10 novembro 2016

Resenha- Enclausurado



O narrador deste livro é nada menos do que um feto. Enclausurado na barriga da mãe, ele escuta os planos da progenitora para, em conluio com seu amante - que é também tio do bebê -, assassinar o marido.
Apesar do eco evidente nas tragédias de Shakespeare, este livro de McEwan é uma joia do humor e da narrativa fantástica. Em sua aparente simplicidade, Enclausurado é uma amostra sintética e divertida do impressionante domínio narrativo de McEwan, um dos maiores escritores da atualidade.

Título: Enclausurado
200 páginas | Skoob | Cortesia: Companhia das Letras | Onde comprar










Enclausurado foi um livro que escolhi aleatoriamente. Um tiro no escuro. Olhei a capa e o título do livro apenas e foi assim que o escolhi para ler. Eu não tinha ideia do que encontraria nas suas páginas e o que posso dizer de antemão é que foi uma leitura bem inusitada mesmo.

O narrador da história é bem peculiar e confesso que de início eu achei muito estranho, pois ela é narrada por um bebê. Ou melhor dizendo, por um bebê que ainda nem nasceu. Ele vai nos contando os planos de sua mãe Trudy e do amante dela Claude para colocar fim a vida do seu pai, e como se sente em relação a tudo. Suas reflexões sobre o mundo e sobre a vida são dignas de um filósofo, o que chega a ser meio cômico vindo de alguém que ainda não sabe nada sobre a vida. Mas o bebê consegue ter todas essas informações devido aos noticiários e podcasts que a mãe costuma ouvir.

Falar desse livro é muito complexo pois acho que é algo bem diferente de tudo que já li até hoje. Por incrível que parece a leitura nos prende do início ao fim e, através da visão do bebê, vamos acompanhando toda a trama com curiosidade, querendo saber se a Trudy vai ter coragem de ir até o fim com o plano do assassinato e tudo que vai se suceder depois.

É um livro bem complexo e que me causou certo incômodo em alguns momentos, mas acho que foi porque muita das coisas que o bebê pensava, eu imaginava "isso não está certo para uma criança". Pois imaginem só, ela nem nascer e já saber que a mãe pode se tornar uma assassina, que ela tem um amante, saber sobre os problemas e tragédias do mundo. Ter uma percepção do que é a humanidade antes mesmo de ver o mundo pela primeira vez. Então acho que isso causa um certo incômodo mesmo.

O final do livro ficou meio entreaberto e eu gostaria que tivesse sido um pouco mais fechado, pois eu gostaria de saber melhor o que aconteceu com os personagens e principalmente com o bebê depois que ele nasceu, coisa que não aconteceu, deixando a critério de cada leitor fazer suas suposições.

A leitura flui rápida e acho que parte disso é o suspense que instiga o leitor para as páginas seguintes, a fim de descobrir como tudo vai terminar. A escrita é inusitada e acho que tem uma proposta bem interessante e diferente de tudo que vi até hoje. Digamos até que bem inusitada. O que posso dizer com toda certeza é que Ian Mcewan criou um romance um tanto estranho quanto brilhante e que quando passa essa sensação de estranheza do início da leitura, se torna uma história envolvente.

Quanto à diagramação, está simples, porém impecável, com uma capa bonita e que logo de cara já chama a atenção. As páginas são amareladas, com fonte e espaçamento confortáveis para a leitura. Não encontrei erros de revisão ou digitação.

Enclausurado é um livro ideal para quem quer ler algo totalmente diferente e inovador e também queira sair da zona de conforto. Pode ser de início uma leitura incômoda, como eu disse, não pela escrita ou pela história em si, mas sim por conta do nosso narrador. Mas vale a pena a leitura de cada página e eu super recomendo.



22 comentários:

  1. Olá Camila
    Eu não conhecia esse título, mas pelo que pude perceber, é mesmo bem diferente e parece ser inovador sim, além de toda a complexidade envolvida né? Não sei se me interessei por essa leitura, mas é no mínimo, muito pertubadora. Sei lá, realmente para sair da zona de conforto.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa só pela.sinopse já da pra perceber que é um livro muito diferente, mas achei um.pouco surreal a nível cognitivo de um feto. Por outro lado vem mexer com.uma questão relativa ao que as crianças sentem quando estao na barriga da mãe. Dica anotada. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Achei a trama bem diferente, narrado por um bebê na barriga deve ser intenso para quem está lendo, pois o narrador pode ser inocente mas quem lê sabe do que ele está falando. Eu não conhecia e quando vi a capa não me interessei mas lendo a resenha eu achei intrigante e fiquei curiosa para conhecer mais.

    ResponderExcluir
  4. Eu também faço isso, vejo a capa de livro e resolvo ler sem nem saber do que se trata, haha.
    Nossa, é um livro BEEEEEEM diferentão mesmo, fiquei curiosa pra ler e saber esse final que fica entreaberto.
    Nunca li nada parecido, e espero que o autor tenha conseguido passar toda a emoção possível pro leitor numa trama desse jeito!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Olá Cami,
    Como assim o livro é narrado do ponto de vista de um bebê que nem nasceu? Que coisa mais diferente. Também achei bem inusitado as questões que parecem ser trabalhadas na obra, por exemplo, o que está acontecendo no externo. Queria entender como é dada a explicação para isso.
    Imagino como deve ser complexo falar dele, pois só de imaginar, já me sinto meio confusa.
    Claro que vou anotar a dica, preciso ler essa obra para saber o que vou achar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oiii!!!
    Nossa, fiquei impressionada com esse livro. Uma história que fala de traição e assassinato, contado pelo ponto de vista de um bebê? Nunca na minha vida eu iria pensar que existia um livro assim.
    Fiquei bem intrigada para conhecer melhor esse livro. A única coisa que desanima um pouco, é saber que o final fica em aberto, isso é algo que me incomoda muito. Fora isso, eu leria esse livro com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!! :)

    Eu não fazia ideia da existência deste livri mas ainda bem que gostaste da leitura, ainda que não tanto quanto esperava! :) Eu queria ler estes livro, mas agora não estou com tanta vontade!

    Mas ainda bem que tem essa vertente mais bizarra e equisita.. Diferente, sem duvida. Essa narração, MEU DEUS!! Mas talvez ainda faça a leitura!! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Camila
    Estou doida para ler este livro Vamos discuti-lo no nosso Clube de Leitura em fevereiro!
    Vc viu a entrevista dele no Globo Nwes Literatura semana passada? vale super a pena!
    Fiquei ainda mais com vontade de ler!
    Bjks mil

    www.maeliteratura.com

    ResponderExcluir
  9. Imagino que ficaria incomoda também, pois sem dúvida isso não é coisa que uma criança deveria passar. Só fiquei triste por este final em aberto não esclarecer tantas coisas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Achei a premissa desse um livro um tanto quanto cômica. Me despertou curiosidade em saber como esse plano de assassinato vai se desenrolar. Acho que assim como você me sentiria meio estranha em relação a esse bebê que tem toda essa percepção do mundo antes mesmo de conhecê-lo. Mas, quem sabe... pode ser uma ótima experiência.
    Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi!

    Nossa, que livro DIFERENTE mesmo. Achei um tanto quanto bizarro ser narrado por um feto, mas confesso ter achado curioso. Não sei se gostaria de ler, acho que me sentiria incomodada - talvez seja o propósito do autor -, e isso me faz ficar tentada a ler. Gostei bastante das suas considerações. Vou guardar a dica para um momento oportuno.

    beijos =)

    ResponderExcluir
  12. Oiii, tudo bem?
    Ainda não li esse livro, mas traz o tema um pouco inusitado pelo que li na sinpose. Mas tenho curiosidade de lê-lo.
    Amei o post.
    Bjs Leituras da Mary ♥

    ResponderExcluir
  13. Oi Camila,
    É uma leitura realmente bem diferente e diria que para alguns, sai da zona de conforto. Mas fiquei bem curiosa em saber como se desenrola a narrativa. Acho que o fato do bebê ter toda essa percepção mesmo que de forma abstrata, é pelo vínculo com a mãe, pois pelo que pude perceber os pensamentos dele são desenvolvidos conforme a percepção da própria mãe. Posso estar enganada, mas acho que seria por aí. Adorei a dica.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  14. Olá moça, como vai?
    Sua resenha ficou otima, você conta bem como o livro é e o que vamos encontrar nele.
    Voce classifica muito bem quando diz que ele é diferente em relação aos outros.
    Particularmente achei um pouco bizarro, mas vou anotar a dica, pois me deixou curiosa!
    Beijos! ⚛

    ResponderExcluir
  15. Helloo, tudo numa nice?!
    A primeira coisa que pensei quando você disse quem era o narrador, foi: Hã?! Mas não deixei de pensar que essa estória poderia ser sim interessante. O autor colocar o bebê como personagem é inusitado e acredito que traz um impacto bem maior na estória como você mesma disse e a prova disso foi o seu "desconforto" em algumas partes.
    Fiquei super curiosa com essa estória e animadíssima para lê-la. Ultimamente estou lendo as estórias mais inusitadas possíveis ahaha.
    Ótima resenha.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  16. Devo ficar imaginando mesmo como que um feto já sabe o que significa um assassinato, deve ser uma coisa bem estranha de se ler, apesar de ser uma premissa diferente, esse pequeno 'absurdo' já me fez não querer ler muito. Sua resenha ficou muito boa, gostei bastante de suas impressões!

    ResponderExcluir
  17. Oi Camila!
    Quando a Cia. das Letras lançou esse livro e fui ler a sinopse, fiquei bem intrigada com o narrador - não é algo muito comum de se ver, um bebê narrando a história sendo que nem nasceu e vendo a construção do possível assassinado do pai (marido dela).
    E realmente algumas vezes deve ser meio incômodo a leitura, mas também deve ser interessante. Fiquei bem curiosa a respeito do desenrolar.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/11/resenha-quarenta-dias-sem-sombra.html

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda e confesso que não é o tipo de história que costumo ler, mas achei algo bem inusitado mesmo e isso me deixou curiosa e animada. Acho que também me incomodaria um pouco com o narrador, é algo estranho, visto que nunca li nada onde o narrador fosse um bebê que ainda nem nasceu. Enfim, eu acredito que é uma leitura bacana, por isso vou marcar a dica.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. já ouvi falar muito bem desse autor, mas não referente a esse livro e sim a outro titulo dele, o livro realmente tem um narrador inusitado, nunca pensaria nisso e também acho que a história não me cativaria pelo mesmo fato que você, não me entraria na cabeça um feto saber tanto das coisas do mundo,,ter pensamento e filosofar, ia ficar rindo a cada página KKK

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Apesar de ser uma leitura fluída e rápida, não leria o livro exatamente por causa dessas coisas que você achou estranho ao narrador. Eu não curti nada essa ideia de o feto pensar como um adulto e ter total consciência de tudo o que acontece em volta. Vou deixar essa dica de lado então.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Realmente é algo bem inusitado mas acho a história mais que incômoda, até um pouco dolorosa. Crueldade demais fazer um feto descobrir sobre coisas ruins no mundo, principalmente se tratando de coisas em que a mãe dele está envolvida. Ainda bem que não nascemos com essa consciência ou ninguém ia querer sair da barriga. Mas acho que me sentiria ainda pior com esse final aberto, gosto de tudo muito bem fechado e explicado.

    ResponderExcluir
  22. Oi Ca, tudo bem?

    Como assim, um feto? o:

    Creio que essa leitura é uma das que mais mexeriam comigo, pelo enredo que a obra traz.

    Sua fala me proporcionou uma curiosidade densa, estando ansiosa para conhecer a história e ao mesmo tempo com receio do que posso encontrar: "Ter uma percepção do que é a humanidade antes mesmo de ver o mundo pela primeira vez."

    Uma pena o final estar em aberto, pois uma obra assim requer ao menos uma explicação sensata após essa provocação sofrida pelos leitores de "Enclausurado".

    ResponderExcluir