10 novembro 2016

Resenha - Até o Limite




Nicole Sullivan, uma jovem estudante de Administração de empresas, sempre teve uma vida difícil por causa de acontecimento do passado, porém, acontece o que ela não esperava, surge a oportunidade de trabalhar nas Indústrias Campbell e se vingar de tudo pelo que passou, mas as coisas acabam saindo do controle quando ela se envolve com seu chefe, Daniel. O que Daniel não imagina é que, por trás daquele rosto inocente, existem tantos segredos.


Título: Até o Limite
222 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Pandorga || Onde Comprar









Um romance desenvolvido pela autora paraibana, Myrna Andreza, traz a história de Nicole Sullivan e de sua paixão repentina por Daniel Campbell.

Nicole passou por muitas privações em sua vida e vivenciou muitos acontecimentos infelizes no passado, se vendo obrigada a conquistar sozinha tudo que sonhava. Estudando Administração de Empresas, se depara com uma oportunidade única de estagiar nas Indústrias Campbell. 

Assim como para todos nós, o dia da tão esperada entrevista não foi nada fácil para Nicole, mas, mesmo com tantos candidatos, e tendo alguns ridiculamente improváveis que não se encaixavam no padrão de uma empresa como aquela, Nicole estava confiante que conseguiria. 

Dentre tamanho nervosismo, assim que chega sua vez de ser entrevistada, ela se atrapalha toda e acontece um infeliz (ou feliz?) acidente na entrada da sala do Sr. Campbell. 

“O sr. Campbell havia aberto a porta ao mesmo tempo que eu, fazendo com que eu me desequilibrasse. Sentia que estava quase caindo. Aquilo tudo parecia surreal demais. Senti um par de braços me segurando e eu me perdi. Ele me puxou para perto dele, e ficamos assim, cara a cara.” 

Após o susto, realmente Nicole estava certa! Conseguiu garantir seu lugar nas Industrias Campbell e também, ironicamente, no coração do dono de todo aquele império em que ela se encontrava: Daniel Campebell. 

"No caminho não parei de pensar em Nicole, tão vulnerável. Cheguei ao meu apartamento e ele estava totalmente apagado, com o silêncio confortável de sempre, mas senti falta de algo. Como é que podia? Mal a vi e ela não me saía do pensamento, só podia estar ficando louco.”

No enredo, a relação dos dois se intensifica. Pode ser que o leitor ache uma daquelas histórias bem clichês, mas logo no começo já gostei de todo contexto que a autora expôs, a trama teve um início bem construído. 

Infelizmente, no decorrer da história, a paixão de Nicole e Daniel se intensifica, e a Autora se perdeu muito ao demostrar a forte atração que os envolvia, caminhando para um lado mais erótico, o que, ao meu ver, fugiu totalmente do objetivo da história. 

O sentimento de vingança que Nicole sempre carregou acaba sendo momentaneamente ofuscado pela repentina paixão por Daniel, ou seria tudo parte do plano de Nicole? É uma importante questão que fica no ar no desenrolar da trama e que pode deixar o leitor agoniado para juntar todas as peças, montar o quebra cabeça e desvendar o mistério que cerca a vida daquela misteriosa moça. 

"Será que a máscara de inocente de Nicole vai cair? E quando Daniel descobrir tudo, seria ele capaz de perdoar ela? Ou ela sentirá a ira do magnata? Até que ponto brincar com os sentimentos dos outros pode ser divertido? Respondendo a estas e outras perguntas, Até o Limite é a obra que vai desafiar o leitor a perceber que nem tudo é o que parecer ser."

Até o Limite foi a primeira obra que li da Editora Pandorga. Ao ler a sinopse, tive a sensação de ser uma história de amor, paixão, romance e vingança. Uma daquelas histórias de deixar o leitor aficionado e com uma ansiedade imensa para o desenrolar e desfecho da trama. 

Quando recebi o livro, a capa não me chamou muita atenção. Não trazia toda aquela sensação carregada pela sinopse e amargava no senso comum de livros da história realmente presente. 

Ao me deparar com a trama, gostei muito do enredo, da história em si, da personagem principal, Nicole, e por sua garra de lutar até o fim pelo que almeja. 

Infelizmente, fui bruscamente surpreendida. O que era para ser um romance, acabou virando uma terrível tragédia literária. A autora, Myrna Andreza, exagerou, sem escrúpulos, no erotismo que o livro trouxe, uma vez que, a minuciosidade demasiada das cenas íntimas, mesmo que em pensamento da personagem principal, sobrecarregou o equilíbrio da paixão que pairava sobre os personagens.

Peço perdão aos leitores, mas terei que destacar uma parte da história que, mesmo sendo a referência de um sonho de Nicole, fiquei abismada com o conteúdo que a autora expôs. Desejei que houvesse uma restrição etária para certos livros, pois, para muitas pessoas, o mundo literário começa bem cedo e mesmo as crianças e pré adolescentes de hoje tendo mente/discernimento um tanto quanto avançados, quem deseja publicar uma obra deve ter consciência de que a história atinge a todo tipo de público, inclusive crianças entre 10-12 anos, se tornando totalmente imoral um conteúdo tão erótico quanto este. Seria "aceitável" se na sinopse fizesse pelo menos menção deste tipo de cena, para que assim o leitor pudesse ter em mente do que encontraria pela frente

"Sua mão esquerda vai ao encontro da minha saia e a direita continua em meu peito enquanto ele suga o outro mamilo. Serviço completo, era isso que eu estava tendo, e queria receber mais, bem mais. Sinto sua mão máscula em minha coxa e fico mais molhada ainda. Posso dar adeus a esta calcinha porque a pobre se encontra em um estado bastante crítico. Ele continua com a brincadeirinha e eu não estou aguentando. (...) Minha calcinha ensopada é afastada e gemo de antecipação". 

Em alguns momentos, me peguei obrigada a continuar a leitura, pois tinha esperança de que tais descrições desnecessárias cessassem, e, novamente, fui desapontada! 

Mas, saliento que a "pegada hot" vem ganhando espaço na literatura nacional, de modo que é indispensável observar de que há possibilidades de obter sucesso para com aqueles que apreciam tal gênero. 

Sobre a escrita, senti muita falta da variedade linguística exigida em um enredo como este. Os capítulos se iniciam com o ponto de vista de Nicole e Daniel, intercaladamente. Aqui a autora pecou muito no desenvolver preciso e conciso da história, "batendo na mesma tecla" do que acontece no final de um capítulo e no início de outro, repetindo a mesma cena, alternando apenas a visão dos personagens.

Também falhou no que diz respeito à repetição de adjetivos toda vez que mencionava uma qualidade que desejava imputar a certo personagem, sobretudo, Daniel. A autora sempre se referia à Daniel Campbell da mesa forma: "a voz rouca de Daniel", "com a voz rouca de Daniel", "sussurrou aquela voz rouca" - isso colocou uma terrível monotonia no desenrolar da história.

Enfim, Até o Limite traz, através de todo erotismo desnecessário, uma boa história, mas ficou aquém de obras literárias que merecem recomendação.



22 comentários:

  1. Oi Amanda, tudo bem?
    Não sei se é certo dizer, mas a sinopse me pareceu um pouco clichê, mas só lendo para ter certeza mesmo. Não sei se teria vontade de ler, talvez porque não faz muito meu estilo ou porque já li algumas histórias parecidas, e no fim se torna repetitivo. Uma pena que a leitura não foi proveitosa para você..
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Não vou negar que eu amo livros com uma pegada hot, mas infelizmente as brasileiras que escrevem esse gênero, a maioria ainda tem um estigma de 50 tons e simplesmente não evoluem. Tem a mesma fórmula, principalmente aquelas que vieram do wattpad, logico que tem exceções, mas é verdade.

    ResponderExcluir
  3. Eu não conhecia o livro e até achei que fosse ficar interessada ,as exagerar no erotismo não me agrada. Eu gosto bastante de livros eróticos mas precisa haver um entrosamento entre as cenas hot e toda a trama, pelo que percebi isso não acontece nesse livro e não fiquei interessada em ler. E falta de variedade na linguística, poxa, já coloca um hot forçado e exagerado e ainda que fica na mesmice de palavras repetitivas.. passo longe

    ResponderExcluir
  4. Não sou de ler livros hot, apesar de estar tentando dar chances à esse gênero, mas esse não me chamou atenção.
    Acho que me irritaria essa repetição de adjetivos e não iria gostar dessas cenas fortes.
    Mas obrigada pela dica!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Olá Amanda,
    Confesso que tinha uma impressão parecida com a sua ao começar a ler sua resenha, mas a minha vontade foi murchando. Que pena que a autora exagera nas cenas de sexo e faz descrições minuciosas. Não gosto de obras desse gênero, mas leio algumas, pois posso tirar algo, coisa que parece que não vou encontrar nesse livro.
    Não vou anotar a dica, pois esse livro não é, definitivamente, pra mim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas e uma pena que não gostaste da leitura para recomendares nem um pouco... :) EU também na leria!!

    Primeiro, não gosto de leituras eróticas ou hot. Depois, também odeio quando há muita repetiçao e a variedade linguística e bastante reduzida!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda
    Que pena! Eu não li este livro, ma gosto muito dos livros da Pandorga.
    Ás vezes é difícil encontrar este equilíbrio, ne? ter uma pegada hot, com cenas mais quentes, mas sem exagerar.
    Fiquei curiosa para ler este livro sim:)
    Bjks mil

    www.maeliteratura.com

    ResponderExcluir
  8. Este início ficou muito a la 50Tons. Acho desnecessário isso. A princípio me interessei pelo enredo por conta da vingança, mas no decorrer da resenha meu interesse foi diminuindo. Este excesso de repetições linguística acontece em um série que estou lendo, e até citei como um vício de linguagem na minha resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. OI Amanda, eu gosto de clichês mas esse não me chamou muita atenção. Não gosto muito de cenas de sexo explícitas assim e pelo o que parece a autora perdeu um pouco do foco da vingança da Nicole para a parte hot do livro. Acredito que poderia ter sido melhor desenvolvido.
    Ótima resenha, muito sincera. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi Amanda,

    Não conhecia a obra, mas não fiquei atraída por sua sinopse, ao contrário de ti. Acho que a pegada erótica nem é um problema, mas ela precisa fazer algum sentido dentro da trama. Quando o autor exagera nisso, é claramente falta de conteúdo para mim. Paixão não é totalmente ligada ao sexo. É muito mais que isso. Adorei suas considerações, não é um livro que eu pretendo ler.

    beijos =)

    ResponderExcluir
  11. Oi Amanda,
    Parabéns pela crítica construtiva da obra, são poucas pessoas que conseguem expor suas opiniões em não gostar de uma obra de maneira sensata e sem "agressões". Uma pena a história ter se perdido durante a leitura e concordo plenamente referente a sinopse. Voltei a resenha para ler e realmente não dar um indicativo de que a obra carrega cenas tão hots. Para mim, seria mais um livro envolvente, com uma pegada vingativo, o que não aconteceu. Uma pena, infelizmente.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  12. Oiii!!
    Eu não conhecia o livro e gostei bastante da sua sinceridade ao falar do que podemos encontrar nesse livro. Sinceramente, não gosto de livros que envolvam erotismo. Me sinto desconfortável para ler. Uma pena que as cenas sejam tão detalhadas como a que mencionou, se a história ficasse entre o romance e a vingança sem tanto erotismo, com certeza eu leria.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Helloo, Amanda! Tudo numa nice?!
    Wow, acho que poucas pessoas realmente falam de forma tão explicativa alguns problemas do universo hot que está se intensificando na literatura brasileira - de forma sensata e coerente. Uma das coisas que me incomoda mesmo é essas descrições desnecessárias que acaba deixando feia a leitura e cansando. Não leio livros eróticos, hots e new adults por causa disso - já li alguns de época e new adult e percebi que não é o meu gênero. Desde o início pensei que a estória seria clichê e que levaria ao que chegou as suas impressões. A capa já sinalizava tudo para mim. De qualquer forma esse é um livro que eu realmente não leria pela sinopse e nem pela capa que deixa a desejar e que já implica livros do gênero hot que não leio.
    Enfim, ótima resenha.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  14. Nossa, te entendo perfeitamente, odeio quando a autora começa uma história que tem tudo para ser brilhante, mas se perde completamente e acaba transformando em um porno escrito, sério, tem vezes que até acho cansativo. Ainda assim essa premissa me agradou bastante e a capa chama atenção, então talvez desse uma chance. ótimas palavras!

