11 janeiro 2018

Resenha - Nove Dragões


Título: Nove Dragões
Autor: Michael Connelly
Cortesia: Cia das Letras / Suma de Letras
Skoob / Goodreads
Páginas: 368
Onde comprar: Amazon

A nova aventura do personagem mais famoso de Michael Conelly, o detetive Harry Bosch, se passa agora em Kowloon, que significa Nove Dragões, região mais populosa de Hong Kong e título do romance policial do escritor norte-americano. O livro é a primeira aventura do personagem mais famoso de Michael Conelly desde O Mirante, de 2008. Acompanhado de seu parceiro Ignacio Ferras, Bosch está a cargo de uma investigação que parece rotineira, seguindo a pista do assassino do senhor Li, dono de uma loja de bebidas num gueto de Los Angeles. David Chu, policial de origem chinesa com experiência junto às gangues de imigrantes asiáticos da cidade, é chamado a colaborar - e, de fato, uma quadrilha com ramificações do outro lado do oceano parece estar envolvida no crime. No meio da investigação, um telefonema ameaçador e uma mensagem em vídeo fazem com que o caso se torne pessoal para o detetive: as imagens foram registradas em Hong Kong e quem aparece nelas é Maddie, a filha dele que mora lá com a mãe, sua ex-mulher Eleanor. A relação de Bosch e Eleanor é estremecida e ele só vê a filha duas vezes por ano. Agora, ela foi sequestrada, a polícia local não deu muita importância e o pai não tem escolha senão pegar o primeiro avião e se aventurar pelo território chinês. Forçado a agir fora do ambiente que conhece para salvar a filha, Bosch protagoniza uma trama com elementos trágicos e reviravoltas surpreendentes.




Harry Bosh é um detetive da divisão de homicídios em Los Angeles. Depois de semanas sem nenhum caso novo para tirá-lo da rotina, ele e seu parceiro, Ignacio Ferras, são convocados para cobrir um roubo em uma loja de bebidas chamada Fortune Liquors, que visitara uma vez vinte anos antes. Pertencente a uma família de imigrantes chineses, o proprietário da loja, John Li, foi encontrado morto pela esposa com três tiros no peito.

A princípio, todos desconfiam de um assassinato motivado por vingança de uma gangue, pois um suspeito havia ameaçado John Li dias antes, mas Bosh não comprou a solução e foi atrás de outras pistas. Apesar do atirador ter recolhido o disco de gravação da câmera da loja, Bosh encontra outros dois discos com gravações de outros dias. Ele vira a noite assistindo as duas gravações que Li parecia ter guardado para comprovar furtos que estavam ocorrendo, no entanto, Bosh encontra uma outra situação.

Na gravação de uma semana antes do crime, um sujeito entra na loja para comprar cigarros, um cenário normal se não fosse por Li entregar para ele muito mais dinheiro do que o troco pedia. Esse indício acaba levando Bosh às tríades, máfias chinesas que oferecem suposta proteção a pequenos lojistas em troca de pagamentos mensais. O que era para ser uma investigação rotineira acaba se tornando um problema internacional e bem mais pessoal do que Bosh esperava.

- A criação das tríades remonta ao século XVII na China. Havia 113 monges no mosteiro de Shaolin. Monges budistas. Os invasores manchus atacaram e mataram todos os monges, menos cinco. Os cinco monges restantes criaram sociedades secretas com o objetivo de rechaças os invasores. As tríades surgiram. Mas ao longo dos séculos elas mudaram. Deixaram a política e o patriotismo de lado e se tornaram organizações criminosas.

Pouco depois de receber uma ligação de ameaça, Bosh descobre que sequestraram sua filha que mora com a mãe em Hong Kong e mesmo com poucas pistas em  uma cidade praticamente desconhecida, não pensa duas vezes antes de pegar o próximo avião para procurá-la se mostrando disposto a fazer qualquer coisa para recuperar Madeline.

Tudo isso mudou no dia em que foi apresentado à filha que não sabia que tinha. Nesse momento, percebeu que fora salvo e que estava perdido. Estaria para sempre ligado ao mundo do modo que só um pai conhece. Mas também estaria perdido porque sabia que as forças sinistras que enfrentava um dia a encontrariam. Não fazia diferença que houvesse um oceano inteiro entre eles.



[ - Minhas Impressões - ]


Depois da experiência positiva que tive lendo O Espantalho, também do Michael Connelly, estava ansiosa para conhecer outras obras do autor. Nove Dragões tem um ritmo bem diferente, mas nem por isso decepciona, visto que o que parecia ser uma trama simples se tornou uma aventura de tirar o fôlego muito além do que eu estava esperando.


O ritmo da narrativa segue o da investigação com altos e baixos. Os momentos mais parados em que não aparecem novas evidências transmitem bem a frustração de Bosh, afinal nós também queremos que a história se movimente. O que eu mais amo em narrativas policiais é como elas nos enganam para trazer o elemento surpresa, achamos que sabemos o que está por vir, mas não é nada disso (ficamos só o Jon Snow ouvindo a Ygritte falando "você não sabe de nada" - risos).

Uma coisa legal dos livros do Connelly é que você não precisa seguir a ordem, dá para ler qualquer um sem prejudicar a compreensão da história, mas é claro que acompanhar os personagens nas aventuras desde o início deve ser uma experiência muito mais completa. E falando em personagens, aqui temos a aparição de outro protagonista de Connelly colaborando com o detetive Bosh, se mostrando uma das melhores passagens do livro, sem dúvidas!

Nove Dragões não é só investigação, tem muita ação também. Harry Bosh não é exatamente o protagonista mais amável do mundo, mas acompanhar a mente investigativa dele é demais! Eu gostei muito do David Chu, o policial que auxilia Bosh no caso, gostaria que ele tivesse uma participação maior e ficaria muito feliz se soubesse que ele aparece em outros livros também.

O final me surpreendeu positivamente, talvez tenha faltado um pouco mais de ligação entre os fatos, mas achei a resolução ótima. Matou minha saudade de livros policiais com classe! Para os que também adoram o suspense por trás dos crimes, fica aqui a minha indicação para as listinhas de leitura deste ano que está só começando.

Se Inscreva e Participe!!!




6 comentários:

  1. Luana!
    Aventura de tirar o fôlego é? Já fiquei interessada.
    Mesmo com alguns trechos mais parados, só em saber que a narrativa traz grandes surpresas e reviravoltas, já me deixou com aquela vontade de ler, porque amo livros policiais e ainda não li nada desse autor.
    E sabendo que pode ler fora de ordem, melhor!
    Novo Ano repleto de realizações!!
    “Que a paz, a saúde e o amor estejam presentes em todos os dias deste novo ano que se inicia. Feliz Ano Novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Sem sombra de dúvidas, as letras de Connelly são incríveis! É uma pena muita gente ainda torcer o nariz para o autor.
    Ainda não conhecia este livro dele, mas se tiver oportunidade quero muito poder conferir.
    Ele sempre nos apresenta personagens cativantes e sempre tem um que tem um humor negro que eu amo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Luana! Adoro livros policiais e conheço por nome Michael Connelly mas nunca li uma obra sua. "Nove Dragões" pareceu interessante porque mistura muito o policial com a ação. Os personagens aparecem nos outros livros e continuam? Sendo assim eu gosto de me familiarizar com eles desde o início então pra começar com o autor irei ler algum dos primeiros livr dele. O melhor pra mim de um livro policial é quando o final me surpreende apesar de que eu também vou conferir todas as ligações com o restante da obra pra saber se faz sentido kkkk

    ResponderExcluir
  4. Oi Luana!
    Nunca tinha ouvido flar desse livro, pelo enredo e sua resenha parece uma leitura recheada de coisas de coisas boas, eu leio pouco esse gênero mas esse livro me chamou atenção, vou anotar a dica.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Lembrei dos filmes do Jackie Chan, investigação, Hong Kong, adorei, nunca tinha lido nada desse livro, mas gostei bastante, achei diferente, somos acostumados aos livros policiais comuns, em Londres ou NY, achei esse bem diferente e parece muito legal.

    ResponderExcluir
  6. Eu já li o livro O Espantalho desse autor e eu gostei mas quando eu fui procurar mais obras dele eu encontrei esse livro e me decepcionei com a leitura me deu muita falta de paciência com os personagens desse livro o livro O Espantalho Foi incrível agora Esse livro me decepcionou completamente

    ResponderExcluir