08 janeiro 2018

Resenha - As Primeiras Quinze Vidas de Harry August


Título: As Primeiras Quinze Vidas de Harry August
Autora: Claire North
Editora: Grupo Editorial Record / Bertrand Brasil
Páginas: 448
Skoob
Onde Comprar: Saraiva / Amazon / Submarino

Certas histórias não podem ser contadas em uma única vida. Harry está no leito de morte. Outra vez. Não importa o que faça ou que decisões tome: toda vez que ele morre, volta para onde começou; uma criança com a memória de todo o conhecimento de uma vida vivida diversas vezes. Nada nunca muda... até agora. Ele está perto da décima primeira morte quando uma garotinha de 7 anos se aproxima da cama: “Quase perdi você, doutor August. Eu preciso enviar uma mensagem de volta no tempo. O mundo está acabando, como sempre. Mas o fim está chegando cada vez mais rápido. Então, agora é com você.” Este livro conta a história do que Harry faz em seguida, do que fez antes, e do que faz para tentar salvar um passado inalterável e mudar um futuro inaceitável.






Harry August tem uma vida peculiar: nascido em 1919, foi criado por pais adotivos que receberam dinheiro para isso, já que ele nasceu fora do casamento e sua mãe morreu no parto. Seu pai é um homem rico e influente que desconhece sua existência. E a única pessoa de sua família que parece se importar com ele é a sua tia, irmã de seu pai biológico, que o sustenta e o ajuda.

Mas o que é realmente peculiar sobre Harry August é a sua morte, uma vez que quando morre, ele retorna exatamente para a mesma vida, iniciando-a novamente, levando de bagagem todas as memórias, o conhecimento e a sabedoria adquiridos na vida anterior.

Dentro desse cenário, Harry vê uma oportunidade de estar constantemente se conhecendo e tentando entender o seu papel no do mundo. Além disso, ele enxerga nisso a chance de ganhar muito conhecimento e de experimentar diversas vidas alternativas.

"Meu nome é Harry August. Meu pai se chama Rory Edmond Hulne, minha mãe morreu no parto. Esta é a minha quarta vida. Eu vivi e morri muitas vezes até agora, mas minha vida é sempre a mesma."


Até que ele conhece o secreto Clube Cronos, composto apenas por pessoas que têm as mesmas habilidades que ele – os kalachakras – e se dispõem a utilizar seu renascimento como uma forma de ajudar outras pessoas como eles e de ajudar o mundo de maneira geral.

A única regra do clube é que os kalachakras não podem interferir no curso natural da história do mundo. Contudo, Harry está morrendo na sua 11ª vida quando uma mensagem do clube chega até ele: o mundo está acabando e cabe a ele descobrir quem é o traidor que está se aproveitando da sua condição de kalachakra para mudar a história e se favorecer com isso.


As primeiras quinze vidas de Harry August poderia ser somente mais um livro de ficção científica que brinca com a possibilidade de ir e voltar no tempo. Contudo, o conteúdo do livro abrange muito mais do que somente isso.

Dentro dessa narrativa muito bem elaborada por Claire North, nós podemos vivenciar as dificuldades e as nuances da vida humana: os amores perdidos, as oportunidades que deixamos passar, escolhas erradas... tudo isso pela perspectiva de uma pessoa que tem a capacidade de errar e voltar atrás para escrever um novo começo.

"Escrevo para você.
Meu inimigo.
Meu amigo.
Você sabe, já deve saber.
Você perdeu."

É uma trama sensível que prende o leitor do começo ao fim por conta das constantes mudanças na trama e pelo desenvolvimento lento, porém preciso da estória. A autora gera uma conexão com o personagem principal exatamente por nos colocar dentro da cabeça dele, em uma narrativa em primeira pessoa. Então, enquanto estamos lendo sobre as primeiras vidas de Harry, temos aquela enorme sensação de confusão, lentidão e frustração, exatamente como ele está se sentindo: perdido, sem entender o seu propósito e sem entender o motivo de ele continuar voltando para a mesma vida.

Mas, conforme o enredo avança e Harry desabrocha para o mundo, experimentando novas possibilidades, conhecendo novos personagens, sua estória se desenrola em uma enxurrada de acontecimentos completamente alucinantes, que vão fazer os leitores não desgrudarem do livro até descobrirem o seu final. Além disso, a autora fez um excelente trabalho se dedicando a desenvolver cada um dos personagens. Todos eles ora nos cativam, ora nos fazem odiá-los. Mas, o mais importante é que todos nos despertam fortes sentimentos sobre eles e sobre suas histórias.

“Morrer não nos causa medo. É no renascimento que se encontra o terror. No renascimento e no medo persistente de que, por mais que nossos corpos se renovem, não há salvação para as nossas mentes.”

Esse não é um livro apenas de ficção científica, não. Ele passeia por vários gêneros literários e é isso que faz dele um livro excelente e tocante, que gera no leitor inúmeras sensações. A narrativa é um pouco lenta e extensa, o que justifica alguns leitores não conseguirem ler esse livro com tanta fluidez. Contudo, para aqueles que conseguirem, sugiro que insistam na leitura, pois essa é uma daquelas estórias que valem a pena e nos fazem lembrar como ler é gostoso. 

O livro é da editoria Bertrand Brasil e tem uma diagramação boa e simples. A edição é muito bonita, incluindo a arte da capa e das orelhas do livro. Mas não podia se esperar menos, já que tudo isso serve apenas de chamariz para um livro tão maravilhoso.


Se Inscrevam e Participem!!








8 comentários:

  1. Oi Steh!
    Estou com esse livro nos meus desejados, esperando uma oportunidade de conhecer, li mtas resenhas positivas sobre a obra o que me animou mais ainda á ler, o enredo parece ser bem bacana msm por misturas vários gêneros literários, espero conseguir ler eme breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Não é a primeira resenha positiva que leio sobre este livro e claro que ele já está na lista de desejados faz tempo.
    Se fosse só o ir e vir no tempo já seria maravilhoso, afinal amo enredos assim, mas também pude perceber isso que você citou, o crescer, o ir vivendo pouco a pouco os dias e as lembranças.
    Acredito que o ponto central do livro seja esse: nos fazer pensar e nos questionar em chances!
    Lerei com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Stephanie! Eu vi esse livro em algum lugar, não me lembro ao certo se foi online ou em livraria física, mas apesar de o título ter me chamado atenção, a capa não me fez querer comprá-lo, confesso. De toda forma, a ideia do livro me interessa, essa coisa de concertar erros, de poder modificar a linha do tempo, é algo que me instiga e me faz curiosa pra ler. Espero conseguir ler ele o quanto antes!

    ResponderExcluir
  4. Stephanie!
    Apesar de ter ficada bem interessada no livro, porque achei o enredo bem diferenciado, não consegui entender bem qual o verdadeiro significado do protagonista retornar tantas vezes, mas quem sabe ao lê-lo, consiga desvendar esse mistério?...
    Como gosto muito de ficção e você falou que passeia por outros gêneros também e ainda a personagem amadureça no decorrer da jornada, quero poder conferir.
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Chega de velhas desculpas e velhas atitudes! Que o ano novo traga vida nova, como o rio que sai lavando e levando tudo por onde passa.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi Stephanie! A história parece muito interessante, acho que poderia virar até um filme. Não sei se eu conseguiria ler tão facilmente ja que a leitura não é tao fluida e imagino também que essas voltas fazem ela ser mais lentas. Os personagens cativantes é um ponto forte, pois em geral nas leituras eu valorizo muito um personagem cativante. A questão de errar em uma pespectiva de uma pessoa pode voltar atrás também é muito curiosa. No geral gostei da história! Quem sabe quando estiver com mais calma pra ler tentarei dar uma chance!

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia este livro, realmente é peculiar Harry August morrer e retornar exatamente para a mesma vida, iniciando-a novamente e levando de bagagem todas as memórias, o conhecimento e a sabedoria adquiridos na vida anterior, achei legal que dentro deste cenário ele vê nisso uma oportunidade para estar constantemente se conhecendo e tentando entender o papel dele no mundo, parece ser um ótimo livro, sem dúvidas pretendo ler As Primeiras Quinze Vidas de Harry August.

    ResponderExcluir
  7. Não sei se gostei da história, tem um pouco de mistério e parece ter ação também, mas achei meio confusa e fora do meu estilo, acho que como você falou é uma leitura mais difícil e morosa não creio que seja o momento de lê-lo, mas quem sabe um dia.

    ResponderExcluir
  8. Só chamou minha atenção mesmo na história a parte do Mistério mas eu me lembro que quando eu li esse livro eu achei o livro muito parado a leitura era difícil você demorava a entender muitas coisas na história e eu acabei me estressando e trocando o livro com uma amiga minha

    ResponderExcluir