21 abril 2017

Resenha - Cinder


Título: Cinder (Crônicas Lunares #1)
Autora: Marissa Meyer
Editora: Rocco
Skoob / Goodreads
Páginas: 448
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica.Primeiro volume da série Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído.










Em um mundo distópico dotado de alta tecnologia, a Cinderela dos contos de fadas que já conhecemos foi inspirada para dar vida a Cinder, uma ciborgue e excelente mecânica. Devido a um acidente que ocorrera no passado e que acabou matando os seus pais, Cinder perdeu várias partes do corpo e desde então, possuindo mais de 36% de metal em sua estrutura, leva a sua vida com a companhia de um androide chamado Iko. Ela foi adotada por um cientista que acabou falecendo, e agora precisa fazer tudo que Adri, sua madrasta malvada, ordena, pegando até mesmo o rendimento de seu trabalho como mecânica.

Num dia como qualquer outro em seu estande, um cliente muito incomum aparece para solicitar um conserto ao seu androide. Esse cliente não é ninguém menos do que o próprio Príncipe Kai, que ouviu falar das grandes habilidades de Cinder e como os mecânicos da realeza não conseguiram identificar o problema do seu androide, o Príncipe se disfarçou para não chamar atenção e pedir ajuda a ela. Kai se surpreende ao ver que a mecânica que tanto falam não passava de uma jovem menina, e não um velho, como ele pensava.

"Ele era o sonho de todas as garotas no país. Estava tão longe de seu alcance, de seu mundo, que ela deveria ter parado de pensar nele no instante em que a porta se fechou. Devia parar de pensar nele imediatamente. Nunca deveria pensar nele de novo, exceto talvez como cliente – e seu príncipe."

A letumose é uma doença sem cura que matado cada vez mais pessoas e o imperador da Comunidade das Nações Orientais, o pai do Príncipe Kai, também se tornou uma vítima e está no estágio três da doença. Os cientistas estão trabalhando para desenvolver um antídoto e para isso, precisam de ciborgues voluntários como cobaias para estudo. A madrasta de Cinder apenas não a mandou para os testes porque depende do trabalho dela para manter a casa e sobreviver, incluindo também as suas duas meias-irmãs, das quais somente uma a detesta tanto quanto a mãe.

A outra meia-irmã se chama Peony e é a única amiga que Cinder tem, e como todas as garotas da Comunidade, é apaixonada pelo Príncipe Kai. Então quando Cinder chega em casa depois do trabalho, não vê a hora de contar a novidade, porém, está a maior correria já que a sua madrasta contratou uma costureira para ajustar os novos vestidos das filhas para o baile, que ocorrerá em poucas semanas. Peony não aguenta mais ser sufocada no vestido e pede para acompanhar Cinder no ferro-velho para procurar novas ferramentas para o trabalho. Aproveitando a oportunidade, ela lhe conta do pedido de trabalho de Kai e Peony, nada boba, pede para que Cinder dê um jeitinho de o Príncipe notá-la no baile.


Só que algo completamente inesperado acaba ocorrendo: manchas escuras aparecem na pele de Peony, os primeiros sintomas da letumose. Cinder se perguntava como aquilo poderia ser possível já que Peony era tão saudável, mas se sentindo de mãos atadas ao mesmo tempo. Os androides aparecem para levar sua irmã para a quarentena e Cinder caminha para casa, arrasada e se preparando para a ira de sua madrasta por ter levado Peony para um lugar cheio de lixo. Porém, ela jamais poderia imaginar que iria se deparar com vários androides em sua casa querendo buscá-la para realizar os testes para a letumose. Para Cinder ser usada como cobaia. Para Cinder morrer.

Ao se ver presa em uma mesa de operação num laboratório, Cinder acreditava que tudo estivesse completamente perdido. Até que o Dr. Erland aparece para lhe dar notícias surpreendentes. Após realizar testes em seu corpo, o doutor descobre que Cinder é imune a letumose, e como tal, é muito valiosa para a sua pesquisa. Ele pede para que ela vá ao palácio todos os dias, onde fica localizado esse laboratório, para que possam ser feitos mais testes e futuramente, desenvolver um antídoto para enfim achar uma cura. Dessa forma, Cinder poderia salvar o Imperador e a sua irmã, e cada cidadão do planeta seria eternamente grato a ela. Além de ficar cada vez mais próxima de Kai, com essas visitas Cinder vai adquirindo muitas descobertas sobre a sua própria vida e o futuro da Terra.

"Ela estava contente que lágrimas não revelariam sua humilhação. Contente que nenhum sangue em seu rosto revelaria sua raiva. Contente que seu odioso corpo de ciborgue servia para alguma coisa enquanto ela se agarrava a sua dignidade despedaçada."

Eu amo releituras de contos de fadas pois os autores sempre inserem características bastante diferenciadas que acabam valorizando ainda mais a história, então é claro que estava bastante ansiosa para ler Cinder. Porém, há tantas alterações que não acho justo chamá-lo de releitura, e sim de uma história totalmente única, pois é exatamente isso que Cinder demonstra ser nas páginas. E apesar de ter poucas referências, ela possui uma premissa completamente instigante, recheada de mistérios, perigos e descobertas surpreendentes. Os personagens possuem características bem fortes: uma ciborgue batalhadora e carismática, um príncipe que luta para fazer o bem pela Comunidade, uma vilã lunar que através do seu encanto de sedução, almeja se tornar um símbolo de poder. Até mesmo os personagens secundários foram capazes de me encantar sem nenhuma dificuldade.

Narrado em terceira pessoa sob a perspectiva de Cinder e alguns capítulos por Kai, a autora nos traz uma versão completamente diferente da história de Cinderela e, ouso dizer, muito mais interessante. Temos androides, uma sociedade futurística, uma doença letal, uma rainha lunar poderosa que pode ameaçar uma grande guerra. Conforme a história se desenrola, a autora vai inserindo vários conflitos e mistérios na vida da protagonista, o que torna uma missão impossível não devorar as páginas rapidamente. O romance explorado entre ela e Kai é apenas um pequeno detalhe diante de toda a grandiosidade que a obra proporciona a nós, leitores.

A diagramação está completamente impecável, cada detalhe da obra foi pensado com bastante cuidado e adorei tudo no livro, não tenho reclamações a fazer tanto do conteúdo quanto da obra física. Apesar do grande número de páginas, é um livro pequeno e o espaçamento entre linhas é um pouco mais afastado que normalmente reparamos em outros livros. Eu amei demais esse livro e com certeza se tornou mais um que entrou para os meus favoritos. Podem ler sem medo que vocês com certeza irão se encantar por ele! Recomendadíssimo!

9 comentários:

  1. Oi Amanda!

    Tudo bem? Tem muitos anos que tenho Cinder aqui em casa (tanto quanto dois!) porque recebi da Rocco na época do lançamento, mas nunca li mesmo sabendo que a série é muito elogiada.

    Assim como você também adoro releituras de contos de fadas, mas essa pegada futurística me deixa sempre bem receosa quando o assunto é a série Crônicas Lunares porque uma das coisas que mais me fascina nos clássicos contos de fada é justamente a ambientação deles...

    Eu sinceramente fico sempre meio revoltada quando o livro é narrado em terceira pessoa e foca apenas em uma das personagens da trama, acho que é um desperdício da narrativa que poderia estar abrindo um leque gigantesco para o leitor ter uma visão mais ampla da trama.

    Mas é bom que você tenha gostado que o livro tenha poucas referências ao conto de fadas, isso certamente me incomodaria um pouco durante a leitura, mas enfim. Ótima resenha.

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem??

    Eu também sou uma fã de releituras. Concordo com tudo, deixa as histórias ainda mais interessantes.
    Apesar de você ter dito que as referências não são tantas, eu fiquei morrendo de vontade de ler! Principalmente com tantos elogios à história. E desde que esse livro lançou, essa capa me chama a atenção ahaha
    Espero ter a oportunidade de leitura em breve :)

    Beijinhos
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Recentemente estou fazendo a leitura de livros com adaptações em contos de fadas. Eu já li uma resenha sobre essa obra e fiquei bem interessado, mas a sua resenha e animou mais ainda. Na outra resenha não foi mencionado que era uma distopia e como fã do gênero eu já adicionei a obra na minha lista de desejados, amei! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Amore,
    Já li esse livro... adorei ... mas doei.
    Meio que me arrependi de doar... pq agora que soube que se trata de uma série... quero de novo!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bom?
    Eu adorei muuuito a capa quando vi, pois AMO distopias e amo releituras de histórias como Cinderella. Estou louca pra comprar esse livro pois quero muito saber mais sobre a história, e ler as continuações maravilhosas. Amei a resenha, me deu mais vontade ainda!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Amanda! Tudo bom?
    Li no início do ano Cinder e amei! Também adoro releituras, mas achei essa ainda mais espetacular por ser uma distopia também. Que combinação incrível, hein? Eu adorei o enredo e personagens, e aquele final me deixou angustiada, estou curiosa para ler a continuação!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda,

    A capa sempre me chamou a atenção e era uma das minhas opções deste mês para um desafio, em que tenho que ler uma releitura de um conto de fadas. Depois da sua resenha acho que decidi minha escolha haha de fato, são poucas as características
    do conto original que se mantém no livro, mas é um bom pano de fundo para essa distopia futurista. Já estou ansioso pela leitura kkk

    Atenciosamente,

    Tiago Valente
    http://avidalida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Já ouvi falar muito bem desse livro, então adorei poder conferir a sua resenha. Realmente, pela descrição da história nem tem como considerar uma releitura, parece que foi mais uma inspiração mesmo. Só fico com um pé atrás porque não sou muito chegada a isso de Andróides, mas estou bem curiosa para conferir a história.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu já li vários comentários sobre esse livro, mas nunca dei muita atenção, sabe? Só que confesso que acho muito bacana essa ideia de uma história sobre humanos e ciborgues, sem contar que achei bacana a prota ser meio cinderela, e com sua resenha fiquei ainda mais curiosa com a história. Realmente parece ser uma história totalmente única e com uma prota muito cativante, por isso vou marcar a dica e espero ler em breve.

    Beijos :*

    ResponderExcluir