21 dezembro 2016

Resenha - O Menino no Alto da Montanha



Quando Pierrot fica órfão, precisa ir embora de sua casa em Paris para começar uma nova vida com sua tia Beatrix, governanta de um casarão no topo das montanhas alemãs. Mas essa não é uma época qualquer: estamos em 1935, e a Segunda Guerra Mundial se aproxima. E esse não é um casarão qualquer, mas a casa de Adolf Hitler. Logo Pierrot se torna um dos protegidos do Führer e se junta à Juventude Hitlerista. O novo mundo que se abre ao garoto é cada vez mais perigoso, repleto de medo, segredos e traição. E pode ser que Pierrot nunca consiga escapar.








Título: O Menino no Alto da Montanha
288 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Companhia das Letras || Onde Comprar










O título O Menino no Alto da Montanha, juntamente com a sinopse da obra, me remeteu muito ao Menino do Pijama Listrado e, com isso, já tinha uma certa noção do que me aguardava pela frente. 

Todo o livro é estruturado pelos acontecimentos da Segunda Guerra Mundial e, na primeira de suas três divisões, conhecemos Pierrot, um garotinho com uma família desestruturada que estava em constantes discussões, mas, mesmo assim, uma família. O seu porto seguro era o melhor amigo Arshel, um judeu, mas a pureza do coração de Pierrot não entendia muito bem o que a origem da pessoa interferia no convívio pacífico e nas boas relações entre elas. 

Nesta primeira parte, fiquei incrivelmente encantada pela forma em que Johm Boyne descreve a amizade de Pierrot e seu melhor amigo judeu. Em meio a tantas pertubações, o jeito doce de tentar entender o mundo suavizou o caos de tantas discussões. 

Devido à Guerra, chegamos à segunda parte do livro com uma tragédia: Pierrot perde os pais e precisa passar um tempo em um orfanato no interior da França, até que consiga ir morar com uma tia. Por uma infeliz ironia, a tia trabalha na casa do todo poderoso, Adolf Hittler, responsável por provocar as consequências indesejadas na vida do menino, o "obrigando" a esquecer todo seu passado a fim de não causar mais problemas. 

" O aniversário de oito anos de Pierrot chegou e passou. Nesse meio tempo, o Führer se afeiçoou ainda mais ao menino"

Nesta nova realidade, Pierrot é designado a mudar seu comportamento e decidir em qual lado da força queria ficar: ao lado que acreditava que deveria seguir, devido às influencias do poder; ou ao lado de seus princípios natos, da sua tia que o acolheu. Mesmo com pouca idade, o garotinho já sabia distinguir o certo do errado e, para ele, tomou a decisão correta.

Em uma nova parte do livro, conhecemos a outra face de Pierrot, um garoto que passou da perda dos pais ao envolvimento com os planos de Hittler. À medida em que o leitor vai avançando nos acontecimentos da obra, vai ficando cada vez mais chocado, principalmente nesta parte, pois Pierrot sabe dos planos do mestre e sabe do infeliz destino que aguardavam os judeus. Será que restava algum sentimento pelo seu melhor amigo da infância capaz de trazer o garotinho de volta para seus princípios, ou será que Hittler com todo seu poder e influência conseguiu apagar da memória deste toda sua essência e bondade?  É uma questão que vale a pena pagar para ver! 

"Era a última carta de Anshel que Pierrot se dera ao trabalho de guardar. Ele abriu o envelope outra vez e leu as primeira linhas. Não havia nenhuma saudação, nenhum "Querido Pierrot", apenas o desenho de um cachorro e algumas frases apressadas:


Escrevo com pressa, tem muito barulho vindo da rua e Maman disse que o dia de partir finalmente chegou. Ela embalou nossas coisas, as mais importantes, e faz semanas que está tudo nas malas perto da porta da frente. Não sei para onde vamos, mas Maman diz que, para nós, não é mais seguro ficar aqui. Não se preocupe, Pierrot, estamos levando D'Artagnan conosco. E você, como está? Porque não respondeu Às minhas duas últimas cartas? Aqui em Paris está diferente. Eu queria que você visse como."

Finalmente a Guerra terminou. Boyne, neste cenário de guerra, lamentações e perdas, nos trouxe como foco principal três fases da vida de um garoto que se fez subordinado aos mandamentos de Hitler. A sensibilidade usada pelo autor emocionou o leitor nas três partes do livro, nos mostrando Pierrot antes da guerra, durante a guerra e o que restou da sua vida e caráter após a guerra, devido a tudo o que fora obrigado a vivenciar e realizar. 

O final do livro é, de certa forma, trágico. O caminho escolhido pelo garoto nos faz refletir nas consequências que este infeliz acontecimento trouxe para a vida das pessoas que realmente vivenciaram os tempos de guerra. 

Conforme comentado no início, vim preparada para  uma emocionante história de amizade pela menção de O Menino do Pijama Listrado e fui surpreendida. Sim, é uma história emocionante, agonizante e reflexiva. Temos uma bonita história de amizade no começo, mas a finalidade do livro é chamar a atenção para a realidade dos judeus e nos mostrar como uma alma pura e coração inocente podem ser totalmente destruídos a custo do poder. 

Leitura indicada para quem tem um coração puro e está aberto para se envolver com a história de vida de uma criança mal tratada pela Guerra!

Não é uma garantia de lágrimas e emoção, mas é bem provável que elas aconteçam! 

"- Acha que podemos voltar a ser crianças de novo? - Sacudi a cabeça e sorri. - Aconteceram coisas demais para isso ser possível, eu disse. Mas você pode me contar o que aconteceu após deixar Paris. E, depois disso, somente o futuro dirá."

18 comentários:

  1. Olá Amanda
    Já ouvi vários comentários a respeito desse autor, ainda mais porque já li O menino do pijama Listrado e conheço um pouco de seu estilo. Assim tenho muita curiosidade em ler esse livro em especial. Por isso, é claro que adorei poder conferir suas impressões a respeito. Fiquei bem curiosa sobre o desenvolvimento, os personagens e especialmente o desfecho. Espero poder ler logo!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Gosto muito de livros com o pano de fundo da Segunda Guerra Mundial e há tempos estou interessada em ler essa obra. Não sabia que o livro tinha uma carga tão pesada de emoções e fico temerosa agora, já que você disse que o final é trágico, embora nos leve a refletir sobre nossas escolhas. Gostei muito da sua resenha e me deu um excelente vislumbre do que esperar da obra.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  3. John Boyne sempre escrevendo maravilhosamente bem, né? E também sempre botando uma pitada de realidade, sem maquiar os acontecimentos. Me interessei muito pela leitura. Parabéns pelo blog e pela resenha.
    Tem resenha nova no meu, se quiser ler :)

    http://livrosechimarrao.blogspot.com.br/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda,
    Eu já li "O menino do pijama listrado" e adorei o livro.
    Já com as primeiras informações que você me deu acerca da primeira e da segunda divisão, eu me senti tentada a ler "O menino no alto da montanha". Depois, me senti extremamente curiosa para descobrir como Pierrot passou a agir, a partir do momento que fez sua escolha. E seus comentários finais só aumentaram a minha curiosidade em relação a obra de modo geral. Eu sempre gostei muito de ler livros que abordem de alguma forma a Segunda Guerra Mundial, dica anotada.
    Muito bom!
    Beijos
    Historiar


    ResponderExcluir
  5. Hi baby, tudo bem? esse livro já está na minha lista a algum tempo e só vejo elogios para ele! vou ler com toda certeza, saber que você gostou já é mais um empurrão para começar a ler ele o quanto antes! excelente resenha, parabéns!

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Oie, amanda eu gosto de livros que envolvem a segunda guerra e há tempos não leio um. Bacana que o livro é bem realista no sentido de falar sobre as consequências da guerra para aqueles que resolvem não seguir o lado bom. Acho que precisamos de mais obras como essa já que poucas trazem o lado dos alemães. Também achei ótimo o fato de trazer três fases do personagem, nos mostrando o antes e o depois.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Nossa anotando o título desse livro em 321, amo livros sobre guerra e minha mãe também! Esse autor realmente é impressionante nas suas histórias. E esse livro nossa realmente parece ser muito forte! Excelente resenha, não contou a tragédia, deixou o gostinho de quero mais!

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    Mandinha do céu, quando vc me falou sobre esse livro não tinha como comparar com Em algum lugar nas estrelas. Pierrot se parece muito com a personagem principal do livro, perdeu os pais, e em plena guerra mundial se depara com muitos desafios. Gostei de saber que o enredo mistura tragédia e um fato histórico que aconteceu de fato.
    Tu me deixaste curiosa!
    Beijos,
    Amanda M.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Amanda, tudo bom? Gostei da resenha!! Eu já li dois livros do autor e acho que esses dramas, especialmente envolvendo crianças e guerra, é uma característica sua. Eu li O Menino do Pijama Listrado e amei. Acho que O Menino no Alto da Montanha será uma leitura bem proveitosa também. Espero gostar!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá! Tudo bem por aí?

    Eu adoro o John Boyne! Ainda não li "O menino no alto da montanha", mas, junto com "O Pacifista", é uma das minhas leituras planejadas para o ano que vem. Conferir suas impressões sobre o livro foi ótimo, pois fiquei com mais vontade ainda de lê-lo. Como você disse, não é garantia de que as lágrimas rolem, mas é certeza se emocionar. As histórias do autor têm esse poder, afinal, ele é incrível!

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  11. Quando eu estava lendo a sinopse do livro também me veio a mente o menino do pijama listrado com todo aquele fundo de guerra e tal. Sou apaixonada por o menimo do pijama listrado, assm como gosto de tudo que esse autor escreve. Acabei de comprar esse livro, vamos aguardar chegar e ver o que ele me tras. Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá Amanda,
    Estou louca para ler esse livro, pois tenho na minha mente que, tudo o que eu ler desse autor, vai me emocionar, sabe? Curti muito a sua resenha e fiquei mega curiosa para ver como o autor mostrou um coração inocente sendo dilacerado pela busca do poder pelos outros.
    Como gosto de livros que tem como base a SGM, tenho certeza que vou adorar esse livro.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Oiee Amanda ^^
    Eu ainda não li nada do autor, mas tenho muita curiosidade de ler "O menino do pijama listrado", pois gosto de histórias sobre a 2ª Guerra Mundial. Como dizem por aí, é bom conhecer a história para evitar que ela se repita, né? Eu já tinha lido algumas resenhas deste livro antes, e tenho certeza de que vou me emocionar...haha' fico feliz que tenha gostado :)
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  14. Oi Amanda,

    Incrível como esse autor gosta de escrever coisas relacionadas a guerra. Já li dois livros dele e me emocionei com os dois. Eu vi o lançamento desse livro, mas ainda não li. Adorei que foi realmente uma leitura reflexiva, agonizante e tudo mais, espero muito ler e gostar da leitura tanto quanto você.

    Parabéns pela resenha e boas festas! <3

    ResponderExcluir
  15. Nossa preciso de uma leitura assim, que me toque como este enredo te tocou, já que podemos ver o quanto refletimos sobre a situação do poder em troca do sofrimento de outros. Gostei que o livro não focou muito em amizade, mas sim no sofrimento dos judeus, mostrando o quanto as pessoa sofrem por acreditar de forma diferente de quem está no poder.

    ResponderExcluir
  16. Oi Amanda!
    Eu AMO o "Menino do Pijama Listrado", mas além desse só li "A Casa Assombrada" que não gostei nada. No entanto, como o forte dele é histórias sobre a SGM, tem grande chance de eu gostar desse livro.
    Realmente, a premissa lembra muito "O Menino...", mas tenho interesse.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/12/critica-animais-fantasticos-e-onde.html

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu gosto muito de livros que abordem a segunda guerra mundial e por isso fiquei animada logo de cara com esse livro. Eu ainda não o conhecia, mas o autor é muito bem comentado e pela sua resenha essa obra é ótima. Fiquei curiosa para acompanhar a amizade dos personagens que parece ser realmente muito bonita. Enfim, eu gostei muito de saber mais sobre essa obra e vou marcar a dica, pois creio que vou adorar.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  18. Oie!!!
    Não conhecia o livro, mas logo pela sinopse se nota que deve ser uma leitura cheia de emoções!
    Por sua resenha imaginamos o lado que o menino escolheu e que deve ter trazido consequências até o final da estória.
    Este é um daqueles livros que tenos que estar no momento ideal para ler.
    Gostei da dica e vou gmaguardar o momento!
    Mil Bjinhos;)
    Elaine M. Escovedo
    Caminhando Entre Livros
    Http:// www.caminhandoentrelivros.com.br

    ResponderExcluir