Resenha - O Mapa que me leva até Você


Título: O Mapa que me leva até Você
Autor: J.P. Monninger
N° de páginas: 322
Cortesia: Grupo Editorial Record / Verus Editora
Skoob
Onde comprar: Amazon 
Um romance de tirar o fôlego sobre amor, perdas e planos que, quando menos se espera, valem a pena ser alterados. Cada vez mais próxima da vida adulta, Heather Mulgrew tem toda a sua trajetória mapeada. Ela planejou uma viagem pela Europa com as amigas depois da formatura na faculdade e então o início da próspera carreira no Bank of America, sempre em direção a uma vida estável em que tudo é muito bem pensado. Mas todos os caminhos mudam quando, em um trem, Heather conhece Jack, o apaixonante aventureiro que altera o curso da viagem e da vida dela. Lançando o cuidadoso itinerário de Heather ao vento, eles acompanham o diário do avô de Jack em sua viagem pela Europa após a Segunda Guerra Mundial: Viena, Budapeste, Turquia  - lugares exóticos que servem para aproximar os dois ainda mais. Quando o fim da viagem se aproxima, Jack pede a Heather para ficar com ele e continuar viajando, deixando de lado os planos que ela traçou com tanto cuidado. Porém ela o convence a voltarem juntos para os Estados Unidos. A questão é que Jack tem um segredo que pode mudar tudo. E o mundo de Heather está prestes a ser abalado por completo.



Heather e Jack não tem nada em comum, mas a atração que sentem um pelo outro é imediata assim que os olhos de ambos se encontram no trem em que estão viajando. Ela é uma jovem muito certinha e que tem a vida toda planejada nos mínimos detalhes. Ele é um jovem bom que acredita que viver e curtir a vida é o que existe de melhor. Como duas pessoas totalmente opostas uma da outra podem dar certo como um casal? Essa pergunta ronda a mente de Heather sem parar, mas a atração que sente por Jack a empurra com força total para um arriscado relacionamento, uma vez que só o que Jack deseja da vida é viver sem nenhum tipo de cabresto que o faça se enfiar dentro de um escritório vendo a vida passar bem diante de seus olhos.

A viagem proporciona momentos para que ambos possam se conhecer um pouco mais, e a medida que eles passam mais tempo juntos é inevitável que os dois venham a se apaixonar.

"Era para ter sido só uma brincadeira. Uma brincadeira que devia durar só um segundo. Mas foi um beijo incrível, talvez o melhor beijo da minha vida, e não sei por que nem o que ele fez, mas, quando nos separamos, eu não queria mais soltá-lo."

Heather e Jack começam então a se envolver cada vez mais e por conta disso ele a convida para visitar os lugares pelos quais seu avô esteve quando era soldado na Segunda Guerra Mundial. Heather aceita o convite de Jack e parte com ele para novas e incríveis aventuras pelos belos países  em que o avó dele estivera.

Ao longo da viagem eles vão se conhecendo e se apaixonando irremediavelmente, só que os conflitos não demoram a surgir, já que Jack não perde a oportunidade de apontar os inúmeros motivos existentes para tornar a vida de Heather enfadonha na carreira que ela escolheu para si. E Heather por sua vez sabe que por trás da implicância de Jack com sua carreira existe algo que ele não está lhe contando, algo muito sério, que faz com que ele insista para que ela viva a vida sem ter tudo completamente estabelecido e orquestrado.

Jack quer mostrar a Heather que a vida pode ser muito mais do que uma carreira certinha e definida e que planos pré estabelecidos podem sofrer mudanças, transformando a vida das pessoas da noite para o dia em uma completa e inesperada surpresa para o bem ou para o mal.
"- Não, eles não parecem garotos - falei, meus olhos ainda nos dela - Mas acho que o Jack tem um segredo. Não sei o que é, mas existe algo por trás dessa viagem dele pela Europa. Não sei dizer se ele está viajando para encontrar alguma coisa ou para fugir de alguma coisa. Mas tem algo aí.  Algo que não sei o que é."



[- Minhas Impressões -]

O Mapa que me leva até Você é um livro que contém uma história de amor moderna, forte e diferente do habitual. Eu gostei bastante da forma como Jack e Heather se conheceram e foram se apaixonando a medida que passavam mais tempo juntos. Achei bem criativa a ideia do autor de criar uma historia de amor que acontece em uma viagem de trem pela Europa. Foi realmente inventivo e diferente das histórias de romance atuais.

A premissa do livro me deixou entusiasmadíssima para dar início a leitura, e logo que comecei a ler fui me encantando por Jack, mas não tanto por Heather. Não sei o que houve, só sei que não rolou empatia por seu personagem e isso por si só prejudicou e muito a minha leitura, pois impediu que eu aproveitasse tudo o máximo possível.

Heather é forte, inteligente, batalhadora e sabe o que quer para a sua vida. Isso é bonito e muito louvável, mas eu achei a personagem antipática e nada carismática. Ao contrário de Jack, que desde o início se mostrou um personagem interessante, engraçado e fofo. No entanto, isso não o impediu de pisar feio na bola com Heather. Eu senti um tantinho de raiva de seu comportamento, mas nada que me fizesse odiá-lo, ainda bem.

Os dois juntos formaram um lindo casal. A química entre eles funcionou maravilhosamente bem, e deu gosto de ler os diálogos entre eles. Ambos são muito inteligentes e de gênio forte, mas Jack é de longe o mais light dos dois. Heather é mais explosiva e gosta de estar certa a todo momento e isso, ao meu ver, me incomodou muitíssimo, pois transformou a personagem em alguém muito irritante e chata por várias vezes.

Os lugares pelos quais o autor os levou foi algo tremendamente delicioso de ler, pois me fez imaginar como seria estar em Paris, Alemanha, Budapeste e tantos outros lugares maravilhosos. Foi gostoso demais ir junto com eles para todos esses países. Tudo foi muito bem descrito nos mínimos detalhes e deu gosto de ler. Acredito que isso tenha sido o ponto alto da história.

Os personagens secundários foram maravilhosamente bem explorados pelo autor. Deu para perceber o quanto ele se dedicou a cada um deles, e com certeza eu tenho os meus preferidos que, no caso em questão é a Constance, uma das duas melhores amigas de Heather e Raef, amigo de Jack. Gostei muito dos dois e por um motivo mais que especial, mas que eu não falarei qual para não correr o risco de falar demais (risos).

Outro ponto a favor do livro foi a forte ligação entre Jack e o avô que foi lindamente contada pelo autor. A ligação entre avô e neto foi de fato muito bela e emocionante, mesmo que o avô de Jack não estivesse mais vivo. O autor soube dosar a emoção na medida certa e conseguiu passar todo o sentimento existente entre os dois. Achei super legal a ideia de fazer com que Jack acompanhasse o diário do avô, pois permitiu a história ser mais fluída, leve e prazerosa, mas não a ponto de me fazer amar tudo do início ao fim.

O final foi algo que deixou e muito a desejar na minha opinião. Penso que foi muito corrido e não passou a emoção esperada e desejada para o final de um livro de romance. Eu esperava infinitamente mais e me decepcionei muito com o fim. Sei lá, vai ver que eu criei muita expectativa em cima do livro por causa da capa, que eu achei incrível de tão linda e romântica, e também por conta da sinopse, que me apresentou um livro com uma história aparentemente perfeita. Mas o bom é que cada pessoa tem uma opinião completamente diferente sobre um mesmo livro após lê-lo, e eu torço para que quem já leu ou vá ler goste infinitamente mais do que eu.

Quem sabe daqui a um tempo eu o leia novamente e forme uma opinião mais favorável a respeito do livro não é? Acredito que isso possa vir a acontecer ou não. Mas de qualquer forma nenhuma leitura é perdida acredito eu, e por isso mesmo valeu muito a pena ter lido.

Espero que vocês venham a gostar e muito do livro e de todos os personagens também.


Categorias:

Nenhum comentário:

Postar um comentário