últimas resenhas

Resenha - Todos os Nossos Passos


Título: Todos os nossos Passos – Trilogia Soul Dance
Cortesia: Laura Vitelli (Autora Parceira)
Número de Páginas: 515 
Skoob
Onde encontrar: Amazon 
Sophia, uma jovem sonhadora, porém muito ambiciosa, decide deixar tudo para trás para realizar seu sonho de seguir carreira como dançarina. Anos depois, após se ver sem dinheiro e sem perspectiva de futuro com a dança, é obrigada a retornar para sua cidade natal e encarar as pessoas que abandonou, incluindo Nick, seu amor da adolescência, e April, o fruto de seu relacionamento.
Será que Sophia conseguirá reparar os erros do passado e recomeçar?
Em Todos Os Nossos Passos, você irá se apaixonar, rir e chorar com a história de Sophia, uma dançarina egocêntrica e perfeccionista que vê sua vida virar de cabeça para baixo.

CUIDADO – Esse livro aponta TEMAS DELICADOS como ABANDONO MATERNAL, BULIMIA e DOENÇAS MENTAIS. 

E para a primeira resenha do ano eu trago um super livro, no qual estou viciada, chamado Todos os Nossos Passos. O livro, que é o primeiro de uma trilogia, foi escrito pela brilhante Laura Vitelli e conta com um pouco mais de 500 páginas. Pode parecer comprido, mas a leitura é bem fácil e gostosa.

O livro conta a história de amor, superação e muito aprendizado entre um casal adolescente que precisou passar por muitas coisas que os fizeram se distanciar, porém a ligação que eles têm foi o motivo que fez com que tudo tivesse que ser repensado e contado de uma maneira diferente.

No decorrer da leitura, conhecemos a brilhante dançarina e muito cabeça dura Sophia Rivera, uma adolescente popular e muito mandona. Ela, como é dito no livro, é bem leonina e sempre coloca as suas verdades e ambições a frente de todos. E isso, em uma cidade pequena pode ser considerada uma coisa muito ruim. Ela sempre foi a patricinha do colégio, já que tirava ótimas notas e era líder de torcida e sempre foi considerada uma das melhores dançarinas da cidade, mas seu ponto fraco sempre foi Nick, seu namorado no ensino médio. Ele é um dos personagens mais fofos e cativantes que eu já conheci.


Então a história começa quando Sophia foi despejada do seu apartamento e sem ter dinheiro para continuar se sustentando em Nova York, ela precisará voltar para a casa do seu pai em uma cidade do interior, e como ela cita, lá só tem árvores e mato. Mas o problema é que quando a Sophia foi embora, ela abandonou muitas coisas, e o peso da volta é muito maior do que ela pensa que pode aguentar.

Sophia sempre foi muito determinada com as suas atividades, principalmente com a dança, ela faz ballet há muitos anos e herdou essa paixão de sua mãe que a abandonou ainda quando criança para seguir o sonho de ser dançarina. Por isso a personagem foi criada pelo seu pai, o que mudou bastante a personalidade dela, fazendo ela ser ainda mais persistente no que ela acredita, porque ela sempre soube que não poderia contar com muitas pessoas ao seu redor.

Por mais que Sophia pareça ter tudo e aparente ser uma pessoa perfeita, um dos pontos mais abordados dentro da história são transtornos associados com a comida, já que a personagem sofre bulimia e sempre procura se encaixar dentro dos padrões e ser ainda mais magra e mais bonita. E por muito tempo ela precisou lidar com essas dores sozinha, até o Nick chegar.

Nick sempre foi presente na história, mas antes era apenas um amigo e peguete de Sophia, a coisa fica mais séria mesmo quando ela aceita o pedido de namoro feito pelo personagem. A partir daí, Sophia começou a se soltar mais e demonstrar esse lado mais frágil para Nick. Ele foi um dos responsáveis por fazer com que ela conseguisse parar com esse vício. E uma das coisas mais fofas é que ele sempre mostrava para ela o quanto todas as suas características eram perfeitas da forma que tinham que ser, por isso, ouso dizer que a Sophia era muito privilegiada por receber todo esse amor e carinho de seu amado.


