29 novembro 2017

Resenha - Paixão ao Entardecer #5


Título: Paixão ao Entardecer
Autora: Lisa Kleypas
Páginas: 272
Skoob
Onde comprar: Saraiva / Submarino

Mesmo sendo uma família nada tradicional, quase todos os irmãos Hathaways se casaram, até mesmo Leo, que era o mais avesso a essa ideia. Mas para a caçula Beatrix, parece não haver mais esperança.
Dona de um espírito livre, apaixonada por animais e pela natureza, Beatrix se sente muito mais à vontade ao ar livre do que em salões de baile. E, embora já tenha frequentado as temporadas londrinas e até ter feito algum sucesso entre os rapazes, nunca foi seriamente cortejada, tampouco se encantou por nenhum deles.
Mas tudo isso pode mudar quando ela se oferece para ajudar uma amiga.
A superficial Prudence recebe uma carta de seu pretendente, o capitão Christopher Phelan, que está na frente  de batalha. Mas parece que a guerra teve um forte efeito sobre ele, e seu espírito, antes muito vivaz, se tornou bastante denso e sombrio.
Prudence não tem a menor intensão de responder, mas Beatrix acha que ele merece uma palavra de apoio - mesmo depois de tê-la chamado de estranha e ter dito que a jovem é mais adequada aos estábulos do que aos salões. Então começa a escrever para ele e assina com o nome da amiga. Beatrix só não imaginava o poder que as palavras trocadas teriam obre eles.
De volta como um aclamado herói de guerra, Phelan está determinado a se casar com a mulher que ama. Mas antes disso vai ter que descobrir quem ela é.
                                                     


Resenhas Anteriores






                                                     
Oi, pessoal, depois de quatro livros maravilhosos da incrível e original família Hathaway eis que chega ao fim a trajetória mais que engraçada, amorosa e divertida que eu tive o prazer de ler. A saga do clã Hathaway termina com mais uma linda história de amor, e conta o romance da divertidíssima irmã caçula Beatrix com o másculo e corajoso Chistopher Phelan. Convido vocês a embarcarem comigo nesta deliciosa jornada do casal até o tão aguardado final feliz.

Beatrix é uma jovem de 23 anos ansiosa por encontrar um homem que a aceite como ela é. Totalmente desprovida das futilidades e afetações que rondam as jovens em busca de um marido Beatrix muitas vezes é mal interpretada pelas pessoas ao seu redor, mais ainda pelos homens que ela encontra nos bailes e saraus aos quais frequenta na esperança de conhecer sua alma gêmea. E é justamente em uma dessas ocasiões que ela fica a par dos pensamentos que o charmoso e belo capitão Chistopher Phelan têm a seu respeito, e eles não são nada lisonjeiros.

" - Aquela garota Hathaway é uma criatura estranha. - Beatrix o ouvira dizer a um amigo.
  - Eu a considero encantadora e original - protestara o outro. - E sabe conversar sobre cavalos muito melhor do que qualquer outra mulher que já conheci.
  - Com certeza - foi a réplica seca de Phelan. - Ela é mais adequada aos estábulos do que aos salões."

Deste momento em diante Beatrix desenvolve uma antipatia gratuita pelo capitão, mas tudo isso muda ao ler uma carta endereçada a sua amiga Prudence, onde ele se mostra mais simpático aos olhos de Beatrix e ela acredita que Christopher mereça uma resposta da amiga. Só que Prudence não está nem um pouco animada com as notícias sobre a guerra e por isso decide não enviar uma carta em resposta à carta que recebeu. Então com a autorização de Prudence, Beatrix começa a se corresponder com o capitão Phelan no nome da amiga, e a partir daí as coisas começam a seguir um rumo inesperado e surpreendente para a jovem Hathaway já que ela começa a descobrir que Christopher não é o que ela tinha imaginado, e que a guerra é o inferno na vida desse bravo e admirável homem.

Seus sentimentos começam então a se transformar pouco a pouco em algo mais profundo e sincero do que Beatrix poderia imaginar, e ela se vê total e irremediavelmente apaixonada pelo pretendente de sua amiga mesmo sabendo que ele não faz a menor ideia de quem esteja escrevendo as cartas que iluminam seus sombrios dias e tenebrosas noites em meio a guerra, sangue e morte.


"Preocupo-me que algo possa ter acontecido a você. Espero que esteja a salvo. Acendo uma vela para você, na árvore, toda noite.
Responda-me assim que puder.
   Com carinho,
    Prudence"

Desde que passou a se corresponder com "Prudence", Christopher não vê a hora da guerra acabar para assim poder ficar frente a frente com sua amada e poder dizer tudo o que sente por ela pessoalmente. Ele acredita que "Prudence" seja a mulher pela qual seu coração sempre esperou e desejou ardentemente e mal pode suportar a ideia de que eles não possam ficar juntos.

" Não vou ousar pedir que espere por mim, Pru, mas lhe peço que me escreva novamente. Li sua última carta vezes sem conta. Por algum motivo, você é mais real para mim agora, a três mil quilômetros de distância, do que jamais foi.
       Sempre seu,
       Christopher"

Prudence não sente um pingo de afeição por Christopher, o que ela quer mesmo é o status que sua união com o heroico capitão pode acrescentar à sua imagem. Sem contar os convites para jantares e bailes maravilhosos que eles receberiam ao se tornarem um casal da sociedade londrina. E ela acredita que ao retornar Christopher não perceberá que ela em nada se parece com a jovem sensível e preocupada que lhe escrevia cartas tão calorosas, encorajadoras e carinhosas.

 Mas como a gente bem sabe, o coração das pessoas se mostra como verdadeiramente são, e por mais que elas se esforcem, um dia a máscara cai e a verdadeira face de cada um se revela como é. Portanto, Prudence e Beatrix terão que prestar contas de seus atos quanto ao fato de terem enganado o capitão Phelan, que não descansará enquanto não esclarecer todas as suas dúvidas quando retorna da guerra e se depara com uma Prudence totalmente diferente das cartas que recebia. Ficando claro que outra mulher se correspondeu com ele em todo o tempo que ele esteve na frente de batalha.

Qual será a reação de Christopher quando descobrir que a verdadeira Prudence das cartas nada mais é do que a jovem Beatrix Hathaway, considerada por ele uma criatura estranha e mais adequada aos estábulos? Se você ficou curiosa para saber não deixe de ler o livro, se encantar por seus personagens e suas histórias apaixonantes.



[ - Minhas impressões - ]

É com um sentimento de pura saudade que eu me despeço da família Hathaway e suas histórias deliciosas, engraçadas e contagiantes. Ao longo de cinco livros eu ri, me emocionei e me diverti horrores com cada um dos irmãos e seus respectivos pares.

Paixão ao Entardecer fechou com chave de ouro a saga dessa família desajustadamente perfeita. E em cada livro eu puder ver Beatrix passar de adolescente a uma jovem dama, que em nada se enquadra nos padrões exigidos pela sociedade da época, e que por isso mesmo tanto me agradou.


Em todos os livros da autora Lisa Kleypas onde ela narrou de forma formidável e inteligente a vida de cada personagem ficou visível para mim sua escrita leve, descontraída, mas notoriamente sensível, onde ela dá total destaque às mudanças que o sentimento do amor opera nos corações dos homens e mulheres que têm a dádiva de amar e serem amados. E não foi diferente com Beatrix e Christopher. Eles me conquistaram logo de cara. Eu me vi ao longo da leitura literalmente sorvendo cada palavra, era como se eu tivesse sido transportada para dentro do livro.

Uma das coisas que mais me agradou durante a leitura de cada livro foi que eu pude matar a saudade dos personagens dos livros anteriores, pois a Lisa sempre os trazia para a história atual e com isso eu pude reencontrar Amélia, Rohan, Win, Merripen, Poppy, Harry, Leo e Catherinne. Foi bom demais da conta! E a cada reencontro eu me lembrava da estória de amor de cada um desses casais apaixonantes. Até Dodger o furão encrenqueiro (risos) deu o ar da graça neste último livro, mas de uma maneira bem leve e sem estardalhaço.

É tão bom quando lemos um livro, ou nesse caso vários livros onde a história agrada e alegra os nossos momentos de leitura. Acredito que isso faça toda a diferença, pois nos permite ter boas lembranças e, principalmente, vontade de reler os livros em um futuro próximo.

Como sempre a Arqueiro está de parabéns, pois à exemplo dos livros anteriores este último contém  uma capa elegante e estilosa, sem contar todo o romantismo envolvido e o ar de mistério que ronda a modelo, já que não se pode ver seu rosto.

Para algumas pessoas a história pode ser taxada de clichê, previsível e repetitiva, mas eu como a romântica incurável que sou (graças a Deus) simplesmente amo! E para mim quanto mais livros assim existirem, melhor. Fico feliz da vida (risos).

Me despeço dos Hathaways com saudade e gratidão pelos maravilhosos momentos proporcionados por suas histórias cheias de amor e perdão e aproveito para ressaltar que é disso que o mundo precisa.


Se Inscreva e Participe!!!





                                               

5 comentários:

  1. Oi Kaline!
    Concordo com vc qdo disse que qto mais livros assim melhor... Eu adoro livros assim tbm...Não me incomodam nenhum pouquinho...
    Gostei mto do enredo, espero conseguir ler a série em breve...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou a maluca por romances de época e comprei a coleção dos Hathaways na Black Fridey na saraiva. Eu ainda nao li nada dessa autora mas já vi tanta critica positiva a respeito dela que a vontade de ler só aumenta

    ResponderExcluir
  3. Kaline!
    Adoro quando uma série termina a contento e com chave de outro, embora não tenha lido nenhum dos livros da série, mas já está entre minha favoritas.
    Gosto da premissa das cartas porque o amor é pela essência da pessoa e não pela aparência e gostaria de acompanhar Beatrix e o Capitão em seu impasse pessoal ao se encontrarem e descobrirem a troca das pessoas que respondia as cartas... Bom demais!
    “A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  4. Uma saga que ouso dizer ter as capas mais lindas até o momento! Fiquei babando literalmente em cada livro que foi sendo lançado.
    Ainda não consegui ler nenhum dos livros, mas li todas as resenhas e os livros já estão na minha lista de desejados.
    Amo livros que trazem além do romance(que a gente adora), histórias de família, irmãos, brigas, acertos...e aquela pitada generosa de bom humor!
    Lerei assim que tiver oportunidade!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Kaline ;)
    Adoro os livros da Lisa, e Os Hataways é um dos meus queridinhos *-*
    A Beatrix é a personagem mais legal e engraçada de romances de época, fica páreo a páreo com a Hyacinth Bridgerton, na minha opinião haha
    Gosto quando o casal começa achando que o outro é completamente diferente do que é, e que tem esse misto de amor e ódio, e simplesmente amei o desfecho dessa série linda!
    Adorei o Capitão também, e agora deu vontade de reler a série toda, principalmente meu favorito Sedução ao Amanhecer ;)
    Bjos

    ResponderExcluir