19 janeiro 2016

Resenha - Belas Mentiras





Inocente, pura e doce, Sloane sempre foi superprotegida pela família, mas ela jurou a si mesma que, ao completar 21 anos, tudo seria diferente. E, quando o relógio bate meia-noite, Sloane está pronta para sair do casulo e quebrar algumas regras. O jovem Hemi tem vários talentos, mas manter o controle, infelizmente, não é um deles. Acostumado a fazer o que sempre quis, nunca precisou se importar muito com as consequências de seus atos. Até que uma tragédia mudou para sempre sua vida. Agora ele tem apenas uma missão, e nada é capaz de afastá-lo de seu objetivo... Até conhecer Sloane. Mas nada que Sloane e Hemi viveram até hoje foi capaz de prepará-los para o que está por vir. Quando essas duas almas problemáticas se encontram, a conexão é imediata, e eles não têm outra escolha a não ser mergulhar em um mundo de loucura, paixão e devassidão. Porém, os dois têm algo a esconder, e logo vão descobrir que a tentação está nos pequenos detalhes. E é nos pequenos detalhes também que se encontram as mais belas mentiras.

Livro:
Belas Mentiras
280 páginas || Skoob || Editora: Grupo Editorial Record || Onde Comprar ||








Filha de policial e com três irmãos mais velhos da mesma profissão, Sloane é protegida como se fosse feita de vidro. Ao completar vinte e um anos, ela decide que já está crescida o suficiente para não precisar da proteção de sua família, sendo assim, decide provar que já é uma adulta. Então, ela faz uma tatuagem.

“As coisas importantes sempre valem a pena.” – página 23

Ao chegar no estúdio ela conhece Hemi, o tatuador misterioso com jeito de bad boy que todos nós já conhecemos. Mesmo sentindo uma faísca ao vê-la, sendo Sloane tão diferente de todas as mulheres que ele já conhecera, Hemi decide ficar longe, para o bem dela, pois tem medo de arruinar a pureza e inocência da moça. Mas é claro que eles não vão ficar separados o livro todo. Logo Sloane vira aprendiz de tatuagem, e Hemi começa a ensiná-la.

Os personagens são bem superficiais, não têm nada de especial ou diferente dos personagens de outros livros desse gênero. Hemi é, novamente, o típico bad boy misterioso por quem as protagonistas bobas e inocentes se apaixonam. E, claro, não podia faltar os segredos e o passado turbulento de um dos personagens, para apimentar um pouco a história.

“Não quero promessas. Elas quase sempre não passam de belas mentiras. São palavras com o objetivo de fazer os outros se sentirem melhor. Mas, no fim, continuam sendo apenas mentiras.” – página 131

Hemi parece esconder coisas o tempo todo, mas a autora não deixa o leitor no escuro. Deixando algumas pistas aqui e ali, ela vai, aos poucos, revelando o que ele tanto insiste em esconder, e que passado turbulento é esse. Confesso que esperava algo mais bombástico e surpreendente, mas o que eu encontrei não foi lá tanta coisa.

Sloane também não é uma personagem surpreendente. Chatinha, mimada e infantil na maior parte das vezes, ela insiste em ser tratada como adulta, mas não age como tal. Sua inocência me pareceu forçada demais, e não sei como consegui chegar ao final do livro sem estrangulá-la. Eita mocinha mais chata! Não sei o que se passou pela cabeça dela. Fazer uma tatuagem como ato de rebeldia vai fazer com que os outros a vejam como adulta? Não. E gritar o tempo todo que ninguém manda mais nela, quando ainda mora na casa do pai? Não também. Pois é.

“Sinto que vivi dentro de uma concha fechada a minha vida inteira. E agora, finalmente, após todos esses anos, vou arromba-la e abrir as asas um pouco.” – página 19

Uma das poucas coisas boas nesse livro foi a escrita da autora, que, felizmente, é rápida e muito boa. Mal vi as páginas passando, apesar de me irritar constantemente com os personagens. Outra coisa boa foi a aparição de Sarah, melhor amiga de Sloane que consegue compensar sua chatice sendo legal e divertida.

Um ponto meio confuso foi o fato de a autora insistir que a família de Sloane é controladora, e que não a deixa fazer nada, mas eles quase nem se mexeram quando ela fez a tal tatuagem, e quando começou a sair com Hemi. Eles nem são tão ruins quanto Sloane deixa transparecer.

“Enquanto você me quiser, eu sempre, sempre, estarei ao seu lado.” – página 262

Enfim, o livro até que é legal, mas não é muito diferente de outros livros do gênero que eu já li. Os personagens são parecidos e bem bobos, a história não tem muita coisa de diferente, e por aí vai. Belas mentiras é o primeiro livro de uma série, e, mesmo não tendo gostado totalmente dele, estou curiosa para ler os próximos, e torço para que sejam bem melhores.


29 comentários:

  1. Oi Dryh, tudo bem?
    Menina, comecei a ler a resenha e pensei "essas autoras não se cansam de tatuadores bad boys?". Eu devo ter uns 50 livros de tatuadores com cara de mau e com alma de anjo. Nada contra, mas como você disse na resenha, personagens superficiais, porque elas aproveitam a onda. Pelo menos você disse que passa rápido porque a autora é boa. Vou pensar se entra na minha lista de leituras futuras.
    bjsss

    http://conchegodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Dryh,
    Eu não conhecia o livro e já pela tua resenha eu percebo que não me agradaria, não curti a premissa dele e ao ver seu comentário final sobre ele, fiquei ainda mais certa disso. Pode ser que muitas pessoas gostes, mas eu não acho fiquei instigada a ler. Gostei muito da sua resenha, está bem esclarecedora e mostrou todos os pontos do livro.

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua honestidade com relação a garota. Eu tenho uma raiva quando pego essas meninas mimadas em livros que querem ser tratadas como adultas mas não faz por onde.
    Percebi que a estória tinha tudo pra ser ótima, mas a escritora pecou na boboca, uma pena
    bjus

    ResponderExcluir
  4. Olá querida.
    Nossa o livro não te agradou né?
    Mocinhas chatas eu to fora, isso me faz ter vontade de tacar o livro na parede e parar de ler.
    Eu gosto desse tipo de enredo, mas realmente bad boys já tá saturando um pouco.
    Amei sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oii
    Nossa o livro parece ser bem meia boca. Personagens bem superficiais? Não dá pra mim. Não conhecia a obra. O ponto bem legal de sua resenha foi essa proteção estranha de seus familiares em cima dela,rsrs, mas infelizmente vou deixar a sua dica passar.
    Bjks

    ResponderExcluir
  6. Oi, flor!
    Que ótimo ler uma resenha sua aqui no blog da Sil... <3 Suas opiniões honestas são sempre bem-vindas. Eu me interessei pelo livro, mesmo tendo todo esse clichê natural de romances new adult. Mas confesso que não pretendo lê-lo simplesmente porque não terei paciência com essa protagonista mimada... Odeio esse tipo de personagem.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Dryh lindona que pena que os personagens são superficiais, já me desanimou com esse fato, gosto de persoangens que façam a diferença, quando são rasos fica faltando algo, uma pena pois a capa está linda demais, e a premissa do livro instiga a leitura. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Nossa, quando li o começo da resenha pensei "Nossa... que rebelde! Uma tatuagem te fará parecer uma pessoa de 50 anos". Já comecei lendo o resumo livro pensando "Que droga... este é um livro feito em cima dos clichês". Nele não encontramos nada de diferente de qualquer outra trama do gênero.
    Já é de se esperar um "machão" com problemas no passado e a "mocinha" que tem problemas com a familia e é pura como água.
    Não gosto de livros onde os personagens não são bem trabalhados, gosto de ver eles como pessoas reais, com sentimentos reais.
    Mesmo com essa capa de chamar atenção, eu passo longe do livro!



    Karine || Ainda Me Livro

    ResponderExcluir
  9. Aiii, fui lendo a sua descrição dos personagem e penando, chata, chato, dois personagens pé no saco... kkkkkkkkkkkkk. Porque tem que ser sempre assim? Não entendo porque as autoras acham que sempre tem que ser assim nos casos de amor. Poderiam mudar tanto e fazer coisas diferentes em histórias de amor. Mas o que deve rolar é mesmo aquela pegação então nem falo mais nada! Não gostei da premissa e adorei sua sinceridade.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  10. Não é mega estranho a gente gostar da escrita da autora, sentir as paginas virando sem peso e perceber que o livro acabou sem peso e ainda assim, não achar a história uma obra de arte? Acho que foi isso o que aconteceu com você durante esta leitura né? Teve um quote na sua resenha que me fez pensar: “As coisas importantes sempre valem a pena.” Só por causa deste trecho, quero ler, mas desanimo de pensar que é uma série. Quem sabe, mais pra frente!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Eu realmente não gosto desse tipo de livro, o gênero não me atrai nem um pouco. E você ainda fala que as personagens são superficiais, e que é um pouco mais do mesmo. Só por ler as sinopses eu já acho isso. Sei que muitas pessoas gostam desse gênero e não se importam com fórmulas ou clichês, mas eu não tenho paciência. Adorei ver alguém falando disso, não é muito comum. Parabéns.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Nossa, que confuso esse livro ehn.
    Confesso que odeio quando os personagens são chatos, mimados e querem impor a sua independencia sendo que quem ainda paga as contas são seus pais.
    detestei isso na personagem, e também o fato dela ficar falando que seus pais são 'maus' sendo que eles nem ligam.
    Confesso que não leria esse livro, não tenho paciencia pra personagem assim lkkkkkk

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  13. Ei Dryh!
    Nossas opiniões sempre costumam bater, isso mee deixa muito mais tranquila na hora de argumentar. Primeiro: quero ser adulta; vou fazeer uma tatuagem! Poxa, vai arrumar um emprego, filha... fala sério. Segundo: Hemi, um tatuador, vê Sloane e a acha surpreendente, mas prefere se afastar....... Isso não é um tatuador, pelo menos não desse mundo. Nunca vi um com tanto senso de honra. Olha, sinceramente, achei o romance imaturo demais, deixa muito a desejar... poderia facilmente ser um hot, já que não tem enredo :/
    bjss
    http://umavidaliteraria1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Dryh, pela sua resenha esse definitivamente é um livro que não me agradaria. Essa coisa de aparência de badboy e coração de anjinho tá meio batida já, não é? Além do mais, porque não pode ser um cara com aparência de anjinho sendo um anjinho ou que realmente seja o que pareça e a menina simplesmente se ferre? ... Ok, eu sei a resposta, porque é exatamente esse texto que muitas leitoras querem e não a realidade.
    Personagens mimados tendem a me irritar profundamente, quanto mais imaturos, mais me irritam. Ciúmes bestas e brigas imbecis também me desanimam, mas existe um ponto positivo... Você disse que a escrita da autora flui e quando vê o livro já acabou. rs.
    Conchego das Letras | Vamos conversar mais sobre livros?

    ResponderExcluir
  15. Oieeee
    Fazer uma tatuagem é prova de maturidade desde quando? Nossa... Só por isso já da pra ver o nível de maturidade da personagem.
    Parabéns para você que conseguiu ler o livro até o final mesmo não gostando tanto da história.
    Não ligo para histórias clichês, sabe? Só não gosto de personagens chatos rs. Mas para saber mesmo se vou achar a Sloane chata eu teria que ler o livro e pela sinopse não me interessei muito pela história.
    bjs
    diariodeumapsicopedagoga.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá!

    Assim que foi anunciado o lançamento deste livro, eu o adcionei a minha wishlist, só que por a sinopse ser tão vaga e essa capa ser intrigante, acreditava que o livro seria de suspense/mistério. Ainda quero fazer a leitura desse livro, mas fiquei um pouco desanimada, tanto pela sua opinião quanto em relação ao gênero.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oie.
    Eu nunca tinha ouvido falar no livro antes, mas já estou curiosa. Só fiquei incomodada com dois fatos Sloane querendo ser tratada como adulta,mas não age como tal e o fato de sua família ser superprotetora. Gostei de Hemi, ele é o tipo de personagem que eu curto,principalmente quando é recheado de segredos do passado.
    Adorei sua resenha :3

    ResponderExcluir
  18. Poxa pela capa desse livro eu esperava bem mais dele. Mas depois que li a sua resenha vi que ele não é grandes coisas assim. Ainda bem que a escrita da autora flui bem, porque se fosse arrastada acho que você não ia gostar mesmo. Vou dar uma chance para ele para ver o que eu acho. Aproveitar que ele o primeiro livro de uma série.
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Dry,
    Lendo a sinopse eu pensei que ela provaria que era adulta saindo de casa e indo morar só, mas fazer uma tatuagem por rebeldia? Isso só prova que realmente é uma criança.
    Do personagem masculino eu até gostei, adoooro BadBoy de livro, hauhauhauhauha. Já a personagem feminina deve ser um saco mesmo, ainda bem que tem uma melhor amiga legal pra compensar, as vezes bons amigos salvam as histórias, teve livros q só li até o fim por causa deles. Mesmo assim, eu acho que leria. Beijoos

    ResponderExcluir
  20. São os tipicos clichês que eu adoro, mas não sei se vou gostar desse como vc disse, a personagem é chata e mimada, e eu não fico muito atrás de vc vou querer estrangular ela, mas a escrita da autora compensa e é fluida poderia ate tentar ler, e acabar gostando.

    ResponderExcluir
  21. Oi Dryh!

    Então, eu gostei bastante da capa e da premissa, mas depois da sua resenha fiquei com um pé atrás quanto esse livro. Já estou tão cansada dessas garotinhas mimadas e inconsequentes que basta ouvir falar nelas que eu já desejo correr para o mais longe possível kkk
    Acho bem improvável que eu venha a ler esse livro algum dia...

    ResponderExcluir
  22. Para ser bem honesta, apesar da sua resenha estar muito bem escrita, a história não me empolgou. Gosto de livros que nos trazem belas histórias de amor, mas pela sua resenha, tive a impressão de que, nesse caso, trata-se de um romance bobinho, sem intensidade emocional. Além disso, personagens superficiais não fazem muito a minha cabeça. ;)

    Tatiana

    ResponderExcluir
  23. Olá!

    Comecei ate a me interessar pelo livro, mas pelo o que você disse a autora não fez muito esforço para deixar os personagens interessantes e acabaram ficando bem clichês. E sobre o paibe os irmãos de Sloane nem terem kigadoboara Tattoo, acho que se a autora tivesse explorado mais a gente teria cenas super divertidas do pai e super protetores tentando proteger a garota e doidos porquebeka fez a tatuagem.

    Beijos!

    www.cantinhocult.com

    ResponderExcluir
  24. Olá,
    Uma coisa que me irrita muito é o fato de muitos livros do gênero erótico se parecerem. Por isso não gosto de gênero, além das constantes cenas de sexo. Por esse motivo, evito ler. Outro motivo para não ler esse livro é a personagem ser extremamente chata. Odeio personagens assim.
    Um beijo,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir
  25. Olá, tudo bem? A sinopse é de botar fogo kkkkk Pelo qu percebi esse livro mostra o problema de um pai ou mãe, ou pior os dois, de serem superprotetores com os filhos... Quando uma criança sai desse casulo no qual os pais o trancam, a pessoa sai com vontade fazer de tudo porque acha que agora pode. Então em minha opinião eu acho que esse tipo de livro é mais recomendável para pais superprotetores... Beijos
    Sthe - Blog
    http://leesoncre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Não conhecia o livro e quando comecei a ler a resenha achei que seria uma história super indicada, porém percebi que trata-se de uma história com personagens bem clichês, ou seja, a típica mocinha cheia de mimimi e o bad boy que deixa todas as mocinhas apaixonadas, uma pena. No momento vou deixar essa dica passar, mesmo sabendo que a escrita da autora é tão fluída.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  27. Quando li o livro eu adorei, mas acho que muito foi por adorar a escrita da autora e seu jeito com as palavras. Até por que, lendo sua resenha eu concordo que a Sloane é meio chatinha e essa de fazer uma tatuagem como ato de rebeldia é sem sentido, e ela fica gritando que ninguém manda nela, mas continua obedecendo todos...
    Também esperava um segredo maior, mais grandioso. Acho que no fundo esperava ser surpreendida com algo como fui na leitura de outro livro da autora (Louca por você - Bad Boys 1). É um livro gostoso de ler, mas poderia ter sido bem mais :)
    Beijinhos,
    Lica
    http://www.amoreselivros.com.br

    ResponderExcluir
  28. Oi Dryh, tudo bem?

    Não costumo ler muito New Adult, pois sempre acho eles meio parecidos. Sempre tem os mesmos pontos que você citou na sua resenha. E eu até gosto do bad-boy cheio de segredos, mas tem que ser segredos que condizem com todo o mistério do livro e com a forma dele agir, e parece que o segredo do Hemi não foi tudo isso. Com certeza a Sloane não me desceria, detesto personagem cheia de mimimi, e que quer ser a adulta, mas não age como tal... quando eu li que ela fez uma tatuagem como forma de mostrar que ela era adulta, eu fiquei tipo, sério!??

    Mas enfim, não leria o livro... mas espero que você possa gostar mais dos próximos.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  29. Olá

    Durante um tempo eu li muito livros assim, a maioria dos livros que eu lia eram assim,por isso hoje em dia eu fujo deles, não consigo gostar de protagonistas cheias de mimimi como no caso dessa,uma falsa rebelde,acho que a única coisa que compensa no livro pelo que você citou foi a escrita da autora,bom dessa vez deixo a dica passar.

    Bjss

    ResponderExcluir