30 maio 2017

Resenha - Cidade das Cinzas - Os Instrumentos Mortais #2


Título: Cidade das Cinzas (Os Instrumentos Mortais #2)
Autor: Cassandra Clare
Editora: Grupo Editorial Record
Skoob / Goodreads
Páginas: 406
Onde comprar: Saraiva / Amazon

No mundo dos Caçadores de Sombras, ninguém está seguro. E agora que Clary descobriu fazer parte parte do perigoso Submundo, sua vida nunca mais será a mesma. Jace, seu recém-descoberto irmão, está cada vez mais impossível, e não parece medir esforços para enfurecer a todos. Sua atitude de bad boy não ajuda em nada quando, após o roubo do segundo dos Instrumentos Mortais, a Inquisidora aparece no Instituto para interrogá-lo... Agora Jace é suspeito de ajudar o pai, o perverso Valentim, num plano que vai colocar em risco não só Idris ou o Submundo, mas toda a cidade de Nova York. E Clary não pode deixar de se perguntar: será que as ironias de jace são só uma forma de chamar atenção, ou também pode haver uma traição por trás de tanto mistério?









Após todos do Submundo serem pegos com a notícia da volta de Valentim, um dos Caçadores de Sombras que voltou-se para o mal e acreditava-se estar morto, há agora, duvidas que recaem sobre Jace. O garoto que se descobriu filho do poderoso vilão é posto sob suspeita de ser manipulado pelo pai, quando ainda jovem e sem conhecimento da verdadeira identidade de Valentim, para lutar a favor da Causa, contra a Clave e seus membros.

Clary que, juntamente a Jace, foi abalada pelas revelações feitas por Valentim, tenta seguir em frente, levando uma vida normal. A garota, mais tarde, descobre que é impossível não envolver-se nos assuntos do Submundo, uma vez que se faz parte dele. Então, contra sua intenção, Clary volta ao Instituto para ajudar Jace a convencer os outros de que ele não fazia ideia dos planos de Valentim.

" - Sempre existiram apenas dois tipos de pessoa no mundo para o Valentim. Aqueles a favor do Ciclo, e os que eram contra. Os últimos eram inimigos, e os primeiros eram armas em seu arsenal. Eu o vi tentando transformar cada um dos amigos, até a própria mulher, em uma arma para a Causa, e você quer que eu acredite que ele não teria feito o mesmo com o próprio filho?"

Ao chegar lá são outros motivos por trás do que se achava ser a questão pela qual Jace havia sido expulso de sua casa. Ele está sendo investigado pela possibilidade de estar envolvido com os planos de Valentim, que está cada vez mais presente durante o desenrolar da história, e o roubo do segundo Instrumento Mortal. Maryse, mãe adotiva de Jace e quem possui o comando do Instituto, tenta afastar o garoto antes da chegada da Inquisidora, porém ele se propõe a ficar e enfrentar as consequências do que virá pela frente.

"Você é uma flecha atirada diretamente no coração da Clave, Jace. Você é a flecha do Valentim. Sabendo disso ou não."

Os seres do Submundo estão apreensivos quando acontecimentos marcam as ruas, na escuridão, sem que se encontre o culpado de tais atos. Assim, os Licantropes (lobos) e as Crianças Noturnas (vampiros) passam a se introduzir ainda mais na trama, trazendo novos personagens que irão se envolver nos conflitos dos Caçadores de Sombras.

Maia, a garota licantrope, e Simon, amigo de Clary, trarão para a história ainda mais ação, fazendo o leitor se surpreender com cada novidade que surgirá durante o decorrer dos capítulos.





[- Minhas Impressões -]

Neste segundo volume Cassandra Clare trouxe mais emoção e ação para as vidas de seus personagens. Como eu havia terminado a leitura do volume anterior curiosa para desvendar as pontas que ficaram soltas, comecei a ler Cidade das Cinzas na esperança de conseguir respostas.

Infelizmente, ou felizmente (para a série), o segundo livro não trás muitas respostas para o leitor. Há uma conclusão tão boa quanto no primeiro porém, as duvidas que estavam em aberto ao final de Cidade dos Ossos permeiam na cabeça de quem esperava uma explicação de alguns pontos da trama.

A escrita está mais fluida que antes, embora esteja igual ao anterior, senti que a leitura estava menos lenta. Talvez os leitores que sentirem dificuldades no primeiro volume, como eu senti, neste não as encontre pois só é necessário se introduzir neste mundo que Cassandra Clare criou.

Mundo esse que, em minha opinião, é fantástico. Pois trás seres e elementos de nossos livros preferidos, unindo-os em um só, com um enredo incrível.

Jace me trouxe uma percepção dele que só havia tido anteriormente em poucos trechos. Ele me pareceu um pouco mais maleável e sensível agora, mesmo que ainda tenha algumas das atitudes de antes. Junto com Simon, são os personagens masculinos que mais me chamaram a atenção, aliado ao fato de seus respectivos envolvimentos com Clary.

Temos novos personagens, mais uma vez bem montados, com personalidades que não nos remete a clichês, os capítulos (dezenove, ao todo) se tornaram mais intensos com as novas descobertas e a grande dose de eventos que acontecem. Inclusive, durante alguns momentos, o leitor terá a chance de conhecer melhor o vilão Valentim e os planos que ele trama.

Maia, uma nova garota que é apresentada a nós logo no inicio, entrou em disputa com Isabelle pelo posto de minha preferida. Ele tem personalidade forte (e o fato de ser lobo também remete a isso) embora já tenha sofrido bastante, é corajosa e sagaz.

As fadas também se fazem presente. É preciso um pouco de calma para não julgar antecipadamente, pois eu sei que parece uma confusão com tantos seres diversificados para uma só série. Mas, como dito acima por mim, a escritora conseguiu capitar a essência que necessitava para unir todos esses personagens, sem deixar que tudo se tornasse uma imensa catástrofe de elementos que não se encaixam no enrendo. Claro que alguns não vão ter a mesma opinião que eu tive, e é compreensível.

Diante disso, só me resta dizer que a capa é linda e passa a ideia do que se pode esperar deste livro maravilhoso, que, com toda certeza, eu recomendo e pretendo continuar a leitura dos próximos volumes.



Participe! - Já está valendo!


4 comentários:

  1. Olá. Infelizmente, Instrumentos Mortais não é uma leitura que chame a minha atenção, nem pelo gênero, nem pelo tema, nem pela proposta. Leio opiniões muito dividas (e extremas) sobre a série, alguns veneram e outros detestaram. Não tenho como julgar, mas que bom que você gostou!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Emily!
    A série é mesmo fenomenal, né?
    Realmente as respostas vem vindo com o decorrer dos livros e ficamos be intrigados.
    Muita ação e aventura.
    Novos personagens bem elaborados, enfim, paixão nacional.
    Desejo uma semana tranquila!
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. E bom saber que nesse segundo livro a estória tem uma trama mais envolvente, com muita ação e emoção, o que nos deixa instigado com a leitura, o que no anterior não houve, já que a leitura foi bem lenta. Mesmo sabendo que as respostas ainda demoram a aparecer, fiquei feliz em saber que aparecem novos personagens, e que alguns se manterão, e que de forma geral todos são bem desenvolvidos, e deixa a estória ainda mais cativante.

    ResponderExcluir
  4. Não li nada de Instrumentos Mortais ainda, mas deu pra ter uma boa ideia do que os livros trazem, bastante detalhes bacanas!

    Já vi muitas boas críticas em torno desses livros. Quem sabe um dia eu finalmente não tenho oportunidade de conhece-los, né?

    Beijinhos
    Luar de Livros

    ResponderExcluir