25 julho 2017

Resenha - Geada e Noite


Título: Geada e Noite (Neve e Cinzas #3)
Autora: Sara Raasch
Cortesia: Editora HarperCollins Brasil
Páginas: 368
Onde Comprar: Amazon / Saraiva

Angra está vivo, sua Ruína está se espalhando - e ninguém está a salvo. Meira fará de tudo para salvar seu mundo. Com Angra tentando derrubar suas defesas, ela precisa aprender a controlar sua própria magia desesperadamente - então quando o líder de uma misteriosa Ordem de Paisly se oferece para ensiná-la, Meira agarra a oportunidade. Mas o necessário para impedir a Ruína está escondido em um labirinto subterrâneo, abaixo dos Reinos Estações. Para derrotar Angra, Meira terá que adentrar o labirinto, destruir a própria magia que ela está aprendendo a controlar - e fazer o maior sacrifício de todos. Mather fará de tudo para salvar sua rainha. Ele precisa unir os Filhos do Degelo, achar Meira - e finalmente confessar como realmente se sente. Mas com um plano de ataque que não poupa nenhum reino e uma surpreendente traição em seus ranques, ganhar a guerra - e proteger Meira - está cada vez mais fora de alcance. Ceridwen fará de tudo para salvar seu povo. Angra ordenou a morte de seu irmão, roubou seu reino e a fez prisioneira. Mas quando ela é solta por um aliado inesperado que revela uma verdade chocante sobre o mercado de escravos de Verão, Ceridwen deve agir para salvar seu verdadeiro amor e seu reino, mesmo que isso custe o pouco que ela ainda tem. Enquanto Angra espalha a Ruína pelo mundo, Meira, Mather e Ceridwen deverão unir os reinos de Primoria... ou perder tudo.










Essa resenha contém spoilers. 

Depois de presenciar a grande reviravolta em Ventralli, de que Angra está vivo e corrompeu a rainha Raelyn com a temida Ruína, Meira encontra apoio em Rares, o homem que a guiou na biblioteca anteriormente. Ele a ajuda a fugir para seu reino, já que Angra está tomando posse dos outros reinos de Primoria e em Paisly as barreiras são mais fortes, impedindo-o de invadir. Rares revela a ela que na verdade é um líder da Ordem dos Ilustres e que estava esperando pela sua chegada. Ao questioná-lo, Meira percebe que ambos compartilham o mesmo pensamento e objetivo sobre a magia: de que ela faz mais mal do que bem para o povo, logo, o abismo de magia deve ser exterminado para sempre. E é assim que ela passa os próximos dias: treinando com Rares para obter o domínio completo de sua magia e bloquear seus pensamentos para que ninguém, especificamente Angra, tenha acesso a eles.

Porém, essa missão envolve um peso muito maior. Para destruir a magia, e, consequentemente, a Ruína, é preciso que um condutor seja sacrificado. Como a sua própria mãe a tornou um condutor, Meira precisa se jogar ao abismo. E ela, obviamente, tem um pouco de dificuldade de lidar com esse fato e não sabe como Mather irá reagir a isso. Paralelamente a isso, Mather acaba permanecendo em Ventralli, ajudando os Filhos do Degelo, Jesse e sua família a fugirem dos soldados de Raelyn. Sua maior prioridade, é claro, ir até onde Meira está, mas antes que isso possa acontecer, Theron e Angra surgem para capturá-lo e torturá-lo para descobrir a localização da Rainha de Inverno.

“Estive treinando até agora sob um cobertor de ódio, metade da mente sempre concentrada em me preocupar com meus amigos e com o restante de Primoria. Mas quando olho para a porta no quarto de Mather, sinto mais clareza do que senti desde que cheguei aqui. Angra queria me partir. Mas ele só me tornou inquebrável.”

Ceridwen, junto com seu amigo Lekan, estão presos em uma carruagem e ela não consegue se livrar de um terrível sentimento, uma culpa que a corrói por dentro. Afinal, antes de seu irmão Simon ser assassinado repentinamente, ela estava indo até ele justamente com o propósito de matá-lo, e, ainda assim, ele tentou protegê-la de Raelyn. Mesmo administrando o seu reino daquela forma descuidada e obscena e comprando escravos o tempo todo, a verdade é que o rei de Verão amava Ceridwen, e ela não sabe se sente alívio ou remorso pela sua morte. Giselle, a rainha de Yakim, compra a carruagem para salvá-los e revela algo terrível a Ceridwen: os escravos que vendera a seu irmão, na verdade, são seus soldados e pretendia tomar posse de Verão antes de Angra surgir com o propósito de possuir cada um dos reinos. E enquanto isso acontece, Meira, Mather e Ceridwen precisam juntar forças, encontrar aliados e colocar em prática a missão que irá salvar o mundo. A mesma missão que irá matar Meira.


No primeiro semestre desse ano, eu devorei os dois primeiros livros da trilogia rapidinho e, desde então, ansiava pela publicação do volume final. Quando esse livro lindo chegou em minhas mãos, minha alegria era tanta que tive que fazer um esforço para me controlar e não dedicar as 24 horas de meu dia apenas viajando pelo continente de Primoria. Desde o primeiro volume eu permaneço encantada com esse universo fantástico e criativo que a autora criou; os diferentes condutores, os reinos Estação e reinos Ritmo, o poder forte e manipulativo da Ruína e seus personagens carismáticos e corajosos. Esse livro me deixou com um certo aperto no coração, já que a protagonista Meira precisa fazer a coisa mais difícil para proteger o povo: se sacrificar.

É visível que Meira está mais abalada; afinal, como permanecer com a consciência tranquila com a perspectiva de sua própria morte? Qualquer sinal de felicidade que aparece logo se torna motivo de tristeza, por saber que ela realizará essa missão para que os outros consigam sobreviver. Nós, leitores, acabamos levando esse sentimento conosco também. Afinal, o que será das pessoas que a amam? Como Mather vai lidar com a ausência de Meira sozinho? Como Theron poderá voltar a ser ele mesmo? E o Sir, que a criou por toda a sua vida e representa o papel mais próximo de família que a Rainha Inverniana nunca teve? Enfim, pode ser um drama clichê os autores colocarem o peso da morte aos seus protagonistas, mas acredito que nesse livro a tática funcionou, já que Meira sempre pensou no bem de todos, não somente se limitando ao seu reino.


Comparado aos outros dois livros, Geada e Noite é um pouco mais parado. O livro tem muito mais conteúdo da estratégia do que a guerra em si. A obra atribui destaque ao luto que Meira sente de si mesma, ao planejamento para realizar a missão de pegar as chaves e ir até ao labirinto, à perspectiva de um futuro sem a magia. Porém, ainda assim, há várias reviravoltas e momentos de tensão, nos quais você não sabe o que virá pela frente ou até mesmo quem será o próximo a morrer, pois a autora realmente não tem dó nenhuma de matar seus personagens. Em um momento, as coisas parecem boas e essa atmosfera doce que aparece em determinadas cenas dá a impressão de que é possível diminuir a preocupação em relação a guerra, até que passa apenas um instante e o caos completo se manifesta. Achei isso bem legal, pois esses momentos de apreensão fizeram com que eu ficasse ainda mais vidrada no livro.

“Estarei morta ao final dessa guerra, mas por enquanto, estou viva. E Mather também. E estamos aqui, em algum lugar seguro, pela primeira vez, e se vou me aventurar para dentro das montanhas Klaryn e voluntariamente me sacrificar por este mundo, farei isso sem arrependimentos. Saberei o que é amar, e amar completamente, sem relutância, remorso ou pensar demais. Exatamente como fiz com minha magia de condutor – vou cultivar tudo que a vida tem a oferecer.”

Ceridwen se mostrou uma personagem ainda mais interessante, já que a autora concedeu vários capítulos sob a sua perspectiva. Não tem como não gostar dela; a veraniana é incrível, forte e determinada, gosta de ter mérito pelas suas conquistas e de batalhar pelos seus objetivos. Além disso, é uma excelente amiga para a Meira, demonstrando estar disposta a entrar de cabeça na missão de exterminar o abismo de magia e ir para a guerra, mesmo com todos os riscos e ainda estando abalada com a morte recente de seu irmão. Vou ser sincera: eu me apeguei tanto à essa trilogia que, ao longo da leitura, foi difícil ver personagens bons e carismáticos sendo contaminados pela magia obscura que é a Ruína. Especialmente Theron, um personagem que eu havia passado a gostar muito nos livros anteriores. Fiquei chateada por ele ter deixado essa magia entrar em sua mente tão facilmente, sem nem mesmo tentar revidar. Esperava que ele fosse lutar ao lado de Meira, e não a tratar como adversária.

A diagramação está maravilhosa. Como podem ver, a parte visual do livro é muito bonita, assim como o seu interior: a fonte está de ótimo tamanho para leitura, o espaçamento entre linhas está bem adequado e não encontrei erros de ortografia. A editora está de parabéns pelo cuidado proporcionado ao livro! Na parte da narrativa, o ponto de vista de Meira está em primeira pessoa e os de Mather e Ceridwen em terceira. No início pode parecer um pouco difícil de se acostumar, mas é apenas impressão, pois não demorou muito para eu devorar Geada e Noite. Enfim, apesar de pequenas falhas e do fim previsível, o livro é satisfatório. Recomendo muito a trilogia, especialmente para o público juvenil e para quem aprecia o gênero fantasia.


PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!



14 comentários:

  1. Oi, tudo bem ?

    Gostei bastante do post, pois não conhecia o livro e logo de cara a capa que me chamou a atenção, mas conforme fui lendo o post a proposta do livro parece bem interessante, fazendo o livro uma ótima dica de leitura !

    ResponderExcluir
  2. Oi Amanda, tudo bem?
    Já tinha lido uma resenha do primeiro livro, e o que me chamou atenção na estória foi exatamente essa divisão por estações, eu achei incrível esta ideia. Apesar de ainda não ter lido os outros livros eu encarei a resenha com os spoilers, e quanta coisa acontece neste livro ein?! O que era de se esperar por se tratar do fechamento da trilogia hahaha Graças a Deus que eu tenho a memória fraca e não vou me lembrar de nada do que li quando eu for ler a trilogia :D
    Uma pena o final ter sido previsível, mas acho que não tira a magia da estória. Adoro esta capa, azul é minha cor preferida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Pulei algumas partezinhas pra não pegar spoiler, pois estou super animada pra ler a série e espero que consiga ler logo rs
    Fiquei bem curiosa pra saber se a Meira e os demais vão conseguir salvar o reino e como será o desfecho de todos.
    Gosto dessa questão da magia estar interligada e a aventura parece estar bem completinha.
    Cada vez mais fico interessada e espero adquirir os livros em breve.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Oi, eu não conhecia essa série e fui ler a resenha do primeiro pra conhecer.
    Eu amo fantasia, fiquei morrendo de vontade de ler. E essas capas com as estações são lindas. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  5. Olá !!
    Não conhecia a série e nem a autora então confesso que pulei algumas partes da sua resenha hahaha para não pegar spoiler.
    Adoro series envolvendo um mundo mágico !!
    Gostei !
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Olá Amanda,
    Estou há tempos para iniciar esta série, com o primeiro livro em mãos. A estória iniciada em "Neve e Cinzas" me chamou a atenção pela originalidade em termos de fantasia.
    Que pena a trilogia ter terminado de forma previsível, não há nada como uma grande reviravolta para encher nossos olhos (pelo jeito isto aconteceu no segundo livro). Outra pena foi saber que este terceiro volume é mais parado do que os outros, tem mais conteúdo do planejamento da guerra.
    Gostei principalmente do fato de que a trilogia vale a pena para pessoas como eu que gostam de fantasia. Vou me aventurar no primeiro livro!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Já faz um tempo que tenho vontade de ler esses livros, parecem ser muito bons e criativos <3
    Adoro os títulos e acho que combina super bem com a história (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Pelo que vi parece que lembra um pouco o que senti quando li o final de Jogos Vorazes, um clima sem muita guerra e mais planejamento...comparação estranha? Mas me lembrou. E pelo jeito a autora não poupa a gente porque vai matando personagens aí sem dó. Ai ai.. .
    A escolha da protagonista não é fácil e deve dar um negócio na gente ver ela pensando em todas as pessoas que ama e se importa e como essa decisão vai afeta-las. Tem uns sentimentos fortes aí.
    Achei meio louco esse negócio da narrativa que muda, um tanto diferente.. .Mas deve ser legal na história.
    São livros que gostaria de ler e parece valer a pena esse final. Mesmo que tenhas umas falhas a história é bem interessante.

    ResponderExcluir
  9. Amanda!
    Gostoso quando estamos a espera da continuação de uma série e ela chega e não decepciona.
    Mesmo que tenha sido um livro com menos ação que os anteriores e tenha trazido mais estratégias, só o fato da Meira ter de se sacrificar para salvar os que convivem com ela, é um tremendo drama que deve nos afetar imensamente durante a leitura.
    “Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Já tinha conhecimento dessa série, mas nunca cheguei a ler uma resenha se quer. A trama realmente é boa, tem uma premissa maravilhosa e uma fantasia incrível. É incrível como nós ficamos feliz ao ver que nossa série tem continuação né, estarei procurando esse livro para ler e conhece mas a trama dele.

    ResponderExcluir
  11. Oi Amanda ;)
    Esse é uma das distopias que estava na minha lista de leitura e que eu mais estava ansiosa para ler, mas pela falta de tempo ainda não consegui sentar e pegar o primeiro livro para ler!
    Já ouvi falar tão bem dos livros que a cada resenha fico mais ansiosa para descobrir o que me espera.
    Esse mundo que a autora criou parece fantástico e inovador, e os personagens parecem incríveis também. Não quis ler toda a resenha para não pegar spoilers (Deus me livre! kkkk), mas o que li já me aguçou a curiosidade!
    Enfim, obrigada por me animar mais ainda para começar a leitura ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Gosto desse gênero e sempre tive curiosidade sobre essa trilogia.
    Espero ter uma oportunidade de conferir essa leitura, pois a premissa é bem interessante. E que bom saber que terminou de uma forma satisfatória.
    Perfeita resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Amanda,
    Faz tempo que quero ler o primeiro livro dessa trilogia, lembro que pirei quando vi o lançamento, mas acabei dando prioridades para outros livros e acabei me esquecendo dele. Então leio essa resenha e lembro o quão ansiosa estava para conhecer esse universo riquíssimo e criativo criado pela autora. Adoro livros de fantasia, magia, com uma boa aventura e com personagens guerreiros. A Meira pelo jeito é uma personagem e tanto, amo essas protagonistas fortes e determinadas, nada de donzela em perigo, e estou completamente intrigada para saber qual vai ser o desfecho da vida dessa garota.
    Achei o livro um pouco confuso, pois não conheço muito bem o que se passa nos dois primeiros volumes, só lendo mesmo para entender todas essas informações.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Tem muito tempo que quero ler esta série, mas ainda não tive oportunidade, uma pena que dos três livros este seja o mais lento, porém mesmo assim nos deparamos com momentos tensos, cheios de revira volta. Vejo que os personagens lhe cativaram e muito durante a leitura, ao ponto de faz com que você se apegasse a sua estória, e quando foi para a magia do mal ficou chateada. Estou ansiosa por ter esta obra em mãos, e com altas expectativas.

    ResponderExcluir