30 julho 2021

Resenha - Oito Detetives



Oito detetives de Alex Pavesi é uma daquelas obras que você acredita que sabe do que se trata e mesmo assim é surpreendido. Com uma diagramação e capa que chamam atenção, essa é mais uma aposta de sucesso da editora Faro Editoral. Vem comigo conhecer mais sobre a obra.


"Esta é a questão sobre mentiras... Depois que a pessoa começa, não consegue parar. Ela tem que seguir até onde a mentira irá levá-la."


Grant Mccalister é um matemático que há 30 anos resolveu se aventurar no mundo da escrita lançando o seu livro: “Os Assassinatos Brancos” com uma triagem de pouco menos de 100 exemplares. Seu objetivo ao criar essa obra era demonstrar que toda história de investigação seguia um padrão que tornava simples a sua escrita. Em sua opinião, assim como a matemática, esse gênero possuía uma equação simples e direta composta por no mínimo uma vítima, dois ou mais suspeitos, e um ou mais matadores. Sua carreira, no entanto, não durou muito, após escrever os sete contos que compõe esse livro, por isso, Grant decide largar tudo e ir morar em uma ilha no meio do Mediterrâneo longe de todos.


"A arte, então, está no engodo: em escolher a solução que, de certa forma, pareça a mais inadequada para a história, mas de outras formas se encaixa perfeitamente.


Passado mais de vinte anos, seu livro acaba por ser encontrado por uma editora que resolve relançar. No entanto, para isso, a editora Júlia Hart precisa reeditar essa história que quanto mais lê mais passa a notar inconsistências. Encarregada e curiosa sobre os pontos que observou, ela parte em uma viagem para se encontrar com Grant, entrevista-lo e descobrir mais sobre esse pontos.


“As possibilidades são apresentadas ao leitor desde o início. O final apenas recua e aponta para uma delas."


Com alguns pontos em comum com crimes reais, Júlia passa a questionar Grant com suas dúvidas e falhas que identificou na historia e assim esclarecendo alguns pontos e se fechando em outros, então o autor passa a explicar o porquê de ter criado suas obras assim.

Contudo, conforme a obra vai apresentando os contos intercalados e as entrevistas de ambos, o leitor se vê questionando vários pontos da obra. Determinada a descobrir o que realmente está acontecendo e qual a verdade por trás da motivação e inspiração Mccalister, Hart se embrenha bem fundo nesse enredo. Mas será que ela está certa em seus questionamentos ou será apenas uma coincidência onde vida, literatura e arte se misturam?


"Aqui é meu dever, como autor dessa história, assegurar ao leitor que agora ele tenha sido apresentado a provas suficientes para resolver esse mistério por si próprio. Os mais ambiciosos de meus leitores podem querer fazer uma pausa por um momento e tentar fazer isso."


Em Oito Detetives o leitor é levado a aprender mais sobre o que compõe uma boa obra de investigação, seus pontos essenciais e principalmente a duvidar de tudo e procurar nos menores detalhes. Resta saber se a resposta é realmente aquela que se procura...



“Porque teorias nunca são fatos. E cada uma deve ser confirmada por várias provas.”



[ - Minhas impressoes -]

Oito detetives é uma daquelas obras de mistério que te deixa intrigado, instigado e absolutamente viciado. Com várias reviravoltas e muitas dúvidas para o leitor, cada página lida e apresenta algo que pode mudar por completo o rumo da história e os palpites sobre ela.

Obviamente que para aqueles que são amantes do gênero e já estão acostumados com essa trama de suspense pode não ser algo que vai explodir mentes e surpreender, mas nem de longe também é uma história a ser menosprezada.

Mesclando diversas histórias, Alex Pavesi consegue entregar em sua obra de estreia uma trama que te induz a descobrir mais sobre esse universo e como basta as vezes um detalhe para mudar toda uma trama.


Júlia Hart é uma protagonista que logo ganha destaque. Com sua atenção aos detalhes e anseio em descobrir mais sobre o que Grant pode estar escondendo ela não hesita em buscar por mais do que uma simples editora costumaria fazer. Levantando hipóteses que nós leitores também pensamos ela nos leva a embarcar nesse mistério repleto de pontas soltas que nos faz questionar e mudar de opinião sobre algo a cada página.

Muito bem escrito, sentimos nela uma veracidade e uma conexão como se fosse realmente alguém do nosso dia a dia. Mais do que uma personagem ela é alguém que nos inspira a não nos contentar com aparências ou com o lógico, mas a ir além.

Grant Mcalister, por outro lado, não deixa a desejar, mas mostra um outro tipo de personalidade. Extremamente esquivo e repleto de mistérios ele é alguém que não deseja falar sobre si mesmo e principalmente sobre sua vida e seu passado - o que para alguém que é autor, acaba por ser bem estranho. Mostrando o esquema matemático - que para ele é o cerne de toda história de assassinato - ele se torna alguém intrigante e essencial para a obra. Muito bem escrito, esse protagonista aparece na trama para fazer com que o leitor se questione e veja lógica em coisas que em um primeiro momento poderia passar despercebido.

No entanto, isso não é tudo, o autor Alex Pavesi demonstra maestria em cada personagem que aparece, seja secundário ou não. O cenário também é algo que acaba ganhando destaque devido as mudanças que vai sofrendo e o grau de dificuldade que vai sendo atrelado a trama.

Nada nessa obra acaba por ser por acaso o que o leitor logo passa a descobrir no meio de tanta engenhosidade demonstrado a cada capítulo. 


Com uma sinopse que apresenta muito bem o que se pode esperar ao longo de suas 288 páginas e uma capa que faz jus ao gênero já demonstrando o que aguarda o leitor em suas páginas, essa é mais uma obra que demonstra em cada mínimo detalhe o esmero que a Faro Editorial tem com o seu trabalho. Com as famosas páginas amareladas ideias para não cansar a vista durante a leitura e com uma revisão muito bem feita, esse livro é mais um exemplo de trabalho bem feito por ela.

O autor Alex Pavesi também foi muito sábio na hora de criar sua trama e dividi-la em capítulos mais curtos e intercalados entre as tramas envolvendo os assassinatos e as entrevistas conduzidas pela editora Júlia. Simples, mas com uma beleza característica da simplicidade, com pequenos detalhes em imagem acima de cada capítulo, essa é uma daquelas obras que você ama ter na estante pela harmonia encontrada entre edição, capa e história.

Essa obra é uma daquelas que você começa achando saber o que esperar, mas é surpreendido a cada capítulo, fato ou plot twist que ocorre. Simples, mas cumprindo seu papel, esse livro é um daqueles que pode até não virar um favorito, mas está longe de ser um que deixa a desejar.

Leiam essa obra, porque ela irá te surpreender e se prepare para conhecer um pouco sobre um lado diferente do que se está acostumado nesse gênero.









 
Livro: Oito Detetives
Cortesia: Faro Editorial
Número de páginas: 288
Amazon / Skoob

Existem regras para mistérios em que há um assassinato. Deve haver uma vítima. Um suspeito. Um detetive. O restante é apenas embaralhar a sequência de fatos para enganar o leitor. O matemático Grant McAllister resolveu esse raciocínio para escrever sete histórias de detetive calculando as diferentes ordens e possibilidades. E, por trinta anos, essas histórias pareceram perfeitas aos olhos de todos. Agora, vivendo recluso numa remota ilha do Mediterrâneo, vendo a vida passar, ele é descoberto por Julia Hart, uma editora ambiciosa e esperta. Julia quer republicar o livro de Grant, mas nota muitos pontos inconsistentes, quase propositais. Aos olhos de uma profissional, parecem pistas de crimes reais... Ela decide investigar. Em uma batalha intelectual com um adversário perigosamente inteligente, Júlia percebe que há um mistério maior por trás dos livros... Grant deixou as pistas para conectar os livros ou assassinatos da vida real? Toda investigação parte de evidências. Mas, e se elas fossem disfarces de algo mais grave?




22 julho 2021

Resenha - Amélie O Jardim e o Piano



Amélie nasceu em Lyon na França em 1983. Seus pais sempre quiseram ter filhos e o seu nascimento foi motivo de grande alegria e felicidade para eles. Sempre muito amada e cuidada por seus pais Michele e Roy Moreau, executivos no ramo da informática e um casal muito apaixonado.

À medida que cresce, Amélie demonstra um comportamento sempre solitário preferindo a companhia de seu cachorro em detrimento de outras pessoas. Os pais demoram a entender o que se passa com ela e a mãe acredita que com o tempo Amélie mudará. Porém, quanto mais cresce mais reclusa ela fica e agora além do cachorro, Amélie passa a maior parte de seu tempo ao piano sempre tocando no jardim, local em que se sente extremamente bem.

Tempos depois e já adolescente, Amélie perde o pai em um acidente de avião. Agora ela só tem a mãe e as duas sempre se deram muito bem, mas Amélie começa a ter sonhos sucessivos com um homem do qual ela não consegue ver o rosto e só escuta um assovio. Os sonhos lhe fazem muito bem e lhe transmite paz, mas ela teme nunca conseguir ver o rosto do homem dos seus sonhos. Até que um dia ela conhece Pierre, filho do motorista de sua família e os dois se encantam um pelo outro.


Com a aproximação eles se apaixonam perdidamente, mas Pierre não sabe lidar com as mudanças bruscas que acontecem quando estão juntos, pois de um momento para o outro Amélie o afasta, ficando irritada e muito estranha.

Buscando ajuda para a filha, Michele descobre que Amélie nasceu com um grau leve de autismo conhecido como Asperger e sofre por não ter se dado conta do problema ainda em sua infância. O autismo impediu Amélie de interagir e socializar com outras crianças e sua transição de criança para adolescente foi algo extremamente difícil, já que ela não conseguia ir às festas da escola e ter amigos e acabava sempre ficando sozinha em seu mundo por não conseguir que as pessoas a compreendessem como ela era  e assim sofrendo discriminação por parte da sociedade que não soube lidar com o seu jeito esquivo e retraído de ser.


"Com o tempo, Michele começou a estranhar o comportamento da filha, sempre distante da realidade das coisas. Viajava em seus pensamentos, preferia ficar por muito tempo sentada em seu jardim e contemplar o vai e vem das pessoas e veículos que passavam em frente a sua casa."



O diagnóstico de Autismo assusta a todos, mas com ajuda profissional, orientação de especialistas e terapias Amélie passa a levar a vida de um jeito mais tranquilo tendo no piano o escape perfeito para suportar as dificuldades e transpor as barreiras impostas por sua condição. E com isso tem a possibilidade de se relacionar romanticamente e viver uma linda e intensa história de amor e se tornar uma pianista conhecida internacionalmente. Ela é uma personagem doce, forte, corajosa e muito inspiradora e mesmo com medo, ela não deixou de correr atrás de seus sonhos e lutar para viver da melhor forma possível.




[- Minhas Impressões -]


Ao ler a história de Amélie pude conhecer um pouco como é a vida de pessoas com autismo e perceber o cuidado do autor ao abordar o assunto, pois toda a história trouxe as dificuldades que as mesmas enfrentam perante a sociedade e junto aqueles que não entendem e muito menos sabem lidar com a situação. 

Então no decorrer da história o autor deixa muito claro para o leitor os anseios, medos e inseguranças que tomam conta de pessoas autistas e através de Amélie podemos entender um pouco como é para a pessoa conviver com o autismo e a necessidade indiscutível de acompanhamento profissional. Outra coisa que salta aos olhos é a importância do apoio familiar e como isso faz toda a diferença, já que receber amor e cuidado no momento em que mais se precisa contribui muito para o avanço positivo no desenvolvimento.

Toda a história é bastante fluida e muita coisa acontece no livro, o que nos faz ler com ainda mais vontade e também é cheia de revelações, reviravoltas e adrenalina. Já a emoção, ficou por conta do relacionamento de Amélie com a mãe que é muito lindo e durante todo o livro,porque o autor dosou muito bem esses momentos e é impossível não sentir e não se emocionar com o amor que une as duas. Outro ponto muito positivo na história e que encanta é a cumplicidade entre Amélie e Pierre. Ele é um fofo! Os dois juntos transbordam amor e companheirismo e nos enche de amor.

A escrita do autor envolve e instiga o leitor por ser leve e ao mesmo tempo cativante e cada uma das situações vividas por Amélie foram muito bem construídas e abordadas.

Uma das coisas que mais me chamou a atenção enquanto lia foi que em nenhum momento o autor permitiu que a história ficasse pesada e até mesmo dramática. Isso não aconteceu, muito pelo o contrário, e por isso, eu gostei muito porque isso permitiu que a leitura fosse mais apreciada em sua totalidade.

Amélie O Jardim e o Piano é uma obra sensível, importante e extremamente necessária e quanto mais pessoas lerem melhor será, pois vale muito a pena! Uma obra mais do que recomendada com toda certeza.







 
Livro: Amélie O Jardim e o Piano
Cortesia: Maurício Oliveira (Autor Parceiro)
Número de páginas: 181
Amazon

Superação, garra e coragem.

Essas são as qualidades de uma francesa de nome Amélie Blanche Moreau, que leva consigo um transtorno do espectro autista conhecido como Asperge. Passa por várias situações complexas no decorrer de sua vida devido a síndrome. Com a música clássica tocada em seu piano no seu jardim começando com apenas doze anos, supera as dificuldades que aparecem. Mais adiante já casada muda-se para o Brasil com o marido e seu filho, onde no decorrer dos anos terá uma revelação que transformará sua vida, envolvendo-a em uma ação policial.




16 julho 2021

Resenha - "DEZ ANOS"



Alice está se formando no ensino médio. Ela é uma mocinha sensível e muito meiga, algumas vezes parece indefesa e inocente, mas aos poucos mostra sua força. A dependência financeira e emocional com seus pais acaba levando ela a se afastar de seu sonho e principalmente de seu verdadeiro amor.

Já Filipe é um jovem muito esforçado, um mocinho romântico e maduro, aquele protagonista cheio de atitude. Ele é um universitário do curso de medicina que mora com a mãe, que é uma mulher batalhadora, mas sofre de depressão e só quer que o filho seja feliz.

A obra se dedica à vida do casal num longo percurso de dez anos. Eles terão que passar por conflitos e muitos desencontros durante um tempo, que fazem com que o leitor se depare com uma narrativa cheia de acontecimentos a cada página. Dá para sentir como a vida dos personagens é eletrizante e quando tudo parece estar indo bem, o mar de rosas se torna mais cheio de espinhos. Os sentimentos deles são bem intensos e estão sempre à flor da pele, gerando diversas reviravoltas de acordo com as decisões que tomam ao longo da trama.

No decorrer das páginas,  o amadurecimento dos personagens é bem lento, o que me deixou bem brava e até me deu vontade de sacudir esses dois. Em alguns momentos cheguei a ficar impaciente com a imaturidade deles, por algumas atitudes muito dramáticas e, outras vezes, por causa da falta de comunicação e confiança entre eles, que só fazia com que se distanciassem e nada resolvesse. 

Então assim que as dificuldades começam a entrar em ação, é mostrado aos dois que terão que lutar e enfrentar muitas coisas para viver o grande amor que sentem um pelo outro.


E o ponto que mais me chamou atenção é o romance, porque os ciúmes e os reencontros desses dois, foram para mim as partes mais gostosas da leitura, tendo até uma certa trilha sonora embalando os dois. E mesmo com todas as dificuldades, quando estão juntos, conseguimos sentir como Alice e Filipe se amam perdidamente.

Brigas, desencontros, perdão e superação tomam conta do enredo o tempo todo em uma escrita cativante e numa leitura rápida que nos gera um mix de emoções e nos faz lembrar um pouco da nossa própria adolescência.


Os conflitos centrais trazem temas como vingança e drama, que mostram a rejeição dos pais de Alice em seu relacionamento com Filipe, pois fazem de tudo para afastá-la dele, inclusive, nos deparamos com palavras e atos de violência que me deixaram perplexa. Além disso, os segredos e mentiras que rondam a vida de Alice e Filipe farão com que seja ainda mais impossível esse relacionamento dar certo.

E além de desconhecerem todas as origens que os impedem de permanecer felizes, ficarem juntos era a ameaça a própria existência deles, porém tais descobertas são feitas ao longo da trama e mesmo tendo tentado fugir do que sentiam, o destino sempre acabava por uni-los de alguma forma. 

O clímax acontece numa louca tentativa de ficarem juntos, em que Alice e Filipe fogem com a ajuda de Beck, o mordomo de Alice, que considero como um verdadeiro pai dela.

Ocorre que no percurso são abatidos e tudo parece um assalto. Então Filipe acaba sendo bastante machucado tentando salvar e proteger Alice, mas não consegue. Já Alice, ao acordar, apenas vê fotos de Filipe muito debilitado e sangrando e ouve a notícia de que ele está morto, tudo porque tentaram ficar juntos. Será verdade?

Alice se vê perdida, mas as descobertas vindouras faz com que ela mude completamentede atitude e lute ainda mais pelo que quer e ama. Daí vem a grande questão: até onde o amor consegue resistir?

É um romance que recomendo muito e para quem gosta de um enredo cheio de reviravoltas e dramas.

 






 
Livro: Dez Anos
Cortesia: Thais Custódio (Autor Parceira)
Número de páginas: 290
Skoob / Amazon

"Eu estava dançando quando Filipe veio até mim. Tão lindo... Ele me pegou pela cintura, ia me beijar. Eu deveria resistir. Mas como poderia? Seus lábios finos e rosados se juntaram aos meus num ato que demonstrava mais que saudade, mais que um simples desejo. Para mim, depois de tanto tempo, nem era mais um simples beijo."

Alice e Filipe se amam, mas como nada na vida é fácil, com a história deles não seria diferente. Dez anos de momentos lindos, tristes, tensos e até mesmo dolorosos. A vida e as pessoas ao redor deles testarão esse amor aos limites. O quão forte os dois podem ser?




14 julho 2021

5 Motivos para ler - ''DEZ ANOS''




1) Enredo surpreendente


O livro não é dividido exatamente em capítulos, mas alterna as falas dos protagonistas deixando a leitura fluida, cativante e permitindo a percepção sobre o que cada um deles sente, pensa e os motivos que os levam a fazer o que fazem. Como a obra se passa num período longo de dez anos, há uma diversidade de situações, gerando um enredo cheio de ações e emoções. E assim trazendo revelações surpreendentes sobre o passado dos personagens, questões que o leitor nem conseguiria imaginar.


2) Personagens reais e dramáticos


Como o casal se conhece ainda bem novo, os sentimentos primários do amor é bem real e dá para sentir a vontade de que ambos têm de ficar juntos, se possível, o tempo todo. Os sentimentos do casal quase sempre estão à flor da pele, a dramaticidade e o desenvolvimento dos diálogos acabam por envolver tanto o leitor na história que faz parecer bastante reais.





3) Temas atuais e importantes


Se há temas familiares na obra, sempre considero importantes! Além de debater sobre a atenção, amor e carinho de que os filhos precisam dos pais, a obra fala sobre as dificuldades para manter um relacionamento a dois, tratando sobre ciúmes, perdão, superação e compreensão; trata da doença de depressão também, algo bem comum nos dias de hoje e sobre a necessária comunicação eficaz e interpretação de “palavras” e “fatos” dentro de um relacionamento.



4) Cenas fortes


Há cenas maravilhosas que nos fazem suspirar, cheias de amor, carinho e solidariedade entre os personagens principais. O fato da recusa desmedida da família de Alice em relação a Filipe acaba findando em cenas fortes, que considero até violentas, mostrando que o homem vai além do limite da “humanidade” quando impõe sua vontade sobre o outro.




5) Desfecho de novela


Os acontecimentos finais dá aquele friozinho na barriga, mas daí chega o momento que aquece o coração. Contudo, não posso falar mais para não dar spoiler, só posso dizer que amei e que me lembra muito os finais de novela. Apenas leiam!



05 julho 2021

Resenha - Hope: As cores da Verdade



Quando novas eleições são realizadas nos Estados Unidos um novo presidente assume o cargo trazendo mudanças extremamente significativas para a população. Em uma busca implacável por erradicar aqueles que pertencem a comunidade LGBT, Isaac Harper elabora um novo sistema de controle para a população. Aqueles que se enquadram no que é visto como o “correto” recebem uma identificação e ficam seguros, mas para os outros uma vida de terror passa a ter início.
 

“O chip era uma medida paliativa, porém necessária, para que homens voltassem a ser homens e mulheres apenas mulheres e que os jovens aprendessem desde pequenos que o correto é macho e fêmea. E que este contato seja o único possível.”


Sam acompanhou de perto a violência, discriminação e intolerância, sobrevivendo com a família mais afastado, ele nem imagina que sua vida está prestes a mudar quando é pego em meio a uma patrulha... Desconhecendo o novo sistema, ele se vê encurralado e prestes a ser levado. É então que sem escapatória ele acaba por realizar um ato que muda toda a sua vida.

Enquanto o governo continua a perseguição a comunidade adotando métodos cada vez mais cruéis e desumanos como uma vacina para forçar as pessoas a “mudarem” sua orientação sexual e uma prisão para aqueles que rejeitam as ordens do governo sobre quem devem Amar. Com o surgimento cada vez maiores de insurgentes o governo passa a se tornar ainda mais vigoroso em suas ações sem ter qualquer piedade em matar as pessoas da comunidade.


“- Não se deixe envolver, Sam - aconselhou. - O amor pode ser um dos pilares para sua vitória, mas também pode ser o da ruína. Quando se envolve, o inimigo não ataca você, ele ataca quem você se importa, porque sabe que o outro é a sua parte mais vulnerável.”


No entanto, determinado a não ceder às pressões do governo e principalmente não sendo afetado pela cura que o governo afirma existir, Sam inicia uma verdadeira guerra contra a opressão. E quando seu caminho cruza com um jovem tão determinado quanto e que faz seu mundo balançar, sua determinação passa a ser ainda mais dobrada. Mas quando toda uma sociedade passa a pensar de uma determinada forma, as coisas não parecem nada promissoras e o preço a ser pago pela mudança pode ser muito alto.


“Nenhum sistema legal pôde derrubar aquele monstro cheio de ódio e preconceito que se instalou como uma praga perenal no poder do nosso país, mas eu o farei, nem que seja com as minhas próprias mãos.”


Até onde você iria para defender aquilo em que acredita e principalmente para poder amar quem você quiser? Em Hope: As Cores da Verdade o autor M.V.Nery te convida a conhecer mais sobre como seria um mundo onde a liberdade é algo inexistente e a intolerância é a maior bandeira do governo.


“Isso é um erro sem precedentes. Sei que estou cavando minha própria cova sentimental, mas não posso evitar.”



[ - Minhas Impressões -]

Hope: As Cores da Verdade é uma obra que surpreende ao apresentar mais do que apenas uma simples história. Extremamente intenso, cada página é carregada de emoção, ação, revolta por parte do leitor e esperança em seu enredo, onde retrata sobre os preconceitos e obstáculos vividos por aqueles que desejam apenas poder amar quem desejam. Ensinando a não aceitar o que é imposto e muito menos se conformar com rótulos. Profundo e bem escrito, essa obra apresenta personagens cativantes, envolventes e bem apaixonantes.

Sendo o primeiro livro de uma série que promete muito e entrega ainda mais sendo bem perceptível que o que será entregue é um trabalho de excelente qualidade e muito surpreendente. Desde a diagramação que está de cair o queixo com detalhes que tornam a obra ainda mais bela em cada capítulo, até a revisão que foi feita com primor. Apesar de um grande número de páginas que pode assustar aqueles que não gostam de grandes volumes, essa é uma obra que se mostra extremamente fluída fazendo com que não se torne pesada. A capa também se encaixa perfeitamente com a história ao trazer os elementos na medida correta para demonstrar o clima da obra.


Sam Hatfield é um personagem extremamente real e intenso, porque é alguém que luta pelo que acredita e mergulha fundo no que sente. No entanto, ele está longe de ser alguém perfeito; suas falhas o fazem realmente adquirir aquela parte de realismo que nos aproxima da realidade. Vivendo uma situação complicada, onde sua vida e de outros correm perigo, não são muitos os momentos em que vemos reflexões de sua parte, contudo, sua força fica clara em cada capítulo assim como sua determinação. 

A ausência de hesitação mesmo em meio a perseguição e atos de violência desconstroem aquele estereótipo onde a fraqueza costuma ser associado a comunidade LGBT. 

Intenso, mas sem ser exagerado, esse personagem demonstra todas as imperfeições que encontramos até em nós mesmos o que nos faz refletir ainda mais. Por ser o primeiro volume acredito que o personagem ainda tenha muito mais a apresentar e que até mesmo os pontos negativos encontrados possam acabar por serem melhorados.

Max é, assim como Sam, um personagem necessário para a construção da obra. Tendo suas particularidades e chamando atenção também na sua vontade em mudar as coisas. Apesar de ser em grande parte bem diferente de Sam é muito bom observar a relação dos dois e ver como eles se aproximam e realmente se preocupam um com o outro sendo capazes de tudo não apenas um pelo outro, mas por toda a comunidade.

Apesar de a política não ser o foco do enredo, o autor soube muito bem fazer uma crítica ao governo e à intolerância que já chegamos a observar algumas vezes. Sendo o primeiro livro da trilogia, Hope é apenas o início de uma grande luta pelo fim a desigualdade e intolerância à orientação sexual de cada um.

Mesmo sendo uma fantasia, os acontecimentos da obra são facilmente imaginados de ocorrerem na nossa sociedade caso não haja mudanças realmente significativas na forma como lidamos com tudo, porque apesar de o foco aqui ser a busca e repreensão aos homossexuais, a intolerância pode ser observada em vários aspectos de nosso cotidiano - uma realidade triste e que já passou da hora de ser mudada.


