Resenha: Melhor que a Encomenda



Livro: Melhor que a Encomenda
Autor: Lauren Blakely
N° de Páginas: 319
Cortesia: Faro Editorial
Onde comprar: Amazon
QUAL SERIA O ÚLTIMO LUGAR PARA VOCÊ ENCONTRAR O AMOR?
Depois de várias desilusões, April desiste de buscar relacionamentos e passa a focar toda a energia no trabalho, até que surge uma daquelas reuniões familiares. Ela sente-se feliz solteira... mas encarar os interrogatórios de seus pais, da irmã e de todas suas tias casamenteiras durante um fim de semana prolongado é uma ideia desesperadora. Então, ela pensa numa solução prática: contratar um acompanhante. Parece uma tarefa simples: levar um namorado que deve servir tanto para impressionar a família quanto para afastar pretendentes indesejáveis. Theo é o candidato ideal. Lindo, simpático, atencioso e o principal: depois do fim de semana, ele recebe o pagamento e cada um segue sua vida. Esse era o plano... Só que dividir momentos engraçados e inventar histórias pode ter o efeito oposto...

Sem palavras para a enxurrada de sentimentos que Lauren Blakely me trouxe com este livro. Durante as 319 páginas, eu me vi imersa na história de April e Theo, e sedenta por mais desses dois, de suas histórias, expectativas, seus medos e receios, mas principalmente, de seus corações, que transbordaram amor por todos os lados. 

Narrada a partir dos dois pontos de vista, nós conhecemos April, uma artista bem sucedida, cujo trabalho é pintar rostos e corpos para revistas, comerciais, filmes, etc; porém, tem uma família extremamente superprotetora - e maravilhosa também! -, que a quer fora de New York, por achar que ela pode se machucar com os "homens da cidade". Então, quando se vê numa situação onde passará as férias de verão em Wistful, local onde nasceu e foi criada, April contrata um namorado falso para calar a boca de todos os parentes que querem que ela volte. E é aí que nosso deus grego, dono dos meus sonhos mais profundos, aparece.

Theo é simplesmente o personagem masculino que há muito tempo eu estava procurando nos livros. De uma beleza excepcional - por dentro e por fora -, seu passado é um mistério para todos, e quando descobrimos os motivos pelos quais ele faz o que faz, só queremos colocá-lo num potinho e abraçá-lo até não poder mais. Nosso personagem masculino é uma pessoa extremamente doce, inteligente e gentil, só que a vida fez com que todas essas qualidades fossem ofuscadas devido às dificuldades pelas quais passou, e gente, como é construído durante o livro toda essa temática acerca dessa crítica é simplesmente foda demais.

Mas não pensem que April fica atrás. Dona de um coração que não cabe no peito, seu maior defeito é ser boa demais pra quem precisa de um chega pra lá. Sua força de vontade me impressionou muito, principalmente por vir de uma família rica e aparentemente nunca ter passado por nada realmente difícil em termos financeiros; essa garra que tem por um trabalho digno e que ama foi sensacional de se ver. E sua doçura contrastando com seu humor irônico são tão aparentes que é impossível não se apaixonar por essa mulher tão incrível que a autora construiu. April, você tem meu coração!

"- Só falta uma parada para Wistful - eu digo, surpresa. - Isso significa que nós conversamos a viagem inteira.

- Sim, conversamos. Você é uma tagarela.

Eu finjo indignação.

- Você também - retruco. - Pelo visto a gente não pratica o tal do... - paro para desenhar aspas no ar - "silêncio solidário".

Ele me olha de um jeito engraçado.

- Isso existe mesmo? - indaga.

- Em alguns livros, existe. Eu estava lendo um romance outro dia, e nessa história o casal central se conhece num evento chique e transa logo de cara, depois disso começam a se conhecer. Por volta do capítulo dez, Jane e Dave estão sentados no interior do Range Rover dele, num "silêncio solidário", enquanto se deslocam para a próxima cidade, a fim de jantar.

Theo faz cara de desgosto.

- Nossa, isso parece mais desagradável do que guacamole quente - ele comenta.

- É, parece - digo, rindo.

E minha gente maravilhosa, os personagens secundários também não ficam atrás. Me diverti muito com a amiga de April, Claire, e toda a família da nossa linda personagem principal. Acho que o clima em Wistful, um local de paz e tranquilidade, com uma cidadezinha aconchegante banhada por um rio magnífico, também ajudou a compor o conjunto maravilhoso que foi conhecer um pouco mais dos pais e parentes de April. A ambientação criada para os jogos que são feitos pela família para as férias de verão, foi incrível; consegui imaginar cada detalhe na descrição dos personagens, e isso é um ponto super importante para a composição da obra como um todo.

Ademais, Theo e April além de serem maravilhosos separados, são uma explosão juntos. O livro tem muito humor, e passei mais da metade do tempo rindo das piadas de ambos, e das situações em que conversavam e se metiam; foi realmente uma leitura muito divertida.

Mas, acho que o que mais me fez favoritar foi o fato de que, apesar de parecer um livro clichê e até raso pela capa, é totalmente o oposto: a autora colocou uma profundidade incrível nos personagens, e no romance deles como um todo. Há brigas, sim, mas há um casal maduro também, que não mete os pés pelas mãos, e há muito diálogo; foi isso que me conquistou mais.

Theo e April não se apaixonam perdidamente um pelo outro do nada; há uma conversa incrível, deliciosa e profunda, sem ficar pesada ou chata. É um livro muito fluido, engraçado, mas também cheio de temáticas que precisamos ver mais em relacionamentos, tanto fictícios quanto reais.

"Subo as escadas. Paro e olho para o espelho no corredor. Estou coberto de desenhos de lábios. Ela pintou beijos por todo o meu rosto. Beijos de um vermelho intenso. Marcas de batom vermelho-cereja. Lábios de um vermelho sensual formando um O. Lábios vermelho-rubi bem abertos. Contemplando o trabalho de April, tudo o que eu vejo são os lábios dela cobrindo o meu rosto. Beijos molhados, beijos arrasadores, beijos suaves. Beijos de boca aberta. Beijos de língua. Beijos que sufocam, que roubam o ar. Beijos que começam devagar e se estendem por toda a noite.

Eu acho que você vai saber o que significa."

Enfim, eu poderia falar muito mais desse hino que Lauren Blakely construiu, mas acho que se continuar, vou acabar dando spoiler (risos). Então paremos por aqui.

E, como sempre, acabo esta resenha agradecendo à Sil e à Faro Editorial por terem me proporcionado uma leitura incrível como essa, que me rendeu boas risadas, e bons choros também. Então, se está procurando um romance divertido, com muita amizade e companheirismo, mas mesmo assim, arrebatador, Melhor Que A Encomenda é a pedida ideal!

"Quando April se vira e me vê através da porta aberta, o sorriso em seu rosto se amplia. Seu olhar e seu doce e despreocupado sorriso fazem o meu coração bater mais forte.

Ah, caramba...
Eu sei por que desejo que ela seja feliz.
Estou apaixonado por ela."


Categorias:

Nenhum comentário:

Postar um comentário