30 novembro 2017

Resenha - Coração de Tinta


Título: Coração de Tinta #1
Autor: Cornelia Funke
Cortesia: Cia das Letras
Skoob / Goodreads
Páginas: 456
Onde comprar: Amazon / Saraiva

Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante noturno finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição. É que Mo tem uma habilidade estranha e incontrolável: quando lê um texto em voz alta, as palavras tomam vida em sua boca, e coisas e seres da história surgem como que por mágica. Numa noite fatídica, quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado "Coração De Tinta". Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de "Coração De Tinta" um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente sequestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.






Maggie tem doze anos e mora com seu pai, a quem chama de Mo. Mo é um encadernador de livros brilhante com um dom muito peculiar, juntos eles nutrem um amor incondicional pela leitura, vivendo rodeados de livros espalhados pela casa inteira. Como muitos de nós consideraríamos um sonho, Mo tem o dom de trazer objetos e personagens ao mundo real quando lê em voz alta, mas nem sempre isso pode ser uma coisa boa. Quando Maggie tinha três anos, um incidente mudou todo o destino de sua família, mas ela só viria descobrir nove anos depois.


Certa madrugada, Maggie avista um estanho pela sua janela e avisa Mo. Um homem chamado Dedo empoeirado alerta o pai de Maggie que Capricórnio, um nome que Maggie nunca tinha ouvido até então, está atrás dele para conseguir um certo livro. Maggie não sabe do que se trata, mas no dia seguinte Mo pede que ela arrume as malas para viajar para a casa da tia de sua mãe, Elinor, que precisa que ele arrume alguns livros. Saindo da casa, eles encontram novamente Dedo Empoeirado, que pede para ir com eles. Juntos, eles partem para a casa de Elinor.

Elinor é uma colecionadora de livros extravagante, sua casa é completamente voltada para a conservação e proteção de sua paixão e investimento. Maggie fica maravilhada com as paredes recheadas de edições dos mais variados tipos, mas não tem uma boa primeira impressão de Elinor (e posso dizer que a recíproca é verdadeira). Maggie ouve seu pai pedindo para Elinor esconder um livro embrulhado na estante dela, onde ele ficaria seguro das mãos de Capricórnio, e se chateia porque Mo insiste em não contar nada a respeito, as poucas informações que ela consegue vem de Dedo Empoeirado que continua com eles.

Ali não havia pilhas de livros espalhadas por todos os cantos, como na casa de Meggie. Aparentemente, cada livro tinha seu lugar. Mas, nos lugares onde na casa das outras pessoas havia papel de parede, quadros ou simplesmente um pedaço de parede nua, na casa de Elinor havia estantes abarrotadas de livros.

Tudo permanece tranquilo até que uma noite os homens de Capricórnio aparecem, levando o pai de Maggie com o livro embora. Desolada, ela descobre que eles levaram o errado, pois Elinor havia trocado os livros por curiosidade. Maggie decide partir em busca de Mo junto com Elinor e Dedo Empoeirado, onde muitas surpresas aguardam e muitas verdades serão reveladas.



[ - Minhas Impressões - ]

Como todo bom leitor adora um bom livro sobre livros, com esse não seria diferente. Se você também ainda não tinha lido Coração de Tinta em pleno 2017, este é o momento para descobrir essa maravilha, que arrependimento não ter lido antes! A Maggie vai lhe conquistar na primeira página e prender até a última com a mesma empolgação. Ele é leve e envolvente de um jeito único, é como se tivesse sua própria personalidade.

Uma das coisas que eu mais gostei sobre ele é como a relação leitor-livro é explorada na história, acredito que todos nós temos um pouquinho dos personagens, seja no fascínio da Maggie, na obsessão da Elinor, ou no poder de Mo, trazendo partes dos livros para a nossa realidade. Talvez não possamos materializar personagens como ele, mas o que lemos constantemente muda a forma como pensamos, agimos e vivemos.

Ela nunca hesitara tanto antes de abrir um livro. Tinha medo do que a esperava dentro dele. Era uma sensação totalmente nova. Nunca antes tivera medo do que um livro lhe contaria, ao contrário, na maior parte das vezes estava tão ansiosa por se deixar levar para um mundo desconhecido e inesperado que começava a ler nas ocasiões mais inadequadas.

Eu diria que a narrativa é um pouco lenta, talvez tudo pudesse ter se desenvolvido de forma mais objetiva, mas não chegou a ser um ponto negativo para mim, senti que ele foi feito para ser lido com calma, saboreando cada capítulo, faz parte do charme! Se um dia eu tiver filhos, com certeza Coração de Tinta será lido em voz alta para eles (quem sabe não saem umas fadas da história também? - risos).

"Quando você leva um livro numa viagem", dissera Mo quando ela pôs o primeiro no baú, "acontece uma coisa estranha: o livro começa a colecionar lembranças. Depois basta abri-lo, e você já está de novo no lugar onde o leu [...] Não existe nada melhor para grudar lembranças do que páginas impressas."

Enredo, personagens, diálogos... achei o livro no geral extremamente bem desenvolvido, todo trabalhado na metalinguagem. Ele não possui tantas camadas como A Bússola de Ouro, mas ambos tem um brilho especial que me faz pensar "este é um livro que eu quero ter para sempre na minha estante", uma coisa que eu raramente tenho encontrado em outros livros infanto-juvenis.


Um outro ponto que vale destacar é a presença de outras histórias que já conhecemos influenciando os acontecimentos, como Peter Pan e Quebra-Nozes, amei as referências! A edição é toda trabalhada nos detalhes, todos os capítulos possuem a citação de um livro no início, além de várias ilustrações lindas feitas pela própria autora. O maior desafio talvez seja o ritmo da narrativa, mas não acredito que algum leitor passe invicto por essa história, sem se encantar e se conectar de alguma forma.


Se Inscreva e Participe!!











7 comentários:

  1. Ah..me recordo do filme e da vontade que senti na época em ler o livro também. O que não entendo é que o tempo passa, a gente se esquece e vai colocando outros livros como emergenciais.
    Erro!
    Quero muito ainda ler esta obra,por isso mesmo, a relação leitor/livro ser tão bem colocada e detalhada. O respeito pelas letras e o amor pelos personagens!
    Adorei a resenha.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Sou simplesmente apaixonada por Coração de Tinta trilogia é uma das mais fofas e mais lindas que eu já li na minha vida sinceramente o mundo que foi construída nessa história é uma coisa que realmente deveria ganhar uma adaptação melhor no cinema

    ResponderExcluir
  3. Oi Luana ;)
    Já vi o filmes inspirado nesse livro, e lembro de gostar bastante, mas fiquei interessada em ler o livro agora (que capa linda!).
    Que bom que a autora consegue criar personagens tão reais, que fazem o leitor se identificar com eles e se ver neles, com características parecidas!
    Sempre gosto de ler “novos” infanto juvenis, e gostei demais da sua indicação. Que pena que tem essa narrativa lenta, as vezes isso me faz deixar um pouco o livro de lado, mas se a história for boa tenho certeza que vou gostar ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Luana!
    Livros que falam sobre livros, mesmo que seja de fantasia, é sempre interessante. Bom ver que a linguagem é a metalinguagem, fica até mais lírico de ser lido e podemos aprender um pouco mais.
    Assisti o filme, mas ainda não li o livro, preciso lêlo com urgência, mesmo que seja uma leitura mais lenta, gosto dos detalhes.
    “A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi Luana!
    Sempre quis ler uma resenha desse livro, gostei mto de conhecer um pouco mais do enredo, gostaria mto de uma oportunidade pra ler...
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. O filme fez parte importante na minha infância, quero muito ler o livro. Pois é um fato: os filmes são só a ponta do iceberg! E que capa mais linda <3

    ResponderExcluir
  7. Eu li esse livro a alguns anos. Também achei a narrativa dele um pouco lenta, mas é tão incrível que a gente nem pensa nisso. A história é muito emocionante.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir