Resenha - Vem Comigo


Livro: Vem Comigo
Autora: Karma Brown
Cortesia: Grupo Editorial Record / Verus Editora
Páginas: 305
Skoob
Onde Comprar: Amazon
Tegan Lawson tem tudo o que poderia querer da vida, incluindo Gabe, seu marido amoroso, e um bebê a caminho. Mas um acidente deixa a vida de Tegan tão devastada como o carro do qual ela foi resgatada. Entre a perda do bebê e a raiva incontrolável por Gabe, que estava dirigindo naquela noite, Tegan está afundando em tristeza. E, quando ela pensa que chegou ao fundo do poço, Gabe a lembra do ''pote dos desejos'', uma coleção das viagens e experiências dos sonhos do casal. E assim se inicia a aventura. Dos tumultuados mercados da Tailândia até os sabores da Itália e as ondas do Havaí, Tegan e Gabe embarcam em uma jornada para escapar da tragédia e encontrar o perdão. Mas, quando as coisas tomam um rumo chocante no Havaí, Tegan é forçada a encarar a verdade - e a decidir se a vida ainda vale a pena, mesmo que não seja exatamente como ela sonhou. Comovente e cheio de amor e esperança, Vem comigo é um livro inesquecível e uma celebração da força do espírito humano.

Vem Comigo é uma história que quebra nossos corações e ao mesmo tempo nos faz enxergar a vida de outra maneira. Uma história que poderia ser real, e demonstra o quão ser humano pode ser destruído passar por tragédias, e ainda assim dar a volta por cima atrás da felicidade. Lições? Temos diversas! Um drama que os leitores não podem colocar defeito.

Tegan Lawson vive um pesadelo mais que real — após um acidente de carro junto do marido onde perde o bebê que carregava, ela tenta juntar os pedaços separados que sua vida é atualmente. Sem ânimo para fazer qualquer coisa, seu marido lhe lembra da existência de um "pote de desejos" onde depositaram lugares que desejam visitar, sendo a oportunidade perfeita para tentar se curar e aprender a perdoar. Tentando mais uma vez colocar sua trajetória nos eixos, Tegan decide encarar essa aventura que acabará reabrindo feridas, e paralelamente a ajudará a reconhecer suas perdas e dores, ensinando-a novamente a viver. 

Geralmente não me apego muito a desenvolvimentos que tem como tema central o drama, principalmente em romances. Sou daquelas que foge de enredos que possam me trazer grandes impactos, porém com essa obra não foi possível fugir. Porque ela torna-se necessária. Necessária no sentido de saber como a dor pode ser profunda e nos mudar drasticamente, que essa dor pode nos cegar para a vida que nos espera e/ou algum futuro próspero pela frente. Me ensinou, como pessoa, a enxergar os problemas psicológicos com outros olhos.

Junto da nossa protagonista, senti que suas dores tomaram proporções que ela mesma não via saída. Por isso, acompanhar a sua evolução, a sua melhora e aceitação de tudo que ocorreu me tocou demasiadamente. É aquela sensação de ver um ser humano saindo da pior para o melhor. E o que mais me marcou também, foi o quanto a ajuda familiar foi fundamental. A iniciativa própria de se curar junto do apoio da parentela, deu uma reviravolta na história mais que certeira.
"A morte deixa uma dor que ninguém consegue curar. O amor deixa uma lembrança que ninguém é capaz de roubar."
Sem falar que acompanharemos a viagem da mesma em diversos países. A descrição dos locais, da cultura diferente foi animador. Me senti junto da personagem naquele cenário, e enriqueceu o volume. Ele é subdividido de acordo com cada país visitado até o retorno para os EUA — são 6 partes ao todo — e traz aquela nossa conhecida estruturação onde temos cenas do passado do casal entrelaçadas a cenas do presente.

E como se não fosse suficiente os outros tópicos falado para elogiar a leitura, existe uma reviravolta perto do final que choca — ou pelo menos eu fiquei de boca aberta. Não esperava algo do estilo, o que demonstrou o potencial que o livro tinha. Surpreenda-se com algo que estava nas entrelinhas — depois com mais calma percebi que estava o tempo todo estampado, contudo de forma sutil.

De uma forma geral, me senti surpreendida e achei mega interessante para quem não se arriscava na temática. Se para mim foi maravilhoso, aos fãs do gênero será um prato cheio. Mais que recomendado! Não vai deixar a oportunidade passar né?! Na parte física, demorei a entender o real significado da capa antes de lê-lo, mas depois ficou mais esclarecido a escolha das imagem. Admito que achei editada demais, no entanto nada que interfira no significado. A narrativa é feita em primeira pessoa pelo ponto de vista da Tegan.

Primeira obra que leio da autora, e saio contente. Mais que recomendado! E vocês, sentiram curiosidade em ler? Acharam interessante? Deixa nos comentários!

“Como você explica a alguém que, se pudesse, abriria o próprio peito e jogaria as cinzas ali dentro para elas poderem descansar para sempre junto ao seu coração?”

Categorias:

Um comentário:

  1. Eu gostei tanto dessa leitura!
    Karma arrasou, tanto no contexto quanto na criação das personagens.
    Acompanhar essa trajetória me tocou profundamente, mas sempre que vejo esse livro lembro que não me recuperei do plot. O que foi aquilo?
    Preciso de mais livros dela.

    Beijos

    ResponderExcluir