10 julho 2018

Resenha - Hamlet


Título: Hamlet
Autor: Willian Shakespeare
Editora: Penguin/Companhia das Letras
Páginas: 320
Skoob
Onde comprar: Amazon / Saraiva

Sinopse: Um jovem príncipe se reúne com o fantasma de seu pai, que alega que seu próprio irmão, agora casado com sua viúva, o assassinou. O príncipe cria um plano para testar a veracidade de tal acusação, forjando uma brutal loucura para traçar sua vingança. Mas sua aparente insanidade logo começa a causar estragos — para culpados e inocentes.
Esta é a sinopse da tragédia de Shakespeare, agora em nova e fluente tradução de Lawrence Flores Pereira. Mas a trama inventada pelo dramaturgo inglês vai muito além disso: Hamlet é um dos momentos mais altos da criação artística mundial, um retrato — eletrizante e sempre contemporâneo 


Em plena vigília, dois guardas reais se deparam com o Rei da Dinamarca andando pela muralha do castelo. Nada de estranho nisso, certo? ERRADO.....pois o rei da Dinamarca está morto!!! Sim, é exatamente assim que somos apresentados a esta peça de teatro aclamadíssima pelo mundo todo do enigmático Willian Shakespeare!!!

A história de Hamlet tem um enredo muito simples, porém Shakespeare consegue colocar nesta trama uma carga filosófica e dramática tão pesada, que para os mais fracos, isso pode até te deixar com dor de cabeça!

Tudo começa quando dois guardas do palácio da Dinamarca discutem sobre uma aparição que frequentemente está dando as caras enquanto estão vigiando as muralhas. Eles a reconhecem como sendo o rei morto da Dinamarca, Hamlet. Seu filho, de mesmo nome e que dá título ao livro é informado do ocorrido e ainda melancólico devido a morte prematura do pai, mais que prontamente decide que quer encontrar com o espectro o quanto antes.


“O Espectro de meu pai! Há algo errado, há um cheiro de jogo vil. E a noite que não chega! Paciência minha alma. Ações vis surgirão, inda que o chão as cubra para humana visão.”

Ele resolve então acompanhar os guardas a noite para falar com seu finado pai, e o que ele descobre não é nada animador. Só o que tenho a dizer é que há uma revelação muito grande quando Hamlet finalmente se encontra com o pai cara a cara, pois após este sinistro encontro, é que a história vai tomando forma. Inclusive é desta cena que surge uma das mais famosas frases desta peça, entoada e conhecida no mundo inteiro.


“Há mais coisas entre o céu e a terra, que pode sonhar a tua filosofia.”

Após este sombrio evento, somos então apresentados aos demais personagens da peça: O Rei atual da Dinamarca, Cláudio, irmão do falecido e pasmem, novo marido da antiga esposa do finado rei. Gertrudes, a rainha e mãe de Hamlet, Ofélia, a pretendida dele, o irmão de Ofélia, Laerte e Polônio, pai de Ofélia e Laerte e conselheiro do atual rei.

Logo percebemos que há um clima de conspiração no ar por conta destes novos personagens. O rei apesar de um primeiro momento parecer ser uma pessoa carismática e compreensível, não demora para mostrar suas garras e confabular com seu conselheiro Polônio. Já os demais personagens apresentados parecem ser apenas fantoches de todo este jogo tramado na realeza. 

Bom, voltando para nosso herói Hamlet, após sua estranha reunião com um fantasma, ele decide após o que ouve tomar certas medidas para planejar sua vingança. Quem assistiu o Rei Leão da Disney, já deve saber mais ou menos o porquê Hamlet decide se vingar de seu tio, e não digo mais nada a respeito disso, pois pode se tornar um grande spoiler da trama central do livro. Ele se finge de louco na frente dos demais membros da corte e outra pérola da literatura surge de uma destas cenas da peça.

“Ser ou não ser, eis a questão: Saber se e mais nobre na mente suportar as pedradas e flechas da fortuna atroz ou tomar armas contra as vagas de aflições, e ao afrontá-las dar-lhes fim.”


O enredo segue e Hamlet ao confrontar quem ele queria, faz jus ao outro título desta peça: A tragédia de Hamlet, o príncipe da Dinamarca. E é aí que vou parar de contar sobre a história, pois se tratando de uma peça de teatro relativamente curta, falar mais estragaria completamente a experiência de leitura.

Até este ponto, esta peça realmente estava me chamando atenção, devido aos seus cenários sombrios, as conspirações de um reinado, e tudo o mais. Porém deste ponto em diante, a peça para mim começou a não funcionar mais. O drama e a filosofia tomam conta das ações e falas de nossos personagens, e isto me pegou de jeito. Livros nunca vão ser unanimidade, e infelizmente esta característica desta obra não me agradou muito.

É claro que jamais direi que esta é uma obra ruim, longe disto. A única coisa é que ela não me agradou como leitor. Como eu disse, o começo foi extremamente atraente para mim, que adoro uma história sobrenatural principalmente que envolva fantasmas, mas o rumo da peça tomou outro foco e isso me decepcionou um pouquinho.


Eu não deixo de recomendar esta leitura, pois afinal é sempre bom ter experiências novas em questão de literatura. E esta além de ser uma peça de teatro, que dificilmente lemos coisas parecidas, é uma obra que marcou muitas gerações e que é encenada constantemente pelo mundo afora. Serve até hoje como inspiração para diversos meios narrativos e com certeza merece uma chance de ser lida! Pessoalmente não morri de amores pela peça em si, mas o plot da história é excelente! Como sempre a edição da Cia das Letras pelo selo Penguin é de extrema qualidade e possui muitos extras que ajudam e muito a nos situar sobre a obra.

Inscrições Abertas - Participe!!





15 comentários:

  1. Sempre pensei que para se ler livros assim, seja preciso ter um certo tipo de mente aberta, coisa que eu não tenho..rs
    Acabava vendo como algo de outro mundo, do tipo de leitura que nos joga dentro de nossa própria alma. E talvez seja realmente isso.
    Tenho pouco conhecimento da obra de Shakespeare,somente o básico e pelo que li acima, acredito que não estou preparada para ler esta obra.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! O trabalho de Shakespeare dispensa maiores apresentações, mas traz uma escrita mais robusta e porque não elaborada, o que torna a leitura, pelo menos para mim, complicada. Mas quero muito ler um dos seus trabalhos em breve (acho que tenho que amadurecer mais), acredito que será realmente, uma grande experiência.

    ResponderExcluir
  3. Este ano comecei a me esforçar para ler mais clássicos, pois antes não li por puro medo de não me acostumar, mas depois de começar a gente vai entendendo tudo, só que as vezes acaba se tornando uma leitura mais lenta (ao menos para mim). Então adorei demais poder conferir a resenha desse livro, pois sempre ouvi falar da historia dele e tal, mas nunca tinha lido resenha. Achei fantástica a proposta da leitura, e mega curiosa para saber o que acontece.

    ResponderExcluir
  4. Olá Eduardo!
    Sempre tive vontade de ler livros de Shakespeare, li apenas um na época da escola por conta de uma peça, mas isso faz tempo.... rsrs
    Gostei dessa obra dle, me interessei mto, espero ter oportunidade de ler um dia...Gostei mto dessa capa.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi mana, nunca pensei em ler nada dele sabia ? Tipo tudo mundo conhece Shakespeare mas a vontade de ler mesmo nunca existiu e por mais que você tenha gostado do livro eu acho que vou ser do tipo de pessoa que nunca vai ler Shakespeare na vida ou Harlan Coben kkkk Obrigada pelo post.

