10 janeiro 2018

Resenha - Depois daquela Montanha

Título: Depois daquela montanha
Autor: Charles Martin
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Skoob
Onde comprar: Amazon / Submarino
                                                   
O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo.
Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto.  Ataque cardíaco, sem dúvida.
Mas havia uma mulher também - Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada.
Agora eles estão sozinhos, isolados a quase  3.500 metros de altitude, numa extrema área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.





Após voltar de um congresso em Colorado Springs tudo o que o Dr. Ben Payne mais deseja é retornar para casa, mas para isso acontecer ele vai precisar primeiro que o avião seja liberado para voar. No entanto, isso parece estar longe de acontecer, pois com o tempo horrível que está fazendo e com previsão de que só vá piorar cada vez mais, ele sabe que a sorte não está a seu favor. Enquanto espera impotente por seu voo Ben percebe a chegada de Ashley no aeroporto, uma mulher com uma aparência que não pode e não deve ser ignorada. Ela realmente é linda, mas têm algo mais além de beleza que exala dela por onde quer que ela vá e Ben percebe instantaneamente. Então ali mesmo no aeroporto eles têm sua primeira conversa e ficam sabendo um pouco um do outro.

"- Você é médico?
 - Cirurgião. - Levantei os envelopes pardos: - Pacientes da semana  passada.
 - E você?
 - Colunista. - Indicou com um gesto os papéis  à sua frente. - Escrevo para revistas femininas."

Os dois se vêem no mesmo avião quando aparentemente este é liberado para seguir viagem, mas logo eles são trazidos de volta a realidade quando mais uma vez o avião é impedido de decolar por causa das condições do tempo que impossibilitam a decolagem. Eles acabam trocando algumas  poucas palavras e se despedem, indo em direções opostas e acabam retornando ao aeroporto, onde se perdem um do outro.

Ben está decido a voltar para casa de qualquer jeito e acaba visualizando um aeroporto particular onde é oferecido voos fretados. Sem pensar duas vezes ele consegue que um piloto já com uma certa idade, cujo nome é Groover o leve em seu avião. Só que antes deles partirem Ben decide ir atrás de Ashley e lhe convida a viajar com ele, depois de uma pequena hesitação ela acaba aceitando. Porém, o que está prestes a acontecer dali há poucos minutos e que mudará completamente o percurso de suas vidas nenhum deles têm sequer a mínima ideia.

A viagem segue bem, embora o tempo esteja cada vez pior e também esteja fazendo muito frio. Eles estão conversando quando de repente o pior acontece e o avião cai. Quando volta a si Ben tem a triste constatação de que o piloto morreu, vítima de um ataque cardíaco, e Ashley está bastante ferida, sem contar que ele também se feriu, mas não gravemente.

A partir desse momento ele tem certeza absoluta de que precisa fazer o que for possível para salvar a si mesmo e, principalmente Ashley, pois ele se sente responsável por tê-la convidado a viajar com ele.

A convivência forçada possibilita que eles vão se conhecendo melhor e isso faz com que Ashley perceba que Ben está passando por problemas em seu casamento, já que em várias conversas ele deixa escapar através das palavras a dor e o sofrimento que carrega dentro de si.

Ben é um homem devastado pela dor, mas que Ashley não é capaz de mensurar e ali onde estão, longe de tudo e todos, os pensamentos de Ben vão para a esposa, Rachel, a quem ele ama profunda e imensamente.

"Ao fitar esta paisagem coberta de gelo, sem nada além do impossível a me encarar, voltam-me as lembranças.
 Eu vejo o que existe. Você, o que poderia existir."

Desistir e entregar-se ao desespero não é uma opção para Ben, e por ser quem ele é e por ter passado por toda uma gama de sofrimento maior do que um ser humano é capaz de suportar sem enlouquecer, ele sabe que precisa encontrar ajuda para ambos antes que seja tarde demais.


                                                     
[- Minhas impressões -]

A estória desse livro me comoveu de sobremaneira. Desde o começo pude perceber o grau de envolvimento do autor com sua obra, pois ela carrega uma carga enorme de dramaticidade, sofrimento profundo e muita emoção.

A medida que fui lendo e conhecendo o Dr. Ben Payne  fui me simpatizando cada vez mais por seu personagem, por sua história e principalmente pelo enorme e infinito amor que ele tem pela esposa. É aquele tipo de amor que a gente se questiona se realmente existe, pois é bonito demais e deve ser incrível ser amada dessa forma.

Eu fui completamente cativada por Ben e seu caráter. A forma com a qual ele cuidou e tratou de Ashley me comoveu imensamente. Eu o achei tão fofo, delicado e atencioso!

O que mais me encantou no livro foi a linda história de amor entre Ben  e Rachel, foi maravilhoso acompanhar a trajetória dos dois. Poder ser testemunha dos sonhos deles tornando-se realidade e ver como eles se amavam e se queriam bem. Foi poético, realmente. Mas ao mesmo tempo eu sentia que havia algo errado, que havia acontecido algo realmente muito grave, pois eu não entendia o motivo de Rachel só aparecer nas lembranças dele. E quando enfim eu soube... Caramba! A emoção tomou conta de mim! Chorei igual criança e fiquei extremamente tocada e sensibilizada por tudo que aconteceu. Então agora eu posso dizer que entendo muito bem o Dr. Ben Payne e o admiro muito mais.

"Você foi a primeira a juntar os meus cacos. Em matéria de amor, você me ensinou a engatinhar, andar, correr e, um dia, num ponto qualquer da praia, à luz do luar e com o vento contrário, correndo 1.600 metros em cinco minutos, você se virou para mim, cortou as amarras que prendiam minhas asas e me ensinou a voar. Meus pés mal tocavam o chão."

Depois daquela montanha é um tipo de livro que não se esquece facilmente e eu o encaro como uma lição de vida, pois percebi o quão minucioso e cuidadoso o autor foi ao colocar no papel, de forma espetacular todos os dissabores, perdas e sofrimentos pelos quais o personagem central enfrentou. E mais precisamente a forma que ele encontrou para lidar com as porradas e reviravoltas que levou da vida, e mesmo assim continuar seguindo em frente.

Estou extremamente sensibilizada e tocada por essa narrativa que me pôs a refletir mais profundamente sobre a vida. Acredito que tenha sido essa a intenção do autor para com os leitores de seu livro que carrega uma profundidade ímpar e uma grande carga emocional.

Por tudo que li e pela forma como simpatizei pelo Ben, devo dizer que não gostei inteiramente do final que foi dado ao seu personagem. Esclareço que estou sendo extremamente egoísta nesta questão, mas a meu favor digo que Ben e Rachel me cativaram de tal forma que eu me transformei em uma defensora feroz do amor dos dois.

Tomara que ao lerem minha resenha alguém já tenha lido o livro e entenda o por quê de eu estar falando isso. Mas num todo eu gostei a beça do livro.

Se Inscrevam e Participem!!









7 comentários:

  1. Será que o final do livro é o final do filme? Puxa, agora fiquei me perguntando isso.
    Pois só consegui ver o filme até agora e não vejo a hora de poder ler o livro também.
    Apesar de ter a estranha mania de visualizar os personagens na mente e não imaginar nem por um minutos Ben sendo vivido por Idris, o filme é excelente!
    Lerei com certeza só para mais uma vez ter essa visão do Ben todo protetor e delicado!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Kaline...
    Eu ainda não li o livro e nem vi o filme, acompanhei algumas resenhas que me fizeram desistir da leitura e até msm de ver o filme, qro mto mudar de idéia mas ainda não rolou...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Kaline!
    O livro é um dos que está na minha lista de desejados e não é pelo fato do filme ser lançado, mas porque gosto de personagens que conseguem levantar a auto estima dos que rodeiam e convivem. E acredito que é isso que Ashey faz!
    Agora que fiquei mesmo intrigada para saber todas as nuances de dor e superação de Ben, por sua resenha, acredito que seja algo como uma veneração por Rachel...vamos ver quando ler o livro.
    Novo Ano repleto de realizações!!
    “Que a paz, a saúde e o amor estejam presentes em todos os dias deste novo ano que se inicia. Feliz Ano Novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Ola Kaline!
    O que aconteceu com a Rachel? 😰 Curiooooosa!!! Imagino que deva ser uma história pra ler chorando com todo o drama que se desenvolve (só lendo a sua resenha já começo a imaginar as lágrimas quando eu ler kkkk) e o Ben com certeza ja me cativaria só pela responsabilidade que ele tem com a Ashey. Tem final triste pra ele? Ahhh que triste. Curiosa pra ler também o final! Que ótima resenha e arqueiro nunca decepcionando :)

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito da sinopse não conhecia. Já esta na minha infinita lista de desejados...
    Super beijo e uma ótima semana!
    https://blogtalendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não li o livro e odiei a sua resenha, agora estou curiosa demaissssss.... rsrsrs
    Quero saber o que houve com a Rachel, ela morreu, tem uma doença terminal? Cara que agonia!
    Não me interessei pela história até ler a resenha, tinha uma noção totalmente diferente de como ela seria, mas achei bem interessante e fiquei bem curiosa, mesmo sendo uma história de drama.

    ResponderExcluir
  7. A história desse livro também me comoveu muito e eu fiquei muito feliz quando eu vi que ia ter uma adaptação para os cinemas desse livro Só não quero que estraguem o livro Como já fizeram com várias outras adaptações

    ResponderExcluir