últimas resenhas

Resenha - Aqui, Agora, Sempre



Título: Aqui,Agora, Sempre
Autora: Catherine Isaac
N° de páginas: 352
Cortesia: Editora Rocco
Onde comprar: Amazon
Cansada de suas mentiras e de sua falta de interesse pela paternidade, Jess abandona o namorado Adam apenas alguns meses depois do nascimento de seu filho.
dez anos depois, Jess e o filho William decidem passar o verão no Château de Roussignol, nas profundezas das ricas colinas ensolaradas da Dordonha, no sudoeste francês. É lá que Adam administra um lindo hotel em um castelo restaurado. Jardins luxuriantes, uma bela piscina, a maravilhosa comida francesa e uma lista aparentemente interminável de vinhos imperdíveis -- como não gostar? Como era de se esperar, Jess fica impressionada com tudo o que Adam conquistou durante todos esses anos. Mas sua viagem para o interior da França tem um motivo muito mais urgente: fazer Adam se apaixonar por deu próprio filho.
Adam tem outras ideias, porém -- além de outra namorada --, e não parece inclinado a mudar seu novo estilo de vida só porque Jess e William apareceram em cena. Sua relutância em nada surpreende Jess, mas William -- que rapidamente faz do pai seu ídolo -- não quer nada além de se divertir com ele. E Jess não pode permitir que Adam decepcione seu filho, principalmente porque ela esconde um segredo de família que ninguém -- especialmente William -- deve descobrir.



Aqui, Agora, Sempre nos apresenta a história de Jess, uma mulher de 33 anos, mãe solteira de William, um menino de 10 anos. Os dois moram sozinhos, mas Jess sempre pôde contar com a ajuda e a presença marcante de seus pais para ajudá-la na criação do filho.

Jess foi mãe muito jovem e Adam, seu namorado na época, nunca demonstrou querer ser pai de fato. Ambos foram surpreendidos por uma gravidez inesperada e, a partir daí, os problemas entre eles começaram a surgir cada vez com mais frequência, culminando em uma triste separação poucos meses após o nascimento do filho deles.

Adam só vê o filho poucas vezes no ano, mas não por impedimento de Jess, e sim por causa do próprio Adam, que não parece se importar muito com William, ainda mais por morar tão longe do menino. O relacionamento entre pai e filho está prestes a sofrer uma transformação e tanto quando Jess decide ir junto com o filho passar o verão no hotel administrado por Adam no sudoeste da França. A chegada deles ao Château de Rossingnol acaba forçando Adam a exercer seu papel de pai, embora ele não saiba exatamente como desempenhar.

William ama o pai profundamente e enxerga nele seu herói de carne e osso, pois tudo o que Adam faz e fala é perfeito e faz todo o sentido. Mas Jess teme que William se magoe com Adam, pois ela sabe que o filho nunca foi prioridade em sua vida. Cenas de um passado distante povoam a mente de Jess, fazendo-a se lembrar do descaso por parte de Adam na noite em que William nasceu e a mágoa que seu comportamento lhe causou.


Os dias no Château são regados a passeios radicais, churrascos e banhos de piscina, mas nesse meio tempo Jess insiste para que Adam passe o maior tempo possível com William, pois ela esconde um segredo que mudará para sempre a vida do filho e do qual não quer que o menino saiba enquanto ela puder evitar. Por isso ela insiste tanto para que Adam seja o pai responsável e presente.

"A maioria de nós não pensa que poderíamos ser atropelados por um ônibus amanhã. Seguimos a vida achando que tudo estará sempre lá. 

Eu, por outro lado, não conto com nada. Nada mesmo. Saboreio cada beijo do meu filho, cada mordida que dou num chocolate, cada folha que cai de uma árvore no outono e cada explosão de riso com meus amigos".
O segredo que Jess trás consigo é um segredo de família aterrorizante, mas que pouquíssimas pessoas sabem. Além de seus pais, só suas duas melhores amigas estão a par da situação. Porém, Jess sabe que não poderá esconder de Adam o motivo que a levou para a França levando William com ela e, mais cedo ou mais tarde, ela precisará contar a verdade a Adam. Só que a aproximação entre os dois faz ressurgir entre eles lembranças de um passado em que foram muito felizes juntos, e desejos e sentimentos antigos começam a ganhar força entre os dois novamente.

Será que Jess e Adam ficarão juntos de novo e para sempre desta vez? Se quer saber o que irá acontecer na história, você precisará fazer a leitura desse livro!



[- Minhas Impressões -]

A primeira coisa que me prendeu na história de Aqui, Agora, Sempre foi sem sombra de dúvida a sinopse e a forma como ela aguçou a minha curiosidade, me levando a querer e muito ler o livro. Essa foi com certeza uma das leituras mais fluida e gostosa que eu tive o prazer de fazer.

Desde o começo a história funcionou maravilhosamente bem, e mesmo nos momentos de dificuldades e dramas da personagem principal não teve aquele peso que pode acabar por vezes deixando o leitor mal com o que lê. Não teve isso na trama. A história é muito envolvente e faz o leitor querer ler cada vez mais e mais ainda que tenha um drama presente.

Os personagens são interessantes, os diálogos são divertidos, profundos, engraçados, reflexivos e cheios de ensinamentos.

Jess e sua mãe foram responsáveis pelos momentos de mais emoção em toda a história. Os diálogos entre as duas me arrancaram muitas lágrimas. Foi emocionante demais acompanhar a força, a coragem e a determinação dessas mulheres durante a leitura.

Adam se revelou uma surpresa e tanto no decorrer da história e por conta disso a opinião que se tem dele logo no início muda radicalmente, e quando ele dá a sua versão dos fatos e expõe os sentimentos em relação a paternidade fica claro para Jess o quanto ela pode ter se precipitado ao julgá-lo da maneira que julgou. Nesse momento em questão passei a sentir um pouco de simpatia pelo personagem e até compreensão por suas atitudes.

A maneira como a autora desenvolveu a história ao aproximar Adam e William foi de uma sutileza e cuidado tão lino que tornou a história ainda mais interessante e bela aos meus olhos. Eu gostei demais e curti ainda mais tudo o que li.

A história de Aqui, Agora, Sempre deixa uma impressão bem marcante no leitor, pois nos leva a refletir na maneira como estamos vivendo a vida e no quão breve e passageira ela é e que, por isso mesmo, devemos vivê-la com toda intensidade da qual somos capazes.

Esse é um daqueles livros que eu indico com toda a certeza, pois não é uma simples história, é muito mais do que isso e eu amei a oportunidade de ter podido ler.

Recomendo sem sombras de dúvidas!

Comentários
1 Comentários

Um comentário :

  1. Gosto de livros que nos levam a essa reflexão, nos faz pensar em nossa vida e como estamos (ou não) aproveitando ela. Como você disse, a autora consegue nos fazer refletir sobre isso de uma forma sutil. Creio que seria uma leitura que eu agradaria bastante. Anotado a dica! Muito obrigado!

    www.estupefaca.com.br

    ResponderExcluir