10 julho 2017

Resenha: Intrigas da Corte



Título: Intrigas da Corte
Autor: Elizabeth Fremantle
Cortesia: Cia das Letras / Paralela
Skoob 
Páginas: 350
Onde comprar: Amazon / Saraiva


Com medo de traidores e atendendo às pressões externas, a rainha Mary ordena a execução de seu tio e sua prima, a Lady Jane Grey. Esse sobrenome então se torna uma sina que afetará as duas irmãs mais novas de Jane, Katherine e Mary. Embora permaneçam na corte Tudor, elas sabem que o sangue real de suas veias sempre será uma ameaça às suas vidas. Afinal, há quem acredite que as irmãs de sangue Tudor sejam as herdeiras legítimas, não reconhecendo as duas filhas de Henrique VIII como sucessoras ao trono. Mas as Grey não têm a ambição de querer dominar a corte. O objetivo de Katherine é encontrar o amor verdadeiro — mesmo sabendo que muitos estão apenas interessados em um possível herdeiro Tudor. Já a perspicácia de Mary passa despercebida, pois sua baixa estatura e a má-formação nas costas atribuem-lhe uma aparência de inferioridade. Quando Elizabeth I assume o trono, as irmãs Grey percebem que a vida na corte será ainda mais traiçoeira — e que talvez precisem se arriscar por amor.









Intrigas da Corte é o romance que dá sequência aos trágicos acontecimentos do reinado dos Tudors, apresentado no livro Xeque-Mate da Rainha. Por isso, talvez essa resenha apresente spoilers para quem não leu o antecessor. Você encontra a resenha do primeiro volume AQUI.

"É pecado odiar a rainha como eu odeio - pecado e traição. Mas a fonte do ódio não seca dentro de mim. Não deixe que ninguém saiba o que você sente."

Estamos de volta à Inglaterra, após a morte do Rei Henrique VIII. Após o curto período de reinado de seu único filho homem, Jane Grey, assume a corte por tempo menor ainda. Isso faz com que as filhas consideradas ilegítimas pelo rei falecido, Mary e Elizabeth, entrem em ação. Em pouco tempo, Mary toma posse do poder e começa seu reinado em grande e clássico estilo: cortando cabeças. Além de ser muito religiosa, também decide que eliminar os traidores seria a melhor solução, executando sua prima e seu tio.

"Cara irmã, este é o livro da lei do Senhor. é o testamento e a última vontade que Ele legou a nós, miseráveis, e que há de guiá-la no caminho da alegria eterna. Se tiver inclinação para lê-lo, há de conduzi-la a uma vida imortal e perene. Há de ensiná-la a viver e a morrer."

Jane se vai, deixando duas irmãs: Katherine e Mary Grey. Ambas amavam a falecida, entretanto, têm conhecimento do perigo que correm caso decidam falar sobre ela. Além disso, como as duas são parentes próximas das herdeiras do rei, existe uma questão conspiratória de que elas seriam as herdeiras legítimas, e não as irmãs Mary e Elizabeth, o que causa furor ainda maior. De certa forma, esse fato divide ainda mais a realeza, os súditos e puxa-sacos.

"Mas minha irmã não está pensando no trono nem no perigo que nos ronda em silêncio. A ideia de estar apaixonada domina todo o seu ser, não deixando espaço para mais nada. Acho que todos nós temos um jeito próprio de esquecer, de evitar a verdade."

Não vou me ater muito ao enredo, visto que seria estraga prazeres. O que posso afirmar é que encontramos um enredo diferenciado e muito envolvente sobre o reinado paranoico de Mary e, após sua caída, de Elizabeth. Trata-se de uma bela aula de história, contada por personagens não muito explorados por outros livros baseados na dinastia Tudor, o que faz toda a diferença para o leitor.

"A senhorita não está sonhando de novo com ele, está? Harry Herbert nem é mais seu marido... nunca chegou a ser, na verdade."

Assim como o primeiro livro, este possui três narrativas: o ponto de vista de Katherine, a irmã egoísta, apaixonada e emotiva; o de Mary, a mais nova, inteligente e motivo de gozação devido a uma deformidade; e o de Levina, uma artesã. Gosto muito que a autora traga narrativas diferentes das que estamos acostumadas quando nos são apresentados livros com conteúdo histórico, já que o ponto de vista dos coadjuvantes - na história real - acrescenta muito ao que já sabemos que aconteceu na realidade. As três personagens principais têm personalidade própria e um envolvimento distinto com o enredo. Além disso, as coisas acabam não saindo como esperamos, o que aumenta ainda mais a tensão na trama.

Elizabeth Fremantle nos mostra mais uma vez que possui o dom de escrever um romance repleto de facetas históricas que foram desconsideradas por outros autores. Alguns leitores podem considerar a leitura um pouco arrastada e densa, visto que as protagonistas não são tão envolventes quanto o livro anterior. Eu, que geralmente devoro livros, demorei um pouco mais que o normal para finalizar a leitura. Entretanto, a experiência vale muito à pena e te deixa ansiosa pelo terceiro volume. Sinta-se como se estivesse em uma aula de história regada a romance.

A apresentação do livro segue os mesmos parâmetros do anterior: páginas amareladas, fonte de tamanho confortável, diagramação simples e poucos erros de revisão. A capa é pertinente à época e ao enredo, assim como o título tem tudo a ver com a temática proposta.

Elizabeth me passa o pequeno retrato. "A senhorita acha que ela é bonita?"
Sei o que a rainha quer ouvir; devo dizer "Não tanto quanto a senhora", mas o que acabo falando: "Acho, sim. Ela é bonita."
A rainha aperta os olhos e sua boca se contrai. Eu me preparo para uma explosão de cólera, mas Elizabeth me surpreende dizendo: "a franqueza é uma qualidade que eu admiro muitíssimo. É verdade, ela é bonita."

Em suma, é uma história trágica, de personagens que viveram sendo punidas por carregarem sangue real. Para os amantes de romance histórico, é um prato cheio. Drama, romance e medo embrenhados em páginas com um conteúdo extremamente rico e informativo.

Indico para quem aprecia histórias de época fora dos padrões, baseados em fatos Reais.



PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!




15 comentários:

  1. Eu sou louca por um bom romance histórico ou algo que brinque com histórias reais. Por isso me deu vontade de ler esses livros. Ainda mais por falarem dessas tramas de reis e tudo mais. Adorei ver que esse tem um foco interessante no reinado da tal Mary. Me lembrou daquela série The Tudors...
    Acho que iria gostar muito de ler.
    Mesmo que seja um pouco arrastado ou coisa assim deve valer a pena por retratar momentos históricos e umas coisas que não sabia. Essa visão de coadjuvantes fica interessante, acrescenta mais mesmo. Parece dar um tensão boa também, então deve ser bom de ler.
    Ele deixa com curiosidade de procurar saber mais sobre esses personagens históricos e fica tão interessante ler uma trama assim. Acho que iria curtir.

    ResponderExcluir
  2. Oii Heloisa!
    Tive que voltar em algumas partes porque me deu um nó na cabeça hahaha Tem duas Mary na história? A rainha e a menina que tem a deformidade, certo? Meu Deus que doideira! Achei o título bem adequado à história, além de dar uma curiosidade e através dele já da pra perceber que não é um livro tão comum de época. Podemos perceber que para manter o poder é feito de tudo, inclusive matar duas pessoas da família. Pelo visto tanto no reinado de Mary quanto de sua irmã Elizabeth, as coisas vão de mal a pior. A premissa nos leva a querer descobrir mais sobre as rivalidades, assim como a descobrir a verdadeira paternidade seja de Mary e Elizabeth, como de Mary Grey e Katherine. Espero realmente que Mary Grey ou Katherine assumam o poder! O plano de fundo histórico parece ser muito bem explorado, abordado por 3 pontos de vistas diferentes e com personagens muito bem construídos. Um livro e tanto!
    Ótimas leituras pra você!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  3. Hey *-*
    Ainda não comhecia a autora e nem seus livros ... mas parece ser bem legal !
    Adoro romances com história !!
    Apesar de eu ter gostado da capa está parecida com Cartas para Falsa Dama, né?!

    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mich, sim, a capa é quase idêntica à do Cartas para Falsa Dama. Porém, se não me engano, Intrigas da Corte foi lançado antes. Também notei isso na hora!
      abraços

      Excluir
  4. Curto bastante quando personagens são mostrados com seus pontos de vista separados e quando os mesmos mostram características e formas de pensar bem diferentes.
    Sinto que essas irmãs e a artesã foram muito bem construídas e fiquei bastante curiosa para conhecer o desfecho de suas histórias.
    E por se tratar de um livro histórico, fiquei ainda mais interessada!
    Espero me deleitar com essa obra muito em breve.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Não costumo ler esse gênero, mas esse parece ser bem interessante.
    Gostei de saber que ele foca bastante na relação entre as irmãs e amei o titulo hahaha
    Mas não curto muito essas capas, porque todos os livros desse gênero sempre tem um vestidão na capa hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Heloísa!
    O que gosto os romances históricos é justamente todas as intrigas e artimanhas que rondam os bastidores do reinado e o quanto as pessoas são capazes de fazer atrocidades para se manterem no poder.
    Imagino as desventuras passadas pelas irmãs GRey nas mãos dos que se acham os verdadeiros governantes, espero que tenham um final melhor...
    Uma maravilhosa semana!
    “Todo homem, por natureza, quer saber.” (Aristóteles)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Heloísa, tudo bem?
    Fiquei extremamente curiosa para conhecer estes livros, ainda mais por saber que são baseados em fatos reais. Quanta confusão, realmente o título faz jus ao enredo. Gostei que a história foge dos padrões dos romances de época que estamos acostumadas. Já estão adicionados a minha lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Mesmo que a trama seja um pouco complexa e arrastada por causa do conteúdo expressado nesta estória, e baseada em fatos reais, que marcaram a história, por isso acredito eu que este livro tenha um diferencial que nos cativa a leitura. Além dos dramas que encontramos dentro da família real, como as tramas, a traição, e intrigas, além do drama e romance, por este fator fiquei super entusiasmada por este livro, acredito que irei gostar muito desta leitura.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ainda não conheço a autora e não li o primeiro livro, mas não me importei de encontrar spoilers do início da estória. Era necessário para conseguir me situar aqui.
    Achei interessante o livro ser baseado em fatos reais, algo que o diferencia dos demais. Não costumo muito ler romances de época, mas esse me pareceu muito verdadeiro. Muito legal nos divertir com uma obra de ficção e ao mesmo tempo sermos brindados com pontos históricos! O drama fica mais interessante por percebermos que os fatos aconteceram com pessoas de verdade.
    O que gostei também foi o fato de o livro contar com três pontos de vista diferentes, eu acredito que esse recurso nos faz compreender melhor as personagens em questão.
    Vou procurar pelo primeiro livro! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  10. Oi.
    Gosto muito de romances de época, mas acho que nunca li nada nessa linha de enredo.
    Mas fiquei bem curiosa, pois se é baseado em fatos reais, já se torna uma leitura bem rica e informativa.
    Sua resenha está ótima e me motivou a conhecer mais da obra.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Heloisa,
    Quero muito ler Xeque-Mate da Rainha e Intrigas da Corte, adoro romance histórico e como não sei praticamente nada sobre a dinastia Tudor esses livros serão uma aula de história riquíssima.
    Adorei a trama desse segundo livro, tem um enredo bem elaborado, com muitas intrigas, traições, ganância e crueldade pela disputa do trono. É o tipo de leitura que conquista e prende o leitor até a última página, fiquei ao mesmo tempo angustiada e ansiosa para acompanhar a trajetória das duas irmãs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Que reinando em, acho que essa rainha deveria pelo menos pensar antes de Marta a própria família, isso seria o reinado subindo a cabeça. A trama é ótima, tem uma premissa muito boa, porém só não gostei muito dessa parte mas do resto com certeza, deverá uma lição de história daquela época.

    ResponderExcluir
  13. Olá Heloisa ;)
    Adoro livros e séries relacionadas aos Tudors, mas não conhecia essa série ainda, amei descobrir esse livro aqui!
    Que legal saber que a obra tem esse enredo diferenciado, só isso já me deixou super animada para ler. E adorei saber que o livro mostra partes da história que meio que foram ignoradas por outros autores.
    E acho que vou adorar a narração com essa divisão de pontos de vista, o livro deve ser bem dinâmico sendo lido assim.
    Já coloquei o primeiro livro na lista de leitura, vou ver se leio o mais rápido possível!
    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi, gosto bastante quando é baseado em fatos reais. Principalmente se eu puder pesquisar por fora, e comparar na história. Achei meio confuso, deve ser porque é o segundo livro, mas vou procurar saber mais, porque me interessei.

    ResponderExcluir