26 janeiro 2016

Resenha - Tudo pode Acontecer






Tretch Farm vive em uma cidadezinha no interior dos Estados Unidos onde todo mundo sabe da vida de todo mundo. O que torna ainda mais difícil o fato de ele estar apaixonado por Matt, seu melhor amigo. Matt não desconfia de absolutamente nada e Tretch não sabe se isso é bom ou ruim... Para ele o problema não é apenas com Matt. Sua família não tem ideia de quem ele realmente é e o que ele realmente pensa no auge dos seus quinze anos. sua mãe acredita que o filho está prestes a sair com uma garota. E Bobby Handel, que sempre insinua que Tretch é gay na escola, mal sabe que está bem perto da verdade. Aos poucos essa história revela que viver uma mentira pode não ser a melhor escolha para alguém que busca a felicidade.




Livro: Tudo pode Acontecer
246 páginas || Skoob || Cortesia: Vergara & Riba || Onde Comprar ||








Tretch Farm tem quinze anos e vive com seus pais e seu irmão mais velho em uma pequena cidade no interior dos Estados Unidos. Há pouco tempo Tretch descobriu sua opção sexual, o que foi uma surpresa para ele quando percebeu que estava apaixonado por Matt, seu melhor amigo.


Já que eles vivem em uma cidade muito pequena, todos os habitantes se conhecem e com isso todos sabem que Matt é criado por dois pais gays. Por isso, Tretch e Matt sofrem bullying na escola por outros garotos que ficam falando que os dois formam um casal, Matt é mais forte e consegue responder os garotos e defender o amigo, pois ele é heterossexual. Já Tretch, que sabe do sentimento que nutre pelo amigo, fica receoso e é atingido mais fácil pelos garotos.

Esse é um dos motivos que Tretch tem medo de se assumir, o medo do que as pessoas irão pensar e falar dele, ele tem medo de ser julgado já que vem de uma família muito religiosa, medo de como vai ser tratado por todos depois que souberem da verdade.

"Amar alguém significa querer ver a pessoa feliz, mesmo que isso te deixe triste no fim das contas."

''Tudo pode Acontecer'' é um livro extremamente leve e cativante, não espere uma estória extraordinária que trás uma grande lição de moral. Aqui iremos ver o cotidiano de um garoto que está começando a se descobrir junto com todas as suas inseguranças e o medo da rejeição.

Tretch é um garoto totalmente inseguro e quieto, ele sempre tenta fugir dos problemas e dos valentões da escola, mas nem sempre ele consegue. Foi muito bom ver o amadurecimento dele durante a leitura, conforme o tempo passava ele começava a criar mais segurança e começou a confiar em algumas pessoas o seu segredo, assim ele ficava mais tranquilo consigo mesmo. Matt nunca suspeitou da opção sexual do amigo, mesmo ele morando com dois pais gays, ele sempre foi o melhor amigo e defendia Tretch quando podia e quando não podia, sempre dava um jeito de estar perto quando o amigo precisava. Joe é o irmão mais velho de Tretch que não podia ficar de fora, ele é atencioso e a melhor parte foi quando Tretch se abriu para ele e contou seu segredo, pude ver a cumplicidade de dois irmãos e a amizade envolvida.


Esse é um livro que é recomendado para todos, é uma leitura leve e pode ser lido em apenas algumas horas, confesso que esperei um pouco mais do final que ficou em aberto, mas isso não estragou a leitura. Se jogue em Tudo pode Acontecer que você não irá se arrepender.


26 comentários:

  1. Oi Kétrin, tudo bem?

    Eu gosto muito de livros que abordem a temática LGBT e claro, fiquei interessada nesse. Parece uma leitura bem gostosa de se acompanhar, e o Tretch parece ser um ótimo personagem, e que faz com que várias pessoas possam se identificar com ele. Gostei de ver que ele amadurece ao longo da história.

    E fiquei bem curiosa para saber se ele confessa seus sentimentos para seu amigo Matt... porque a coisa mais difícil é se apaixonar por um amigo hétero.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  2. Olá Kétrin,
    Já vi esse livro circulando pela blogosfera, mas ainda não havia parado para saber sobre o que se tratava.
    Apesar de não ter uma história extraordinária, me chamou a atenção a dualidade do meio familiar dos personagens, que diga-se de passagem, é algo bem instigante pra interessar o leitor. Fiquei curiosa sobre a relação familiar deles e como se colocam referente a isso. Adorei a resenha.
    Bjim!

    Tammy
    Livreando | Facebook

    ResponderExcluir
  3. Oláa
    Não conhecia esse livro e confesso que se eu o visse em algum lugar não me chamaria atenção pra parar,pegar e ler a sinopse e saber mais da estória,mas depois da sua resenha comecei a mudar de ideia e como gosto de leitura assim bem levinha com certeza eu leria esse livro...quero muito saber se o Tretch vai se abrir pro Matt ou não..curiosidade me define nesse momento!!!

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/01/resenha-mais-uma-chance-abbi-glines.html

    ResponderExcluir
  4. Esse livro parece ser tão fofo e bonitinho. Mas eu pensava que ele seria mais profundo, mesmo que de leitura leve. Você me deixou dividida se quero ou não ler =O Eu gosto da temática, mas finais abertos só são bons se o autor for um gênio. Como estou num momento 'só leio o que já está na minha estante' eu vou deixar para decidir no futuro rssrsrsrs

    Bjnhos de Tinta
    Blog Mundo de Tinta

    ResponderExcluir
  5. Olá... tudo bem??
    Não leio muitos livros nessa temática, até porque não costuma me chamar muito atenção, mas eu simplesmente me apaixonei por essa capa e ela me pareceu ter muitos significados... lendo sua resenha e sabendo o enredo dá pra imaginar do que se esperar dessa narrativa, portanto, é um livro que irei fugir de minha zona de conforto com muito prazer... xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Kétrin, tudo bem? Acho que este livro é mais um livro normal de descobertas na adolescência e na verdade estamos nos acostumando com leituras deste tipo já que antes não havia tanto do gênero e acho isto legal. Mas como você disse não é nada muito detalhista, só um livro comum. Não tenho lido muita coisa sobre este livro, acho que esta é a segunda resenha dele, mas mesmo assim gosto quando se passa em cidades pequenas.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Ketrin,
    Eu não conhecia o livro, mas gostei bastante da premissa.
    E na sequência adorei a sua resenha, que faz perceber o quão doce essa leitura deve ser, fiquei bem curiosa em relação a ela e espero ter oportunidade de faze-la em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Eu não conhecia o livro, mas confesso que ele parece ser o mais do mesmo que anda aparecendo nos infanto-juvenis ultimamente e eu não não leio infanto-juvenis, muito raramente me entrego a um distópico, mas fora isso corro às léguas. Adolescentes homossexuais tentando se encaixar e tals, está tão clichê ultimamente que tem me cansada, não tenho nada contra, até já li alguns com a temática, não sendo adolescentes, mas pra mim não funciona. Fico feliz que tenha gostado, eu não o leria.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  9. Oi, Kétrin
    Acho que por ser uma trama leve eu leria o livro. Uma pena que o final não foi o que esperava, mas vi que no geral foi uma leitura proveitosa para você.
    Pela capa e trama acho que eu esperaria justamente isso, uma história extraordinária. Na verdade é a primeira vez que vejo esse livro. Quem sabe eu me anime ainda.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Ketrin, adorei a premissa do livro e sua resenha. Fiquei imaginando como deve ser emocionante o relacionamento dos irmãos,pelo que vc colocou da reação de Joe ao saber o "segredo" do irmão.
    Ah, só uma diquinha, dá pra ver que vc não é nenhuma preconceituosa pelo que escreveu no teu texto, mas tente lembrar de não usar o termo "opção sexual".
    Fica implícito que é a pessoa que escolhe, e isso não é verdade. Use orientação sexual nos próximos textos. Parece bobeira, mas é uma forma que muitas pessoas usam de discriminar quem é homossexual, dizendo que eles podem escolher ser ou não ser o que são. Fora isso, esta super delicado o modo como vc resenhou a história, adorei.Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oiee Kétrin ^^
    Ainda não conhecia o livro, mas já adorei a premissa dele, e ver que você gostou me deixou ainda mais animada. Adoro histórias com personagens que passam por todo um processo de amadurecimento e descobrimento de si mesmos, principalmente quando eles são homossexuais e precisam enfrentar o preconceito alheio ♥ Adorei a capa.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2016/01/novidades-de-janeiro-josy-stoque.html

    ResponderExcluir
  12. Eu jurava que era um daqueles livros com uma história profunda e tal, mas é bom saber que não é assim. Mesmo assim eu quero muito ler a obra, pois a premissa me interessou e sua resenha me deixou encantada. Achei essa capa muito bonita! *-*
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  13. Olá Kétrin,
    Gostei muito de você ter escrito em sua resenha que o livro é extremamente leve e cativante, não espere uma estória extraordinária que trás uma grande lição de moral. Isso já nos faz ir lê-lo com uma ideia básica de como será a leitura e isso é muito importante.
    A premissa desse livro chamou muito minha atenção e já adicionei o nome dele na wishlist.
    Personagens inseguros e quietos me conquistam sempre!
    Beijos e parabéns pela resenha :)
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, flor!
    Estava mesmo curiosa sobre essa obra. Gostei de saber que é tão bem narrada, pois para abordar um tema como a sexualidade de um adolescente é preciso muita sensibilidade. :) O fato de que o personagem vai sentindo mais confiança sobre sua orientação sexual e passa a aceitar o desafio de lidar com isso me atraiu muito.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Pela capa e titulo do livro eu não daria muita coisa por ele, mas acho a temática maravilhosa, e certamente eu leria... Imagino a barra que o rapaz passa por não ser correspondido pelo seu amigo... sorte dele que ele vive num ambiente sem preconceitos [Matt] e talvez não se afaste de Tretch o descobrir de seu amor platônico, mas para o ambiente familiar de Tretch a coisa complica...
    só uma observação, o termo correto seria orientação ao invés de opção sexual. ^^

    Enfim, fiquei a fim de ler o livro...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  16. Oi, Kétrin.
    Não sou muito fã de leituras LGBT. Amei a capa, me atraiu de cara tanto com a foto quanto com a frase de efeito. Mas gostei da discussão sobre ser quem se é de verdade e também achei legal a mensagem de amizade com o irmão, às vezes a gente busca companhia e ela está dentro de casa.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Sei que tem muita gente que tem preconceito e jamais leriam um livro com uma temática LGBT. Eu já li uns dois livros sobre o assunto, incluindo um de psicologia e AMEI.Tudo pode acontecer me parece ser um livro tão gosto de ler. Como você mesma disse, foi muito bom acompanhar o amadurecimento e eu imagina que deva ser mesmo. Ainda mais que eu como hétero não sei exatamente como a discriminação afeta a pessoas homossexuais e ler livros sempre me ajuda a criar cada vez mais empatia e ajudá-los a acabar (livrar do preconceito) com os homofóbicos. Gostei bastante da dica. :)

    ResponderExcluir
  18. Oie flor.
    Eu amei a capa, e o titulo realmente é bem chamativo. Não conhecia o livro, mas não fiquei muito interessada em lê-lo, embora tenha uma premissa boa.
    Fiquei admirada com o irmão mais velho do personagem ser tão compreensivo, acho que isso é raro. Ainda mais sendo que foi para ele que o irmão mais novo se abriu.
    Enfim. ótima resenha, como sempre.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Kétrin! Tudo bem? :) Eu não conhecia o livro, mas adorei ser apresentada a ele. Acho muito legal quando essa temática é representada, pois infelizmente ainda é um assunto considerado 'tabu' por muitos. Precisamos falar mais sobre isso, valorizar o amor! Que bom que você gostou da leitura. Realmente, o personagem deve ter amadurecido muito durante o decorrer da história. Adoro quando isso acontece! Espero que traga muitas reflexões para o leitor. Beijos e obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?
    Ultimamente eu tenho andado muito aberta a todos os gêneros literários, e recentemente tive a oportunidade de conferir alguns livros LGBT e confesso que a leitura deles foi cativante e emocionante. E eu amei a sinopse do Tudo Pode Acontecer, espero ter a oportunidade de conhecer o Tretch e a sua historia.

    ResponderExcluir
  21. Mas gente, sempre tem livro que eu não conheço aqui!! Que delicia!!

    Eu não sou muito fã de leituras leves assim, eu gosto do tema, mas gosto de mais intensidade, de trama profunda e dolorosa. Acho que esse não vou ler, mas é um ótimo livro para se indicar, para adolescentes principalmente, imagino.

    Bjus
    blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  22. MENINA DO CÉU!
    Que resenha maravilhosa, eu estava em duvidas sobre ler ou não e você me deixou ansiosa para saber da história. Não li nada do genero, darei uma chance!

    Beijos, Lali
    Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
  23. Olá Ketrin!
    Essa é a segunda vez que vejo sobre esse livro e meu coração sempre amolece. Adoro histórias de amadurecimento, embora de pra ver que Trech e Matt não devem ficar juntos... Outra coisa que gostei foi do apoio de Joe, me identifiquei aliás, pq minha irmã é meu braço direito, meu apoio, um porto seguro.
    Gostei muito!
    bjss
    http://umavidaliteraria1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Oi! Tudo bem?

    Pela premissa, é um livro que eu não leria. E sabe o motivo? Eu simplesmente não sei lidar com essa pressão que a sociedade exerce em cima das pessoas da comunidade LGBT. Poxa vida, fico imaginando quão difícil deve ser "esconder" quem você é em prol dos outros e, pelo jeito, é assim que o personagem se sente. Isso devastaria meu coração :( Então, para mim, sei que não seria uma leitura leve. E você disse que a história não tratá lições de morais, mas, talvez, pra quem seja preconceituoso, as vezes a leitura é válida e o faz enxergar o mundo de outra maneira! Aliás, eu espero que isso realmente aconteça. É preciso mais tolerância e amor nesse mundo, né?!

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  25. Olá, tudo bem? Outro livro super necessário para nossas vidas, e também outro livro que deveria ser obrigatório nas escolas, para assim as pessoas começarem a perceber que há diferentes pensamentos... e começarem a respeitar mais as pessoas... Esse livro pareceu ser bem emocionante, pois só com a resenha me veio lágrimas aos olhos, só de imaginar como muitas pessoas sofrem bullying por besteira, só porque um é negro, outro é gordo, outro é homossexual, em fim, isso tem que parar e uma forma de as escolas ajudarem, seria se dessem esses tipos de livros para serem discutidos na sala de aula.
    Sthe - Blog
    http://leesoncre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Oiii
    Pelo que percebi,é um livro impactante. Sou defensora dos direitos dessa pessoa. Sempre me imagino no lugar,sofrendo pressão da sociedade e dentro de casa.
    Esse livro pode não trazer uma lição de moral. Mas para quem sabe ler um pingo é letra, quem sabe que é preconceituoso ao ler esse livro,vai entender tudo que faz com os outros.
    Adorei a dica. Beijos.

    ResponderExcluir