15 setembro 2017

Resenha - A lógica inexplicável da minha vida


Título: A lógica inexplicável da minha vida
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Cortesia: Cia das Letras - Selo: Seguinte
Skoob Goodreads
Páginas: 440
Onde comprar: Saraiva / Amazon


Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir. Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida — uma tarefa que parece quase impossível.







Sabe aqueles livros que trazem lições, que nos abraçam e acolhem de uma forma tão reconfortante que falta adquirir vida própria e dizer "senta aqui que faço seu café"? 

Pois bem, me senti totalmente acolhida pela "A Lógica Inexplicável da Minha Vida". 
Temos como personagem principal Salvador Silva, ou Sal, (ou até mesmo Sally, mas só para sua melhor amiga Sam). 

Após a morte da sua mãe, Salvador é adotado por Vicente e vive em uma tradicional família mexicana que mora em El Paso, no Texas - que de tradicional não tem nada!


"Não precisa haver nenhuma lógica por trás do que as pessoas acabavam se tornando. Nenhuma mesmo.". 


Salvador é um daqueles típicos garotos apaixonantes, mas que de uma hora para outra se vê enfiado em uma briga socando a cara de um ZÉMANÉ que chamara seu pai de bicha .

O último ano do colégio é sempre o mais cheio de emoções, talvez seja por isto que Salvador cometeu este ato impensado, talvez estivesse sob pressão por toda esta coisa de escolher faculdade, fazer carta de apresentação... Ou será que era o DNA herdado pelo seu "pai bio" que já estaria aflorando em quem realmente Salvador se tornaria?

"Era hora de crescer - embora eu tivesse desejado que as coisas continuassem iguais. Eu não tinha controle sobre o mundo ao meu redor". 

Com toda estas, digamos, crises existenciais, Sal é surpreendido por mais um choque de realidade. O que você faria se de uma hora para outra recebesse uma carta que sua mãe houvera deixado para você antes de morrer? 

"Quer me explicar isso com lógica? Bom, onde estava a lógica do amor? Onde estava a lógica de morrer em acidentes? Onde esta a lógica do câncer? Onde estava a lógica da vida? Eu estava começando a acreditar que o coração humano tinha uma lógica inexplicável". 


Quando achei que a vida de Sal já estaria suficiente abarrotada de tamanhas reviravoltas (sério, nunca me deparei com um personagem que vivia numa constante montanha-russa emocional), uma drástica notícia: o câncer daquela que ele mais amava, voltou. 

Mima é uma referência de vida para Salvador. Sua avó e também, de certa forma, mãe era uma das três pessoas mais importantes da sua vida - se é que poderia medir importâncias em escala. 

                       "Quando se está morrendo é preciso desapegar das coisas que se ama.". 

No decorrer de cada página vamos nos deparando com os constantes acontecimentos inesperados e como Salvador vai lidando com cada um e, acima de tudo, amadurecendo com todos eles. 

Cada perda acontecida em A lógica inexplicável da minha vida levou um pedacinho do meu coração junto. A forte relação com a família mexeu com meus sentimentos de forma inexplicável e entendi o motivo pelo qual as pessoas demonstram amor de formas peculiares. Nem todo mundo ama da mesma forma e é esta lógica que explica os acontecimentos da vida. 

"Meu pai estava certo: todo mundo tinha um jeito próprio de amar".

Esta foi a primeira obra LGBT que li em toda minha vida. Confesso que antes da leitura ainda havia comigo um certo "pré-conceito". Não pelo que nos mostra, mas sim por medo de não suprir minhas expectativas e acabar me decepcionando. 


Hoje agradeço por este livro ter vindo parar em minhas mãos, pois, na realidade, não fui eu quem escolhi ler. Se fosse por escolhas, não passaria nem perto. Mas acaba que a lógica inexplicável da nossa vida nos proporciona deliciosos encontros inimagináveis. São desses acontecimentos improváveis que mais tiramos lições e com toda certeza, nos faz apaixonar pelo novo. 
"Sei que as vezes você acha que as pessoas são como livros. Mas nossa vida não tem uma trama perfeitamente lógica, nem sempre dizemos coisas bonitas e inteligentes como os personagens de um romance. A vida não é assim. Não somos cartas...". 

As vezes, arriscar no desconhecido, é como entrar no escuro, mas com muito medo dele. É a hora em que enxergamos que querendo ou não, aquilo tem que ser enfrentado, se não vamos viver para sempre acreditando que não conseguimos fazer determinadas coisas. No fim, tudo acaba bem. Se não era da forma que esperávamos, aconteceria de um jeito bem melhor. E foi o que intercorreu em meu coração leitor. 

"Bom, acho que, uma vez que se está no escuro, o melhor  é fingir não ter medo. O dia não dura para sempre, e a escuridão sempre volta. O sol nasce, o sol se põe. E lá está você, no escuro outra vez. Você precisa fingir que não tem medo, ou o silêncio e a escuridão te engolem". 

Bom, mesmo querendo muito, não posso me delongar nos acontecimentos, se não vou falar o que não devo e acabar dando spoilers para vocês (hahahaha). O que ainda posso dizer é que é uma obra fantástica!

Os capítulos curtos dão uma agilidade deliciosa para o decorrer da história. É um típico livro viciante com narrativa em primeira pessoa. Os diálogos são as principais formas de avanço da obra, o que deixa ainda mais agradável a leitura. 

Se trata de um contexto abarrotado de conflitos internos / emocionais. A identidade de cada personagem deixa uma marca própria no enredo, o que nos envolve ainda mais. 


Como já havia ressaltado nos trás laços familiares. É um YA super diferente do comum, porque nos faz realmente refletir sobre a vida e sobre todos os acontecimentos que mudam o rumo de tudo que planejamos. 

"A vida tem uma lógica própria. As pessoas falam sobre a estrada da vida,, mas eu acho que é bobagem. Estradas são lisas e asfaltadas, e têm placas que dizem para que lado se deve seguir. A vida não é nada parecida com uma estrada. Há dias em que acontecem coisas ótimas, e tudo é lindo e perfeito, e, do nada, tudo pode ir direto para o inferno. É como ficar bêbado. Primeiro parece até legal, relaxante. E, de repente, a sala está girando e você está vomitando, e, bom, talvez a vida seja um pouco assim.". 

Por fim acredito que este seja um dos mais incríveis trabalhos da Companhia das Letras. Já era uma pessoa super apaixonada pelo selo Seguinte e tenho convicção de que esta obra veio para assentar o primeiro lugar de editora favorita. 

A diagramação está espetacular. As cores da capa estão harmônicas e chamativas, além de todos os detalhes contidos nas aberturas dos capítulos. Não me canso de dizer o quão fascinada fiquei por esta obra. É uma daquelas típicas que merecem um cantinho especial na prateleira. 

Recomendo para todos que estão abertos à reflexão de questões delicadas que todos nós passamos ou um dia passaremos: o luto, família, paixões, limites, barreiras e superação. Esteja abertos ao novo! E logo aviso: ficará aquele alentador gostinho de quero mais. 


"De certo modo, escrever este livro me ajudou a cicatrizar minhas feridas. A verdade é que escrever sempre me ajudou a sobreviver às minhas próprias dores. É por isso que a escrita salvou a minha vida". - O Autor


Se Inscreva e Participe !!


12 comentários:

  1. Olá Amanda!
    Já faz um tempo que estou de olho neste livro! Confesso que me ganhou primeiramente pelo título e também pela capa.
    Gosto de estórias que trazem lições e que lidam com sentimentos humanos. E aqui vemos como os sentimentos vão moldar a vida do personagem. Muito bom ver um livro YA que se destaca dos demais.
    Neste caso, a leitura se assemelha a uma terapia. Inclusive para o autor, que mostra isto no último quote.

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros reflexivos, eles sempre vem, às vezes sem nenhuma pretensão, e modificam um pedacinho da gente. O último livro que fez isso comigo foi Só Os Animais Salvam e eu não posso dizer se saí com alma lavada ou chocada depois dessa leitura. Enfim, achei a sua resenha super tocante e verdadeira. Sabe, quando você disse no comecinho que um livro quase pode dizer "Senta aqui que eu te faço um café.", foi isso que eu senti logo no começo da resenha. Esta é uma obra que eu sentaria e dedicaria uma tarde de domingo inteira para apreciá-la. Creio que simpatizaria muito com Sal e me envolveria de forma peculiar com todas as descobertas e emoções dos personagens. Confesso que já tinha visto a capa desse livro antes, mas nunca dei a importância merecida e só agora posso ver a história que estou perdendo.

    ResponderExcluir
  3. Amanda!
    Um livro que traz um tema forte como LGBT e ainda envolve, família, perdas, amizades, luto, superação e paixões, deve mesmo ser um livro que nos leva a reflexões pessoais e até a quebra de alguns paradigmas, pois por vezes, nem imaginamos o que é passar por situações delicadas e complicadas e acabamos julgando sem querer.
    Que o final de semana seja de alegria e paz!
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda, tudo bem?
    Recebi este livro na malinha do Turista e ele ganhou meu coração. Cada acontecimento me provocava emoções diferentes, e lendo a sua resenha me deu até saudade dos personagens e vontade de relê-lo. Eu amo esta capa, o livro é sensacional <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oieee!!
    Achei essa capa simplesmente lindaaa. Amei essa mistura de azul e rosa.
    O livro parece ser bem interessante, por tratar de um assunto polêmico e atual, que é o preconceito.
    Sal parece ser uma pessoa sofrida, que passou por diversas perdas, dificuldades, críticas, perda de familiares, etc. Mas apesar de tudo, ele não desistiu e ainda procura a lógica inesplicável de sua vida, que é algo que admirei bastante.
    Esse livro parece ter frases que fazem o leitor refletir sobre a vida e sobre como tratamos as pessoas ao nosso redor.
    Gostei da resenha, uma graça.
    Beijoooos

    ResponderExcluir
  6. Oi Amanda.
    Eu concordo com você, as cores da capa apesar de chamativas, estão em completa harmonia.
    Eu adorei a premissa desse livro, desde que li o anuncio do lançamento, eu adoro que ele trás uma história fora do comum, com vários ensinamentos, mas, sem deixar de lado a carga emocional, e o fator bullying, que é muito triste, mas que também é uma realidade que faz parte da nossa sociedade.
    Enfim, eu adorei e pretendo ler, espero desfrutar muto dessa leitura e me apaixonar pelos personagens.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda ;)
    Me interesso em ler livros do autor desde Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, que não sei porque coloquei na minha lista e nunca cheguei a ler. Achei a capa de A Lógica Inexplicável da Minha Vida linda demais, e parece transparecer bem sobre o que é a história.
    O autor parece ter uma escrita que emociona o leitor, e fala sobre temas importantes e que precisam ser lidos e discutidos. Que bom que você se surpreender com o livro e terminou se tornando um favorito!
    Adorei sua resenha, e espero ler em breve o livro ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Tudo bem?
    Devo confessar que achei esse livro lindo tanto à capa tanto a historia. Amo livros que nos fazem refletir, se sentir acolhido e reconfortante. Posso dizer que amei a premissa, o enredo e já quero ler.
    Vontade de abraçar Sal, pois tadinha sofreu demais na vida :/
    Adorei muito sua resenha, tão encantadora!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olha... eu tenho esse "pré-conceito" com livros que tem relações homoafetivas... não me importo quando a relação é de boa, mas quando a história cria obstáculos que nem são tão grandes, mas os personagens transformam em gigantes, enche meu saco kkk para relações hétero também.
    Eu já tinha lido uma resenha deste livro também, e sua resenha complementou muita coisa para mim, gostei, o livro parece ser bem tranquilo para ler .

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu particularmente não tenho pré-conceito com livros que se relaciona a esses tipos de relações porque para mim e algo natural, uma coisa diferente mas natural. A trama é bem interessante, mostra como alguém se sente por ser julgado por causa disso, principalmente na fase de final de adolescência. Gostei muito e estou desejando já ler!

    ResponderExcluir
  11. Oi! Nunca li nenhuma obra LGBT, e acho que esse livro seria um bom começo. Eu certamente me identificaria com o personagens em alguns pontos, pois também estou nessa pressão de ultimo ano de colégio ahha Adorei a dica, beijos

    ResponderExcluir
  12. Já entrou para lista de desejados, pois amo YA e essa capa está muito divosa, adoro livros que nos trazem reflexões e trabalham com relações familiares... Beijos

    ResponderExcluir