    ResponderExcluir
  6. Eduardo!
    Pena que esse clássico o tenha decepcionado um pouco por tomar outra vertente que não a do sobrenatural.
    William Shakespeare é difícil de ler e de se entender a lógica empregada. Hamlet é uma das obras mais conhecidas e famosas, acredito que temos de ter um olhar especial ao ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Oi, Eduardo!
    Uma história com uma carga filosófica e dramática bem pesada?! Pelo visto Hamlet não é pra mim, não curto livros com cenários sombrios e cheios de conspirações, prefiro livros leves, com enredos simples, sabe?! Por isso eu não leria esse livro, mas não tenho dúvidas de que para quem curti esse gênero essa é uma ótima dica... Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Tenho dificuldade para ler obras nesse formato. Mas como é um clássico um dia lerei. Adoro essas edições da Pinguim, apesar de ter um porém ,as capas se curvarem, fora isso aprecio muito. A história é conhecida mundialmente e por incrível que pareça não causa estranheza, nesse mundo de interesses e jogos políticos que vivenciamos diariamente. Muito boa a resenha.

    ResponderExcluir
  9. Aaah Shakespeare amoo foi cm ele q comecei a me aventurar no mundo dos livros atraves de Romeu e Julieta rsrs,mas esse ai ainda nao li ja pensei em ler acho q lerei futuramente!!!

    ResponderExcluir
  10. De todos os livros de Shakespeare esse é o meu favorito!
    Eu li na escola como leitura obrigatória, mas amei tanto esse tom sombrio do livro que li novamente alguns anos depois.
    Normalmente não gosto de peças, por isso sempre fico só no livro.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  11. Oi Eduardo,
    Estou me sentindo um peixe fora d'água, nunca li nada de Shakespeare, e olha que acho seus enredos incríveis, mas nunca tive a oportunidade de ter um de seus livros em mãos!
    Eu achei o enredo incrível, cheio de segredos e conspirações, do tipo que manter o leitor preso, e mesmo sabendo que a história perdeu um pouco o rumo para você, eu ainda fiquei bem tentada a ler!
    Realmente adorei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Dentre todas as obras de Shakespeare, se eu pudesse escolher a melhor, sem dúvida, seria Hamlet!

    Mesmo aqueles que leem Hamlet como uma peça sobre vingança, acredito que se fascinam da mesma forma, por ser uma leitura tão gostosa e prazerosa que é difícil de largar. Porém, podemos ver que não é este o enfoque.

    Matar o irmão não era o suficiente, o vilão tinha ainda que tomar sua cunhada para uma relação. Tudo isso são as perversões que há no mundo. Desejando Hamlet nascer num tempo melhor que seu presente. É onde eu me identifico totalmente.

    Fico imaginando como Hamlet deveria se sentir, sabendo que o seu tio matou seu pai e tomou a sua mãe. Olha, é bem complicado e acho que a descoberta através do pai é um dos piores momentos da peça!

    Eu acho a obra totalmente sensacional, sem tirar nem por, achando que tudo foi necessário e realmente deveria fazer parte. Fico triste por não achar o mesmo. Aliás, foi uma das histórias mais completa que li em minha vida! Estou até pensando em ler novamente!

    ResponderExcluir
  14. Oiee!
    Não sei se estou pronta para ler Shakespeare, acho uma leitura bem difícil, que requer uma concentração muito grande. No momento estou em busca de algo mais leve e fácil, então vou deixar essa leitura pra quem sabe no futuro, quando eu tiver mais disposta a me prender em algo tao forte.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Do Shakespeare li apenas "A Tempestade" para um trabalho escolar e lembro de ter gostado muito do estilo de escrita dele e na época queria ler bem mais peças de teatro. Sempre fui louca pra ler Hamlet, mas ainda não tive a oportunidade. Ele me chama a atenção justamente por parecer um enredo muito interessante, fiquei com bem mais vontade de ler após tua resenha e acredito que teu "ponto negativo", a parte que não funcionou pra ti, seja uma das que eu mais gostaria no livro! Realmente nunca podemos julgar um livro bom ou ruim pela experiência que tivemos com ele, pois o que eu posso não gostar outro pode amar. Adorei tu ter deixado isso claro e não ter desmerecido o livro. Pretendo ler mais obras de Shakespeare logo e essa edição está muito mais do que linda!

    ResponderExcluir