04 julho 2017

Resenha - Duff


Título: Duff
Autora: Kody Keplinger
Editora: Globo Alt
Skoob / Goodreads
Páginas: 328
Onde comprar: Amazon / Saraiva / Submarino

Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend, a menos atraente do seu grupo de amigas. Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.









Bianca não se destaca muito na escola pela sua beleza, mas é inteligente e possui duas amigas incríveis: Casey, que gosta de ajudar todo mundo e sempre sabe se há algo errado com ela, e Jessica, que está sempre animada e não deixa que a negatividade entre na conversa. Em uma certa noite, Bianca leva as duas para dançar em um clube noturno e enquanto espera a noite acabar o mais depressa possível, um garoto aparece ao seu lado puxando papo. Mas dessa vez, não é um cara qualquer suado e bêbado: é o deus grego Wesley Rush, o mais rico, bonito e pegador do colégio. Bianca, conhecendo sua fama, tenta afastá-lo, mas quando Wesley diz que está tentando ser seu amigo apenas para terminar a noite ficando com alguma de suas amigas, e ainda chama Bianca de Duff (designated ugly fat friend), que tem como definição “a pessoa mais feia e gorda de um grupo de amigos”, sua fúria é despertada e ela acaba jogando a bebida em sua camisa.

“A sensação entorpecedora que tivera ao beijá-lo era tão eufórica – era uma onda tão grande – que não consegui abandoná-la tão rápido. Podia detestar Wesley Rush, porém ele tinha a chave para minha fuga, e naquela hora eu o queria... eu precisava dele.”

Bianca considera Wesley uma pessoa desprezível e o abomina completamente, mas o que ele disse naquela noite acaba perseguindo-a pelas próximas semanas. De repente, ela começa a se ver diferente de suas amigas e percebe que não se encaixa no padrão de beleza da mesma forma que Casey e Jessica. Bianca chega à conclusão de que Wesley está certo e passa a se identificar como uma Duff, afinal, ela não é loira, magrinha, alta e não tem peitos grandes. O fato de Wesley perturbá-la na escola chamando-a por esse apelido apenas ajuda a intensificar essa nova realidade. Porém, o que todos não sabem, é que Bianca está passando por uma situação muito difícil em casa. Sua mãe não aparece há mais de dois meses devido à turnê que está fazendo pela Califórnia para fazer palestras e seu pai demostra estar cada vez mais à beira de um colapso. Bianca não importa o que os outros falam dela, mas o que acontece na vida de seus pais, para ela, não diz respeito a ninguém. Nem mesmo as suas amigas.

Para tentar fugir do estresse que o drama familiar ocupa sua mente, num ato desesperado, Bianca beija Wesley. E a tática acaba funcionando, já que durante o beijo, seus pais foram a última coisa que ela pensou. Assim, quando por um ato cruel do destino ela é forçada a fazer um trabalho de literatura com Wesley, a pessoa que mais detesta no mundo, ela acha que não tem como sua vida piorar. Todavia, seus pais dão fortes indícios de que o casamento está acabado e seu pai está reagindo muito mal à situação em casa, então ela decide fazer o trabalho na grande casa de Wesley. Uma coisa leva a outra e Bianca descobre um lado bom de se envolver com ele: não precisa falar dos seus problemas e ainda pode aproveitar o sexo casual sem se entregar emocionalmente. Eles passam a se relacionar em segredo, mas não demora para compartilharem algo além de contato íntimo...

“Sem pressa. Dessa vez as coisas foram lentas e sinceras. Dessa vez eu não estava tentando fugir. Dessa vez o foco era ele. Era eu. Era sobre honestidade e empatia e tudo o que eu nunca tinha esperado encontrar em Wesley Rush. Dessa vez, quando nossos corpos se encontraram, não pareceu errado nem feio. Pareceu assustadoramente certo.”

Que livro mais fofo! Sabe quando a gente decide ler uma história adolescente que, antes mesmo de começar, já sabemos como vai terminar? Duff é a definição perfeita. Sim, é clichê, mas apesar de previsível, é muito bom, possui originalidade, uma narrativa viciante, personagens marcantes e vários outros aspectos tornam essa obra envolvente, assim, a previsibilidade da trama acaba sendo irrelevante e não pesa o suficiente para incomodar o leitor. Logo no começo da história me senti imersa nos dramas da protagonista e isso foi se prolongando até o fim. Bianca é uma personagem incrível e bastante palpável, a autora conseguiu desenvolvê-la muito bem e eu pude me identificar com ela em diversas situações.

Eu daria tudo para ter as amigas maravilhosas que Bianca tem. Casey e Jessica são incríveis, estão sempre presentes e dispostas a apoiá-la, desejando o melhor dela e se preocupando quando Bianca passa a se afastar cada vez mais. Por conta do estereótipo que as duas possuem, eu estava presumindo que elas interpretariam amigas falsas que não se importavam de verdade com Bianca, mas com o decorrer das páginas, provaram que eu estava errada ao evidenciar belas atitudes. Amei o fato de a autora ter apresentado a forma que as duas meninas entraram na vida de Bianca e como se tornaram essas amigas inseparáveis que são hoje. As histórias delas mostraram muito do que as personagens são em suas essências, especialmente a Casey, que sempre quer ajudar as pessoas.

Apesar de ser um livro adolescente bem leve, delicado e inocente, a autora aborda alguns temas sérios também e isso serviu para engrandecer ainda mais a história. O tópico que mais entra em destaque, obviamente, é a baixa autoestima da protagonista. Afinal, ela se incomoda bastante de ser considerada uma Duff, está sempre se comparando com as outras meninas da escola e acredita ser a mais feia das suas amigas, já que elas se incluem nos padrões de beleza por serem magras e loiras e Bianca não, por ter seios pequenos e coxas grandes. Ela permite que esse rótulo consuma grande parte dos seus pensamentos e isso acaba refletindo em várias atitudes, colocando em prova tudo o que ela pensa das outras pessoas e até de si mesma.

“Eu saí da paixonite da piscina de bolinhas direto para o profundo oceano das emoções, infestado de tubarões. E, se você me perdoar a metáfora dramática, eu era uma péssima nadadora.”

No início, achei que seria uma história de romance adolescente, mas logo percebi que havia muito mais do que isso: Duff se trata sobre encontrar o amor próprio, especialmente nessa fase complicada em que todos nós passamos. Desde bem novas, nós, mulheres, sentimos essa pressão enorme de sermos bonitas e perfeitas para a sociedade. E isso não é diferente com Bianca, apesar de ela não querer ser igual às outras. Me identifiquei muito com ela em alguns aspectos de sua personalidade, como não ligar nem um pouco para o que os outros pensam ou se importar com os padrões convencionais de beleza. De forma sutil, o livro mostra como as pessoas têm a necessidade de manter as aparências e como podem sair prejudicadas com o esforço, arranjando fugas que, apesar de parecerem eficientes, se tornam prejudiciais no futuro.

A diagramação está linda! A capa possui elementos bem juvenis e as cores fazem referência a escola que Bianca estuda, que refletem muito da história. Não notei erros de revisão e o espaçamento entre linhas está bastante agradável, tanto que li o livro em apenas um dia. Nesses pontos, a editora Globo Alt está de parabéns pelo cuidado proporcionado ao livro. A escrita é em primeira pessoa sob a perspectiva de Bianca, o que é ótimo, assim, o leitor presencia o que se passa em sua cabeça nas mais variadas circunstâncias. Recomendo Duff para todos que apreciem histórias juvenis que, apesar de conterem uma atmosfera inocente, também sabem retratar temáticas importantes e, ainda assim, deixar um gostinho de quero mais.


PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!




16 comentários:

  1. Pelo que pude perceber pela resenha, é um delicioso clichê, um clichê bem construído e que vale a pena ler!
    Gosto muito quando a boa estória é associada à uma boa diagramação, temos mais prazer em continuar a leitura. Com o passar dos anos, a vista vai ficando cansada e já estou sentindo os efeitos de muitos anos tendo a leitura como companheira, então sofro um pouco quando o espaçamento é simples e a letra muito pequena.
    E outra coisa: ao promover o amor próprio, o livro traz uma crítica social ao fato de as mulheres terem que seguir os padrões de beleza da sociedade.
    Mais um para a minha lista de desejados! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  2. Olá Amanda,
    Sou apaixonada por este livro, li ele quando lançou lá fora e não tinha ninguém para conversar sobre ele.
    Acho a historia deliciosa, e bom quando estamos naquela ressaca literária ou quando acabamos de ser de uma leitura pessada .
    Adoro a edição brasileira deste livro. Ganhei esta edição de um amigo e claro amei o presente <3. já reli ele varias vezes. Ele aborda os temas pesados bem por cima mas consegue passar sua mensagem TEMOS QUE NOS AMA A CIMA DE TUDO INDEPENDENTE DA OPINIÃO DAS PESSOAS .
    BJUSS

    ResponderExcluir
  3. Olá !!
    Ainda não tinha lido nenhuma resenha de Duff mas parece ser uma ótima história!
    Quem na adolescência nunca achou que era uma Duff ?! Difícil dizer..
    Adorei o enredo do livro, amo romances clichês e esse parece ser um amorzinho ♡

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Aí amo esse livro!
    Li faz um tempo já é fiquei muito feliz com o filme Volta e meia eu assisto de novo, amo os atores que eles escolheram!
    Essa capa é linda, mas eu gosto mais da outra, a da garota com o ciclete, sei lá acho que combina mais.

    ResponderExcluir
  5. Aí amo esse livro!
    Li faz um tempo já é fiquei muito feliz com o filme Volta e meia eu assisto de novo, amo os atores que eles escolheram!
    Essa capa é linda, mas eu gosto mais da outra, a da garota com o ciclete, sei lá acho que combina mais.

    ResponderExcluir
  6. Também imaginei que seria só mais uma história de amor adolescente. Mas vejo que é muito mais do que isso.
    Parece ser uma história incrível e demais de envolvente.
    Gosto quando retratam o ambiente escolar, alunos populares, paixões escolares... essas coisas.
    Vejo que esse livro está bem completinho e espero poder ler em breve.
    São muitos comentários positivos em relação a obra e isso vem me deixando cada vez mais animada.
    Minha irmã assistiu o filme e adorou. Tenho certeza que o livro está ótimo também.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  7. Não dei muita atenção pra esse livro quando saiu, mas depois de ver umas resenhas até que achei graça. Penso que gostaria se lesse.
    É que achei que seria uma trama de romance adolescente e só isso. Mas mesmo que ele pareça clichê com algumas coisas, também parece que é fofo mesmo. Gostei de como os personagens parecem legais. As amigas da Bianca me deixaram com vontade de ser amigas delas também, haha! Isso sim é amizade, elas parecem estar sempre presentes e são importantes na vida da garota.
    Esse tema da autoestima dela é algo que fica legal de ser trabalhado porque nessa fase da vida a gente sente mesmo uma pressão, ainda mais quando se é mulher. É tudo uma mania de perfeição e beleza que jogam pra cima da gente e isso faz a gente ficar mal se não for de tal jeito como acham certo... Ah, é horrível mesmo.
    No fim das contas parece um livro encantador ^^

    ResponderExcluir
  8. Amanda!
    Gostei também de ver que a protagonista não se importa com os padrões sociais impostos pela sociedade e nem com a opinião das pessoas sobre ela e como se porta e veste. E ainda a achei ousada por beijar o menino que ela mais odeia no mundo.
    O bom é que pode desenvolver sua autoestima e ainda de quebra, curtir um romance com o carinha mais lindo da turma.
    Faz tempo que não leio romances adolescentes, porque a fórmula é sempre igual, porém esse parece trazer um diferencial e merece ser conferido.
    Desejo uma semana de luz e paz!
    “Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes.” (Paulo Freire)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oii Amanda! Tem um tempo que quero muito ler esse livro, e de tão ansiosa que eu fiquei resolvi assistir o filme. Gostei bastante mas pela resenha vi algumas diferenças e não sei qual dos dois é melhor! Já vi outras opiniões, mas ainda quero lê-lo. Não gosto de assistir o filme antes de ler o livro, mas não aguentei hahaha
    Adorei a premissa do livro. Me identifiquei em diversos pontos e quero ver o que a Bianca pensa. Adorei também as amigas dela, que foi outra surpresa pois embora pudessem deixar a Bianca de lado, já que ela estava as afastando, fizeram o contrário: não abandonaram e tentaram ajudar. Que linda essa amizade!
    A história em si, mesmo que pareça a mesma situação de vários livros, tem seu toque especial e uma mensagem muito forte de aceitação. Espero lê-lo logo.
    Ótimas leituras pra você!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Gostei muito da resenha, já conhecia o livro mas não conhecia a história.
    Gostei de saber que mesmo sendo bem clichê, consegue prender a atenção e construir uma boa história. Isso é ótimo pra ler quando saímos de uma leitura pesada ou quando não estamos bem (:
    Gostei muito da protagonista que não tenta se encaixar em padrões. Passa uma mensagem muito positiva para os adolescentes de forma divertida e delicada (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    No comento da resenha pensei " ela sofre bullying por esse garoto por ser diferente" mas ao terminar percebi que não era isso, vi que os dois poder ser diferente mas com certeza passa e sente a mesma coisa, e como diz entre o ódio há o amor, então acho que foi isso que aconteceu com os dois, esse romance bem clichê e maravilhoso e amo isso, com certeza essa história seria uma leitura bem envolvente pra mim.

    ResponderExcluir
  12. Desde que soube desse lançamento que me interessei pela leitura, porém após assistir ao filme, que sendo sincera não gostei nada, nada, da situação que a protagonista passa, que acabei por desistindo. No entanto após ler sua resenha voltei a ter interesse na leitura, pelo fato de que parece que esta questão do empoderamento da personagem em não querer seguir padrões, e bem mais desenvolvida no livro, que no final, e sem querer comparar, espero deparar com a uma trama bem construída, no qual irei me identificar com a personagem, pois sempre pensei como ela. Ansiosa por esta leitura.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá Amanda ;)
    Já sabia que existia esse livro, e sempre me interessei em ler, até porque adoro romances infanto-juvenil, e esse parece abordar vários temas interessantes, como o bullying.
    Já vi a adaptação no netflix, e até gostei, mas acredito que o livro seja melhor com certeza!
    O livro parece muito fofo mesmo, e acho que vou gostar da Bianca e do Wesley, tanto quando gostei no filme. E não sei se o final do livro é o mesmo que no filme, mas adorei, muito fofo o casal *-*
    Já add o livro a lista de leitura, e com certeza amei sua indicação!
    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi.
    Apesar de não ser muito meu estilo de leitura, livros com tema adolescente, esse parece ser bem divertido e tem uma boa mensagem.
    Sua resenha está muito bem escrita e me motivou a conhecer mais do livro. Espero ter a oportunidade de ler.
    Obrigada pela dica.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Que livro mais fofo Amanda *-*
    Faz tempo que estou de olho nesse livro, mas confesso que nunca busquei ler uma resenha para saber mais da história, então tive uma grata surpresa ao ler a sua resenha hoje. Adoro livros juvenis, e mesmo que a trama seja clichê e previsível, acredito que a história da Bianca vai me cativar. Adoro histórias que focam no amadurecimento de seus protagonistas, livros nesse estilo sempre trazem boas reflexões com as jornadas de autoconhecimento e aceitação dos personagens, e também gosto de livros que trazem um drama familiar. Espero me encantar com essas amigas também, amo livros que mostram o valor de amizades verdadeiras e sinceras.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Amanda, tudo bem?
    Já vi a Tamirez do Resenhando Sonhos citar este livro muitas vezes, e sempre tive vontade de ler. Adorei a sua resenha, pude perceber o quanto você gostou da história. Acho que toda menina adolescente passa por essas questões que a protagonista vive no livro, e é muito legal terem autores que abordem o tema.
    Beijos

    ResponderExcluir