Nick e Sophia foram o primeiro amor um do outro, logo, eles descobriram tudo juntos, a amizade, o carinho, a forma de se respeitar, juntamente com o sexo, pois a primeira vez de ambos foram juntos, então no livro deu pra observar muito bem o desenvolvimento desse lado dos personagens. Essa parte do enredo é tão bem detalhada que parece que estamos assistindo todas as cenas em uma tela de cinema, o amor deles transcende para fora das páginas, é algo que inspira e dá vontade de sentir de perto. Esse amor feroz e muito intenso gerou alguns tumultos na vida de ambos, e o primeiro deles começa quando Sophia descobre que está grávida, e é a partir deste ponto que conhecemos a maravilhosa April.

Então maior clímax da história acontece quando Sophia descobre a sua gravidez, ela teve que deixar a dança de lado, e isso não foi nada fácil pra ela, principalmente porque o ballet era seu sonho e convenhamos, ser mãe no ensino médio não deve ser uma coisa fácil para ninguém. Sophia demorou um tempo para entender o que a gravidez traria para a vida dela, justamente porque ela era jovem demais e de uma hora pra outra teve que virar mãe. Ela se sentiu muito retraída em muitos momentos, porque Nick tinha muita facilidade para entender tudo sobre a maternidade, e isso foi se alastrando durante toda a gravidez. E em razão da bulimia, ela ficou muito fraca e não conseguiu fazer seu parto de uma maneira segura, e por isso, ficou longe do bebê por uns dias, o que fez com que a culpa dela e a necessidade de acertar como pessoa e mãe aumentasse muito.

Apesar de tudo, Sophia se esforça pra ser uma boa mãe, mas tudo muda quando ela recebe uma carta de Juliard dizendo que ela foi aprovada para a faculdade, ela não teve dúvidas que precisava largar tudo e ir, porque era a chance da vida dela, ela queria muito mais do que só aquilo, mesmo que isso significasse fincar longe da filha.

E isso mostrou pra mim que na verdade a Sophia não tinha noção do que era responsabilidade, porque naquele momento ela não pensou em ninguém além dela mesma, e isso se beirou durante 6 anos.
Sim, Sophia ficou 6 anos longe de tudo, e essa é a grande história do livro, como todo esse tempo pode mudar a vida de todo mundo, principalmente da pequena April.

E vou lhes contar que todo o desenrolar desta grande história me trouxe muitas alegrias, muitas lágrimas e o mais bonito, como a construção do amor pode acontecer mesmo naqueles que já estão muito machucados.


A história pra mim é muito interessante porque ela fala sobre o amor em suas várias formas, como na dança, o amor pelas pessoas, o amor maternal, paternal, de todos os jeitos. E a gente consegue perceber que tudo isso precisa ser construído aos poucos. Ninguém sabe amar direito, porque não tem um certo ou errado, mas a entrega que a gente dá para aquilo que nos faz bem é o que nos torna pessoas melhores.

Em todo o desenvolvimento do livro, a gente percebe que Sophia mudou todo o seu conceito sobre o amor, sobre as pessoas, sobre quem ela era e deveria ser. Isso fica muito claro lá pela metade do livro quando ela teve que renunciar a muitas coisas pra conseguir se reaproximar da sua filha.

Sophia passou 6 anos longe de April, sem a ver presencialmente, sem ter contato de afeto ou carinho, e ela sofreu muito por ver que a filha não a considerava como mãe e que seu sumiço tinha gerado grandes traumas em sua vida, e isso pra mim foi muito importante para perceber que na verdade somos espelhos de muitas pessoas. Um exemplo é que Sophia fez o que a mãe dela fez com ela, a abandonou para seguir seus sonhos e abandonou sua filha. A diferença é que ela pôde tentar construir um novo recomeço, mesmo que isso fosse mais difícil do que ela pensasse.


Então uma das maiores lições que esse livro me passou foi aprender sobre o perdão e a aceitação, e o contexto pode ser encaixado em qualquer momento de nossas vidas. Sem contar que, a autora, sendo tão maravilhosa e inteligente, praticamente entregou uma playlist pronta da história, porque em cada começo de capítulo é apresentado alguns trechos de músicas que se conectam muito bem com a história e deixa a leitura ainda mais impressionante e muito delicada.

Tudo pode mudar e tudo muda, mas qual é o preço disso? Para descobrir você terá que ler.

Eu recomendo fielmente a leitura deste livro e já digo com ansiedade que não vejo a hora do segundo para devorá-lo. E aquele final???? Estou ansiosa até agora! Se você já leu esse livro ou ficou com curiosidade, conta pra mim e a gente pode conversar um pouco mais sobre a obra.

Em uma escala de 0 a 10, o livro ganha nota 11 sem sombras de dúvidas!

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário