05 novembro 2018

Resenha - Espelho Espelho Meu: Qual crush escolho eu?


Livro: Espelho Espelho Meu! Qual crush escolho eu?
Autora: Priscila Debly
 Cortesia Editora Coerência
Páginas: 200
Ano: 2018
Onde Comprar: Saraiva

Anabelle conta sua história do abandono na infância e encontra na dança o alívio necessário para fazer sua subconsciência falar mais alto enquanto capta o mistério da alma humana. Aos dezoito anos, se sente à flor da pele, perdidamente apaixonada por dois jovens que são capazes de despertar desejo e amor em qualquer moça. Na dúvida entre seus dois crushs, ela não consegue escolher entre o loiro de olhos azuis que conquistou uma frota de admiradoras e o dono do sorriso mais encantador que já viu, um rapaz sedutor e forte.
O verão que passou ao lado de um de seus amores ainda desperta arrepios na jovem. Anabelle se lembra de que não foi apenas o clima quente que os fez fervilhar. A lembrança dos dois corpos em ebulição, do suor escorrendo e dos peitos prestes a explodir ainda a faz sentir como se estivesse lendo um livro do qual não quer conhecer o final, parar de ler.
Hoje, sua autoestima oscila cada vez mais para baixo. Nessa jornada, ela luta por sua libertação e pelo feminismo. Mas será que terá forças para encarar seu destino? Quem será o crush do espelho?




“Sou tão mulher e carregada de desejos e emoções. Não sou Drummond, mas levo comigo todo o sentimento do mundo. Não, não sou frágil, por vezes me faço.” 



Anabelle é uma jovem que teve uma infância extremamente difícil e traumática. Trauma este que acaba desencadeando pesadelos, sempre o mesmo, sempre a sensação de medo e nojo. Mas Ana mesmo com esse problema leva a vida no famoso: um dia de cada vez. Nunca conheceu o significado da palavra amor e não sabia o que era ser amada de verdade. Perdeu sua mãe quando ainda era muito jovem e seu pai... bem, seu pai viria ser aquele responsável por tornar os seus dias em pesadelos infinitos.


Mas agora, tempos depois ela se encontra com uma vida melhor do que ela um dia esperou: tem um emprego que por mais que não a deixe feliz, é o responsável por pagar suas contas, tem uma amiga que é quase como uma irmã para ela e esta cursando direito em uma excelente universidade. Mas apesar disso tudo, Ana desconhece o amor, se sente extremamente deslocada no meio de sociedade toda hierarquizada; afinal em que faculdade não tem uma hierarquização não é mesmo? Temos sempre o grupinho dos populares, dos nerds e daqueles que nunca serão notados e é nesse grupo que Ana se encontra. Mesmo com todos esses contras em sua vida, ela é uma pessoa que tem esperança em tudo, desde as pequenas coisas até as pessoas – por mais perdidas que estas aparentam estar.

Ana tem um amor em sua vida: a dança – sua paixão, quando ela pode se libertar, ser ela mesma, esquecer seus problemas. Quando ela esta dançando não existe passado, não existe medo... Existe ela e a música que toma conta de seu ser e a liberta das correntes que a prendem e atormentam suas noites, transformando- as em pesadelos sem fim.

“Para mim, só há um movimento entre a música e minha vida, a dança.”

Mas o futuro de Ana já estava escrito, ela conheceria duas pessoas tão semelhantes e tão diferentes ao mesmo tempo, que viria estremecer os muros que rodeavam seu coração.  Phillipe, estudante de direito e que defende todos os direitos do ser humano; porém ela achava que ele era inalcançável para ela, afinal eles eram de mundos muito diferentes. Mas quando algo é para acontecer em nossa vida, eis que o destino conspira a favor e Ana de repente se encontra encantada por Phillipe; ela o julgou tão mal por pertencer a uma classe diferente da dela... Mas como uma pessoa que parece ser tão perfeita para ela? Como uma pessoa a completa e a faz se sentir segura e protegida sendo que se conhecem há tão pouco tempo? Seria Phillipe seu príncipe encantado? Aquele que a ensinaria a amar? Seria ele o responsável por apagar todo o passado que tanto a machuca e libertá-la da corrente que a prende em sua terrível e dolorosa infância? 

Só que Ana não estava esperando ter seu caminho cruzado com o do encantador e carismático Daniel. Ele a compreende como ninguém, tem um senso de justiça, a faz rir e se sentir confortável. Seria o mesmo coração capaz de amar duas pessoas? Se sentindo preocupada com o rumo que sua vida esta tomando, ela precisa se decidir quem de fato será aquele responsável por partilhar com ela um futuro, uma vida e futuramente vir a ser seu marido e pai de seus filhos.

Quem será que Ana escolherá? Será Daniel ou Phillipe?  Ambos a faz se sentir tão bem, tão segura e amada... Mas será que quando desejamos demais uma coisa ela pode virar de fato uma fantasia que acontece somente em nossa mente? Mas a questão é: escutar o coração ou a intuição? Qual será o futuro de Ana? Independente de sua escolha só tem uma certeza: sua vida nunca mais será a mesma. E talvez o seu felizes para sempre esteja meio longe de ser alcançado. Mas enquanto o futuro não chega: viva o hoje como se não houvesse amanhã e talvez você não se arrependa de suas escolhas. Ou será que Ana se arrependeria?

"Viver, significa: não usar aquela máscara da corrupção ou hipocrisia, das quais escolhemos usar no cotidiano. Por onde pairam o que é verdadeiro, as ações e as pequenas mudanças que podem fazer á vida do outro, ou até mesmo a nossa, um pouco melhor, e nos sentimos humanos, nem que seja pelo menos por alguns segundos.”

Espelho Espelho Meu foi um livro bem diferente do que leio, apesar de ser um romance e por vezes ser clichê eu me deparei com uma história que vai muito além disso. Logo no início nos deparamos com uma protagonista feminista e que luta com unhas e dentes pelo direito de todas as mulheres.

A Priscila conseguiu me conquistar em pouquíssimas páginas, fui completamente arrebata por esse livro encantador, apaixonante e que faz uma crítica extremamente relevante a nossa sociedade. Uma sociedade onde a corrupção se faz presente em todos os noticiários que vemos, todos os dias; um livro super-real e que com uma delicadeza ímpar consegue nos mostrar a realidade caótica, vergonhosa em que nos encontramos. Onde olhamos vemos pessoas inescrupulosas no poder, um país que à muito não se sabe mais o que é a justiça, um país que para onde se olha percebe as consequências da corrupção.  E foi isso que me encantou, afinal nunca me deparei com um livro que me mostrasse com tanta clareza o que estamos todos vivenciando; pois você ter consciência da situação de nosso Brasil é uma coisa, mas ver isso sendo retratado em um livro é algo completamente diferente, tem um potencial reflexivo altíssimo.


Mas em contrapartida, vemos que sonhar por um lugar melhor faz parte também do nosso dia a dia, afinal é o que mais ansiamos do fundo de nosso ser. E a protagonista retrata bem os pensamentos de uma pessoa esperançosa, que espera a mudança para o amanhã, mesmo que isso seja meio que impossível. 

Mas temos também o romance, que achei belo a maneira com que foi trabalhado no decorrer de cada página. A dúvida crescente de quem escolher e os receios de acabar por se arrepender de sua própria decisão, porém amizade também é um tipo de amor, só que Ana não sabia disso. Sua indecisão era tão palpável que por vezes eu queria fazer a escolha por ela, pois por mais difícil que seja nosso coração sempre bate mais forte por uma pessoa. É inacreditável como um livro tão curto nos entrega mensagens tão importante, difícil de simplesmente fechar os olhos, ignorar. 

A escrita da Priscila é super formal, rica em detalhes, isso pode incomodar algumas pessoas, mas confesso logo que em momento algum me incomodou, juntando o tempo que li o livro, finalizei ele em um par de horas. E fui surpreendida no decorrer da leitura, óbvio que positivamente. Minha ressalva é com relação ao final, que achei um pouquinho rápido demais e que poderia ter desenvolvido um pouquinho mais o romance, afinal teve diversas passagens de tempo e fiquei chocada momentaneamente. Mas confesso que fiquei impactada com o rumo que a história foi tomando e como ela foi finalizada, nada do que imaginei chegou perto do que de fato ocorreu e ainda me encontro em estado de choque e ansiando pelo próximo livro o mais breve possível, pois preciso saber como que de fato aquilo aconteceu, em que momento a história virou tão drasticamente, estou com aquela frase: Que ônibus peguei para chegar nesse ponto mesmo?

E como se isso não fosse o suficiente, vemos o quanto a insegurança é capaz de acabar com toda e qualquer expectativa de uma pessoa, pois a maneira que a Priscila trabalhou a esquizofrenia me comoveu bastante, foi com uma delicadeza, uma sutileza sem igual. Devo parabeniza-la por isso. 
A edição do livro esta impecável, pensem em um livro tanto por fora quanto por dentro. A Editora Coerência esta de parabéns com todo o cuidado que tem com a diagramação de seus livros. 

Enfim, resta-me indicar, incentivar vocês a lerem, afinal é um livro que todos deveriam ler e se encantar e se apaixonar. E bem, tenho que refrear minha curiosidade, caso contrário irei surtar. E quase me esqueço: separem bastante post-it, porque esse é o livro que você fará marcações desde a primeira página a última.

“Nesta vida de desilusões, se você gosta, é tolo; quem quer o outro, é fraco; e quem ama, é digno de pena. A nossa espontaneidade e a intensidade deram lugar a u manual de boas maneiras do gostar pela metade. Só nos resta rezar para não sermos sempre o lado mais fraco. Mas, o problema é que ter fé também já está fora de moda.”


Inscrições Abertas - Participe !


12 comentários:

  1. Eu não tava sabendo desse livro da Coerência! Gostei de que você falou que a autora mostra as coisas ruins no livro, que faz uma crítica a sociedade. Gosto de encontrar isso em livros de romance, porque aí não fica só no romance, tem mais coisas pra pensar e acaba dando algo pra você meditar. Gostei da forma como estruturou sua resenha e arrasou nas fotos! Muito lindas!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eita que quando comecei a resenha e percebi que teríamos um triângulo amoroso já fiquei receosa, afinal não curto muito, ainda mais quando não só a protagonista, mas nós também ficamos divididas entre crushs tão maravilhosos (risos). Mas a história da Ana falou mais alto e despertou meu interesse em conhecer um pouco mais sobre tudo que ela teve que passar e em como apesar de coisas ruins do passado ela conseguiu ser uma mulher forte, Girl Power, além é claro da pergunta que não quer calar, quem enfim vai levar seu coração? Esse final surpreendente já me deixou aqui curiosíssima.

    ResponderExcluir
  3. Que capa mais linda!!!Como não conhecia o livro, estou aqui encantada com o título e capa. E depois lendo a resenha, a gente percebe que há sim o clichê(e a gente? Adora).rs mas também a autora traz um enredo de dramas, superações e claro, e a doença, ainda tão pouco falada e apresentada.
    Tudo isso junto e misturado, acaba revelando um cenário doce, suave e ao mesmo tempo, engrandecedor pela maneira que a protagonista lida com tudo isso.
    Esperança!!!Qual de nós ainda não a necessita?
    Vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Sem palavras Byanca!! Me emocionei muito com este texto incrível!!! Estou aqui refletindo cada palavra sua ✨�� Gratidão e muita luz ✨✨❤️

    ResponderExcluir
  5. Que resenha linda!
    A capa é bonita, mas me faz pensar ser uma história mais juvenil, me enganei.
    Amo personagens feministas, que lutam pelos seus direitos, para ter voz... Sinto que a história de Anabelle é de partir o coração, é bem delicada.
    E parece que o triângulo foi bem construído.
    Tão bom ver nossa literatura com histórias incríveis, com críticas sociais e mostrando que é sempre possível superar e sonhar mesmo vivendo na realidade.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Nossa, parece ser mto bom. Um livro que trata do feminismo, doenças que n são mtos discutidas e dança não são tão populares assim hj, mas deveriam. Legal a iniciativa da autora, espero conseguir ler um dia. Sua resenha é mto instigante! Adorei lê-la.
    Bjinhos ��

    ResponderExcluir
  7. Oi Byanca.
    A premissa desse livro é incrível.
    Achei a crítica à corrupção e às pessoas no poder super pertinente e atual. Além de retratar bem como a população fica com um governo assim, se sentindo esperançosa por dias melhores.
    Anabelle parece ser aquela personagem lutadora, que não desiste do que acredita! Já gostei dela.
    Gosto muito de ler histórias com personagens que tem algum tipo de transtorno, pois é sempre uma forma de conhecer o ponto de vista deles, ver como a sua mente trabalha. Deve ser difícil para uma pessoa com esquizofrenia distinguir o que é real da imaginação =/
    Já vai para a lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Byanca,
    Sendo sincera, eu não sou de gostar de triângulos amorosos, são raro os livros com isso que me conquistaram, e, a única coisa que me deixa com o pé atrás aqui, é isso. Mas, gostei de como foi abordado a parte do feminismo, precisamos de mais protagonistas assim, como a Anabelle, que mesmo tenho passado por traumas, defende seus direitos. Outra coisa bacana, é que nessa escolha, dá para ver um pouquinho pela resenha, que a protagonista amadurece, e isso sem dúvidas é essencial.
    Os elementos criticados são bem originais, e melhor, reais, outro ponto que eu gosto.
    Em um geral, tenho certeza de que será uma boa leitura, e se eu tive oportunidade irei embarcar nele.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Byaanca!
    Bom ver um romance que apesar de trechos clichês e até um tanto fantasioso, trazer acoplado a realidade política do lugar onde a história é ambientada, trazendo de certa forma, uma maneira de refletirmos nossa própria realidade atual em termos políticos.
    Apesar de não gostar muito de triângulos amorosos, talvez valha a pena a leitura deste.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu não conhecia esse livro, juro que pensei que fosse filme mas me enganei..A historia é muito interessante, me deixou muito curiosa por ele. A trama é tão juvenil, aquela fase de qualquer mulher querendo encontrar um amor, é um clichê que adoro bastante, espero ler em breve.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  11. Escolher entre dois amores não é nada fácil. E ter temas importantes como os citados dentro do enredo só dá consistência ao livro, mostrando ainda mais que a trama é relevante. Eu não conhecia o livro, mas a dica com certeza será anotada.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Byanca!
    Eu destesto triângulo amoroso, as indecisões dos personagens sempre me tiram do sério, penso igual a você, por mais difícil que seja nosso coração sempre bate mais por uma pessoa... por isso eu não leria Espelho Espelho Meu.
    Mas quem sabe depois de ler sua resenha do próximo livro eu acabe me interessado e decida conhecer a história da Ana?!
    Abraços.

    ResponderExcluir