09 janeiro 2018

Resenha - Os Criadores de Coincidências

Título: Os Criadores de Coincidências
Autor: Yoav Blum
Cortesia: Editora Planeta de Livros
Páginas: 320
Skoob / Goodreads 
Onde comprar: Saraiva / Amazon 

E se o trem que você perdeu, o café que derrubou, o bilhete que encontrou não forem eventos aleatórios? E se o destino do mundo estiver sendo manipulado por pessoas especializadas em criar acasos? Neste romance best-seller do israelense Yoav Blum, o destino é o protagonista – mas ele não depende de sorte ou intervenção divina. Emily, Eric e Guy trabalham numa espécie sobrenatural de organização secreta há alguns anos. Eles estudaram disciplinas como interferências em sonhos, distribuição de sorte e como ser amigos imaginários, até se tornarem criadores de coincidências. Agora, de tempos em tempos, recebem complexas missões a serem executadas. Seu trabalho é permanecer na área cinzenta entre destino e livre arbítrio, onde eles criam situações que criam situações que criam mais situações que darão origem a pensamentos e decisões, gerando os mais diversos resultados: o encontro de almas gêmeas, invenções que podem mudar o mundo, a inspiração que dará origem a obras-primas. Mas, quando Guy recebe uma missão especial, que vai além daquilo que ele acredita poder fazer, as coisas começam a se mover de forma a mudar tudo o que os criadores de coincidências entendem sobre a vida e a verdadeira natureza do amor. Um thriller improvável sobre os operários invisíveis que mantêm girando as engrenagens do acaso.




O futuro é tão manipulável quanto uma massa de bolo. Os Criadores de Coincidência, membros de uma organização a qual nenhum leigo tem conhecimento de sua existência, são os responsáveis por moldá-lo, usando de sua engenhosidade para modificar os acontecimentos na vida de uma pessoa. Um simples atravessar de rua pode ser planejado pelos criadores de Coincidências de tal forma que, ao chegar no outro lado da avenida, o indivíduo esbarre em sua próxima namorada ou em um serial killer.

Guy estava rotineiramente acostumado com as coincidências amorosas ao qual estivera designado. Era bom no que fazia, obtendo êxito na maioria das vezes em que precisara manipular os acontecimentos diários na vida de duas pessoas, de modo que mais tarde ambos viessem a apaixonar-se.

"Ele sempre havia adorado a sensação acolhedora que tomava conta de seu corpo no minuto que precedia a execução de uma missão. Era a sensação de saber que estava prestes a esticar um dedoe cutucar o mundo ou o céu. A noção de que desviaria asc coisasde seu caminho natural e familiar, coisas que um segundoa antes se moviam em uma direção completamente diferente." 

As coincidências românticas eram para ele mais que uma simples missão a cumprir. No seu passado, quando ainda trabalhava no posto de amigo imaginário, Guy conhecera a garota pela qual seu coração ainda estremecia. Cassandra também era uma amiga imaginária, brincando com sua menina no parque no dia em que se conheceram.

Mas, seguindo regras estabelecidas, amigos imaginários não podiam voltar a existir depois que a criança ou o adulto deixava de imaginá-los. Assim, no momento em que a criança de Guy não mais necessitasse sua companhia, ele perderia, consequentemente, o contato com Cassandra.

"O amor não é um estouro, não é feito de explosões e efeitos especiais. Não há fogos de artifício no céu nem um avião puxando uma faixa enorme. Ele se derrama devagar por baixo da sua pele, em silêncio, sem que você perceba, como um óleo."

Mesmo que agora houvesse passado um considerável tempo desde que se apaixonara por Cassandra, a memória dela ainda estava viva. Tinha amigos para distraí-lo; Eric e Emily faziam parte da turma do seu curso para criadores de coincidências. Desde que haviam se conhecido trocavam experiências e contavam sobre as missões que recebiam.

Porém, contra todas as expectativas, Guy não possuía uma coincidência romântica dessa vez. Todos, até mesmo seus amigos, sabiam que ele era especialista naquele tipo de coincidência e foi-lhes uma surpresa quando Guy fora convocado para auxiliar Pierre, um criador de coincidência nível cinco, enquanto ele era um mero criador de nível dois, em uma missão que envolveria um famoso matador de aluguel.

Uma missão grandiosa, que demandaria todo o potencial e conhecimento de Guy, não fosse o fato de que todos os acontecimentos seguintes o conduziam para mudar tudo em que ele acreditava.

"É bem mais fácil lidar com acontecimentos quando vocês não se importam com eles. Mas as pessoas pras quais vão criar coincidências podem partir seu coração. Se não aprenderem a ser maldosos às vezes, se não perceberem que vez ou outra precisam dar um pequeno empurrão em alguém pra colocá-lo na direção certa, se não se dissociarem aquilo que está acontecendo, vocês não vão conseguir criar coincidências."



[ - Minhas impressões - ]

Os Criadores de Coincidências é uma obra composta por personagens cativantes, uma trama mirabolante e um enredo bem inovador. Afinal, temos aqui uma história permeada de romance, fator de suma importância para a resolução final e para o desenvolvimento dos personagens, mas que não se prende apenas na paixão entre os protagonistas.

O livro, que possui 320 páginas de uma leitura fluída, nos trás algo um tanto sobrenatural mesclado com a vida cotidiana. Pessoas "normais" não sabem que suas vidas são de certa forma controladas para um sucessão de eventos que irão trazer uma mudança significativa em seus destinos. Elas vivem o dia a dia sem a percepção de que os maridos e esposas possam ter sido conduzidos para seu caminho com o intuito de que eles se conhecessem. Essas pessoas nem sequer pensam que existem criadores de coincidências.


Por outro lado, personagens como os amigos imaginários fazem parte de um esquema secreto. Amigos imaginários tomam as formas que o imaginário da pessoa desejar, podendo ser baixo de cabelos claros, ou alguém similar a um jogar de basquete com cabelos escuros. Essa capacidade de mutação, aliado a outros fatores, trás à história um toque de elementos místicos, fazendo dos criadores de coincidências pessoas que podem não só manipular manualmente os acontecimentos - como estourar um cano e causar um engarrafamento -, mas que possuem o conhecimento sobre poderes que a população comum não sabe da existência. Embora esse "poder" não fique claro logo de início, conseguimos entender mais tarde que os criadores de coincidências não se tratam de criaturas que simplismente manipulam um ou outro objeto para ter o efeito desejado no destino de alguém.

Yoav Blum trouxe não só um enredo instigante, mas sim uma trama que deixa o leitor confuso a princípio, porém no final surpreende, sem deixar que fiquem pontas soltas a serem explicadas ou concluídas. Os personagens escritos por ele trazem personalidades sólidas, sem cair nos estereótipos costumeiros.

A capa que acompanha esse livro tem esse visual colorido e agradável do qual eu gostei bastante. A diagramação como um todo está ótima, devo meus parabéns a editora Planeta de Livros.

Enfim, essa é uma obra que indico a todos vocês que gostarem de histórias com um toque de mistério e bem  fora do comum. Boa leitura!

Se Inscreva e Participe!!!








7 comentários:

  1. Oi, adorei conhecer esse livro, até coloquei na minha lista de leituras. Parece ser aquele tipo de história que te cativa e você não desgruda até terminar. E parece ser uma leitura bem leve e gostosa também, adorei a criatividade da autora. Parabéns pela resenha!
    Abraço,
    Lerissa.
    Se quiser dar um pulinho lá no NMW, ele está voltando ao ar agora:
    http://lerissakunzler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Emilly!
    Não tinha ouvido flar desse livro até então, adorei o enredo e a proposta do autor, fico feliz em saber q a história trás mistério, adoro!!
    Espero uma oportunidade em breve pra conhecer melhor.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Acabei lendo este livro já tem um tempinho e também gostei demais desse jeito inovador de colocar a vida ao todos os leitores!
    Na época dei uma perdida no começo,mas depois, a leitura fluiu muito leve e descontraída e também recomendo e muito a leitura da obra por todos que buscam livros que nos tiram um pouco da zona de conforto.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Emily!
    Dizem que as coincidências não existem, né? E isso me deixou bem curiosa para ver como o escritor cria as situações.
    Acredito em sincronicidade, mas coincidência é mas difícil.
    Ver que a trama é mirabolante e o enredo é inovador, além de ter personagens bem construídos, já é algo muito interessante.
    E bom ver que tem um enredo por traz com seres de outras dimensões, deve ser interessante misturar ficção.
    Quero ler.
    Adorei os quotes.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Oi Emilly!
    Que história mirabolante meeeesmo. Ja comecei confusa só com ele ser apaixonado por uma amiga imaginária que são feitos de forma específica e com os niveis de criadores de coincidência. Minha cabeça embolou toda kkkkk Achei muito divertido e vou até indicar uma amiga que gosta muito do gênero pra conferir a resenha aqui. Pretendo ler pra me divertir e tirar essa confusão que ficou
    Ótima resenha! Bjs

    ResponderExcluir
  6. Se eu fiquei confusa com a resenha imagina com a leitura! Achei a ideia da história bem interessante e diferente, mas bem confusa! Fiquei curiosa a Cassandra tem algo a ver com a nova missão? Pois se não porque seria citada?

    ResponderExcluir
  7. Eu fiquei muito confusa com uma resenha e com a sinopse do livro e eu achei a capa bem desproporcional ao que a história quer passar eu não entendi muito bem a missão que é que a Sandra vai fazer mas enfim eu não me interessei na leitura não

    ResponderExcluir