Resenha - Os Seis Finalistas


Título: Os Seis Finalistas
Autora: Alexandra Monir
Cortesia: Jangada
Páginas: 328
Skoob
Onde Comprar: Amazon
Mudanças climáticas tornam nosso planeta inabitável, as grandes cidades do mundo estão debaixo d'água. Num último esforço para encontrar um novo lar para a humanidade, a Missão Especial mais audaciosa da história é lançada: a colonização de Europa, uma das luas de Júpiter.  Agora, no Centro de Treinamento Espacial Internacional (CTEI), 24 adolescentes brilhantes foram recrutados e se preparam para disputar seis vagas na equipe que deixará para sempre a Terra carregando o futuro da raça humana. Leo, um nadador italiano profissional, não vê a hora de encarar esse desafio, depois de perder a família inteira numa inundação. Já Naomi, uma americana de ascendência iraniana - e gênio da ciência -, tem muitas suspeitas com relação ao CTEI, após uma missão semelhante falhar em circunstâncias misteriosas. Na medida em que o treinamento testa os limites de cada um e a tensão aumenta entre os astronautas, a amizade dos dois se torna essencial para enfrentarem o que está em jogo: a humanidade, a Terra e suas vidas.


Não esperava um caleidoscópio de sentimentos e informações com a leitura de Os Seis Finalistas. Impactante, ele mostrou para o que veio, e tornou-se uma ficção científica excelente.

Devido a mudanças climáticas, a Terra foi devastada por tsunamis imensas e terremotos arrasadores — e está a beira de se tornar inabitável. Assim, líderes de todos os cantos do mundo se unem para que seja possível a colonização de um outro planeta. O pontapé inicial do projeto, é que seis dos melhores jovens possam inicialmente visitar o local — a missão é em Europa, uma lua de Júpiter — e ver as condições do mesmo, além de estabelecer a vida humana por lá.

Assim é dado início a uma competição, onde 24 jovens formidáveis disputam por 6 vagas na nave que podem levar-lhes para uma vida nova — e salvar todos os seres humanos. Naomi é uma selecionada. Leo é outro selecionado. Com as vidas entrelaçadas por causa desse planejamento, eles encontrarão uma amizade que pode se tornar algo a mais, e notarão que nem tudo é o que aparenta ser.

Desenvolvimentos que se permeiam em mudanças da nossa visão atual de mundo me fascinam porque, geralmente, este tipo de enredo tende a nos fazer refletir certas ações e atitudes de uma maneira indireta. E aqui não foi diferente. Visando o lado ambiental, lidando com catástrofes originadas por mudanças climáticas entre outros assuntos sobre o meio ambiente, é um tema que considero recente e perfeito para ser trabalhado — a nova geração já estuda o assunto na escola. Sabemos que aquecimento global, efeito estufa entre outros estudos que se entremeiam a essas mudanças no nosso planeta é algo palpável. Por isso, não foi difícil me envolver com alguns acontecimentos que por mais que sejam ficção, poderiam ser uma realidade nossa. Esse foi um dos maiores pontos positivos da obra: explorar um assunto em alta de maneira a nos surpreender.

E não somente seus protagonistas para lá de carismáticos nos ganham em poucas páginas. Leo e Naomi dentro da competição tem objetivos diferentes, porém a medida que as páginas são passadas, vemos uma conexão fora do comum entre os dois, que cativa — eu pelo menos fui rendida por eles. Além de poder acompanhar um pouco a trajetória dos personagens secundários, nos fazendo criar empatias pelos mesmos e mostrando a força de um grupo coeso criado pela autora.

"— Desde o início, os pré-requisitos rigorosos da Missão Europa mantiveram o número de potenciais recrutados relativamente baixo. Nossos finalistas deveriam ter entre 16 e 19 anos, excelente saúde e visão praticamente perfeita. Seus corpos precisavam atender aos requisitos antropométricos para trajes espaciais de longa duração, enquanto suas mentes tinham que obter scores de QI superiores aos de 85% da população em geral..."

A obra como um todo, por ser o primeiro de uma série, me mostrou ser bem introdutória. Acredito que vá ter outros elementos a nos surpreender futuramente, e minhas expectativas giram em torno dessa questão. Minha impressão é que tinha a presença de diversos outros livros no meio da narrativa — hora me lembrava de Jogos Vorazes, Divergente, Maze Runner e outras distopias mais famosas — e não que seja um ponto negativo, contudo acabou que em situações que eu deveria me impactar, não ocorreu. Acredito sim no potencial da obra, e que com ajustes pequenos ela se tornará única. O segundo volume pode vir trazendo a cara própria de The Final Six.

Sobre plots twists ou reviravoltas, como falei anteriormente não tem muita coisa que pudesse me abalar, no entanto tenho que admitir que os três últimos capítulos são eletrizantes. Com o coração na boca do início ao fim, espere algo que te deixará com gostinho de quero mais para o sucessor. E o romance? Temos sim! Haverá partes que ele terá grandes destaques — ocupando o plano principal da leitura — o que não me chegou a incomodar, pois amo, entretanto não sei se todos tem a mesma percepção que a minha. Aviso de antemão para aqueles que se incomodam.

De uma forma geral, para o pontapé inicial de uma série, temos um bom exemplar. Nos mostra como funciona esse universo e seus contrastes com nosso atual, revela como funciona a seleção dos participantes e a competição em sim, entremeado de distopia, ficção científica e romance. Se é fã dos gêneros, acredito que apreciará Os Seis Finalistas. Recomendo!

Na parte física, a capa tem seus atrativos, apesar de achar meio genérica. Se não me interessasse em ler sinopses, talvez seria um livro não lido na minha vida literária. Na parte interna temos uma diagramação simples, confortável de ler, sem muito detalhes. Não encontrei nenhum erro de revisão ou ortográfico. A narrativa é feita em primeira pessoa pelos pontos de vista da Naomi e do Leo.

"Os outros podem ser os heróis, os pioneiros do espaço. Eu tenho algo mais importante. Um lar."

Já estou aqui aguardando o que virá a seguir com ansiedade.
Espero que tenham gostado! E vocês, já leram Os Seis Finalistas?



Categorias:

Um comentário:

  1. Uau!!! Primeira resenha que leio da obra e já fiquei meio de queixo. Amo uma série que se chama The 100!
    E lendo a resenha acima, me vi vendo ela, entende? Isso de jovens lutando por sobreviverem, essa misturinha de fim dos tempos, efeitos naturais e tudo mais, me anima demais, tanto na literatura quanto no cinema.
    E por ser somente o primeiro livro, a gente percebe que muita coisa ainda acontecerá!rs
    Com certeza, vai para a listinha de mais desejados.
    Capa lindíssima.
    Beijo

    ResponderExcluir