Resenha - Especial


Título: Especial
Autor: Ryan O'Connell
N° de páginas: 224
Editora: Grupo Editorial Record / Galera Record
Skoob
Onde comprar: Amazon
Se você cresceu acreditando que podia fazer qualquer coisa, se alguma vez tirou uma selfie, aplicou zilhões de filtros e esperou pelos likes e comentários que regariam a pequena semente de sua autoestima, se mergulhou de cabeça em todo clichê imaginável para jovens de vinte e poucos anos (leia-se: relacionamentos com todo tipo de calhorda, estágios inúteis, vinho barato, drogas, banda de gosto duvidoso), se sempre pôde contar com a rede de segurança chamada pais... então,  este livro é para você.  Se não viveu nada disso, acorde do coma e volte à terra. E leia a história de Ryan. Se não aprender nada sobre a geração que dominou o mundo, talvez aprenda um pouco sobre você mesmo. Afinal, com ou sem wi-fi, os jovens serão sempre jovens.

Minha gente, vocês precisam ler especial e conhecer Ryan O'Connell. E eu afirmo a vocês que quando acabarem de ler os motivos pelos quais esse livro merece ser lido todos terão se identificado em pelo menos uma coisinha ou outra com esse personagem real e super carismático.

"Olá! Eu sou... especial."

O livro conta a história de Ryan O'Connell e os traumas pelos quais passou quando tinha vinte e poucos anos. O livro aborda a insegurança que sente quanto a sua condição de ser gay, ter paralisia cerebral, viver rodeado pela proteção sufocante de sua mãe e sua luta para se autoafirmar e sair de sua zona de conforto.

" Olá! Eu tenho... paralisia cerebral."

Desde pequeno Ryan viveu cercado pelos cuidados extremos de uma mãe que sempre achou que ele precisaria dela para tudo. Seu pai ao contrário, sempre incentivou Ryan a tentar fazer as coisas por si mesmo. Mas, acostumado a depender dos outros para qualquer coisa que precisasse, ele nunca tentou fazer efetivamente algo por si mesmo. Até que um dia ele decide sair de casa e viver a vida do seu jeito. E viver a vida do seu jeito significa esconder sua deficiência, ter empregos bizarros, fazer uso de drogas e álcool e tentar encontrar o amor no Grindr um site de namoro para gays.

Desde a idade de onze anos Ryan sabia que era gay, mas não achou pertinente contar à sua família, pois sempre acreditou que todos já soubessem. Sendo sua família nem um pouco convencional não é  de se admirar que todos já soubessem de sua opção sexual há tempos.

"Olá! Eu sou... gay."


Vivendo sozinho pela primeira vez aos vinte e poucos anos Ryan percebe que não é nada fácil ser responsável por si mesmo e arrumar um emprego decente parece ser algo que está anos luz de distância.

Tentando a todo o custo ter o controle de sua própria vida e lidando da melhor maneira possível com as limitações de seu corpo, ainda mais depois de ter sido atropelado, Ryan percebe que as coisas que realmente importam é viver sua vida de forma completa, amar e ser amado e passar mais tempo com sua família e amigos. E após entender o que realmente importa Ryan passa a enxergar a vida através de novas perspectivas.

" O agora é bom. Eu gosto do agora. O agora gosta de mim. Não estou lutando contra isso. Sei que, eventualmente, vou encontrar o amor e embarcar na maior aventura da minha vida, que será uma relação monogâmica duradoura, mas, até que aconteça, ficarei bem."


[- Minhas Impressões -]

Pois é gente, viram só como esse livro precisa e merece ser lido? Ryan O'Connell conta sua própria história de maneira leve e sem mimimi. Ele envolve o leitor com sua escrita descompromissada, autêntica, divertida, irreverente e incrivelmente sarcástica tornando a leitura incrivelmente prazerosa e agradável.

Ryan conta suas desventuras e dificuldades de forma tão descontraída e engraçada que não existe a menor possibilidade de que sua história se torne algo angustiante, muito pelo contrário. E ainda assim pude sentir seus medos, anseios e receios de não conseguir vencer na vida sendo quem é e como é.

O livro passeou por várias fases da vida de Ryan nas quais ele vivenciou inúmeras situações da sua geração. Desde as mais difíceis até as mais comuns e engraçadas, porque  a todo momento ele aproxima o leitor cada vez mais de si mesmo, tornando a leitura quase que uma conversa íntima entre escritor e personagem real com o seu leitor.

Me senti em vários momentos como se ele estivesse falando comigo diretamente, como se eu fosse sua confidente e sua amiga. Isso pode parecer meio louco e até mesmo surreal, mas foi exatamente dessa forma que eu me senti e penso que isso seja algo maravilhoso, pois acredito que seja exatamente isso que o autor almeja alcançar através de sua história. Uma aproximação verdadeira com seus leitores ao contar tanto de si mesmo para milhares de desconhecidos. Isso com certeza se chama coragem e um total e pleno respeito consigo mesmo, com sua própria história e, principalmente, respeito com seus leitores.

Especial vale muito a pena ser lido e apreciado sem moderação, e eu espero que sua experiência com a leitura seja incrível e inesquecível assim como foi para mim.



Categorias:

Nenhum comentário:

Postar um comentário