Resenha: Vergonha


Título: Vergonha
Autora: Brittainy C. Cherry
Cortesia: Grupo Editorial Record
N° de páginas: 420
Skoob
Onde comprar: Amazon
Um amor inesperado que surge de forma inusitada e arrebata a vida de Grace Harris.
Grace Harris está perdida e sozinha em sua casa em Atlanta depois que o homem que ela pensou que ficaria a seu lado pelo resto da vida traiu sua confiança, partiu seu coração e saiu de casa, deixando seu casamento em suspenso.
Grace resolve, então, passar o verão com a família em Chester, sua cidade natal, para respirar, dar um tempo de tudo. Sua vida está uma bagunça e o que ela precisa no momento é de um pouco de gentileza e compaixão.
Por incrível que pareça, Grace encontra isso na pessoa mais improvável de todas: Jackson Emery, a ovelha negra da cidade. Conhecido como a erva daninha de Chester, ele é sinônimo de encrenca, e não faz nada para mudar essa imagem. Tendo perdido na infância o que havia de mais valioso na vida, Jackson se tornou um homem amargurado e não dá a mínima para o que pensam dele.
Os caminhos de Grace e Jackson acabam se cruzando de um jeito inusitado e a tristeza profunda que carregam atrai os dois como ímã. Ambos sabem que não foram feitos um para o outro, mas, como tudo vai acabar mesmo com o fim do verão, resolvem deixar rolar e se entregar a uma diversão passageira.



"Meu coração batia rápido enquanto eu estava ali apoiada na parede da sala, olhando, de longe, para a bagagem. Quinze anos de história em cinco malas. Quinze anos de felicidade e sofrimento roubados de mim."

Após ver seu casamento ir por água abaixo Grace decide curar seu coração ao lado da família e por isso decide retornar à cidade em que nasceu e viveu grande parte de sua vida. Só que seu retorno não é um dos melhores, pois em se tratando de uma cidade pequena todo mundo fica sabendo da vida de todos e é claro que seu nome e, principalmente, sua vida particular está na boca do povo. Tentando levar as coisas da melhor forma possível, Grace tenta não dar bola para os comentários e mexericos dos moradores locais, mas essa é uma tarefa muito difícil.

E como se não bastasse, sua mãe, Loretta Harris faz de tudo para jogá-la de volta aos braços de Finn, seu marido traidor. Mas, decidida a não ceder sob nenhuma hipótese, ela vai vivendo um dia após o outro tendo o apoio incondicional de sua irmã mais nova Judy e de seu marido Hank.

Depois de um primeiro contato nada amigável com Jackson, logo que retornou à Chester, Grace jamais cogitaria a ideia de ter algum tipo de aproximação com ele, mas, como a vida é sempre uma caixinha de surpresas eis que ninguém mais ninguém menos do que o próprio vem para ajuda-la em um momento bastante desesperador.

"Eu me agarrei à blusa dele, puxando-o para mais perto de mim, enquanto desmoronava diante dele. Eu queria ser corajosa. Queria acabar com aquele colapso, mas, por um breve segundo, enquanto Jackson me abraçava, pareceu que eu podia desmoronar. Quando meus soluços ficaram intensos demais, quando parecia que a ansiedade e o pânico iam me engolir por inteiro, ele me abraçou com mais força."

Após ser amparada por Jackson em um de seus piores momentos, Grace percebe que apesar de sua grosseria e agressividade, ele também carrega em seu coração uma dor tão grande ou maior que a sua.

Jackson Emery sente-se perdido e solitário desde o instante em que sua vida mudou para sempre, pois quando ainda era somente uma criança, acabou presenciando a separação de seus pais, uma grande perda que o fez sofrer muito, que o destruiu por dentro e desde então não consegue tratar bem qualquer outra pessoa que se aproxima, com exceção de seu tio Alex, irmão de sua mãe.

Trabalhando na oficina mecânica de seu pai e odiando a vida que leva, ainda mais por conviver diariamente com os maldosos e fofoqueiros moradores de Chester, o que menos importa para Jackson é a opinião que as pessoas têm a seu respeito. Já que desde criança ele e a família nunca foram aceitos pela pequena população da cidade, por isso, ele acaba que sentindo na pele o quanto era odiado pelas crianças de sua idade.

Por isso, vive amargurado, ferido, solitário e cheio de rancor dos cidadãos de Chester, principalmente dos Harris,  a família de maior prestígio da cidade.

Agora o que Jackson menos deseja no momento é ter alguma coisa a ver com Grace. No entanto, a tristeza de ambos os atrai como um ímã para os braços um do outro.

"-Você disse que as pessoas tratam você como você se trata. Então por que você se trata como um monstro?
As palavras dela me atingiram e quase hesitei.
- Porque é exatamente isso o que eu sou."

Mesmo sabendo que a relação deles nascida da necessidade de consolo e de uma profunda tristeza, está com os dias contados, porque nada os preparou para as surpreendentes descobertas que serão feitas e que poderá então destruí-los para sempre, ou não! Isso vocês terão que ler para saber.



[- Minhas Impressões -]

Ler Brittainy C. Cherry para mim está se tornando cada vez mais prazeroso, porque eu a considero uma das melhores escritoras da atualidade. É impressionante como ela aborda situações tão intensas de uma forma tão forte e visceral que não tem como eu não me emocionar e torcer desesperadamente pela felicidade de seus personagens.

Em ``Vergonha`` eu pude comprovar mais uma vez o seu enorme talento em criar personagens tão reais que bem poderia ser qualquer um de nós a passar por todo esse processo de dor e luta para tentar se lembrar das batidas do próprio coração. Sua escrita é tão sensível e poderosa, mas ao mesmo tempo tão ágil que eu li o livro avidamente e com tamanho fervor que em alguns momentos me senti desconectada do mundo exterior. Era somente o livro e eu.

Então quando eu soube do drama pessoal enfrentado por Grace e Jackson, eu me senti tão triste e solidária por eles, mas a dor da Grace me tocou profundamente. Não que a dor do Jackson seja menor ou menos importante que a dor dela. Não é isso, é só que eu me senti imediatamente impactada por sua história que eu não sei como reagiria se por acaso viesse a passar pelo o que ela passou.

Jackson tem razão de ser como é, porque sua vida desde criança nunca foi fácil e piora ainda mais depois que ele passa por uma grande perda que acaba sendo responsável por transformá-lo. E como se fosse pouco tudo o que Jackson sofreu, os moradores de Chester decidem fazê-lo sofrer ainda mais tratando-o da pior maneira possível. Sendo assim não há outra maneira de ele ser diferente do que é: duro, solitário, grosso, agressivo e distante. Mas é justamente nele que Grace encontra a ajuda de que precisa para enfrentar seus demônios e encontrar a si mesma novamente.

Em busca por cura e libertação, tanto Grace quanto Jackson descobrem segredos familiares há muito escondidos e que os faz perceber que para terem a chance de serem felizes novamente um com o outro, eles terão que perdoar sem julgar.

Eu achei a história de todos os personagens envolvidos neste grande segredo tão triste, mais tão triste que senti muita pena de todos eles, pois percebi e senti todo o sofrimento pelo qual eles passaram.

Deu dó de ler tanta angústia e desespero enfrentado pelos personagens, mas ao mesmo tempo um personagem específico foi como um balsamo em meio a tanta dor. E esse personagem foi o da Judy, irmã da Grace. Eu gostei tanto dela, mais tanto, que desejei ter uma irmã assim. Já Loretta, a mãe de Grace e Judy, foi um grande empecilho para o relacionamento da filha com Jackson, mas quando eu soube de toda a sua história e o que ela teve que enfrentar, mesmo sem concordar com suas atitudes, pude compreendê-la melhor e chegar a conclusão de que ela foi muito infeliz em toda a sua vida, e que por isso era tão dura com Grace.

O final do livro foi um dos melhores que li até hoje e também o responsável por me arrancar muitas lágrimas. Sem contar que aconteceram tantos diálogos incríveis e revelações para lá de bombásticas que só fizeram com que eu gostasse mais e mais do livro. Por isso se vocês gostam de livros com histórias fortes que abordem dor, sofrimento, amor e superação não podem deixar de ler essa obra maravilhosa.

Quanto a diagramação do livro, preciso confessar que o Grupo Editorial Record caprichou na edição. As páginas são amareladas e a fonte é de um bom tamanho para leitura. Um livro que com certeza todos deveriam ter na estante, junto com os outros publicados da autora.  


Categorias:

3 comentários:

  1. Ah, sua resenha me deixou ainda mais ansiosa para fazer essa leitura.
    Brittainy é uma das minhas escritoras favoritas; ela cria personagens e dramas incríveis.
    Me deixou curiosa em relação ao final.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Sem sombra de dúvidas, a autora tem se consagrado a cada dia e nos mostrado que tudo que já era muito bom, pode sim, ficar melhor ainda!!!
    Ainda não pude ler este lançamento, mas desde quando vi a capa pela primeira vez, já foi paixão a primeira olhada!
    Incrível o jeito que a autora tem de trazer personagens reais, beirando a nós mesmos e enquanto lia a resenha, fiquei imaginando isso tudo em uma adaptação no cinema!
    Acho que seria um enredo e tanto!!!
    Com certeza, o livro vai para a lista de desejados e quero ler o quanto antes.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Olá! Quase impossível não se apaixonar pelas histórias da Brittainny C. Cherry, só de ler a resenha já fiquei aqui emocionada, acho muito bacana que a Brittainny aborde temas sempre tão importantes, de maneira tão real, que nós faz pensar que talvez, essa história poderia ser a de um conhecido nosso. Mas algumas outras resenhas que eu acompanhei me fizeram questionar um pouco a história e só vou poder ter uma opinião concreta quando ler.

    ResponderExcluir