    ResponderExcluir
  15. Oi Amanda,
    Nossa que coisa chata que aconteceu com você. Acho que realmente o problema do livro não é seu teor erótico que eu particularmente até gosto mas sim o livro não deixar avisado na sinopse o qur você vai encontrar em sei conteúdo. Fazendo com que muitas pessoas leiam e acabe tendo esse mesmo choque que você.
    Outra coisa que não curti muito foi o início da história que achei bem idêntica com o que acontece com Anastácia e o Gray em cinqüenta tons de cinza. Não é um livro que eu leria.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda e confesso que não é o tipo de livro que chama a minha atenção. Até que a premissa é bacana, mas achei bem clichê e saber que a autora exagera no erotismo me desanimou muito, porque eu não gosto de livros assim. Enfim, gostei da sua resenha, mas dispenso a dica.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  17. Oi Amanda!
    Eu não conhecia o livro, mas pela sinopse não é o estilo de história que leria. Não sou muito fã de enredos que envolvem vingança e coisas do tipo.
    Mas pior ainda para quem vai ler esperando uma coisa e acaba indo por outro caminho. Uma pena a autora ter se perdido toda e o livro ter virado uma história erótica.
    Agora sabendo disso, com certeza não será um livro que lerei.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/11/resenha-quarenta-dias-sem-sombra.html

    ResponderExcluir
  18. Esse livro para mim está parecendo mais uma versão brasileira de cinquenta tons de cinza, nunca curti muito esses romances assim previsiveis que focasse no conteudo erótico então de primeira já não leria o livro, mas realmente ele pode agradar várias pessoas que estão a procura de um conteudo mais hot e detalhista,mas esse gênero com certeza não é para mim

    ResponderExcluir
  19. Olá moça, como vai?

    Não conhecia a obra nem o autor, mas apaixonei pela capa!
    Sua resenha foi bem escrita, gostei da sinceridade, você não teve de reclamar do que te irritou.
    Você falou que a escritora bate na mesma tecla, o que eu achei muito bom ressaltar, porque é um problema que muitos autores tem.
    Anotei a dica, voce já me deixou preparada para supostas decepções!
    Beijos ⚛

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Eu nunca me importei muito com livros que tenham cenas hot, mas concordo com você que a sinopse deveria ter uma indicação desse conteúdo no livro. Infelizmente, a autora não soube equilibrar as tramas, o que é uma pena porque o livro tinha tudo para ser ótimo. Não me deixou com muita vontade de ler, então vou deixar de lado por enquanto.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Nossa, não me interessei nem um pouco pela leitura. Primeiro e principalmente, por essa pegada erótica tão forte no enredo, não gosto de cenas hot e elas ficam entre me deixar entediada e irritada durante uma leitura. Segundo, por coisas como a menção da voz rouca terem tornado a leitura monótona. E terceiro, por essas repetições entre o final de um capítulo e o início de outro, alternando apenas a visão dos personagens, isso me enlouquece.

    ResponderExcluir
  22. Oii, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse ivro, mas gostei bastante da premissa apresentada na resenha e como eu adoro livros romanticos quem sabe eu acabe dando uma chance para ele. Talvez eu acabe gostando.
    Amei o post, parabéns pelo blog maravilhoso.
    Abraços Mary do blog Leituras da Mary

    ResponderExcluir