10 abril 2017

Resenha - Sejamos todos feministas

Título: Sejamos todos feministas
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Cia das letras
Páginas: 87
Skoob  /  Goodreads
Onde comprar: Amazon / Cultura

O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo."A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens. Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.










"Se repetimos uma coisa várias vezes, ela se torna normal. Se vemos uma coisa com frequência, ela se torna normal. Se só os meninos são escolhidos como monitores da classe, então em algum momento nós todos vamos achar, mesmo que inconscientemente, que só um menino pode ser o monitor da classe. Se só os homens ocupam cargos de chefia nas empresas, começamos a achar “normal” que esses cargos de chefia só sejam ocupados por homens."

Sempre que ouvimos falar na palavra "Feminismo", imediatamente nos vem à mente um grupo de mulheres que odeiam os homens, queimam sutiãs, não gostam de salto alto nem maquiagem e que tem o objetivo de criar confrontos o tempo todo. Mas, feminismo definitivamente não é isso, e descobrir isso é uma desmistificação de pensamentos enraizados em nossas mentes desde que nascemos. E assim como a maioria das mulheres e homens, a nigeriana negra Chimamanda Ngozi Adichie, um dia, em uma conversa com seu amigo foi chamada de feminista, e claro, imediatamente ficou perplexa, pois sua imagem de mulheres feministas era bastante radical. Quando chegou em casa, foi logo conferir no dicionário e surpresa, descobriu um conceito que iria se construir e reconstruir ao longo dos anos, mas que, indicava com perfeição o que ela era e queria da vida.

"Penso com frequência no meu amigo Okoloma. Espero que ele e os outros que morreram na queda do avião descansem em paz. Ele sempre será lembrado por aqueles que o amavam. Ele tinha razão, anos atrás, ao me chamar de feminista. Eu sou feminista. Naquele dia, quando cheguei em casa e procurei a palavra no dicionário, foi este o significado que encontrei: “Feminista: uma pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre os sexos”."

Foi dessa forma então que Chimamanda cresceu, continuou usando salto alto, batom, amando os homens mas também, ao mesmo tempo, passou a se empenhar cada vez mais em alcançar uma sociedade mais justa e digna para todas aquelas mulheres ao seu redor. E então, em um discurso feito no TEDx Euston, ela falou um pouco mais sobre ser feminista e esse discurso foi adaptado, para o que é hoje o livro Intitulado Sejamos Todos Feministas.

"Homens e mulheres são diferentes. Temos hormônios em quantidades diferentes, órgãos sexuais diferentes e atributos biológicos diferentes — as mulheres podem ter filhos, os homens não. Os homens têm mais testosterona e em geral são fisicamente mais fortes do que as mulheres. Existem mais mulheres do que homens no mundo — 52% da população mundial é feminina, mas os cargos de poder e prestígio são ocupados pelos homens. A já falecida nigeriana Wangari Maathai, ganhadora do prêmio Nobel da paz, se expressou muito bem e em poucas palavras, quando disse que quanto mais perto do topo chegamos, menos mulheres encontramos."

Através de uma escrita clara, cativante e intrigante, a autora quebra mitos e nos impele a sermos todos feministas assim como ela, e fala, em poucas páginas, palavras que permanecerão por muito tempo conosco.

"A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."



[ - Minhas Impressões - ]

Sempre ouvi falar nessa autora e pelos elogios a sua obra, meu interesse em lê-la foi aumentando cada vez mais. Até que em março, a companhia das letras lançou o livro mais recente dela, chamado Para Educar Crianças Feministas. Então, resolvi solicitá-lo junto à editora, porém, senti que antes eu precisava entender um pouquinho do que Chimamanda fala sobre o feminismo, e então, comecei seu livro Sejamos Todos Feministas. Para mim, foi uma obra que acrescentou muito; trouxe uma série de aprendizados, e, ainda, desmistificou uma dezena de preconceitos que eu tinha presente em mim, como a maioria das pessoas tem, quando se fala em feminismo, pensando, como posto no início da resenha, que as feministas são mulheres que queimam sutiãs, não gostam de salto, maquiagem e odeiam todos os homens, mas aqui, aprendi que o feminismo é muito mais que isso, é um movimento cheio de nuances, que quer igualdade e respeito para as mulheres, assim como a luta de muitos outros movimentos, como o de gays, pessoas com deficiência e negros.

Em primeiro lugar, o que mais achei interessante, além do conteúdo apresentado, foi a linguagem totalmente acessível e próxima de nós que a autora usou, expondo seus sentimentos mais íntimos, seus preconceitos ao ouvir também a palavra feminismo, como todos nós, e também nos deixa ficarmos próximos dela ao contar casos que ocorreram consigo mesma relativos ao feminismo e suas nuances, e também adorei o fato de ela deixar algumas lições que permanecem conosco por muito tempo após a leitura.

Por outro lado, em alguns momentos, senti falta de uma continuidade, talvez por ser um discurso, então, em alguns momentos ela estava contando um caso, e aí, logo começava a expressar seus pensamentos, mas sem divisão de capítulos, porém, creio que como é um livro bastante curto, era difícil dividi-lo.

Chimamanda se mostra uma mulher que acredita de verdade naquilo pelo qual luta tão intensamente, e é aquele tipo de pessoa que percebemos que quer fazer uma diferença real no mundo, e certamente o faz, com suas obras e seus atos mundo a fora.

O livro não tem divisão de capítulos, e sua narração é realizada em primeira pessoa. A obra foi uma adaptação de um discurso que a autora fez em um evento, e confesso que me senti curiosa para saber se temos o discurso integral, ou se algumas partes foram cortadas e quais as adaptações realizadas, mas creio que para aqueles que compreendem a língua inglesa o original é um discurso acessível no youtube.

Recomendo para leitores que gostariam de conhecer a obra da autora, e, também, que querem entender um pouco sobre o que é feminismo, pois essa, certamente é uma obra extremamente esclarecedora, até mesmo para quem não conhece nada sobre o tema, como foi o meu caso e nos leva a aprender que homens e mulheres tem direitos iguais; que esse estereótipo de feministas raivosas é criado por pessoas que sequer entendem o que é feminismo, e nem procuram entender e que, precisamos sim, lutar e lutar e lutar diariamente por uma sociedade mais justa, igualitária e menos preconceituosa, e que precisamos caminhar cada vez mais longe nessa longa estrada na qual damos pequenos passos todos os dias.

23 comentários:

  1. Ola
    Esse livro está na minha lista de desejados há um bom tempo, especialmente por sua importancia diante de debates tão atuais. Acho muito interessante que se trata da adaptação de um discurso e que bom que a linguagem se mostra acessível, isso é fundamental.
    beijos, |F

    ResponderExcluir
  2. Oi Tamara, tenho muita curiosidade para ler este livro, principalmente por ser originado de uma palestra da autora. Acredito muito nas coisas que ela defende, por isso tenho quase certeza que a leitura será óima para mim.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Tamara!!!
    Nossa, me surpreendi com a temática do livro. Eu particularmente nunca me interessei por livros que focam em determinada causa por, às vezes, nos forçarem a aceitar a visão do autor. Mas esse parece ser diferente e posso afirmar que me interessei muito pela leitura. Sua resenha despertou uma curiosidade grande e espero ter a oportunidade de ler o livro em breve.
    Bjs e até mais!

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas ainda bem que gostaste assim tanto de fazer a leitura, fiquei algo curioso...

    Mas não farei a leitura, não faz muito o meu tipo de leitura.. E sem divisão em capítulos, nada feito!! :) ahah

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Eu sou homem, mas sou simpatizante das feministas. Até hoje não fiz a leitura dessa obra e acho o título muito instigante, parece ser realmente um livro maravilhoso. A sua resenha me deixou mais por dentro do que é contado e fiquei animado em fazer a leitura, ainda mais ao saber que a escrita é acessível! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Então, não conhecia a obra, mas parece ser muito interessante. Como sou feminista, acho importante ler coisas assim, ajuda a esclarecer aos demais o que o feminismo defende. Gostei bastante da tua resenha, me deixou animada, pois dá pra notar que é um livro que não defende ideias absurdas como muitos dizem que o feminismo o é. Seria legal se as pessoas procurassem mais obras assim pra entender do que se trata.
    http://oxenteleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Esse e-book tá sempre de graça na Amazon, então numa dessas vezes, eu baixei e li e foi bem esclarecedor! Faz um tempinho, e me ajudou bastante a entender um pouco o movimento feminista e o que me fez adentrar a ele, na verdade.
    Que bom que você gostou também!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  8. Oi. :)
    Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas a premissa é boa.
    Feminismo sem tem muito assunto pra se abordar, o que só enriquece a leitura.
    Adorei suas impressões sobre o livro, e vou dar uma procurada pra ler.
    Obrigado pela visita no Blog As Meninas Que Lêem Livros.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bom?
    Não conhecia a autora nem o livro, e amei a idéia!
    Vivemos em um mundo onde é necessário realizar esse tipo de leitura vez ou outra para tentar compreender o que nós, mulheres, passamos todos os dias e toda a vida. Amei muito mesmo, parabéns a ela e a você pela bela resenha :D

    ResponderExcluir
  10. Oi, eu estou com esse livro pra ler, mas não tive a oportunidade de fazer isso. Já ouvi falar da autora, tanto em livros quanto em músicas e documentários. Não imaginava isso sobre o livro, mas depois de apresentar um pouco sobre as suas impressões pude notar que ela mostra um lado do feminismo de verdade, o feminismo que tem a igualdade de gênero como objetivo.

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Tamara, como está?
    Já li esse e o "Para educar crianças feministas". Essas obras são ESSENCIAIS, dizendo o mínimo, para que possamos compreender o verdadeiro feminismo e educar nossas crianças para que elas sejam adultos com caráter e respeitadores da diversidade humana.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oie...
    Adorei a resenha ;)
    Este livro está nos meus desejados faz bastante tempo... Gosto de assuntos feministas, e inclusive, muitos tem esse mau hábito de achar que ser feminista é odiar homens e não se embelezar, mas, esse termo vai muito além disso.
    Quero ler ❤
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    O que dizer da Chimamanda, né? Eu acho ela uma mulher incrível e, sem dúvida, muito inspiradora.
    Li esse livro mês passado, para o Dia Internacional da Mulher, e já tinha assistido ao discurso que o originou. Acho muito interessante a maneira como ela fala sobre o feminismo, pois, como você ressaltou, é com uma linguagem muito acessível, facilitando a compreensão de quem não tem muito contato com o assunto.
    Considero essa uma obra que todo mundo deveria ler, para que as pessoas se conscientizem de que feminismo não é uma oposição entre homens e mulheres, mas uma busca para um mundo mais justo e igualitário.
    Adorei sua resenha! É, sem dúvida, uma ótima dica!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oiii tudo bem??

    Não conhecia o livro, nem a autora, mas não tenho andado com animo nesse tipo de livro.
    Acredito que não iria me prender,
    adorei a resenha e adorei conhecer um titulo novo, mas espero conseguir me identificar mais futuramente.
    Bjs Rafa

    ResponderExcluir
  15. Oi, Tamara

    Eu quase solicitei o novo livro dela, mas, assim como você, senti que precisava ler esse primeiro. Mas acabou que eu solicitei outros, entretanto, esse livro aonda será lido. O feminismo está sendo debatido cada vez mais e o assunto não pode morrer!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Olá Tamara,
    Esse discurso precisa ser entregue para todas as pessoas do mundo, lido, relido, lido de novo. Entretanto, apesar de saber da importância dele, me senti como você: falta de uma continuidade de um trabalho maior entre as páginas, mas, apesar disso, a leitura me agradou ao extremo.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  17. Tem a palestra legendada também, super indico! Adorei ler esse livro, me abriu muito a mente e foi um grande marco para que eu entrasse no movimento, confesso que hoje vejo ele como algo raso, não aborda vertentes nem nada, ensina o básico, mas é extremamente importante, e Chimamanda é ótima em tudo que faz.

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bom?
    Os aspectos que te incomodaram por exemplo, falta de divisão, é por ser um discurso mesmo. Infelizmente era muito curto para dividir =/ Quanto a resenha, amei ver um pouco desse livro aqui! Eu gosto muito da forma como a autora aborda e exemplifica o feminismo, desmistificando e exemplificando com situações da própria vida. Acho que esse é um livro que todos deviam ler para se despir de alguns preconceitos. Enfim! Amei ver sua opinião por aqui e espero que goste do próximo também ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Oii!!!
    Eu já conhecia esse livro, mas até hoje não surgiu a oportunidade de ler. Confesso que apesar de ser mulher, não é um tema que me interessa tanto assim. Mesmo assim, não desconsidero a leitura de forma alguma. Acho muito bom que livros assim cheguem ao conhecimento de cada vez mais pessoas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Oi, Tamara!
    Li esse livro faz um tempo e ele acabou se tornando um preferido. A Chimmamanda é incrível, eu fiquei apaixonada pelas ideias e por esse discurso dela. Acho esse texto deveria se tornar leitura obrigatória nas escolas e para a sociedade em geral. Estou louca para ler o lançamento mais recente, ainda não consegui adquirir, mas assim que der quero ler.

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Acredita que ainda não li?????????? Chimmamanda é uma das autoras que mais desejo ler ultimamente, sabe? Acabou sendo lançado até um livro recentemente pela Companhia, não é mesmo? Eu adoro os discursos dela e entre eles está o perigo da história única, é bem interessante o ponto de vista dela! Adorei sua resenha <3

    Beijos,
    Lu | http://justificou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Olá, Tamara.
    Eu acho que esse é um livro essencial para quem conhecer ou entender melhor o que de fato é o feminismo. Me identifiquei bastante com esse discurso que a Chimamanda faz e acho ela bem coerente com o que fala.
    Já quero ler sua publicação mais recente, mesmo não sendo mãe.

    ResponderExcluir
  23. Oiee Tamara ^^
    Sou tão grata pelo dia em que conheci o feminismo ♥ claro, não lembro muito bem quando foi...haha' só sei que comecei a mudar minha visão a respeito de muita coisa quando fui conhecendo o movimento, e agradeço muito por isso...haha'
    Adorei esse livro, e me tornei uma fã da Chimamanda assim que o terminei, e olha que eu ainda nem a conhecia. Recentemente ela lançou outro livro sobre feminismo, estou doida para lê-lo ♥
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir