21 abril 2017

Resenha - Dois a Dois


Título: Dois a dois
Autor: Nicholas Sparks
Cortesia: Editora Arqueiro
Skoob / Goodreads
Páginas: 512
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.
Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.
Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.
Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.








"– Será que hoje você poderia tentar ser mais cuidadoso em relação a London? Levá-la na hora nas atividades e garantir que ela coma direito? Não estou pedindo para fazer nada que eu não tenha feito durante anos."

Russell Green sempre foi um homem extremamente romântico. Nascido em uma família gentil e criado com uma irmã mais velha que ele idolatrava e que o mimava muito, ele sempre quis o tipo de casamento eterno e feliz. Após alguns namoros, conheceu Vivian, uma mulher linda, elegante e que chamava atenção por onde passava. Vinda de Nova York, de um mundo badalado, no qual ela era assessora de imprensa de um homem famoso, ela logo se encanta por Russ e ambos se casam, mudando-se para a Carolina do norte. Após algum tempo, o objetivo do casal de ter um bebê se concretiza, e após o nascimento da bebê, London, Vivian resolve que não voltará mais ao trabalho, para poder criar a filha com amor e carinho. Cinco anos depois, as coisas no casamento de Russ e em seu emprego já não correm mais tão bem: Vivian, é uma mulher que gasta de forma desenfreada com coisas supérfluas, e para não desagradar a mulher, Russ suporta tudo em silêncio. Além disso, a situação com seu chefe se torna insustentável, e temendo ser despedido a qualquer momento, ele resolve pedir demissão e criar sua própria agência de publicidade.

"– Eu não acho que você tenha feito nada de errado. É que relacionamento é uma coisa difícil, e as duas pessoas precisam querer que dê certo."

Porém, as coisas não correm como imaginado e os clientes para a nova agência de Russ demoram a aparecer, ao mesmo tempo que o humor de vivian se torna cada vez mais oscilante e seus gastos cada vez maiores. Irritada pelo novo empreendimento do marido, Vivian resolve encontrar um novo emprego, e logo o consegue, para ser novamente assessora de uma pessoa importante, mas isso faz com que seu tempo seja todo dedicado ao trabalho. Então, London, uma criança de cinco anos que precisa de amor e atenção, fica sob a responsabilidade de Russell, que precisa cuidar e alimentar a filha e ainda tentar conseguir novos clientes. A medida que as coisas em seu casamento pioram, ele descobre um novo sentido para a vida e encontra um amor mais profundo pela filha do que imaginava existir, e em meio a dias caóticos, perdas e sofrimentos, Russell e London aprendem a viver juntos e criam um laço inquebrável entre pai e filha.

"– Pode ser. Mas pense no jeito como você tem cuidado dela. Sei que não foi fácil, mas você levantou da cama, foi lá e fez, e ela é uma menina feliz. E ser pai é isso. Você faz o que é preciso, e ama sua filha da melhor maneira de que é capaz. É isso que você tem feito e sinto muito orgulho de você. – Ele fez uma pausa. – Enfim, é isso que eu penso."

Deixando um pouco de lado suas abordagens extremamente românticas, Nicholas Sparks traz, em seu novo livro, um pai descobrindo sua filha e um homem lutando profundamente por sua família, de uma forma que encanta, emociona e nos leva a profunda reflexão.

"Marge gostava desses filmes porque eles não eram reais. O medo que ela sentia durante a projeção era temporário: começava e depois terminava, e ela saía do cinema emocionalmente esgotada, mas ao mesmo tempo aliviada por estar tudo bem no mundo. Ao mesmo tempo, podia confrontar, ainda que só por um tempo, um dos sentimentos inevitáveis da vida, a raiz de nosso instinto universal de lutar ou fugir. Obrigando-se a ficar no cinema apesar do medo, acho que Marge sentia que podia sair mais fortalecida e bem-equipada para encarar os terrores de verdade que a vida lhe reservasse."



[- Minhas Impressões -]

Assim que vi a sinopse desse livro, e descobri que ele abordaria um enredo entre pai e filha, logo fiquei interessada. Em primeiro lugar porque eu amo obras que trazem crianças, e em segundo lugar porque foge um pouco do padrão romântico de Sparks. E logo que comecei a obra, percebi que seria um livro viciante e que eu devoraria, pois a cada minuto livre que tinha, eu queria ler. Porém, ele foi também uma daquelas obras que me deixou maluca, me fez sentir raiva, tristeza, felicidade, e me fez chorar em alguns momentos, e por várias vezes eu gostaria de entrar na trama para abraçar, brigar e falar com os diversos personagens.

Como eu previ na sinopse, esse é um livro bastante diferente dos que já li do autor. Para começar, ele tem uma espécie de megera que me irritou muito, o que pouco encontrei nos livros do autor, pois geralmente os personagens são todos bonzinhos. Também, nesse livro encontramos um protagonista bastante maduro, que é romântico, mas esse não é o grande foco do livro. Senti aqui, que encontramos traços biográficos de Sparks, que talvez, nessa obra tenha resolvido abordar uma desilusão amorosa, por ter passado recentemente por uma separação de sua esposa de décadas. Ainda, podemos encontrar traços biográficos na relação que o personagem, Russell, constrói com sua irmã, Marge, do mesmo modo que Nicholas nos relata no livro "Três semanas com o meu irmão", uma espécie de biografia, que tinha uma relação assim incrível com sua irmã, Danna.

O ponto mais positivo para mim, foi, certamente, a abordagem extremamente realista das coisas, apesar de trazer alguns clichês no meio do caminho, como a maioria dos livros de romance trazem. Aqui, encontramos uma abordagem bastante humana dos casamentos e a luta por fazê-lo dar certo; encontramos reflexões sobre as tentativas que fazemos de agradar a uma pessoa que não se deixa ser agradada, e ainda, encontramos uma belíssima relação entre pai e filha, com a qual nos emocionamos por diversas vezes. Além disso, o livro trouxe uma surpresa, ao final, relacionada a uma questão bastante dramática, para a qual a sinopse não nos prepara e que me fez derramar várias lágrimas, mas que, ainda assim, gostei muito.

Na verdade, não encontro muitos pontos negativos a destacar, porém, o livro todo me deixou agoniada pois eu queria brigar o tempo todo com uma personagem que me irritou muito, e durante toda a leitura eu sentia certa vontade de entrar na obra e bater nela. Também, creio que para leitores que não gostam de uma carga um pouco mais dramática, a leitura pode ser um tanto decepcionante ao final, mesmo ele não sendo todo focado em dramas.

Os personagens, são bastante interessantes, em especial, a família de Russell, seu pai, sua mãe, Marge e Lis e são uma família que transmite amor e carinho a todo momento, cada um de seu modo. Emily, uma personagem que surge no decorrer do livro também me agradou muito, e acabou se tornando uma das personagens femininas de Sparks que mais gostei. Já Russell, foi um homem que em alguns momentos me deixou irritada com toda a sua bondade e suas tentativas de fazer algo que ele via estar destinado ao fracasso dar certo, mas me vi um pouco nele, com toda essa persistência. London, a filha de Russ, é uma criança encantadora, inteligente e é daquele tipo de personagem que conseguimos imaginar com perfeição. Já Vivian, a esposa de Russ, me irritou o livro todo e não consegui gostar dela um minuto sequer.

O livro é narrado em primeira pessoa, dividido em vinte e seis capítulos acrescidos de um epílogo, e durante a leitura, encontrei poucos erros.

Recomendo a obra para os fãs de Nicholas Sparks, ou ainda, para aqueles leitores que gostariam de conhecê-lo e não sabem por onde começar. Essa, certamente é uma obra recomendada em qualquer momento e creio que grande parte dos leitores que gostam da mistura de romance e drama gostarão de realizar essa leitura.

10 comentários:

  1. Oi Tamara!

    Tudo bem? Então, não sou a maior fã do Nicholas Sparks, pra falar a verdade os livros dele não me interessam em nada (apesar de adorar as adaptações de Diário de Uma Paixão e Um Amor Pra Recordar. Louco né? Eu sei!) então eu até vi algumas coisas de Dois a Dois antes do lançamento, só que mesmo sabendo que a história é um romance (coisa que eu realmente adoro!), que foca na relação do pai e sua filha (o que em geral me faria correr pra ler!) e que tem coisas diferentes dos outros livros do Sparks eu simplesmente não me interessei.

    Mas enfim, é legal saber que ele aborda o casamento de uma maneira realista e sem romantizar e idealizar isso este realmente é um ponto positivo. E é uma verdadeira mudança você dizer que mesmo tendo personagens românticos eles não são o foco na trama.

    Beijinhos - Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem??

    Estou com esse livro aqui em casa por ter adquirido ele no lançamento aqui na minha cidade ♥ (foi lindo ver o Sparks)
    Ainda não li a obra -falta de tempo mandou abraços-, mas achei muito bacana esse toque de realismo e a fugida do padrão "Sparks de escrever um livro". Acho que também vou gostar da leitura :)

    Beijos
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!!
    Li alguns livros do Nicholas e de todos que eu li gostei muito de a Última Música,apesar de ter chorado horrores,e sempre algum personagem morria,então sempre fiquei com o pé atrás com esse autor,e pelo fato do gênero não ser meu favorito fiquei bastante interessada na sinopse e espero poder fazer essa leitura logo logo,e conhecer um pouco sobre esse relacionamento de pai e filha.
    Sempre tem que ter um personagem megera né?!! =P

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2017/04/resenha-irmaos-de-sangue-trilogia-sina.html

    ResponderExcluir
  4. Oi Tamara, tudo bem?
    Eu morro de vontade de ler os livros desse autor, pois muitas pessoas vivem falando super bem das suas obras e como gosto bastante do gênero, acredito que iria me agradar. Esse livro parece mesmo fugir um pouco do padrão dos outros, já que a paternidade está mais em evidência do que o romance.. pelo menos, foi o que pareceu para mim. Adorei saber que o autor aborda a questão do casamento de forma bem realista e que há traços de sua vida na história, isso é muito legal. Quero ler e espero gostar como você.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Até hoje não fiz a leitura de nenhum livro do autor, vejo muitas pessoas falando muito bem dele, e por outro lado, vejo outras fazendo críticas negativas. Eu quero tirar minhas conclusões, pois não sigo opinião alheias, por isso já estou fazer uma listinha de qual livro do Nicholas eu devo começar a ler. Fiquei bem interessado por essa obra e já adicionei na minha lista de desejados, e essa pegada de realidade e relacionamento entre pai e filha é bem interessante! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Amore,
    Sou fascinada pelos livros do NS... todos são sempre muito lindos... confesso que fiquei um tempo sem ler ele por que achava que os enredos dos livros eram sempre muito parecidos... mas... lendo a resenha desse e vendo essa capa linda, fiquei com saudade da escrita dele... anotei a dica aqui!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bom?
    Eu gosto muito das histórias de Nicholas Sparks, mas normalmente prefiro os filmes do que os livros (ele é o único autor com quem isso acontece, juro! rs). Não sabia do que esse livro se tratava, mas já amei a narrativa e amei saber que se trata da história de um pai e filha. Muito diferente e se for como A ultima musica, sei que 1
    vou me emocionar. Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Não sabia que esse livro fugia um pouco do que o autor está acostumada a escrever. Adorei saber que ele conta a história de pai e filha. Fiquei muito interessada em ler. Eu provavelmente vou brigar muito com essa personagem que ainda nem sei quem é. Me irrito fácil, mas adoro ter esse sentimento de amor e ódio durante a leitura.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Tamara, tudo bem? Sempre tive um pouco de preconceito pelos livros do autor, primeiro porque não é meu gênero favorito, e também por algumas resenhas e comentários que vejo por aí, mas a sua realmente me animou. Acho bacana quando um autor tenta sair do conforto, criar algo diferente do seu usual. Fiquei curioso para ver como ele se saiu e provavelmente será minha primeira leitura dele. Parabéns pelo texto! :D

    Atenciosamente

    Tiago Valente
    http://avidalida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu sempre gostei muito do autor, então quando vi esse livro fiquei super animada e já o quis, mas como sempre faço não tentei saber muito sobre a história, só que a capa me fez entender que seria um enredo entre pai e filha e isso eu gostei bastante. Bom, eu estou com o livro aqui para ler, por essa razão acabei lendo sua resenha meio por cima, pois não gosto de saber muita coisa da história antes de ler a mesma, mas pelos seus comentários deu para perceber que a obra está realmente muito boa. Gostei bastante de saber que o livro está bem diferente dos outros do autor e que há uma abrodagem bem realista.

    Beijos :*

    ResponderExcluir