18 julho 2017

Resenha: Caixa de Pássaros



Título: Caixa de Pássaros
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Skoob / Goodreads
Páginas: 272
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.
Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.








"- Seja o que for - continua Tom -, nossas mentes não conseguem entender. Pelo que parece, as criaturas são como o infinito. Algo complexo demais para nossa cabeça. Sabe?"

Ao redor do mundo coisas estranhas estão a acontecer. O numero de suicídios está aumentando de forma descontrolada surpreendendo amigos e famílias das vitimas que juram que eles jamais fariam isso por escolha própria. O que começou com casos escassos e em lugares remotos, passa a se expandir com uma rapidez que vem deixando a todos assustados. O que estaria acontecendo? Porque as pessoas passaram a matar seus parentes mais próximos para em seguida se matar? Alguns acreditam que se trata apenas de teorias da conspiração, outros já acreditam que há algo que está fazendo as pessoas agirem assim. Quem está certo? Ninguém sabe. Mas com os números aumentando rapidamente as pessoas não se sentem mais seguras e passam a temer o desconhecido – com razão.

Malorie, no entanto, tem um problema mais serio e eminente para se preocupar do que apenas noticias sensacionalistas para botar medo naqueles que estão apenas tentando viver sua vida de forma normal, ela está gravida e não sabe como lidar com o fato de ser mão sendo tão jovem. Junto a sua irmã ela vê sua vida mudar ao descobrir uma nova vida que irá depender apenas dela, mas o que já era ruim passa a se tornar ainda pior ao verem que os casos não estão mais em lugares distantes. Preocupada, ela passa a dar ouvidos a sua irmã que já vinha insistindo sobre essa história com ela há algum tempo e para a qual ela não poderia mais negar, não depois de ver acontecendo bem a sua frente.

“E o que mais assusta você? As criaturas ou você mesma, quando as lembranças de um milhão de cores e imagens inundarem sua mente? O que mais assusta você?”

Agora, cinco anos depois, Malorie, se encontra relembrando o passado enquanto luta para conseguir obter um futuro. Junto aos filhos, ela parte em direção a um lugar seguro, extremamente bem treinados eles a ajudarão a encontrar o caminho que nenhum deles conhece, mas parece ser sua única chance para sobreviver. Feche os olhos. Não os abra em hipótese alguma. Tampe as janelas com cobertores e em hipótese alguma se permita enxergar o que se passa lá fora... pelo menos não se você deseja sobreviver. Há algo lá fora que assombra e é capaz de enlouquecer quem o enxerga. NÃO ABRA OS OLHOS, e prepare-se para se encontrar envolvido em uma história que junta passado e presente em um só lugar através de uma trama instigante e aterrorizante, você está pronto para se ver preso nessa Caixa de Pássaros?

"Criaturas. Malorie nunca gostou desta palavra. De alguma forma parece errada. Acha que as coisas que a assombram há mais de quatro anos não são criaturas. Uma lesma de jardim é uma criatura. Um porco-espinho também. Mas o que se esgueira por trás das janelas cobertas e a manteve vendada não é do tipo que um exterminador de pestes poderia matar."


[ - Minhas Impressões - ]

Caixa de Pássaros é um livro complexo onde ao mesmo tempo em que nos instiga a querer saber mais sobre ele acaba por pecar com uma história repleta de detalhes que deixam pontas soltas mesmo no final de sua trama. Não estou dizendo que é uma leitura que não vale a pena e nem que seja completamente insatisfatória, eu apenas gostaria de poder contar com mais do que foi apresentado por um autor que possui grande habilidade na escrita e que consegue criar o toque de suspense e mistério na dose certa. Acredito que essa é uma obra que cativa o leitor com seu diferencial, que faz com que diversos questionamentos sejam feitos e que até mesmo a vida seja pensada de uma forma totalmente inovadora; no entanto, eu realmente não pude apreciar por completo o seu desfecho, motivo pelo qual a obra veio a perder uma de suas estrelas comigo.

Lançado em 2015 pela Editora Intrinseca, o autor Josh Malerman conseguiu mostrar seu talento ao construir uma trama totalmente diferente e que foge dos padrões que encontramos por ai. Elaborar desde um enredo original até os pequenos detalhes que se complementam a ela perfeitamente no decorrer da história, de forma a dar uma visão ampla e completa de sua história, não é algo fácil. Envolver o leitor através de uma narrativa em terceira pessoa que tem como característica certa impessoalidade e uma distância de seus personagens também é algo complexo e diferente do que geralmente obras com essa escrita apresentam.

No entanto, o leitor consegue se sentir preso à narrativa e até mesmo a essa caixa de pássaros onde ver é algo extremamente perigoso sem nenhuma dificuldade... Pensar em não sermos capazes de contar com um de nossos sentidos essenciais por causa de algo desconhecido é algo que acrescenta um terror psicológico gritante que causa agonia e angustia por assim como seus personagens não sermos capazes de enxergar o que se encontra ali. Não entendemos o que está acontecendo, não vemos nada e nos sentimos vendados o tempo todo, apenas torcendo para que em algum momento possa haver um pouco de paz para todos aqueles que já sofreram tanto para algo que ninguém consegue entender e que quem já o viu não conseguiu ficar por muito tempo para explicar.


Adultos, crianças, animais, nada é capaz de escapar desses seres que mudaram toda uma trajetória de uma sociedade que se vê cega em seu próprio medo. Com um terror psicológico, esse livro acaba por ser ainda mais aterrorizante do que muitas história regadas a sangue e com monstros que somos capazes de enxergar. Com cenas angustiantes, nos vemos presos a um constante sentimento de claustrofobia ao estarmos cercados o tempo todo sem saber exatamente o que estamos a temer. Passado e presente se unem em cenas que não precisam de palavras rebuscadas para criar uma trama que agrega terror e suspense na medida certa. Não sabemos ao certo quem são esses personagens que se encontram em busca da única forma de sobreviver, mas nos sentimos tão unidos a eles que é surpreendente.

Malorie é a protagonista cuja história somos capazes de irmos construindo aos poucos ao longo das páginas dessa obra. Apesar de jovem, ela apresenta uma força e um desejo de proteger essas crianças que estão com ela a qualquer custo que se torna emocionante. Não há porque ela ter esperança em um lugar tomado pelo caos e pelo medo, mas mesmo assim ela ainda se encontra disposta a lutar e a protegê-los mesmo que isso coloque sua própria vida em risco. A Menina e o Garoto são duas crianças que já vieram ao mundo em meio ao terror, eles desconhecem como é o céu, o formato dos animais ou até mesmo as arvores; mas são capazes de narrar como ninguém os passos dados por alguém apenas ao escutar os sons que alguém produz. Acostumados desde cedo a não depender da visão, suas audições atingem níveis que chegam a ser surreais, mas que serão essenciais em sua fuga para um lugar seguro. Seus nomes não são revelados até o fim das páginas, mas é impossível não se encantar com esses dois que já tão jovens enfrentam tanto apenas para que possam ter a chance de sobreviver.

Os personagens secundários que aparecem principalmente nos flashbacks também são construídos de forma a possuírem personalidades fortes e jeitos de se comunicar que os caracterizam. Basta um mínimo contato para já fazer surgir em nos um carinho por eles nos deixando sujeitos a uma tristeza que assola nossos corações ao acompanhar sua trajetória e sua luta constante por um amanha melhor, ou pelo menos um pouco de sossego. Todos são essenciais para a construção da trama que o autor criou, em nenhum momento vemos que eles estão ali apenas para preencher espaço ou acrescentar páginas na história. Seus pontos fortes são explorados de forma a garantir maior tempo de sobrevivência, assim como seus pontos fracos estão presentes para lembrar ao leitor que eles são apenas pessoas assim como você e eu.

Com um toque que lembra as obras de Stephen King, somos arremetidos a nossa infância onde temíamos monstros que se escondiam na escuridão e que mesmo que não enxergássemos eram capazes de fazer com que nos sentíssemos paralisados. A morte também é algo que se torna quase físico ao estar constantemente presente e ser uma ameaça que paira sobre aqueles que ainda não foram arremetidos à loucura e insanidade que passou a assolar o mundo. Nos vemos em meio a um cenário apocalíptico onde corpos se espalham aos montes pelas ruas, casas se encontram abandonadas, comida é algo precioso e o medo é presença constante assim como criaturas que ninguém sabe como é, mas que são piores do que os maiores pesadelos de toda uma sociedade.


Minha única ressalva foi à falta de resposta a certos acontecimentos que são apresentados nos capítulos. Por isso, já deixo o aviso para que quem for ler essa obra não fique a imaginar que irá saber o porque de tudo, uma vez que isso não irá acontecer e apenas resultará em grande frustração. Eu esperava encontrar uma resposta a tudo que estava a acontecer e não ter essa resposta me desapontou um pouco.

No entanto, por outro lado, novamente o autor, em toda a sua maestria, conduziu de forma impecável sua obra, afinal, como poderia haver uma explicação se em nenhum momento se pode olhar para o que realmente está por ali? Não há como se falar de algo que se desconhece e caso ele tivesse feito isso sua obra poderia ter perdido toda a credibilidade que construiu durante suas 272 páginas. Mas engana-se quem pensa que irá encontrar um final sem emoção,  porque essa obra transborda sentimentos e emoções a cada linha; não necessariamente eles serão bons, mas estão lá. 

Caixa de Pássaros é complexo, é angustiante, é sobre loucura e sanidade. É um terror que se esgueira pela sua janela a noite e se entranha em você a ponto de se temer que em algum momento ao abrir os olhos uma dessas “criaturas” esteja à espreita. Explorando o medo existente em cada um de forma visceral, crua, sem palavras rebuscadas ou papas na língua, nos vemos expostos ao que há de mais primitivo no ser humano que em meio ao terror busca apenas uma forma de sobreviver.

Mas seria possível chegar a um lugar seguro sem poder utilizar a visão? O que por muito tempo foi algo que veio a ajudar, nessa história é algo que apenas atrapalha, seriamos capazes de lidar com um mundo onde um dos sentidos pode vir a significar nossa morte? Esse livro veio para nos fazer questionar sobre coisas que estamos acostumados a obter de forma tão fácil que chega a se perder o valor, mas que tem valores inestimáveis. Leitura mais do que recomendada!


PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!




14 comentários:

  1. Esse livro me deixou com a impressão que é meio 8 / 80 . Ou você ama pelo diferencial ou fica fulo por não ter um fim muito satisfatório. Achei a ideia e toda premissa diferente, ele dá um clima de tensão e mistério que deve ser interessante de ler. Mas vi muita coisa dele e sempre fiquei com medo do que acharia desse final. Não sei, talvez seja besteira...
    Mas a trama dele deve valer muito a pena no fim das contas por tudo que faz pensar e sentir. Parece deixar umas mensagens e botar medo na gente pelas coisas angustiantes que tem, esse negócio da sobrevivência, de ficar torcendo pelos personagens e toda tensão e medo e coisas estranhas que tem na história. A Malorie parece forte e determinada a ajudar aquelas crianças mesmo sem ter muita esperança, mesmo apesar dos riscos que corre e só por essa personalidade a gente já pode esperar muita coisa legal nessa jornada. Gostei dela. Que os personagens secundários e essa trama deles também tenham um papel bom na trama só faz valer mais a pena. O autor parece escrever tudo muito bem.
    Não sou muito de ler terror ou umas coisas assim mas esse livro me chamou atenção.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Já faz muuuuuito tempo que quero ler esse livro, mas desse ano não passa!
    A premissa é muito boa e estou muito curiosa para ler o desenrolar (:
    Adoro esse clima sombrio que o livro tem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Bruna!
    Um verdadeiro trhiller pós apocalíptico.
    Nossa! Também fiquei me questionando que postura teria se passasse por tudo que Malorie passa e mais, ficaria preocupada com o futuro dos filhos, que será deles?
    Fiquei mais do que interessada por conhecer todas as mazelas e monstros e 'doideira' que acontece no desenrola do livro.
    E como acabei de ler, estou extasiada aqui, embora não tenha entendido bem o significado das 'coisas' que ninguém pode ver...
    Uma semana esplendorosa!
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ai esse negócio de suspense, horror, não é comigo.
    Tenho esse livro na listinha de leitura, mas acho que vou acabar não comprando.
    Definitivamente, não faz muito a minha praia.
    Apesar de a história parecer ser boa, envolvente e bem escrita.
    Gostei da sua opinião. Quem sabe um dia... Mas por enquanto, não vai rolar rs
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  5. Olá !
    Não sou acostumada a ler terrror psicológico, não é um dos meus tipos favoritos ..
    Mas esse livro parece ser incrível! Uma história com personagens bem construídos e um enredo bem intenso! !

    Quero muito ler !

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruna, tudo bem?
    Que resenha maravilhosaaaa, gostei muito de saber as suas impressões e sensações ao ler este livro. Já havia visto em outra resenha, que o final não tem a explicação sobre o que fazia isso com as pessoas, e sei que isso pode desagradar muito aos leitores. Tenho o livro aqui em casa e ainda não li, mas já estou mais do que curiosa para pegá-lo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Li este livro na ocasião do lançamento e também senti falta dos porquês!!
    Fui lendo, lendo e lendo e não consegui satisfazer minha curiosidade. No entanto, gostei bastante, pela determinação e força da personagem principal. Adoro suspense e gostei muito do terror psicológico relatado no livro, existiam certos momentos em que sentia na pele das personagens!
    Concordo que a falta do sentido da visão é que traz todo esse terror.
    Considerei a narrativa muito envolvente, pretendo ler o próximo livro a ser lançado do autor, Piano Vermelho.

