30 janeiro 2018

Resenha - O Príncipe Corvo

Título: O Príncipe Corvo #1
Autor: Elizabeth Hoyt
Editora: Grupo Editorial Record
Skoob
Páginas: 350
Onde comprar: Amazon / Submarino


Ao descobrir que o conde de Swartingham visita um bordel para atender suas “necessidades masculinas”, Anna Wren decide satisfazer seus desejos femininos... com o conde como seu amante. Chega uma hora na vida de uma dama...  Anna Wren está tendo um dia difícil. Depois de quase ser atropelada por um cavaleiro arrogante, ela volta para casa e descobre que as finanças da família, que não iam bem desde a morte do marido, estão em situação difícil.  Em que ela deve fazer o inimaginável... O conde de Swartingham não sabe o que fazer depois que dois secretários vão embora na calada da noite. Edward de Raaf precisa de alguém que consiga lidar com seu mau humor e comportamento rude. E encontrar um emprego. Quando Anna começa a trabalhar para o conde, parece que ambos resolveram seus problemas. Então ela descobre que ele planeja visitar o mais famoso bordel em Londres para atender a suas necessidades “masculinas”. Ora! Anna fica furiosa — e decide satisfazer seus desejos femininos… com o conde como seu desavisado amante.





Este é o meu primeiro contato com a escrita da Elizabeth Hoyt. Eu conheci a trilogia durante um evento da Editora Record, desde lá, eu fiquei muito ansiosa para poder ler os livros. Não é nenhuma novidade de que eu sou apaixonada pelo gênero. Eu gosto muito de ler sobre os vários costumes da época; como as mulheres são retratadas, também os homens. Todos os temas que os autores abordam: alguns de forma mais leve e descontraída, outros de forma mais pesada. Não importa se alguns achem esse gênero batido ou clichê... A verdade, é que eu amo e sempre vou amar!

Bom... O Príncipe Corvo é o primeiro livro de uma trilogia. Nesse primeiro volume vamos conhecer a jovem viúva Anna Wren. A jovem já sofreu muito na vida, principalmente durante o casamento, já que seu marido não a respeitava. Quando ele morreu, Anna precisou lidar com as despesas da casa e todas as responsabilidades. Anna é do tipo de mulher que não espera que um príncipe encantada caia do céu e resolva todos os seus problemas. Ela sabe que para conseguir sustentar sua sogra e a jovem que vive com elas, ela precisará trabalhar. Normal para uma mulher da nossa época. Mas, nem tanto para uma viúva daquele século. A sociedade não é muito solidária e impõe valores que, para alguns, é impossível seguir. Mas como Anna não é igual a todas as mulheres, ela vai à luta e a procura de um emprego. É aí que ela começa a trabalhar como secretaria para o conde de Swartingham.

Edward não é uma pessoa fácil de se conviver, todos os seus empregados sabem disso. E quando os dois se veem pela primeira vez, uma pequena fagulha de desejo desperta entre eles. Edward não consegue tirar a jovem da cabeça; Anna sente que precisa saber como é estar nos braços do conde. Desesperado para tirar Anna de seus pensamentos, Edward recorre a um famoso bordel, o que leva a Anna, quando descobre, a saber exatamente o que fazer para ter uma noite com o conde.


Ah, meus amigos... Como eu amei esse livro. Eu disse que esse é um dos meus gêneros preferidos. E quando a narrativa é descontraída, sensual, divertida e apaixonante, só falta eu vomitar corações. Mas calma! Eu vou começar falando um pouco sobre os personagens, depois eu passo para a trama.

Começando pela Anna: que mocinha maravilhosa e encantadora. Anna é uma mulher forte, decidida e corajosa. Ela não se importa muito com todas as regras impostas pela sociedade e muitas vezes não se importa com o que a sociedade pensará dela. Ela questiona em vários momentos as diferenças entre os homens e mulheres. O fato das mulheres não poderem demostrar seus sentimentos e desejos. Ela deseja ter uma noite com Edward e vai atrás para conseguir isso e poder realizar seu desejo. Ela bate de frente com Edward como igual para defender suas opiniões e aquilo que acredita ser o certo.

Já Edward é cativante, mesmo que seu humor do cão às vezes assuste todo mundo. Ele é engraçado, tem um senso de humor maravilhoso, algo que eu adoro nos mocinhos. Ao mesmo tempo em que é mal-humorado e taciturno, sabe ser gentil e apaixonado.

“Raiva. Anna sentiu raiva. A sociedade poderia não esperar o celibato do conde, mas certamente esperava isso dela. Ele, por ser homem, poderia ir a casas de má reputação e aprontar por toda a noite com criaturas sedutoras e sofisticadas. Enquanto ela, por ser mulher, deveria ser casta (...)”

Agora que eu falei sobre os protagonistas, passarei para a trama. Eu citei sobre os temas abordados pela maioria dos autores de romances de época. Pois bem... Elizabeth Hoyt questiona muito sobre o papel da mulher na sociedade. Sobre o fato delas não poderem lutar pelos seus direitos. Ela ainda aborda sobre a questão da sexualidade feminina e o fato delas não poderem demonstrar seus sentimentos e desejos abertamente. O livro ainda toca no ponto dos vários casamentos arranjados, algo recorrente naquele tempo. Onde alguns casamentos eram somente visando o lucro, o dote, o que a família da noiva ou do noivo ganharia com o enlace. São várias questões sociais que a autora aborda nesse livro, e isso contribui para que a leitura seja inda melhor.

Passando um pouco para a edição do livro, a editora está de parabéns pelo trabalho. A capa é linda, eu nem preciso dizer o quanto amei. Quando vi pela primeira vez, pensei que fosse ser em capa dura; acho que ficaria inda melhor e mais linda... Mesmo assim, eu ainda gosto muito dela. Um detalhe nesse livro é que, na abertura de cada capítulo, tem partes do conto de mesmo nome que o livro. Este conto é lido pela Anna durante a narrativa.


O Príncipe Corvo foi uma das minhas melhores leituras do ano passado. Além dos temas sociais, ótimos personagens e um romance lindo, o livro ainda conta com cenas bem sensuais. Algumas dessas cenas são bem detalhadas e descritivas. Se você, por acaso, não tem o costume de ler esse tipo de narrativa, ou se sente incomodado com isso, eu peço que não desista do livro. Quem sabe você acabe gostando?! Em suma, é uma leitura leve e descontraída, que diverte muito o leitor e nos deixa suspirando e com os olhinhos brilhando. Estou bem ansiosa pela leitura do segundo livro (que será em breve). E caso você tenha se interessado pelos livros, saiba que, apesar de fazerem parte de uma trilogia, eles podem ser lidos separadamente.


Se Inscreva e Participe!!!







8 comentários:

  1. Oi Dani!
    Eu também adoro romances de época por mais clichê que seja os livros
    Adorei a resenha e no fim do ano passado comprei os dois primeiros da trilogia e estou louca pra começar a ler, já será o próximo assim que terminar minha leitura atual. Amei como ela parece uma personagem forte, contra tudo o que se pensava na época. E o mocinho tenho certeza que me apaixonarei por ele também ao longo da leitura rsrs Quando a edição, que capas lindas! Ja ouvi falar que o terceiro não é tão bom quanto os demais porém irei comprar até pra ter aquela coisa linda na minha estante auahauah Depois conta aqui o que achou dos outros livros. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Tenho namorado este trilogia desde que vi a primeira chamada para eles no final do ano passado. A Trilogia dos Príncipes! As capas são incríveis e isso de trazer a personagem forte e determinada, é algo que tem sido feito com frequência na literatura de época.
    Muitos autores tem feito isso e é bom demais ver que tudo que já era bom, pode ainda ficar melhor!
    Também gosto dos "mocinhos" com esse ar de vilão.rs que usam bastante sarcasmo nas horas certas.
    Lerei com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Dani :) fiquei bem interessada em ler esse livro! Cada um da trilogia conta história de pessoas diferentes?
    Pela foto do livro eu achei que era capa dura haha parece, é muito lindo mesmo
    Quanto ao gênero, o primeiro livro que li por vontade própria e gostei foi um no mesmo estilo, não sei se vc conhece, se chama Aprendendo a Seduzir. Eu amei muito o livro e já li algumas vezes, e foi ali que entrei pra vida literária! Hoje em dia leio quase de tudo, mas foi ali que tudo começou haha

    Adorei a resenha, bjs

    ResponderExcluir
  4. Amo esse gênero 90% da minha estante é de romance de época. Já conhecia essa história antes de ser lançada no brasil, apenas em Portugal e já gostava, estava bem ansiosa para o lançamento dele. Amei o Edward ele parece um sonho. Quero muito esse livro.

    ResponderExcluir
  5. Dani!
    Bom saber que foi uma das melhores leituras suas no ano passado.
    Já gostei porque é um romance de época.
    A capa está linda!
    A varíola arrasou muitas famílias na época e deixou muitas sequelas.
    O Conde Eduward tem vários motivos para ter seu humor alterado, temos de entendê-lo.
    Ana parece uma protagonista forte, que não se entrega as ‘dores’ e sofrimento e vai em busca de resolver seus problemas.
    Bom ver que o livro apesar do que é esperado, traz muitas novidades.
    Adoro quando os livros trazem esse lado mais aprimorado sobre a personalidade das personagens.
    O bom de ler um romance é justamente o prazer que ele nos dá.
    Já nem gosto muito de ler sinopses mesmo, as vezes são enganosas.
    Adorei!
    Desejo uma ótima semana, cheia de luz e paz!
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Oi Dani!
    O enredo fica cada vez melhor á cada resenha que leio sobre a trilogia, estão lindos assim como as capas, maravilhosas, espero conseguir ler em, breve!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Comecei a ler o primeiro livro e acabei abandonando porque eu achei ele erótico demais e eu não gosto muito de ler livros assim então acabei abandonando a leitura mas eu fiquei muito interessado na sinopse e a premissa do segundo e do terceiro livro Então eu acho que vou retornar minha leitura

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir