu pensamento e o que eu mais gostei, sem dúvida nenhuma, foi a luta travada no íntimo de Otto para não se entregar ao amor e a maneira toda especial com que ele sempre enxergou Maitê, pois ele sempre a descrevia como uma mulher sexy, linda, maravilhosa, gostosa, atraente, enfim, ele só via qualidades nela quando ela mesma nunca se enxergou dessa maneira. Só que Otto me despertou sentimentos ruins por conta de suas atitudes em relação a Maitê, embora eu entendesse a sua sede de vingança, nada justifica usar uma pessoa inocente para alcançar seu propósito.

Maitê é uma fofa, querida e muito guerreira, ela não se intimida com o pai e o enfrenta sempre que é preciso. Já em relação a Otto, depois que ela descobre suas armações, penso que ela poderia ter resistido mais a ele e não foi isso o que eu percebi ao ler.


O livro tem de tudo um pouco e por isso que ele é tão bom. Tem romance, reviravoltas, idas e vindas, segredos, revelações, amor, desejo, hot, armações, segundas chances e a boa e velha redenção. Um livro completo e maravilhoso do começo ao fim e com uma narrativa fluida e muito bem estruturada, que nos faz torcer para e pelos personagens sem a menor dúvida disso.

Eu me apaixonei totalmente pelo livro e fico feliz pela oportunidade de ler e conhecer o talento da autora. Sem contar que a capa é hipnotizante e o livro é muito lindo por dentro e por fora. Eu amei a diagramação, a fonte e as cores usadas para a composição do livro. Ficou um arraso!

Um casamento por Vingança é uma leitura imperdível para quem ama uma história de romance/vingança/recomeço. Eu super recomendo.








 

Livro: Um casamento por Vingança
Cortesia: TheBooks Editora
Número de páginas: 333

O médico Otto Rangel é um homem forjado pelo ódio e pela brutalidade da vida. Otto perdeu Milena, a esposa grávida, há oito anos.

Ele tem um ódio mortal do deputado João Guerra Cruz, e essa é uma situação envolta em obscuridades e segredos. Otto credita toda a sua dor e sofrimento ao deputado.

Para o médico, sangue se paga com sangue, dor com dor e sofrer com sofrer.

Nos últimos anos, cresce no peito o desejo por vingança após algumas descobertas. Então ele retorna para a região do Vale dos Segredos, estabelece-se entre as cidades de Mundo Verde e Brejo Negro e começa a articular seus planos.

O destino coloca em seu caminho a filha do demônio.

Agora Otto está prestes a dar o primeiro passo para destruir João Guerra. Vai se casar com uma das três filhas do deputado, a engenheira ambiental, Maria Teresa Guerra Cruz.

Maria Teresa, a quem todos chamam de Maitê, é uma jovem cheia de ideais, que não se dobra ao poder, nem de sua família, nem dos desafetos do pai.

Maitê se apaixonou perdidamente pelo novo cirurgião da cidade, Otto Rangel. é que Otto salvou sua vida duas vezes. E, aos poucos, ela vai entregando o seu coração ao homem de temperamento sério e duro, que quase não sorri.

Para o casamento, foram apenas seis meses.

Eles se casam, batendo de frente aos desejos dos familiares da moça, que consideraram a união muito precoce. Enfim, enquanto a proximidade aos Guerra Cruz só faz o ódio de Otto crescer, Maria Teresa só tem amor no coração.

Enquanto ele a espera no altar, como se tivesse uma espada na mão, Maria Teresa lhe oferece flores e a ela mesma em sacrifício.

Otto diz fingir amar Maria Teresa.

Ela lhe deu a sua alma e vida...




31 agosto 2021

Resenha - Um lugar cheio de rãs




Um Lugar Cheio de Rãs é um romance que se passa no ano de 1978, onde a ditadura estava no controle, e a Rússia não era um país livre, e esses serão dois dos três países que será abordado na história.

Em ano de copa do mundo, André e seu melhor amigo Matheus gostavam de assistir aos jogos em companhia um do outro e de suas esposas, já a filha de André, Dominique, preferia a companhia do seu diário, trancando-se em seu quarto durante os jogos, ou na biblioteca do seu tio Matheus. Mas mesmo trancada não conseguia não sofrer por aflição da seleção perder os jogos.

Dominique está no auge dos seus quinze anos, onde como qualquer garota dessa idade sonha com o tão esperado príncipe encantado, mas para ela não era um simples rapaz, ele tinha de ser russo, desde que ela assistiu a um filme russo, ela se encantou com o país e seus costumes. Mas no Brasil falar de determinados países não era bem-visto, o que fazia com que Dominique recebesse diversas reprimendas por conta de seu sonho.

O pai pedia sempre para que a filha não mencionasse a Rússia em sua presença, pois o deixava nervoso e ele tinha receio que a filha sofresse por falar em um país que ainda não era livre.


Já André é presidente de uma multinacional, onde ele tenta sempre escolher os melhores funcionários, sem distinguir cor, raça, faixa etária ou classe social. Acreditando no talento de cada um. O que deixava algumas pessoas preocupadas, acreditando que o presidente da empresa não sabia o que fazia. Pessoas gananciosas que fazia de tudo para atrapalhar o progresso da empresa.

Quando jovem ele viveu um lindo romance, no qual foi separado, e por interferência de outras pessoas nunca pode reencontrar esse grande amor. Mesmo não conseguindo esquecer a jovem russa, ele se casou com outra na esperança de amar um outro alguém, e quando sua filha Dominique chegou ao mundo ele acreditou que seu coração estava inteiro de novo,  assim ele seguia a vida criando uma filha em um mundo onde a liberdade de expressão estava cada vez mais difícil.

A narrativa do livro é em terceira pessoa, intercalando entre passado e presente, com uma escrita leve a autora nos mostra uma história linda de crescimento pessoal, amor e perdão. Com um cenário de ditadura militar, vamos ter assuntos como o comunismo, e os danos que a ditadura causou, o qual mantém André um dos personagens principais em agonia, pois não sabe o que realmente aconteceu com seu irmão mais novo, anos atrás. E em uma promessa para o pai ele diz que vai encontrar o corpo do irmão para ter um enterro digno.

André é uma pessoa incrível, em constante evolução. Um homem ambicioso, mas que não pisa em ninguém para conseguir o que quer, pelo contrário, ele defende que as pessoas não precisam de dinheiro para ter caráter, e que pessoas que precisam lutar para subir na vida, tem um empenho melhor, pois sabe o valor das coisas.

E Dominique o que falar dessa jovem que em nenhum momento duvidou dos seus sonhos, mesmo não sabendo o que o futuro lhe aguardava. Acreditava no amor e na amizade. E nunca deixou de contar seus maiores sonhos e medos em seu diário, único que não a repreendia. E uma pessoa que não passou de uma peça figurativa na história foi a mãe de Dominique, que fez pequenas aparições. Sempre carismática, não tinha nenhum conflito e nem anseio por nada, o que me pareceu que para ela de qualquer jeito estava bom.


O romance também vai abordar um casal secundário, que na verdade é uma situação abusiva entre professor e aluna, onde a melhor amiga de Dominique, Ariadna se apaixona pelo professor de matemática, o qual não passa de um crápula, que se aproveita da garota, iludindo-a e a deixando gravida. Só depois de um encontro o qual a Ariadna se arrepende amargamente ela tem a surpresa de descobrir que ele era casado. Mas já era tarde, porque ela já tinha uma grande responsabilidade pela frente.

No decorrer das páginas, vamos acompanhar o decorrer da vida da família de André, que vai descobrir nos últimos dias de vida do pai, que ele escondeu cartas de seu grande amor, o pai diz ser por proteção ao filho, já que ele estava decolando na carreira na época e sua amada era uma jovem russa ao qual poderia por a vida de André em risco e sua carreira poderia não ter o rumo que teve. Mas para André ele não se importava, só queria saber da sua querida Sofia, uma linda jovem que veio junto dos pais foragida da Rússia para o Brasil.

O livro todo é um ensinamento, na empresa observamos relações as quais são toxicas, onde chefes, escondido do presidente da empresa, abusam de funcionárias, chegando a oferecer dinheiro para secretárias serem amantes deles e também humilhando funcionários de classe baixa, dizendo serem lixos. O que é ridículo saber que ainda existe esse tipo de ser humano, mas assim como eu a autora acredita que aqui se faz aqui se paga.


Em meio a cenário incrível que é São Paulo e seu belo pôr do sol, vamos ver as coisas sendo reveladas, mal-entendidos sendo posto as claras, e assim nosso querido André irá enfim atrás do seu grande amor perdido. Mas nem sempre o destino está a favor dos amantes apaixonados.

Entre encontros e desencontros vamos ser transportados para uma época em que a liberdade física era proibida, e falar o que pensa não era uma boa ideia, pois poderia resultar em um terrível fim. Como muitas pessoas que foram parar em valas clandestinas e nunca mais encontrados por familiares.

A autora nos emociona com cada personagem e seu envolvimento na história. É claro que eu adorei pois eu sou viciada em dramas e tragédia. Mas também gosto de acompanhar o desenvolvimento da história e saber que não poderia ter um final diferente. Um romance curto, em média 200 páginas, o qual está bem estruturado. Não contém frases prolixas, o qual muitas vezes atrapalha a leitura. Recomendo que todos leiam e que adoram se emocionar, mas que não deixam de se preocupar com o contexto social.








 

Livro: Um lugar cheio de rãs
Cortesia: Celina Moraes (Autora Parceira)
Número de páginas: 262
Amazon / Skoob 

Conflito amoroso, suspense e contexto histórico se misturam a esta história de amor ambientada nos anos 70, em plena ditadura militar brasileira. A juventude da filha Dominique desperta em André, um executivo bem-sucedido, sentimentos que ele julgava esquecidos, mostrando que as fronteiras da memória são tênues e marcantes. Sem medo, André embarca em uma viagem rumo ao passado e desembarca no México, onde o destino será seu guia.



30 agosto 2021

Resenha - Os Seis Finalistas



Nesse livro de ficção científica, acompanhamos a história de 24 adolescentes, pertencentes às diversas nacionalidades, que recebem a chance de fazer parte do "salvamento" da vida humana. A Terra como conhecemos já não existe mais, o ser humano usou e destruiu tudo o que pôde e a natureza revidou de forma devastadora.

Terremotos, tempestades, tsunamis e falta de alimentos estão exterminando, aos poucos, todos os habitantes. As águas tomaram conta de boa parte do mundo, portanto, não há muitos espaços para moradias ou para qualquer outra situação. E onde há, ocorre uma superlotação e, ainda assim, não é um local seguro, pois a cada dia que passa a Terra vai engolindo mais partes de continentes com água e destruição.

Para tentar evitar o extermínio, os governos e a NASA concentraram todo o poder e recursos ainda restantes em um projeto que promete ir muito além do que a viagem até a Lua. A lua que eles querem buscar agora é, na verdade, Europa, uma das luas de Júpiter. Lá, eles acham que pode ser possível construir uma habitação e, principalmente, mantê-la de forma que ela não seja destruída nas mãos dos homens.

Então os 24 adolescentes entram em ação, porém somente seis irão participar, de fato, da Missão Europa, que consiste em ir até a lua de Júpiter e começar essa nova povoação. Eles foram escolhidos por suas habilidades em diversas áreas e colocados em um treinamento intenso para ver quem é mais forte e quem é mais útil para a NASA.

Naomi é uma das escolhidas e ela sempre torceu para que isso não acontecesse. Ela tem uma família completa, eles se mudam constantemente, mas estão juntos, e seu irmão tem saúde fraca. Tudo que ela queria era ficar ao lado deles, mas, uma vez que foi selecionada, ela não tem opção de escolha. Se recusar a ordem, pode acabar presa. Enquanto isso, Leonardo está extremamente eufórico com a chance que recebeu, pois sua família inteira morreu no primeiro trágico tsunami. Assim, ele se sente útil e parte de algum plano que dá sentido à vida dele.

Quando esses dois se encontram, a conexão é imediata. Porém, não há tempo para romances, a Terra está morrendo e levando consigo todos os habitantes.


"Fico pasma ao perceber que a minha mãe acredita, de fato, nessa propaganda absurda, de que os Seis Finalistas podem sobreviver a essa fantasia absurda que chamaram de missão. E mesmo que eles - nós? - conseguissem dar um jeito de alcançar o inacreditável, eu escolheria morrer com a minha família a viver com cinco estranhos na lua de Júpiter. Mas quando olho para a esperança estampada nos rostos dos meus pais, deixo os meus protestos morrerem nos meus lábios."


[- Minhas Impressões -]

O primeiro item que eu quero ressaltar aqui, antes de partir para a avaliação ficcional do livro, é a relevância do tema abordado. Em 2021, vários países da Europa sofreram com tempestades jamais vistas, que alagaram muitas cidades, destruíram muitos lugares e mataram muitas pessoas. Tudo isso não ocorreu "do nada" ou de um dia para o outro. Tudo isso é consequência das mudanças climáticas causadas pela interferência do homem na Terra, assim como o esgotamento dos recursos naturais para o planeta se manter saudável.

Comecei a ler antes que esse fato ocorresse e me surpreendi ao perceber que a ficção que eu estava lendo, e pensando que demoraria muito para acontecer, na realidade, estava ocorrendo simultaneamente à minha leitura. É um assunto preocupante, porém é um assunto tratado com descaso. "Os Seis Finalistas" é muito mais do que leitura por prazer, é também uma forma de construir um pensamento crítico do leitor sobre esses acontecimentos e gerar preocupação. Somente uma nação preocupada pode mudar o que está acontecendo, antes que tome a proporção que tomou no livro.

Portanto, nesse livro, a Terra está somente habitável em locais altos, que ainda não foram atingidos pelas enchentes. Mas esses locais estão superlotados e pessoas com mais dinheiro conseguem viver em condições mais abrigadas. A comida é escassa e o governo não presta um grande auxílio, pois todo o foco está em retirar os humanos da Terra e inserí-los em um outro planeta. O problema é que dificilmente um planeta tem todos os requisitos para a vida humana prosperar, por isso os adolescentes foram selecionados.

Na idade deles, tudo é mais fácil: a adaptação a uma nova vida e rotina, a saúde, a longevidade e, principalmente, a resistência necessária. Europa possui muita radiação, o que mataria quem saísse da nave, então foi criada a BRR: uma vacina capaz de fazer eles imunes à radiação. Durante os dias de treinamentos intensos, que têm como objetivo a eliminação dos candidatos etapa por etapa, eles também são colocados como cobaias da vacina, para verem se eles não terão alguma rejeição.
 

Os personagens principais são Naomi e Leo. A narração é em primeira pessoa e intercalada entre os dois, às vezes com o ponto de vista dos dois sobre a mesma cena. Acho esse jogo de narração muito bom, porque não cansa em um mesmo ritmo e nos permite estar dentro do que esses dois sentem. A primeira coisa podemos perceber é a diferença de vida e ânimo deles, já que ele está eufórico e ela está triste, além de ela não entender como os outros também se sentem felizes em deixar suas famílias e ir para um local primitivo a ser explorado - e que talvez não dê certo.

Um ponto alto desse livro são as descrições. Por ser ficção científica, ele seria cheio de termos técnicos, mas isso não acontece. As descrições são facilmente visuais, simples de entender e igualmente enriquecedoras para a história. Não se torna uma leitura massante, pois não se demoram explicando muito os equipamentos e os locais, explica-se somente o necessário para nos habituarmos ao ambiente e também para entendermos como as provas acontecem.


"À medida que o doutor Takumi se lança à apresentação do corpo docente, meu desconforto dá lugar ao interesse. Esses não são professores comuns: são uma mistura de cientistas, engenheiros e ex-astronautas de todo o mundo, combinados com sargentos e tenentes do Exército dos Estados Unidos. Olhando para o corpo docente à nossa frente, fica claro que estamos num programa de treinamento militar voltado para viagens espaciais."



Em um certo ponto achei que a narrativa estava apressando demais as situações, mas ao final comecei a pensar que isso poderia ser proposital, já que eles não tem muito tempo para treinar e a Terra está colapsando cada vez mais rápido. Portanto, em alguns momentos, ele é um pouco superficial nos assuntos, mas isso não gera um problema de entendimento. Além de que foi muito legal acompanhar as fases de provas e testes.

Sendo uma competição, naturalmente irão existir rivalidades. Aqui, temos o personagem Becket, dos Estados Unidos, e ele é sobrinho do presidente e representado como: arrogante, mau-caráter, não empático e sempre querendo se sobrepôr aos outros, nem que seja de forma ilegal. Isso não passou batido por mim pois achei uma crítica bem interessante ao país e é raro vermos os EUA como vilões, enquanto Naomi, também dos EUA, é filha de imigrantes e retratada com mais atenção. Becket é, então, rival principalmente de Leo, pois eles tem habilidades semelhantes quanto à natação. Inclusive, Leo já estava sendo observando muito antes da missão existir, por seu talento com o esporte. Mas apenas um poderá embarcar naquela nave, e Leo sabe que precisa ser ele, já que não tem mais uma família para onde voltar.


Naomi, sempre revoltada por seu destino, vê em Leo um amigo e, claro, acaba acontecendo um clima sedutor entre eles desde os primeiros momentos. É incrível como pude sentir realmente a tensão entre os dois. Logo, ele passa também a ser cúmplice dela, pois a garota quer burlar as regras usar seus dom secreto como hacker para saber como sabotar a missão e tudo que a NASA está escondendo por trás de uma missão anterior fracassada, das viagens dos robôs até Europa e da BRR. A menina é inquieta, inteligente e gostei muito desse espírito encrenqueiro dela. Ela também quer provar que há vida inteligente fora da Terra, um estudo que foi proibido a todos.

Achando seus próprios propósitos de vida em meio ao caos, Naomi, Leo e os outros personagens dão tudo de si para que possam ser cogitados a serem um dos seis finalistas. Alguns personagens, secundários, aparecem com mais frequência que outros e acabamos por saber mais da vida deles e do que eles esperam do treinamento. É com eles que as situações começam a dar errado, já que nada seria tão perfeito assim.

A BRR causa uma reação, que a NASA diz ser rara, em alguns adolescentes. Logo, todos ficam em pânico ao verem as cenas horríveis daqueles que tiveram isso, o que aumenta a suspeita de Naomi a respeito de que a NASA esconde algo muito grave de todos. Após um dos acontecimentos, inclusive a saúde mental passou a ser de alta relevância para os pesquisadores, que fizeram os aprendizes realizaram testes e consultas com os robôs inteligentes, a fim de também eliminar os não aptos mentalmente. Afinal, eles não podem ter um surto em Europa, já que não há hospital ou medicação.

Esse livro aborda, a meu ver, um assunto pesado, mas de forma bem leve. Tanto quem está, quanto quem não está acostumado com ficção científica vai gostar dele, porque há ação, um leve romance, um drama, intrigas... Ele não é muito técnico e o foco aqui é a preparação, não a viagem. A leitura flui super bem, é possível terminar ele em poucos dias, além da edição ser muito boa. Eu não esperava que fosse gostar tanto assim, mas já estou louca para ler a continuação e saber o que mais aguarda os escolhidos.


"- É assim que as coisas funcionam no nosso centro - diz Lark. - Na NASA, eu treinei com a tripulação de Athena e vi alguns dos meus amigos mais próximos morrerem. Fiquei devastada, mas ainda assim tive que em apresentar ao trabalho. Nossos objetivos na NASA permaneceram os mesmos: ir além dos limites do espaço e encontrar um novo lar para abrigar a vida humana. Isso não muda quando algo ruim acontece."


O final me deixou muito surpresa, porque durante todo o livro a minha linha de raciocínio estava indo para um lado, mas, no final, eu nem acreditei no que estava lendo e foi aquele momento de "O Lado Bom da Vida", onde o personagem atira o livro pela janela. Brincadeira, me deixou surpresa mesmo, mas foi interessante. Acredito que há um sentido muito grande por trás do final. Ele me fez querer abrir o segundo livro imediatamente.

É uma leitura sensacional. Há tempos não lia um livro que me deixasse totalmente envolvida. Fui pesquisar sobre Europa, Júpiter, planetas, desastres climáticos e mil coisas enquanto estava lendo. É bem imersivo.








 

Livro: Os Seis Finalistas
Cortesia: Editora Jangada
Número de páginas: 283

Mudanças climáticas tornam nosso planeta inabitável, as grandes cidades do mundo estão debaixo d'água. Num último esforço para encontrar um novo lar para a humanidade, a Missão Especial mais audaciosa da história é lançada: a colonização de Europa, uma das luas de Júpiter. Agora, no Centro de Treinamento Espacial Internacional (CTEI), 24 adolescentes brilhantes foram recrutados e se preparam para disputar seis vagas na equipe que deixará para sempre a Terra carregando o futuro da raça humana. Leo, um nadador italiano profissional, não vê a hora de encarar esse desafio, depois de perder a família inteira numa inundação. Já Naomi, uma americana de ascendência iraniana - e gênio da ciência -, tem muitas suspeitas com relação ao CTEI, após uma missão semelhante falhar em circunstâncias misteriosas. Na medida em que o treinamento testa os limites de cada um e a tensão aumenta entre os astronautas, a amizade dos dois se torna essencial para enfrentarem o que está em jogo: a humanidade, a Terra e suas vidas.




Licença Creative Commons
O site I LOVE MY BOOKS por Silvana Sartori está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Por isso, qualquer contéudo aqui presente como resenhas, fotos e Colunas publicadas são exclusividade. RESPEITE e NÃO COPIE, pois PLÁGIO é CRIME!


Instagram

I Love My Books - Blog Literário . Berenica Designs.