    ResponderExcluir
  8. Depois que li este livro, procuro outros com o mesmo estilo, porque e sensacional, durante a leitura fiquei vidrada, tinha momentos que meu coração disparava e eu queria entra dentro da estória e ajudar os personagens com certeza foi um misto de emoção, uma pena que não conseguimos descobri o que, que estava levando todo este terror psicológico, e isto de certa maneira deixou um pouco a desejar, pois espera um desfecho depois de tanto problemas. Para quem ainda não leu, ou que não quer ler por causa do gênero deveria dar uma chance.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Gostei da trama do livro, tem um belo suspense na história e fiquei bem curiosa por esses acontecimentos estarem acontecendo e o motivo deles. A personagem tem uma ótima forma de coragem para proteger aqueles que estão ao seu lado. Caixa de pássaros e um livro de suspense que com certeza ira me supreende no final.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Primeiramente quero dizer que gostei muito da sua resenha. Perfeita e muito bem explicada! Eu já fiz a leitura desse livro e adorei. Fiquei presa totalmente, no enredo! Foi uma leitura muito boa e fiquei com vontade que tivesse uma continuação, pois seria muito legal e só enriqueceria mais ainda a história.
    Também super recomendo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Oi Bruna,
    Estava há meses me preparando para ler esse livro, afinal sou uma medrosa assumida, suspense eu consigo lidar numa boa, mas quando se trata de terror, passo longe! Mas a minha curiosidade falou mais alto e li Caixa de Pássaros no começo do mês. Resumindo, eu pirei com esse livro. Fui fisgada por essa história aterrorizante do inicio ao fim. É uma trama muito bem elaborada, com um terror psicológico que mexe muito com o leitor, durante boa parte da leitura tive algumas sensações um tanto medrosas, aquela sensação de que estava sendo vigiada, sabe? Kkkk
    Também fiquei um pouco desapontada em não saber o que tanto temiam, a explicação do que estava realmente acontecendo. Mas ai é que está o brilhantismo da obra né? Que sacada do Josh Malerman, o autor conduziu com maestria esse mistério.
    A Malorie é uma personagem muito forte, foi bem agonizante acompanhar a sua jornada desde o inicio do livro, e principalmente a luta dela pela sobrevivência dos filhos.
    Agora estou ansiosa para ler Piano vermelho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Esse foi um livro que de tanto todo mundo falar bem (exceto sobre o final), cheguei a colocar na minha lista de desejados. Antes não sabia direito sobre o que se tratava, ou talvez devido ao tempo que pretendo ler e ainda não o tenha feito, acabei esquecendo um pouco. Agora percebo o livro incrível e envolvente que estou perdendo de ler! Ao mesmo tempo que fico animada para ler, tento regular minhas expectativas para que não seja decepcionada depois, pois já tinha ouvido reclamações sobre o final e vejo que há algumas lacunas que ficam abertas. Como sou muito curiosa, ficar com muitas perguntas mesmo depois de acabar o livro me incomoda muito, mas já sabendo que não vou encontrar o porquê por trás desse surto que causa a morte de várias pessoas, pelo menos começo a leitura já conformada com isso e não ficarei esperando durante o livro todo por algo que não vou saber. Enfim, espero que isso não sobressaia o desenvolvimento de cada detalhe e criação, tanto desse cenário apocalíptico quanto dos personagens. Aliás fico pensando em como o autor conseguiu prender o leitor e nos fazer imaginar o que se passa por trás das janelas, assim como nos sentirmos na mesma situação da personagem já que nos encontramos na mesma situação ao longo da história, já que se passa em terceira pessoa. Os personagens parecem super bem construídos. Malorie parece muito forte e que apesar do medo, continua determinada. Achei muito interessante que só descobrimos o nome das crianças no final, espero que isso pelo menos seja justificado. Além disso, o contexto em que vieram ao mundo e como acabaram acostumados a não utilizarem a visão como primeiro sentido.
    Realmente você conseguiu aguçar a minha curiosidade e a vontade de ler esse livro aumentou ainda mais. Vejo que a obra peca em alguns sentidos mas não tira o seu valor como um todo. Adoro clima de mistério e suspense, de não saber o que esperar na próxima página e acho que esse é um prato cheio pra mim. Obrigada pela indicação! Beijos :)

    ResponderExcluir
  13. Olá Bruna ;)
    Estou super interessada em ler esse livro, até porque adoro o gênero, desde que a editora começou a fazer propaganda dele nas redes sociais.
    Acredito que o livro seja instigante mesmo, mas que pena que o autor deixou umas pontas soltas, isso pode deixar o leitor desmotivado para ler.
    Gostei que você disse que a obra tem um toque do mestre Stephen King, isso com certeza faz valer a pena a leitura! Enfim, vou ler e formar minha opinião.
    Obrigada pela indicação!
    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi, desde que foi lançado não me atraiu, e depois com todas as resenhas falando dessa mesma falta de respostas, - mesmo que tenha algum fundamento - me fez decidir não ler essa história. Deve ser agoniante não saber de nada, não gosto mesmo.

    ResponderExcluir