05 julho 2018

Observatório Literário #22 - A Literatura em Libras





Olá pessoal, já faz um tempinho que eu não apareço por aqui, mas após receber palavras de incentivo e motivação por parte da Silvana, dona do blog, decidi falar um pouco da experiência que tive ao contar pela primeira vez uma história infantil escrita em português completamente em Libras (Língua Brasileira de Sinais) para crianças surdas, no estágio que estou fazendo em Educação Infantil

Além de observar, participar e ajudar a professora com os pequenos, eu também precisaria desenvolver uma atividade com eles. E após muito pensar no que eu poderia fazer e achar que já havia decidido qual atividade desenvolveria para eles, desisti do que havia escolhido inicialmente e resolvi que contaria a história do livro infantil "Seu soninho, cadê você?", e por se tratar não só de crianças surdas, mas autistas também, percebi que o desafio seria enorme, no entanto, eu não tinha a opção de desistir.

Precisaria apresentar alguma atividade de qualquer jeito, mesmo com meus sinais em Libras bem básicos e ainda esquecendo alguns por conta do nervosismo (risos), o que é bastante compreensível, afinal, é extremamente difícil falar em público, em Libras então, é mais difícil ainda.

Mas desde o início do estágio eu tive o completo apoio e suporte da professora responsável em avaliar meu desenvolvimento e comprometimento com as crianças, e também com o estágio como um todo.

Então lá fui eu com a cara e totalmente sem coragem contar a história, tentando ao máximo encurtá-la, pois os surdos não entendem o português como nós ouvintes entendemos. É preciso ser breve ao contar a história, porém, tudo dentro da Libras que, por direito, é a primeira língua do surdo.

Todos os surdos podem e devem aprender a ler e escrever o português, contudo precisam aprender a língua de sinais, já que a mesma é a sua língua materna, na qual eles se sentem mais confortáveis e confiantes para se comunicarem.

O surdo não é mudo, ele às vezes não fala porque não é estimulado a falar, ou então simplesmente prefira não falar por se sentir plenamente satisfeito com o uso dos sinais. Há também os surdos oralizados, que se comunicam através da fala oral e leem os lábios. Isso vai de cada um e também da forma como eles preferem se encaixar na sociedade.


Após esclarecer a dúvida de muitos que acreditavam, ou não sabiam, que o surdo não é mudo, volto o foco para o conto da história em Libras e o que eu senti e percebi através dos olhos dos pequenos à medida em que eu ia virando as páginas do livro sempre que acabava de contar o que estava acontecendo com os personagens. As crianças adoraram a história, os olhinhos de todos brilhavam quando eu expliquei sobre os personagens que eram: um jacaré, um urso, um tigre, um sapo, um macaco e o que estava acontecendo com cada um.

Ao se contar qualquer história em Libras, o ideal é que se faça uso dos sinais corretos e também é
imprescindível que se use classificadores. Mas o que vem a ser classificadores? Nas Libras  os classificadores são formas que substituem o nome que as precedem, podendo vir junto ao verbo para classificar o sujeito ou o objeto que está ligado à ação do verbo. Portanto, os classificadores na Libras são marcadores de concordância de gênero: pessoa, animal, coisa.

Ao fazer uso dos classificadores a história passa a ser infinitamente mais interessante aos olhos dos surdos , já que eles são voltados para a comunicação visual-motora, por serem extremamente visuais na forma como entendem tudo ao seu redor.

Para mim foi uma experiência muito enriquecedora e emocionante, pois não tem como ficar imune a fascinação estampada nos rostinhos de cada um deles à medida que a história ia tomando forma dentro da cabecinha deles através de minhas mãos e minhas expressões faciais, porque é inadmissível contar histórias para surdos sem passar através do rosto, do semblante e do olhar a mensagem que a história tem a intenção que eles entendam, compreendam e absorvam.

Foi apavorante, foi desafiador, mas foi delicioso, inesquecível e muito marcante também. E eu levarei comigo para sempre e me lembrarei com muito carinho e saudade.

Espero que vocês tenham gostado desse Observatório Literário bem atípico e diferente do que normalmente tem por aqui, mas como me foi dito anteriormente, esse é um assunto que as pessoas gostariam de saber mais a respeito por acharem interessante (palavras da Silvana).


Inscrições Abertas - Participe!!


17 comentários:

  1. Olá!
    Achei incrível a tua explanação sobre esse trabalho, muito bom saber a respeito de assuntos com os quais muitas vezes não temos proximidade. Adorei ver a tua carinha de felicidade estampada, as crianças certamente amaram essa atividade, quanto ao nervosismo acho que só você estava preocupada porque eles ficaram foi muito felizes e encantados, Belo trabalho, parabéns pela atividade realizada.

    ResponderExcluir
  2. Que experiência única!!! Puxa!
    Nunca tinha lido algo semelhante e estou aqui fascinada com tudo que li e parece que vivi para pele.
    Não e apenas contar uma história, é viver isso de uma forma ímpar com pessoas impares.
    Cada sorriso, cada gesto e cada vez que você sentiu que alguém entendeu o que você dizia, deve ter sido mágico!!
    Obrigada por partilhar.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Achei lindo demais teu trabalho! Faço letras e tive Libras como matéria obrigatória, aprendemos várias coisas básicas e em vez de contar histórias produzimos um teatro infantil. A parte mais desafiadora para mim foi perder a timidez, usar das expressões faciais e corporais. Não chegamos a apresentar o trabalho para crianças surdas, mas minha professora é surda e disse que compreendeu muito bem nossos sinais. Ela foi uma das melhores que já tive! A primeira coisa que aprendemos com ela foi a que tu citou: o surdo não é mudo! Isso é de extrema importância para qualquer pessoa saber, minha prof. é oralizada e fala muito bem. Libras é um idioma incrível, fiquei fascinada e quero aprender mais do que o básico, também quero ser professora e estar preparada para atender a todos da mesma forma.

    Ps. Os classificadores são muito difíceis! Foi um baita desafio entender eles para fazer o teatro.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Simplesmente amei conhecer um pouco mais sobre libras e os surdos (eu sei o alfabeto em libras e Parabéns), achei a matéria e sua atitude engrandecedora, imagino a emoção em poder proporcionar aos pequenos um momento tão especial que é conhecer novas histórias, por isso, acho que o nervosismo é mais que válido e serve para deixar tudo ainda mais memorável.

    ResponderExcluir
  5. Que postagem mais incrível assim como tua explicação e a forma de superar para dar esse momento único e muito bacana para as crianças, e para nós como leitores, fiquei sabendo de informações que não sabia. Creio que irá estimular ainda mais as crianças à leitura!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Kaline!
    Adorei o post, a experiência parece ser mto bacana, fico imaginando como é para essas crianças ...
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  7. Menina arrasou demais no seu trabalho, eu imagino seu nervosismo para fazer tudo perfeito, eu sei que ia ficar muito e acho que ia passar dias treinando pra não dar nada errado. A sua iniciativa foi ótima e espero que continue com o trabalho, sua postagem até mesmo me lembrou da minha aula de inglês onde a professora pediu para poder cada um falar um pouco por meio da língua de sinais americanas, afinal ela disse que é sempre bom saber o básico de cada língua. Obrigada por esse post maravilhoso.

    ResponderExcluir
  8. Kaline!
    Foi emocionante poder ler seu relato da experiência em seu estágio e fiquei imaginando o quanto deve ter sido desafiador para você, ainda assim, foi em frente e conseguiu manter a atenção dos pequenos, porque dá para notar na foto que eles estão de costas que olhavam embevecidos.
    Penso que todos nós deveríamos aprender Libras, assim teremos um pouco da sensação e do tamanho da dificuldade de quem é surdo.
    Já sabia que surdos nem sempre são mudos, porém não desenvolvem a fala por não ouvirem e alguns preferem a linguagem dos sinais.
    Parabéns por seu observatório literário.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Um projeto muito lindo, que deveria ser propagado pro mundo inteiro e exercido de uma maneira tão gostosa de trabalhar!

    Tive oportunidade de fazer p curso de LIBRAS no colégio, onde eu pude aprender diversas "regras" e conhecimentos gerais ditos no post como: -A não existência de alguns conectivos, ou seja, a fala é bem direta né!? - Não existe uma pessoa muda e sim apenas surda.

    A existência desses projetos de inserção das minorias é importante para mostrá-los o quanto são capazes de lutar pelo que querem assim como nós, muitas vezes, fazendo até melhor e com muito afinco por ter um acesso mais difícil.

    Quero depois saber mais sobre o que andas fazendo para cooperar para essas lindeza!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Kaline,

    Faço Pedagogia , e consequentemente terei Libras no próximo ano, ele se tornou obrigatório, e eu sinceramente achei isso ótimo, nós professores devemos sempre estar preparados para todas as crianças ... Lindo o trabalho que você fez, um desafio e tanto, que você soube lidar de forma linda, parabéns. Tenho certeza de que a experiência foi incrível.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Kaline, tudo bem?
    Nossa, que experiência maravilhosa deve ter sido! Só de ver o sorriso e os olhinhos brilhando já valeu todo o trabalho e dificuldade que você teve. Quando era adolescente tentei aprender através de uma amiga que sabia, até estava indo bem, mas perdemos o contato e acabei desistindo e nunca mais tentei. Acho muito bonito o trabalho que é feito para integrá-los a sociedade. Parabéns amiga.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lia, sua linda! Obrigada por sempre estar me prestigiando e deixando seus comentários carinhosos.

      Beijão!

      Excluir
  12. Quero deixar o meu muito obrigado registrado aqui no blog a todas as pessoas que separaram um tempinho para vir aqui no blog e prestigiar o observatório literário no qual eu pude contar um pouco do que vivi e senti ao passar por essa incrível experiência. Sou realmente muito grata a cada um de vocês e também por todo o incentivo que recebi vindo de todos.
    Beijo grande em cada um.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Kaline!
    Concordo completamente com a Silvana, achei bastante interessante esse Observatório Literário atípico! Obrigada por compartilhar sua experiência, deve ter sido emocionante e desafiador ter contado a história de "Seu sonhinho, cadê você?" em Libras, principalmente por causa das expressões faciais necessárias durante a atividade... Enfim, parabéns! Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Interessante msmo afinal deve ser uma experiencia incomparável e maravilhosa, acho q todos deveriam passar a ter curiosidade e saber mais desse assunto pois ia trazer mais acessibilidade e aprendizado, num mundo onde poucos procuram isso infelizmente, amei o post.!!!

    ResponderExcluir
  15. Que experiência incrível! Deve ser tão gostoso poder incentivar todas essas crianças a a se aventurar no mundo da literatura.
    Tive oportunidade de participar de um curso da faculdade que aprendíamos libra e eu amei aprender.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  16. Oiee!
    Que bela experiência você teve!
    É tão gratificante saber que a gente pode fazer diferença na vida de alguém, e quando são crianças tudo é triplicado né? Principalmente a responsabilidade, mas vejo que você se saiu muito bem. Percebi que sou um tanto leiga sobre surdos, nunca tinha parado pra pensar, que tem vários tipos.
    Adorei aprender um pouco mais contigo *-*

    ResponderExcluir