Hope é um daqueles livros transformadores, trazendo temáticas extremamente necessárias, onde o autor leva o leitor a refletir sobre como o preconceito e a discriminação podem afetar de forma tão intensa a vida daqueles que sentem na pele o peso de não serem aceitos. Apesar de não ser nenhuma novidade, uma vez que diariamente somos bombardeados - infelizmente- com notícias de violência, essa é uma daquelas histórias que te levam a refletir e pensar mais sobre as nossas atitudes e posições diante de tantas injustiças.

O autor M.V. nery nos leva a entender e refletir sobre quem queremos ser e principalmente, sobre como lidamos e enfrentamos com desafios. Muitas das vezes acabamos por achar que temos problemas muito grandes e a cada página Nery nos mostra quão pequenos podem ser diante de situações ainda piores. Sem desvalorizar nenhuma situação e abordando de uma forma imparcial em sua escrita assuntos tão delicados, o leitor passa a elaborar suas próprias opiniões e ter suas próprias reações a cada capítulo. Raiva, angústia, lagrimas e sorrisos são apenas algumas das mais variadas emoções que são despertadas com cada parágrafo e cada avançar do livro.

Transformador, esse é um daqueles livros que realmente nos modificam não por trazer fatos inusitados, mas por nos forçar a encarar situações que muitas vezes preferimos ignorar ou que não compreendemos o verdadeiro peso. Com uma mistura dos mais diversos temas sensíveis essa obra tinha tudo pra poder ser um grande desastre, mas se mostra sensível e essencial na medida perfeita.

Leiam e se permitam um pouco mais de esperança.









 
Livro: Hope - As Cores da Verdade
Cortesia: M.V.Nery (Autor Parceir0)
Número de páginas: 468
Skoob / Amazon

UM GOVERNO DE TERROR INICIA-SE quando o tirano Isaac Harper conquista a presidência dos Estados Unidos. Principais alvos do novo presidente, a comunidade LGBT perde todos os seus direitos, sendo submetida a uma vacina que logo se descobre ser uma espécie de “Cura Gay”, capaz de inibir a sexualidade por um preço terrível. Ao se levantarem contra os horrores do governo Harper, milhares de insurgentes LGBT são impiedosamente assassinados ou presos em HOPE – Homossexual Prison and Exclusion, um novo nome para o inferno. IMUNE À VACINA, Sam Hatfield é um sobrevivente à perseguição sangrenta do governo Harper. O destino o coloca no caminho de Max Dillan, por quem se apaixona e une forças na guerra contra Isaac Harper. No entanto, Sam e Max descobrirão que a luta para derrubar um tirano em um país cego pela fé e pelo ódio precisará de muito mais que armas, e poderá custar muito mais que suas próprias vidas.




02 julho 2021

5 Motivos Para Ler - Hope


Existem livros que nos surpreendem, outros que nos ensinam lições de vida extremamente profundas, enquanto outros são apenas uma forma de escaparmos da realidade que muitas vezes nos sufocam... Contudo, posso dizer que Hope é uma mistura que traz um pouco de tudo isso em um enredo transformador e inusitado. Não ficou convencido ainda? Então vem que hoje eu vou trazer 5 motivos para você entender e querer conhecer essa obra que conquistou meu coração.




1 - Representatividade


Hope é um daqueles livros que traz como foco a representatividade da comunidade LGBT e a luta que diariamente é enfrentada contra o preconceito, a discriminação e principalmente a recriminação a essa forma de amor. O autor soube apontar de forma bem clara e real todo dia a luta que a comunidade enfrenta apenas para poder amar quem quiser da forma como quiser trazendo uma mensagem de perseverança e força.



2 - Personagens Cativantes

Uma boa história é feita com bons personagens e nessa o autor soube criar não apenas protagonistas, mas todos de forma que até mesmo aqueles que aprendemos a odiar sejam bem construídos e extremamente reais. Sam e Max são aqueles rapazes que nos cativam e nos levam a torcer por eles a cada página, mas mais do que isso ele são a representação da força que todos gostaríamos de ter e que muitas vezes não temos, mesmo em situações muito mais fáceis.



3 - Enredo Surpreendente

Desde o meu primeiro contato com essa obra eu me vi completamente abismada. Ao mesmo tempo em que o enredo é algo que não é pura ficção porque é tão verosímil que alguns fatos a gente já viu acontecendo realmente ou pelo menos alguém queria fazer, etc. Os elementos utilizados pelo autor tornam essa não apenas uma ficção, mas uma obra que retrata romance, faz uma crítica à sociedade e ao governo sem tornar pesado. O leitor nessa obra se vê aprendendo muito mais do que imaginava e crescendo como pessoa ao acompanhar a luta dos personagens.


4 - Diagramação e Capa

Eu não sou muito de ficar focando em detalhes como capas de livros e diagramação, mas em Hope eu não pude deixar isso de lado. Sabe quando você vê aquela obra que te chama atenção logo pela capa? Então! Aqui o ditado de julgar pela capa vale muito porque ela consegue trazer em seus pequenos elementos um pouco de tudo do enredo. Sem falar que é uma capa que é linda e onde mesmo tendo elementos variados não torna nada pesado, então nem que fosse só pra ter na estante já valia a pena, mas a história também é incrível então é o pacote completo.


5 - Escrita Fluída

O livro tem mais de 400 páginas, mas tem uma narrativa que instiga, detalhes na medida certa e plot twist nos momentos mais oportunos. o leitor se vê avido e ansioso para descobrir o que vai acontecer de forma que um capítulo se conecta ao outro e você nem percebe.

Definitivamente esse é um ponto alto e que permite uma leitura rápida e muito satisfatória.




28 junho 2021

Resenha - Protegida




" A vida às vezes é capaz de criar dramas muito maiores do que qualquer ficção, infelizmente".


Esse é um romance de época lindamente escrito e bem desenvolvido pela autora. A obra é em torno das irmãs Olívia e Catherine que são extremamente unidas e amáveis uma com a outra. Uma relação de amor e amizade entre as duas que encanta qualquer leitor.

Nos capítulos iniciais podemos observar que não se trata de mulheres preocupadas com os padrões, mas sim em viver a vida na sua melhor forma e entregando-se aos amores e desejos. Olívia vive um romance clandestino com um americano que não pertence a aristocracia o que torna o amor entre eles um desafio e um peso. A relação é escondida e a única pessoa que tem conhecimento desse segredo é Catherine.

O último encontro entre os dois é marcado por muita paixão e promessas de uma vida juntos, porém o destino resolve atrapalhar os sonhos do casal. Um acidente leva embora a vida de John e o único amor vivido por Olívia. Ela é obrigada a se casar com um conde e sabe que nunca mais terá espaço para outro homem em seu coração, mas decide acatar a decisão do casamento, mesmo de luto pelo amor que se foi.

Então, dessa decisão de se casar mesmo sem amor, Olívia conhecerá Jamie e encontrará nele um amigo e um companheiro capaz de entender, ouvir e respeitá-la até os últimos momentos de sua vida e ela soube disso a partir do momento em que abriu o coração e a vida para Jamie, seu noivo e futuro marido, expondo todos os acontecimentos que antecederam ao noivado. Assim como Olívia, Jamie também foi sincero ao dizer a ela que o casamento seria unicamente de fachada, que ele aceitaria a amizade dela, mas, jamais a amaria como mulher.

Diante dos fatos expostos por ambos, nasce uma linda, sincera e forte amizade de dar inveja em muitas relações. Uma cumplicidade que muitos casais da vida real não teriam. Uma amizade sólida e aberta para qualquer tipo de diálogo e sem segredos, assim era o relacionamento entre Olívia e Jamie.

Olivia, até no leito de morte, não deixou de pensar na irmã, que ninguém sabia sobre o parentesco entre elas, mas no decorrer das páginas se descobre que Catherine é fruto de um relacionamento extraconjugal do pai de Olívia. Ela deixou instruções a Jamie sobre os cuidados e tutela de Cathe e essas orientações não são por mero acaso ou destino.


" Eu não sou o tipo de pessoa que busca iludir-se, Olívia. Sei que da forma que sou, por mais encantadora dama que possa ser, nunca viria a amá-la da forma que toda dama merece... sou grato que me tenha tirado a culpa de nunca a permitir conhecer o am... - ele jamais conseguia dizer aquela palavra".


Olívia se entrega a dor da perda do amado, e acaba sucumbindo à tristeza e poucos meses após o casamento com o Jamie ela não resiste. Jamie e Catherine estão quebrados pela perda da amiga e irmã tão querida e amada, cada um lida de uma maneira diferente a dor. Ele se fecha cada vez mais e ela sente mais ainda a dor, pois aos olhos dos outros, Catherine era apenas a dama de companhia de Olívia, sua dor e sofrimento eram duplicados pelo segredo guardado e por não poder expressá-los.


Jamie é um homem fechado, avesso a relacionamentos e muito reservado e de um olhar intenso e por vezes um tanto rude. Catherine é uma jovem mulher, inteligente, forte, teimosa, muitas vezes orgulhosa e sabe se defender quando necessário, busca ter autonomia, algumas vezes solitária, principalmente após a morte de Olívia. Essas duas pessoas, aparentemente tão opostas, irão se aproximar com a vivência, e acabam se conhecendo melhor, e é ai que o tão fechado Jamie, que se achava incapaz de amar, irá nutrir sentimentos e desejos por Catherine que ele imaginava impossíveis de acontecer com qualquer mulher. Ela, porém, não resistirá ao desejo e as investidas dele, contudo a culpa irá atormentar e consumir a ambos, e principalmente a Catherine pelo laço que existia com Olívia. Eles tentarão se afastar e deixar os sentimentos de lado em memória da falecida, e seguir somente a razão sem dar ouvidos ao coração, será que conseguem?


" Catherine Scott e Lorde Jamie Griffinwood possuíam vidas e mundos antônimos, e era assim que as coisas deveriam permanecer para o bem de ambos".


Um relacionamento escondido, uma irmã bastarda, um casamento arranjado, morte, desentendimentos, amores inesperados, amizades que parecem mais uma família escolhida a dedo, desejos e mais desejos, tudo isso e muito mais você irá encontrar aqui neste livro. Eu adoro um romance de época e quando ele é bem escrito e desenvolvido ganha meu coração e com esse não foi diferente.



[- Minhas Impressões -]

Eu adorei como Larissa trouxe o início da história com uma cena quente e cheia de paixão e um certo mistério. A linha do tempo foi bem trabalhada na trama com capítulos alternando entre os personagens principais, com um enredo leve, uma leitura que flui perfeitamente bem e rápida, apesar de ser um livro um tanto longo, com 444 páginas, 38 capítulos e onde cada um deles tem um tema e por último um tanto longo, pois o epílogo me deixou e deixará qualquer um curioso para o próximo livro. 

É uma trama que traz como tema superação, perdão, amizades, inseguranças e principalmente sobre as escolhas que fazemos e o impacto delas em suas vidas. Uma história que proporciona aos leitores muitas sensações que vai da raiva ao amor, das risadas as lágrimas, e muitas emoções.

E o que dizer dos personagens? Só há uma personagem odiosa nesse livro, mas nem vou explanar sobre ela, vou deixar que vocês leiam e descubram por si só. Dos personagens principais aos secundários todos foram bem construídos na trama, cada um teve seu espaço e seu momento sem ficar maçante e arrisco dizer que um personagem específico roubou a cena nesse livro.

Já a relação de amizade que Larissa trouxe para a história foi linda, maravilhosa e de esquentar qualquer coração. A amizade entre Cathe e Charles é perfeita, amigo de infância de Jamie, um homem libertino e de um humor maravilhoso, não tem como não gostar dele. Charles é um ser humano capaz de cativar qualquer pessoa e sentimos isso durante toda a leitura. Um homem íntegro, brincalhão, charmoso e um super amigo que acolhe Cathe como se fosse uma irmã.

Claro que os personagens não são só flores, assim como na vida real, aqui eles têm defeitos como todos nós, trazendo mais realidade para a história. Catherine, por muitas vezes, em algumas situações, foi uma pessoa teimosa, insegura, confusa e incompreensível a meu ver, e o que me irritou durante a leitura, mas acredito que tenha sido proposital por parte da autora. Jamie, ao contrário quando soube o que sentia e o que queria, deixou de lado qualquer insegurança ou medo para trás, porque para a relação evoluir não dependia só dele.


"Suas escolhas eram definitivas e suas decisões pontuais".


Achei a escrita da Larissa ótima, ela usou a linguagem que a época exige e pode causar um certo estranhamento por parte de alguns leitores. Linguagem usada tanto na narrativa quanto nos diálogos, mas achei que ela se estendeu em alguns momentos e em algumas descrições, mas nada que prejudique a leitura a meu ver. A falta de diálogo entre Catherine e Jamie me irritou um pouco, afinal era só o que eles precisavam fazer para finalmente engajar na relação e isso demorou a acontecer.

Amei como a autora trouxe sensibilidade e delicadeza incríveis ao livro, e isso é perceptível a todo momento na história que vai desde o romance até as cenas mais quentes do livro protagonizada por Jamie e Cathe e nos diálogos dos personagens. É uma trama envolvente, os personagens são cativantes e carismáticos, um desenrolar da história sem atropelos, e os momentos sensuais foi maravilhosamente bem narrados e descritos, até os defeitos dos personagens foi bem trabalhado, porque casal mais cabeça dura que esses dois não vi ainda. O final deixou um gostinho de quero mais para o próximo livro.

É um livro encantador que te faz viajar na Inglaterra para o século XIX, por isso, se já gosta de um bom romance de época pode ler de coração aberto, e para aqueles que não leem indico para que saiam da zona de conforto e se deliciem com a leitura e os personagens e seus dramas.








 
Livro: Protegida (Série "As irmãs Moore" Livro 1 )
Cortesia: Larissa Gomes (Autora Parceira)
Número de páginas: 444
Skoob / Amazon

Inglaterra, 1815.

Na Inglaterra do século XIX não há muitas opções para uma mulher sobre os rumos de sua própria vida. Some isto ao fato de possuir sobre si o título de bastarda, e a criticidade da situação dobrará. Sob a sensação aterradora de estar sozinha no mundo e uma imensa vontade de ser suficientemente forte para isto, Catherine Scott se encontrará no pior dilema possível: escolher entre sua razão e seu coração.

A atração tão intensa quanto indevida que sente pelo viúvo de sua irmã, o temido Conde de Griffinwood, a colocará em um enorme confronto consigo mesma, não sendo a donzela capaz de sequer imaginar que, por baixo de sua figura taciturna e distante, o referido lorde também luta contra sentimentos absurdamente similares em relação à si. O aristocrata, por sua vez, carrega um segredo capaz de tornar a própria culpa por tais sentimentos ainda mais no aterradora: A pedido da esposa, ainda no leito de sua morte, Catherine fora colocada sob sua tutela.

A mulher que não devia, mas teme desejar, trata-se de sua protegida.




25 junho 2021

Resenha - Minha Perfeição



Karen não conhece o que é o amor. Sendo desprezada desde que nasceu por sua mãe, ela teve que aprender a se virar sozinha bem cedo, mas quando ela descobre que terá que passar os verões ao lado de seu pai sua esperança se renova apenas para ser estilhaça-la novamente.


No entanto, o que parecia ser apenas mais um lembrete do desprezo que sua família sentia por ela passa a ser a única coisa boa em todo seu ano.


“Somente nos poucos minutos em que patinava eu era capaz de sentir que poderia ser alguém. Na pista, eu me esquecia de tudo de ruim que vivi. Na pista, eu me esquecia do amor que não pude viver.”



Indo ao rancho que seu pai trabalha e mora, Karen conhece as pessoas que irão tornar um pouco dos seus dias melhores. Ainda jovem, uma criança praticamente, ela logo se vê encantada com o filho do patrão Lucas, um jovem um pouco mais velho e encantador que logo se aproxima da jovem tão bela e de semblante tão triste.

Conforme os anos passam a amizade vai se fortalecendo entre ela e Stella, a outra filha do casal dono do haras, recebendo cuidados da Tia Ivete, que apesar de não ter nenhum parentesco a trata como uma filha, e com Lucas, por quem passa cada vez mais a ficar apaixonada.

Então munida de uma coragem advinda do último ano que passaria ali e após ouvir uma conversa entre duas jovens, Karen tomada de coragem se arrisca dando seu primeiro beijo naquele que sempre desejou, mas ao contrário de seus sonhos, ela logo se vê em meio a um pesadelo ao ser rejeitada por ele e castigada por seu pai, Antônio.



“Nós não temos respostas para tudo, mas acredito que nada acontece por acaso. Se eu passei por tudo isso, é porque deveria passar. Quem somos nós para questionarmos?”



Decidida a não sofrer mais e completamente machucada, Karen se vê perdendo não apenas um grande amor, mas também a chance de viver o seu maior sonho: a patinação no gelo. E assim, cansada de viver com tantos maltratos, ela logo foge e começa a reconstruir a sua vida longe de todos aqueles que fizeram questão de quebrá-la pedacinho por pedacinho. Sem olhar pra trás e sem se lamentar pelo que não pode mudar, pois ela transforma toda a sua vida vivendo a sua paixão no gelo como coreógrafa e professora e cortando os laços com aquele que um dia habitou seu coração.



“Uma nova Karen passou a existir, e essa Karen não mendigaria o amor de mais ninguém.”



Lucas não esperava conhecer uma jovem tão bela e tão triste no haras de seus pais, no entanto, ao avistar Karen ele logo passa a não conseguir ficar longe dela. Já mais velho, ele busca se manter mais distante de forma a não permitir que seus sentimentos ganhem força, contudo, quanto mais os anos se passam mais difícil passa a ser, porque aquela linda mulher desde sempre fez seu coração acelerar.

Buscando esquecer e não deixar vir a tona as suas vontades mais carnais, Lucas passa a viver sempre acompanhado de uma bela moça. No entanto, quando Karen toma a iniciativa e o beija, ele se vê completamente sem saber o que fazer e acaba fazendo tudo que não deveria ao estar de cabeça quente.



“— A verdade é que a imperatriz tem o imperador em suas mãos — respondi, ainda olhando para Karen. — Eu, sem a minha imperatriz, não sou ninguém.”



Arrependido ele logo volta em busca da garota que não sai da sua cabeça apenas para descobrir que ela se foi. Determinado em encontrá-la e esclarecer o que aconteceu, ele passa a procurá-la incansavelmente, mas após anos sem respostas suas esperanças se esvaem e ele segue sua vida montando um grande império.

Quando tudo parece perdido, Lucas vê pela primeira vez a chance de reencontrar a sua menina, mas sem ajuda de ninguém e com ela sem querer ser encontrada essa pode não ser uma missão muito fácil.

Anos se passaram entre tudo o que aconteceu e sendo o passado marcado por muita violência seria possível convencer de que confiar vale a pena e que o amor vale ainda mais? Se prepare para uma obra de tirar o fôlego, porque aqui irá mostrar o verdadeiro significado do amor através do tempo.




[ - Minhas Impressões -]

Minha Perfeição é uma obra que pode ser definida como inusitada e surpreendente por apresentar um enredo com temas fortes e sensíveis, mas que precisam ser falados, e um romance nada clichê, mas tão apaixonante quanto os do tipo. Com uma escrita fluída e envolvente, a autora Laurih Dias demonstra novamente o seu talento em criar tramas que são mais do que apenas meras histórias, mas sim lições de vida.

Extremamente vívido, essa é uma obra que você não consegue apenas ler. A escrita da autora e o enredo desenvolvido por ela são daqueles que se entranham em nós de forma que fica difícil separar e lembrar se tratar somente de ficção. Apesar de não parecer em um primeiro olhar, essa trama é muito mais profunda e complexa do que aparenta. Repleto de ensinamentos sobre perdão, amor próprio e recomeços, cada personagem tem sua importância e se mostra essencial para a fluidez dos capítulos. Simples, mas profundo, esse livro é aquele que você sabe que irá mudar algo em ti após sua leitura.


Lucas é um protagonista que segue um padrão já esperado. No entanto, ao mesmo tempo ele surpreende uma vez que apesar de ser um rapaz que tem tudo para ser mimado ele se mostra extremamente generoso e simpático. Desde que ele conhece a nossa protagonista, uma criança ainda, e ele um adolescente, fica nítido o carinho que passa a nutrir por ela e o quão dedicado ele passa a ser para garantir que ela esteja bem. No entanto, é claro que ele não é perfeito e nem perto de ser um príncipe...

Como qualquer rapaz jovem ele passa a ter seus encontros nada inocentes atrelado a um lado com um toque de bad boy que todo leitor ama. Sem querer torná-lo um semi-deus, sua história se mostra extremamente real fazendo com que reconheçamos nele alguém do nosso cotidiano. Apesar de extremamente talentoso e bem sucedido, ele apresenta uma inocência que por vezes nos faz ter vontade de sacudi-lo e ao mesmo tempo apresenta uma perspicácia que torna impossível não se apegar ao longo das páginas.

Karen, por outro lado, é aquela protagonista que já encanta de cara e comove nossos corações. Sendo maltratada o tempo todo, essa protagonista desperta admiração por não se deixar abater e nem desanimar mesmo em meio às situações mais difíceis. Exemplo de força, ela é alguém que não é perfeita, mas está em busca de tentar ser pra poder conseguir sobreviver todos os dias.

Por diversas vezes me identifiquei com a personagem pela sua inocência e pela baixa alto-estima que ela acaba por desenvolver. Necessário, essa não é mais uma história onde a mocinha precisa ser salva pelo cavalheiro... aqui a própria mulher vai lá e se salva sozinha.

A edição, apesar de se encontrar disponível apenas na versão digital, é muito bem feita trazendo na medida certa sofisticação e detalhes de maneira a completar a obra que por si só já chama a atenção. Muito bem revisado, não consegui localizar erros durante a leitura, mas o leitor acaba tão imerso no desenrolar das páginas que se torna até difícil de se prender a tão pequeno detalhe em meio a tanta coisa mais importante.

A capa, além de ser linda é totalmente condizente com a história já trazendo ao leitor uma ideia do que pode esperar ainda que não seja possível de se saber o que será encontrado em cada parágrafo. Simples, mas na medida certa, o livro é daqueles que dá vontade de ter na estante e guardar sempre pertinho do coração.


Minha Perfeição é aquele livro que se mostra extremamente real levando o leitor a esquecer que se trata de um enredo fictício. Repleto de reviravoltas a autora Laurih Dias nos leva por uma montanha de emoções que vão desde o amor até ao ódio em alguns parágrafos. Com personagens bem construídos e repletos de falhas somos levados a refletir sobre atitudes nossas e aprendemos mais sobre nós mesmos ainda que nada tenha haver o enredo com nossa história pessoal.

Abordando temas sérios como rejeição, abandono, violência, traumas e baixa alto-estima, essa obra se propõe e entrega mais do que apenas um momento de lazer. Dando a devida importância, mas sem deixar excessivamente pesado.

A autora intercala romance e ensinamentos em suas páginas sem ficar forçado. Ensinando muito sobre a vida e sobre nós mesmos. Minha Perfeição, 4º livro da Série Felizes Para Sempre, é o típico livro que engana a primeira vista por ser muito mais profundo do que aparenta. Apesar de se tratar de uma série, cada volume pode ser lido individualmente por apresentar protagonistas e histórias diversas.

Transformador esse é um daqueles livros que todos deveriam ler. Se permita descobrir muito mais sobre si mesmo ao longo dessa obra!

Apenas leiam, porque é a única coisa que eu tenho a dizer.








 
Livro: Minha Perfeição
Cortesia: Laurih Dias (Autora Parceira)
Número de páginas: 148
Skoob / Amazon

Karen cresceu sem o amor dos pais, que guardavam certo ódio um pelo outro e descontavam toda a ira na filha. Mesmo com todas as decepções, Karen se transformou numa pessoa generosa e sem rancor. Lucas vinha de uma família abastada, era um homem de sucesso, dono de uma das melhores boates do Rio de Janeiro e de São Paulo. Lucas e Karen e nutriram um pelo outro um grande afeto, porém, um mal-entendido, onde Karen saiu machucada, fez com que ela desaparecesse da vida de Lucas. Cada um seguiu sua vida a sua maneira. Karen conseguiu se transformar numa talentosa patinadora, apaixonada pelo que fazia, e Lucas em um homem de sucesso no seu ramo de entretenimento. Entretanto nem mesmo o tempo foi capaz de fazer com que um esquecesse o outro. Poderia ser o amor mais forte do que uma mágoa do passado?Um romance com drama, comédia e uma pitada de hot.Livro 4 da série Felizes para sempre, mas com histórias independentes.




24 junho 2021

5 Motivos Para Ler - Minha Perfeição


Sabe aquele livro que você acredita que será de um jeito e acaba por te surpreender de forma completamente diferente? Minha Perfeição foi esse livro. Trazendo elementos que realmente fazem com que o leitor se envolva na história e queira saber o que vai acontecer, essa obra se mostra muito bem desenvolvida e altamente viciante. E caso você não tenha se convencido ainda, vem ler e descobrir comigo 5 motivos pelos quais você precisa conhecer esse enredo!




1. Temas relevantes


Minha Perfeição é um livro que a princípio a gente pensa se tratar de apenas mais uma história comum de romance, no entanto, a autora se preocupou em trazer uma obra que retrata temas muito importantes como violência, traumas psicológicos, crimes e muito mais.



2. Protagonista forte


A protagonista da obra é uma mulher muito decidida e forte. Mesmo sofrendo muito com a sua criação e pais que constantemente a maltratavam e não lhe davam absolutamente nada, Karen se tornou uma jovem determinada e que não desistiu dos seus sonhos se tornando um exemplo para o leitor em persistência.



3. Amizades verdadeiras e engraçadas 


A autora conseguiu explorar muito bem a parte de amizade. Mesmo em diferentes fases da vida e com diferentes histórias vemos uma amizade linda entre Karen e suas amigas que não hesitam em defendê-la, além de serem extremamente engraçadas. Gabriela é uma amiga que a gente se diverte, consegue imaginar como se fosse real, além de querer poder ter como amiga.



4. Patinação no gelo e descrições 


Eu que amo assistir patinação no gelo amei ver uma obra que retrata esse esporte que é tão pouco utilizado nas obras. As descrições feita pela autora são tão realistas que a gente consegue imaginar a coreografia e as aulas. Os detalhes na descrições são muito bem feitos levando o leitor realmente a se imaginar vivenciando cada situação. 



5. Bad Boy de tirar o fôlego


Obviamente eu não poderia deixar de citar o nosso protagonista, Lucas, que apesar de ser a típica definição daquele playboy se mostra o oposto. Sensível, bonito, atencioso e disposto a fazer tudo por quem ama ele é aquele rapaz que a gente deseja ter também. Além de que as cenas de romance deixam a gente sem fôlego e com inveja kk mas já que na vida real a gente não tem, pelo menos a obra da um gostinho.





23 junho 2021

Resenha - A Babá Virgem e o Bilionário Irlandês



Maya é uma garota que já passou por muita coisa na vida, lidando com uma tragédia que mudou sua vida por completo, até porque ela tinha tudo pra se deixar abalar, mas demonstra perseverança e luta pelo que quer. Realizando um de seus sonhos ao fazer um intercâmbio na Irlanda, ela se mostra animada e muito nervosa quando uma entrevista de emprego está prestes a acontecer. Então, precisando muito do emprego uma vez que suas economias já estão praticamente zeradas, falhar não é uma opção, porém talvez não seja tão fácil assim conseguir sucesso tendo um chefe que tem de beleza o mesmo que tem de frieza dentro de si.


“Ele é o tipo de homem que faz nossas pernas bambearem apenas com um único olhar.”



Brent aprendeu do modo mais difícil que confiar e se entregar é o modo mais fácil e rápido de sofrer. Sendo rejeitado pelo pai desde pequeno, ele acabou por se tornar um homem extremamente bem sucedido e frio. Assim, mantendo-se o mais afastado possível da criação do filho, Carter, ele acredita que evitará que ele tenha o mesmo destino que o seu. Contudo, quando mais uma vez uma babá acaba por ter que se ausentar e com seu braço direito doente e sem poder cuidar desses assuntos, ele assume para si a missão de entrevistar a mais nova candidata e se arrepende logo em seguida.



“Por outro lado, caminhar descalço na brasa nunca me pareceu tão tentador.”



Surpreendido com a determinação de Maya, Brent decide dar uma chance para ela provar ser realmente capaz de cuidar de Carter mesmo com a delimitação que apresenta. No entanto, o que era apenas pra ser uma rápida visita acaba se estendendo mais quando sentimentos novos passam a surgir dentro de si.

Maya nunca se deixou ser limitada pelo que um acidente lhe tirou, então, determinada a provar ser capaz de cuidar do filho de Brent ela acaba enfrentando alguns desafios, mas não se deixa desanimar. No entanto, quanto mais ela vai conhecendo dessa estranha relação, mais ela nota que ali existem dois homens que precisam muito de ajuda.


“Não sabemos quase nada sobre essa variante do vírus, e é tudo muito novo, incerto e ninguém consegue dizer como essa crise afetará o mundo e sua economia. Pela primeira vez em muito tempo, vejo-me diante de algo que não posso controlar ou prever. Algo que exige medidas rápidas e um plano anticrise urgente.”


Se vendo cada vez mais envolvido e sem conseguir resistir a atração que sente pela babá, Brent decide que é hora de ir e se manter longe. Contudo, quando uma grande pandemia começa a se instalar no mundo, a preocupação acaba que por falar mais alto fazendo-o retornar a casa que tinha deixado para evitar encarar aquilo que mais deseja, mas ao mesmo tempo mais teme. 

Sendo obrigado a permanecer o mais próximo possível de seu filho e de Maya, Brent irá perceber que nem sempre é fácil deixar de lado medos e traumas do passado, mas a recompensa pode valer muito a pena.


“Se me perguntarem se a vida é um conto de fadas, preciso dizer que não. O mundo real é dividido entre momentos bons e lutas.”


Essa é uma história que te convida a aprender mais sobre perdão, amor, recomeço e principalmente superação. Carregado de romance e ensinamentos, esse é mais do que apenas um clichê como muitos por aí e vale a pena cada página. Se permita ser surpreendido com uma história que irá acalentar seu coração e renovar a sua fé em um amanhã melhor!



[ - Minhas Impressões - ]


A Babá Virgem e o Bilionário Irlandês é aquela típica obra que você se pega imaginando o que vai encontrar no enredo e acaba se surpreendendo completamente. Com uma trama real, intensa e inspiradora acompanhamos os protagonistas em uma descoberta sobre si mesmos em meio a traumas e perdão. Encantadora e transformadora a autora Elizabeth Bezerra soube abordar de forma completa, mas sem deixar pesado assuntos importantes e necessários.


Brent é o típico homem de negócios sério e determinado. Tendo crescido em um ambiente ausente de amor ele aprendeu a ser duro e determinado conseguindo o que quer e mantendo seus sentimentos longe. Apesar da imagem de durão o leitor logo consegue notar que ele esconde muita coisa e não é tão insensível como deseja que todos pensem. Repleto de dúvidas, falhas e medo, o protagonista é alguém extremamente real que logo cativa o leitor.

Maya Gomes, por outro lado, tem uma fragilidade e uma força que servem de inspiração. Enfrentando desafios desde pequena, ela não se deixa abalar pelas limitações que a vida lhe impôs fazendo com que a gente se sinta culpado por reclamar de coisas tão pequenas comparado em problemas tão sérios. Ela possui uma doçura e um encantamento que logo cativam o leitor nos fazendo torcer por ela a cada página. E o pequeno Carter só torna tudo ainda mais real e nos deixa com o coração partido ao mesmo tempo que nos cura, afinal fica nítido que tudo que ele quer é ser amado.

Intercalando os pontos de vista, essa obra permite ao leitor uma visão completa dos acontecimentos e sentimentos. Com personagens tão cativantes é impossível não se encantar com cada um deles e torcer pelo final feliz de cada um. 

Gostei muito que a gente vai acompanhando a mudança em cada um e apesar de não ser muito fã de atrações que ocorrem de maneira rápida, a trama suporta esse desenrolar de forma que não parece forçado.



Um ponto positivo da obra é que a autora trouxe durante o enredo a questão da pandemia do Coronavírus que estamos enfrentando. Mesmo sendo um tema recente e que a gente já tá bem cansado de lidar após tanto tempo, Elizabeth mostrou as reações que tivemos quando tudo começou e fez questão de deixar claro a gravidade dessa doença tão implacável. Real, essa é uma obra cuja verossimilhança a realidade está extremamente presente o que só nos aproxima ainda mais e nos dá esperança de um futuro melhor e com o fim dessas ondas que circulam.

A edição, apesar de estar disponível apenas em formato de e-book, é outro ponto que ganha destaque pela diagramação bem feita e uma revisão primorosa onde erros não foram notados por mim durante a leitura. Apesar de simples, os detalhes no início de cada capítulo e a apresentação de quem está narrando naquele momento faz com que o leitor sempre saiba se situar e não se perca. A capa também é atrativa e bonita e o mais importante realmente condiz com o enredo que é entregue.


A Babá virgem e o Bilionário Irlandês faz parte da série Os Bilionários sendo o primeiro volume, mas mesmo se tratando de uma coleção essa é uma história única apresentando começo, meio e fim. A autora trará em cada volume uma nova história e protagonistas a serem acompanhados, ideal para quem assim como eu está querendo fugir de séries, o que garante a independência entre si permitindo ao leitor liberdade para ler aquelas que mais gostar.


Talentosa, essa é mais uma obra que demonstra toda a experiência da autora em criar tramas e enredos que prendem. Apesar de clichê, como consta na sinopse, esse livro consegue trazer elementos novos e surpreendentes garantindo uma experiência diferente mesmo em meio a temas já tão abordados. Vale muito a pena conferir!








 
Livro: A Babá Virgem e o Bilionário Irlandês 
Cortesia: Elizabeth Bezerra (Autora Parceira)

Maya foi em busca de realizar o seu maior sonho, o intercâmbio. Mas o que era para ser uma linda aventura acaba se tornando um grande pesadelo. Passando por dificuldades financeiras, a única esperança é uma vaga como babá do filho de um dos empresários mais importante da Irlanda. Essa é sua grande chance de não deixar os seus planos morrerem. Mas nada é tão fácil como parece. O menino tem uma fama terrível, tendo assustado e afugentado suas últimas babás. Mas é pai da criança que começa a fazer o coração da doce e inexperiente babá disparar mais forte.

Desde que ficou viúvo, Brent Turner tem evitado qualquer contato com Quinn, seu filho, agora com sete anos. Conhecido por ter um coração frio e uma mente implacável, não faz questão alguma de mudar a forma que as pessoas o descrevem. Isso até a chegada da tímida, mas determinada babá que não se intimida ao enfrentá-lo. Maya é doce, inocente e representa um perigo que Brent não está disposto a correr.

Será que o pequeno Quinn e a corajosa babá derrubarão os muros que Brent acredita serem intocáveis ou haveria uma chance para voltar a abrir seu coração até então fechado?







22 junho 2021

Resenha - Inesperado Amor




Inesperado amor
é um romance de época, nos levando a Londres dos tempos de bailes e a caças de bons casamentos, uma sociedade pautada em posses, etiquetas e regras sociais. O livro nos traz como personagens principais Brandon e Charlotte, duas figuras de mundos e ideais diferentes um do outro. Mas nada que o amor não possa superar. E nessa história é ele que irá prevalecer.


" ... O amor merece a entrega e a verdade... quero apenas ser quem sou..."



Brandon Downing é herdeiro de uma família tradicional de Londres, um homem reservado, inteligente, culto e rico, um tanto introspectivo e distante, características que o tornam ainda mais atraente. Ele é o único responsável pela casa e finanças da família fazendo o papel do patriarca, assim como também tem a tutela e responsabilidade sobre seus irmãos mais novos. A família tem que lidar com um momento difícil logo nos primeiros capítulos, levando a todos a lidarem com a dor da perda e com a saudade. 


" A luz de nosso lar está prestes a se apagar e nada posso fazer se não desejar um milagre".


Longe de Norfolk Park, residência dos Downing, está Charlotte, uma jovem órfã que vive como agregada da família Fernsby. Ela, apesar de tão jovem, tem uma personalidade peculiar, forte, inteligente e uma mulher com opiniões afrontosas para a época, uma pessoa linda e espirituosa, mas por ser de uma classe inferior é constantemente rebaixada e estigmatizada pela sociedade Londrina e pela própria família que a acolheu, muitas vezes sendo obrigada a se calar acreditando que um bom casamento não é para ela devido a sua condição inferior.


" Parece que se apoia na certeza que de nosso sexo está sempre fadado a buscar uma perfeição nunca alcançada pelo seu, mas exigida a nós como marca".


Charlotte já lida com a dor da solidão há muito tempo, Brandon vai revivê-la e para lidar melhor com essa dor ele resolve deixar Norfolk Park e passar uma temporada em Londres em busca de se distanciar da dor. Mas ele nem imaginava o que o destino estava aguardando para ele e sua família. 

Surpresas inesperadas e nem tão agradáveis irão levá-lo a uma decisão que há muito era protelada.


" Na posição em que me encontro, sendo o único responsável pela felicidade e o futuro de todos eles, me manter distante é a maneira que encontrei de não sucumbir aos caprichos de todos eles".





Os caminhos de Charlotte e Brandon se cruzam, mas não se enganem achando que o amor vencerá logo a princípio. A arrogância e preconceito de Brandon, a língua afiada e atitudes distantes de Charlotte marcam o primeiro encontro entre os dois. 

Ele, por orgulho e preconceito, não admitiria para a sociedade seu interesse por Charlotte, e ela sabendo de sua condição social não espera ser cortejada por um homem tão influente e de alta classe como ele, até que o destino coloca Brandon em uma situação que só um casamento será possível para salvar a reputação de sua família.

Um casamento rápido, um segredo e um futuro incerto é o que os esperam.


" Tudo o que quero dela é amizade e fidelidade, nada mais desejo dessa relação..."


Essa obra  é de leitura muito fluida e rápida, que te proporciona um quentinho no coração. Foram 316 páginas de uma leitura leve, tranquila e que você consegue ler em uma tarde acompanhada de um bom café. 

A escrita da autora não deixa a desejar e é cheia de requintes nos diálogos dos personagens que a época exige, assim como a seriedade e ironia que ela soube trazer perfeitamente para o livro. Achei que Mônica poupou um pouco nos acontecimentos, senti falta de algo mais na história, queria mais dos personagens. Ela foi direta na entrega do enredo e encerramento dele, e isso nos proporciona uma leitura rápida, quem não gosta não é?

A narrativa em primeira pessoa fica por conta de Brandon, pois achei diferente, já que estou habituada a ler romances narradas por mulheres e com a visão feminina da história e dos sentimentos envolvidos nela. E talvez por esse motivo eu achei o enredo e personagem sisudos. Senti falta de uma profundidade maior de Charlotte, principalmente por seus ideais serem diferentes para época, e até mesmo de Brandon, seu futuro marido.

Apesar de o motivo do casamento não ter sido o ideal, e que só eles dois e a família sabiam o verdadeiro motivo, adorei a verdade e sinceridade na relação de Brandon e Charlotte, a maturidade dos dois em respeitarem seus espaços e escolhas mesmo o coração e a mente atraindo a ambos para outro desfecho. 

Charlote foi de um amor inexplicável ao entender os motivos de Brandon por escolhê-la para o matrimônio, ainda que ela não fosse a primeira opção dele para isso. Ela agiu única e exclusivamente em nome do amor e respeito para com a situação, que exigia não menos que isso, sem julgamentos e preconceitos. Ela se mostrou uma mulher íntegra, forte, respeitosa e corajosa. A cumplicidade entre o casal para uma situação delicada e que poderia arruinar a família foi lindo de ver e acompanhar. Agiram somente pelo amor e através dele conseguiriam alcançar a sonhada felicidade, e para Charlotte a sensação de pertencimento e o verdadeiro sentido de acolhimento e ser amada.

A história é o clichê que a gente já conhece da época, casamentos arranjados, bailes a todo instante, amores não correspondidos e diferenças sociais. Mas, tem um fato que irá fazer Brandon ir contra seus ideais e deixar de lado seu preconceito para garantir o futuro da família.



O livro traz um quê de feminismo pela personagem de Charlotte o que me faz pensar que tenha sido uma crítica ao patriarcado e a submissão da mulher, infelizmente muito presentes na época e eu adorei isso, e acredito que a autora poderia ter dado mais espaço a Charlotte e suas opiniões sobre a condição feminina na época. Entendemos que ainda persiste a falta de respeito e apoio a muitas mulheres mesmo que de um modo diferente hoje em dia, temos liberdade, porém ainda falta compreensão, compaixão e empatia para nós mulheres. 

Quanto a evolução do romance foi muito bonito de acompanhar, nada foi forçado por nenhuma das partes, e os sentimentos que Brandon reprimia no início ele compensou no final ficando um tanto exagerado para meu gosto, mas foi gratificante vê-lo se entregar de corpo e alma a seus sentimentos e se permitir viver uma relação em toda sua plenitude sem medo, vergonha ou preconceito. O amor também ensina e nos faz crescer como pessoa e ele aprendeu bem isso durante o seu casamento.

A obra foi uma linda surpresa, uma história leve e cheia de emoções com uma escrita formal e nos mostrando que quando há amor nada o supera nem mesmo o preconceito, nem a sociedade e muito menos o machismo. Aqui os únicos sentimentos que importam aqui para eles é o amor e respeito independente de classe e gênero.

A mensagem que ficou para mim com certeza é sobre a fortaleza que nós mulheres somos em qualquer situação ou tempo. Temos o dom de transformar o ambiente ao nosso redor, seja ele qual for, e influenciar para o bem quando somos ouvidas e tratadas com o devido respeito. 








 
Livro: Inesperado Amor
Cortesia: Mônica Cristina (Autora Parceira)
Número de páginas: 316
Skoob / Amazon

Brandon Downing é o mais velho dos três irmãos, herdeiro da fortuna da família e também da responsabilidade sobre os irmãos mais jovens. Pronto para fazer o que for preciso para manter a honra de sua família, Brandon se vê obrigado a fazer uma aliança que não está em seus planos, casar-se com alguém inferior é menos grave do que revelar o segredo que destruiria sua família.






Licença Creative Commons
O site I LOVE MY BOOKS por Silvana Sartori está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Por isso, qualquer contéudo aqui presente como resenhas, fotos e Colunas publicadas são exclusividade. RESPEITE e NÃO COPIE, pois PLÁGIO é CRIME!


Instagram

I Love My Books - Blog Literário . Berenica Designs.