31 maio 2017

Resenha - Assassins Creed


Título: Assassins Creed - Livro Oficial do Filme
Autora: Christie Golden
Editora: Galera Record
Skoob
Páginas: 308
Onde Comprar: Saraiva / Amazon

Novelização do roteiro de “Assassin’s Creed”, um dos filmes mais aguardados do ano, baseado na série de videogames homônima. Com ajuda do Animus, uma tecnologia revolucionária que desbloqueia memórias genéticas e faz com que a pessoa viva o passado sob os olhos de seus antepassados, Callum Lynch passa a presenciar as aventuras de seu ancestral, Aguilar, na Inquisição Espanhola do século XV. Callum descobre ser descendente de uma misteriosa sociedade secreta, a Irmandade dos Assassinos, que luta pelo direito do livre-arbítrio dos homens e que, ao longo dos anos, acumulou incríveis conhecimentos e habilidades que são usados no combate à poderosa e tirana Ordem dos Templários, uma organização que busca aprimorar a humanidade por meio da ciência. Numa jornada inacreditável pelo passado, Callum terá uma segunda chance. E descobrirá que seu destino está guardado em seu sangue.








O livro começa com Callum Lynch ainda quando jovem e se depara com a sua mãe assassinada pelo seu próprio pai. Sendo avisado para fuja antes que “eles” os peguem. A partir daí começa o enredo do livro.

O personagem principal é um homem comum, igual a qualquer outro que você esbarra na rua, no entanto, de uma hora para outra (no conhecimento dele) ele é "raptado" por uma corporação que recrutam pessoas aparentemente normais para fazerem parte da experiência chama "Animus", uma máquina espetacular que à primeira vista é inofensiva. É nela que a história se baseia, principalmente. Uma corporação que pretende restaurar o passado, o ancestral das pessoas que são consideradas "Assassinos", e recuperar um objeto muito “especial”. O que acontece, é que Callum não sabe de nada sobre ser um "Assassino", muito menos que existe uma "Irmandade dos Assassinos"quando é levado para essa corporação. Para ele, assassino é o que está descrito no dicionário.

O começo é bem difícil para Callum, mas conforme as páginas vão virando o conhecimento vai surgimento, mesmo que demore um pouco,e ele vai percebendo o que é a "Irmandade dos Assassinos". Querendo ele, ou não, e a ação do livro fica mais gostosa.

Uma vez dentro do Animus, as lembranças do passado aparecem e são mostrada como um tipo de realidade 3D para os que estão apenas assistindo esse momento. Já para aquele que está dentro da máquina, a imagem é real, ele se vê no passado, agindo, e falando. Todos os movimentos que ele faz no presente são, para ele, iguais ao que está fazendo no passado. Ou seria o contrário? A vivência é muito forte, a pessoa pensa realmente que está no passado. E, o passado de Callum nos leva de volta a Espanha de 1492, quando ocorria a Inquisição Espanhola.

Só que acaba tendo um conflito de interesses por ambas as partes, se assim posso dizer, quando os personagens amadurecem, mais precisamente o personagem principal, com isso, a batalha continua, mas agora os dois lados com focos mais estabelecidos.

Então, a trama se baseia em mostrar Callum Lynch e o seu passado, um "Assassino" espanhol, que é o Aguilar de Nerha. Um acaba se conectando com o outro, e, quem sabe, não criam uma outra pessoa? (Isso você só saberá ao ler até o final, posso estar inventando ou falando a verdade.)




[-Minhas impressões-]

É muito fácil falar de Assassin’s Creed, afinal, sou muito fã dos jogos dede quando começou. Sim! Esse livro que estou resenhando é o livro oficial do filme, que surgiu devido ao sucesso do jogo de videogame. Mas não precise se preocupar se você tem que ler antes ou ver o filme para depois pegar no livro, você não irá se perder independente da ordem que escolher.

Eu vi o filme antes, e ao começar a ler lembrei de todas as cenas, isso é até legal, mas vai do gosto de cada um. Esse livro não se parece com nenhum jogo da série, assim como os livros (existem vários livros que ligam aos jogos). E uma coisa legal é que, como o livro é todo baseado no filme, você não vai encontrar nada de diferente.

Eu não conhecia a autora antes de ler esse livro, então, pude apreciar uma leitura maravilhosa com uma escrita impecável. Você mergulha no livro sem questionar. Acaba sendo bem tranquilo e leve para você terminar em uma semana, ou até menos se tiver mais tempo.

Você vai precisar de fôlego para acompanhar toda a ação que envolve esse livro.

A junção dos séculos, para uma mesma pessoa, com o mesmo foco, vai prender o leitor.

Talvez, você possa achar o início um pouco lento, mas não se preocupe que não será assim sempre, na verdade, é rápida essa parte.

Não é porque sou fã, mas eu indico muito esse livro. A escrita cativa com a bela montagem dos personagens. Mesmo a toda hora sendo trocada a época, uma hora você está no presente e em outra você está na época da Inquisição Espanhola. Este último, que, para mim, é a melhor parte do livro. Os detalhes para imaginarmos são fundamentais para a melhor compreensão da história, assim, a autora nos leva, realmente, até esta época. E você sente que está na Espanha, sim, podendo até se imaginar lá e pensar que está lutando junto a Aguilar de Nerha.

Se você gosta de um bom livro de ação aconselho a comprar, ou, se preferir, veja o filme antes. Mas não esqueça de ler, assim você terá, talvez, uma nova concepção, ou uma mais arrojada.

Boa viagem no Animus. E boa aventura na Espanha.



Participe! - Já está valendo!

3 comentários:

  1. Confesso que não sou muito fan deste estilo de gênero e por isso acabei por não me interessar pela leitura. Porém e possível notar que a trama e bem construída, com muita aventura, e ação o que nos prende a estória. Para quem curte, ou se sentiu atraída pela leitura, deveria com certeza dar uma chance a esta obra. Pretendo assistir ao filme.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eu sou apaixonada pela franquia de jogos do AC, mas nunca li os livros e ainda não vi o filme porque vi umas críticas que me desanimaram. Esse livro tem relação com os livros relacionados ao universo dos jogos? Enfim, talvez eu leia sim, e quem sabe o livro me anima com o filme.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Juliana!
    Não conheço os jogos e ainda não assisti o filme, mas gosto muito de todo enredo, da ficção criada e vivida através do protagonista.
    E se tem muita ação, mehor, porque o livro não se torna monótono e podemos acompanhar tudo com mais atenção.
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir