últimas resenhas

Resenha - Yerik - O Preço

 

Título: Yerik  - O Preço 
Cortesia: Ágatha Santos (Autora Parceira)
Páginas: 392
Skoob 
Onde Comprar: Amazon

Ele não é bom, entretanto, não posso dizer que é ruim. Yerik é o misto de certo e errado, assim como eu sou, quando ajo a favor do meu lado destrutivo.” Katrina uma jovem russa que busca apenas viver o melhor que a vida tem a oferecer. Um homem marcado pelo preço das suas escolhas. Yerik conseguiu reerguer a vida e tornar-se um empresário de sucesso em Moscou. Reinaugurou o bar que herdou do pai e o transformou no clube Lenusya, uma boate badalada e com entretenimento adulto. Seu passado é complicado, filho de cafetão, abandonado pela mãe seguiu o caminho errado até perceber que isso influenciava seu irmão mais novo, Mickail. Impetuosa, sensual e atrevida, Katrina contradiz tudo que uma russa dentro dos padrões deveria ser. Aos 23 anos, está no momento certo para pensar em casamento, algo muito comum na Rússia, mas inaceitável nos seus objetivos. O fato de sempre se colocar à mercê do perigo, leva Katrina direto para os braços de Yerik. Na vida tudo tem um preço, chame de cobrança divina, vontade do destino, mas o que tem começo, precisa de fim e, eles não faziam ideia do quanto suas escolhas os levariam de encontro ao acerto de contas. 


Um livro que me surpreendeu bastante no quesito intensidade, mas antes de adentrar a resenha, preciso alertar futuros leitores para gatilhos presentes no livro, pois aqui você irá encontrar assuntos como drogas, estupro e violência e abuso físico e psicológico. São personagens com uma carga pesada que pode gerar algum desconforto.

Yerik é o segundo livro da trilogia Paixão Russa, porém podem ler fora de ordem sem medo que isso não irá atrapalhar em nada o andamento da história e a compreensão dela. Por ser um livro ambientado na Rússia, a máfia se faz presente na história, um mundo que envolve bastante dinheiro, drogas, violência, medo e muita luxúria.

O livro leva o nome do personagem principal do livro, um homem marcado pelo passado, por seus feitos e escolhas nada gloriosos, mas que conseguiu se sair bem na vida, mesmo com o ambiente favorável para que fosse o contrário. Solteiro, livre e cobiçado. É um homem controlador e possessivo na medida certa que esconde um coração cheio de amor que está blindado pelo abandono.  Ele foi renegado pela mãe, assumiu os negócios do pai e cria seu irmão Mickail. Um jovem problemático e que age pelo impulso. 

Katrina uma mulher impetuosa, dona do seu próprio nariz, não leva desaforo para casa, filha única de pais extremamente conservadores e que sonham em ver a filha casada, com filhos e na segurança de um lar. Algo que não está nos planos de Katrina e isso gera muitos conflitos e cobranças.  Assim como Yerik, Katrina tem um passado pesado que ela esconde no fundo da alma e nunca teve coragem de colocar para fora as suas aflições. Ela é destemida, livre, forte e intensa, destemida. Apenas quer voar, uma mulher que não acredita mais no amor e se culpa pelo que sofreu no passado. 

" Envolver sentimentos é algo perigoso, principalmente para mim, que não sei mais o que é sentir algo por alguém".


Duas pessoas tomadas pela dor, negligência, e em uma sociedade totalmente patriarcal e preconceituosa, dominada pela máfia, na qual as mulheres são vistas apenas para casar, ter filhos e serem submissas aos seus maridos. Uma sociedade em que as mulheres têm mais obrigações que direitos e o respeito quase zero. Mesmo diante de tudo isso, Katrina não se deixa levar pelas amarras e padrões impostos pela sociedade e por sua família. Ela acredita que uma mulher pode ter o caminho que quiser basta força e coragem. Ela não suporta a ideia ou possibilidade de ser controlada, medida e limitada por outros. 

" Jamais demonstraria fraqueza, não espero nem ser compreendida, minhas escolhas dizem respeito a mim e não sou obrigada a enquadrar minha vida no modelo de perfeição que sempre me impôs".
" ...amo a família e sei que só quer meu bem, mas não consigo me conter quando tenta me encaixar dentro de um padrão".


Poderia falar horas de Katrina, porque ela é uma personagem que mesmo fazendo coisas estúpidas a gente consegue entender porque ela age assim, e conforme avançamos na leitura temos mais certeza de que suas ações têm um por quê e não é qualquer por quê. Ela é movida pela culpa, pela escuridão do passado e por uma sombra que ela carrega e não consegue se libertar. É uma mulher forte que precisa apenas ser compreendida, acalentada e apoiada e para que isso aconteça ela terá que se permitir viver algo que não estava preparada. 

" É mais forte do que eu a necessidade de contradizer e provar que não sou moldável, que não carrego rótulos ou limites".

No início do livro o leitor irá conhecendo mais de Katrina, pois pela visão dela entendemos como funciona a vida na Rússia, e de como ela, sendo mulher se sente numa sociedade cheia de rótulos, machismo, padrões e limites femininos, principalmente por aquelas que não aceitam essa imposição. 

Katrina é o oposto do que uma mulher russa deveria ser e se isso não bastasse, o fato de ser fora dos padrões russos, ela ainda se coloca muitas vezes em perigo e é o que a leva ao encontro de Yerik. Um encontro que começa sem pretensões a não ser o desejo e a libido falando alto nas veias de ambos. Um desejo cada vez mais incontrolável, perigoso e complicado. É um romance que transborda sensualidade e perigo, cenas fortes de muita intensidade. 


O romance nos apresenta dois personagens quebrados pelo passado, pelas más escolhas e negligências que sofreram e que levam a ambos a um caminho longo a percorrer em busca de se aceitarem como são, se redescobrirem e levarem a vida da melhor forma possível, acreditando que esquecer o passado era a melhor forma de vida. O que eles não percebiam é que para seguir em frente precisariam resolver as pendências do passado e só assim viver a leveza que a libertação é capaz de trazer.

Yerik é um livro hot, porém cheio de sentimentos e intensidade entre os personagens, uma história com profundidade, troca de confissões, companheirismo e respeito. O personagem Yerik é um homem diferente do que estamos habituadas a ler quando se trata de um tema como a máfia, ele tem espiritualidade, mesmo que não acredite nisso, é justo e dedicado a fazer o bem a quem merece. É uma trama que envolve e conecta os personagens de uma forma que eu fiquei surpresa com desenrolar da história e o plot do livro.

Ao ler o livro me irritei com algumas atitudes de Katrina, a sua necessidade de se colocar em perigo e a dureza com que ela mesmo se trata, porém isso tudo é compreensível por tudo o que ela passou e eu nem me imaginaria passar por isso. Com a personagem descobrimos que empatia é algo raro e muitas vezes julgamos o comportamento de alguém sem nos perguntar o porquê de certas atitudes. 


Tem cenas no livro que me fizeram chorar e como mulher me coloquei no lugar de Katrina e pelo que ela foi forçada a viver, é impossível acompanhar a história e não se emocionar com ela, com o companheirismo construído entre os dois, os momentos de entrega, de confissões, de respeito mútuo. Um amor que foi evoluindo aos poucos e nada foi imposto ou obrigado foi acontecendo naturalmente e o que gerou muita cumplicidade entre o casal. 

Acompanhar as dúvidas, medos, dor, muita dor, foi muito gratificante. Assim como a redenção de cada um, ambos aprendem a lidar com as dores do passado e com os sentimentos recém descobertos. Esse livro não é só flores, os personagens têm seus defeitos, e é isso que deixa a história mais real e verdadeira.

Katrina e Yerik, com todas as suas imperfeições e ironia do destino, porque o destino não brincou com eles, são perfeitos um para o outro. E até entenderem a importância que um tem na vida do outro, ambos irão passar por maus bocados e somente o amor é capaz de salvar. Yerik foi lindo com Katrina ao ter a perspicácia de entender o que se passou com ela, antes mesmo dela contar, de se abrir e se permitir ser protegida. O cuidado, o abraço e a justiça dele foram fundamentais para que ela entendesse que merecia o amor e nada menos que isso.

" Além do mais, estou muito fodida para permitir algo dentro de mim florescer".
" Ele respeitou minha sombra, não julgou meus gostos e foi paciente com meus limites".

A leitura de Yerik foi uma linda, inesperada e grata surpresa para mim. Não esperava encontrar uma história tão envolvente, um plot e uma intensidade entre os personagens e durante boa parte da leitura fiquei muito emocionada. Você sente o que é narrado por eles, cada frase, cada momento, cada confissão e cada declaração. O início é mais para conhecer os personagens, a ambientação do lugar e você pode achar o enredo parado, mas não se engane e não desista porque a autora vai te entregar uma trama cheia de conspirações, intrigas, segredos, e maldade, mas acima de tudo isso o amor prevalece. 

A linguagem do livro é perfeita, Ágatha não poupa no linguajar, nos fazendo adentrar mais ainda no mundo russo e seu lado sujo, assim como na mente dos personagens principais. Ela soube dosar muito bem a história, você não vai encontrar um romance meloso, ou clichê, mas sim um da vida real com as imperfeiçoes dos personagens. A história é super fluida te prende do inicio ao fim, a escrita é leve, os personagens foram maravilhosamente bem construídos na trama, um livro que te entrega várias emoções e algumas reflexões sobre a vida, família, liberdade, escolha, lealdade e justiça. 

As vezes só precisamos de alguém que segure nossa mão e nos diga que não estamos sozinhos, que acolha a dor do outro como se fosse sua. E foi justamente isso que Yerik e Katrina fizeram um pelo outro, pois eles se permitiram viver uma história mesmo com tudo bagunçado e aprendemos que quando queremos é possível viver um amor mesmo quando tudo parece dizer que não!

Se você se sente segura para fazer uma leitura dessa, vai fundo porque você ira encontrar uma história cheia de intensidades, com temas pesados, porém cheio de amor e muita lealdade. 

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário