22 setembro 2017

Observatório Literário #11 - Consideramos justa toda forma de leitura


Você já sofreu algum tipo de preconceito? Já teve algum momento de vergonha por estar lendo um livro que você sabia que se te vissem lendo iriam falar (e não positivamente) sobre? Ou até mesmo o preconceito seguido daquela frase que todo mundo já ouviu: mas porque você perde tempo lendo o livro se tem o filme? Então, hoje eu estou aqui na nossa coluna do observatório literário para conversar com vocês sobre algo que anda muito em alto na blogosfera: o preconceito literário. E já gostaria de começar perguntando a você que está lendo: sendo completamente sincero(a) você já condenou alguém pelo livro que estava lendo? Eu vou confessar que sim (sad, but thrue guys) apesar de hoje em dia eu não o fazer mais!





Durante essas semanas eu venho me deparando com muitos posts, ainda mais depois de Bienal acerca desse preconceito - o qual infelizmente ele é apenas um dos vários que existem diante da falta de aceitação das diferenças - que envolve o que cada um decide ler. Muitos consideram um leitor de verdade apenas aqueles que leem autores de grande renome; já outros acham que quem lê apenas clássicos um tremendo esnobe e que pouco conhece da literatura; já outros acham que quem lê livros escritos por youtubers ou artistas não podem ser considerados leitores... Seja como for, uma grande verdade é que comumente somos cercados por julgamentos que tornam algo tão prazeroso como a leitura uma tremenda dor de cabeça.

Presentes desde a Antiguidade e divididos em muitos sub-grupos, os gêneros literários abrangem desde as obras líricas da idade média até os famosos young-adults dentre outros. Com mais categorias do que se é possível cogitar, todos estão inseridos nesses tão conhecidos como: gêneros literários; sem distinções, sem rankings, todas são bem-vindas a literatura. Então porque a leitura de uma obra de determinado gênero deveria apresentar um maior valor do que outras?


A verdade é que comumente falamos que quase ninguém mais lê, mas não deixamos que as pessoas se sintam bem e livres em lerem o que gostam de ler e se sentem bem fazendo. Eu mesma já li livros clássicos com linguagens rebuscadas como "O morro dos Ventos Uivantes" e amo da mesma forma ler um bom romance ou um livro escrito por uma YouTuber que acompanho como é o caso do "É do Babado", e não é por eu ter lido um ou o outro que eu sou mais leitora que outros que não o fizeram. Falta no mundo aceitar o outro e focar no que realmente importa: a leitura!

Conquistar as gerações e despertar nelas o hábito de ler, de gostar de passar horas perdidos em universos criados e paginas repletas de histórias sejam elas fictícios ou baseadas em fatos reais é o que realmente tem importância. Nossa geração, nossas crianças cada vez mais estão preferindo um tablet pra jogar, ou passar horas no facebook ao invés de desenvolver seu vocabulário e ampliar seu mundos; e ao invés de incentivarmos ao finalmente um livro de um YouTuber ou sobre um jogo despertar seus interesses, condenamos por não fazer parte do que consideramos como a boa literatura que vale ser lida.


Hoje o observatório foi diferente, pois preferi trazer uma reflexão junto a um conhecimento sobre o que é o tão falado no gênero literário... Não estou dizendo que todos precisem amar todos os estilos, mas não é necessário a desvalorização seja pela forma de leitura. Para encerrar gostaria de parafrasear Lulu Santos com o que eu acredito que todos deveriam adotar e pensar, afinal, assim como na vida, devemos considerar justa toda forma de leitura! ;)

E vocês o que acham? Digam ai nos comentários. Espero vocês!
Um beijo


11 comentários:

  1. Oi Bruna ;)
    Adorei esse Observatório literário! Realmente hoje ainda há muito preconceito literário, e é uma pena isso, pois em vez de estarmos incentivando a leitura estamos é desestimulando.
    Acredito que toda forma de leitura é boa, seja livro, quadrinho, jornal ou até revista. São formas diferentes de melhorar o vocabulário e se manter informados sobre o que acontece no mundo.
    Adorei o vídeo que a Andrea do blog Fundo Falso fez sobre Preconceito Linguístico, que tem muito haver com o que você comentou.
    Adorei demais sua postagem, e parabéns ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Bruna!
    Na verdade nunca critiquei ninguém por ler, porque sempre achei que o importante é ler, seja lá o que for, até bula de remédio...kkkk
    Mas já sofri preconceito pelas leituras que fazia, em casa mesmo, mainha não entendia porque gostava tanto de romances de banca e mesmo lendo de tudo, ela sempre falava sobre eles... Ultimamente maridão me pegou lendo uma Grafic Novel e disse: lendo 'gibi' agora é? Disse: É, por que? Ele saiu balançando a cabeça... infelizmente as pessoas não entendem que ler é bom e precisamos diversificar nossa leitura. Eu gosto de ler de tudo, mesmo tendo minhas preferências. Gosto de conhecer novos estilos e autores.
    Esse lance de preconceito já deveria ter sido abolido há muito tempo...
    Adorei o observatório!!! "Consideramos justa toda foema de leitura".
    “O primeiro passo para a cura é saber qual é a doença.” (Provérbio Latino)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  3. Olá Bruna, tudo bem:
    Adorei o tema de hoje! Acredito ser algo muito importante hoje em dia.
    Eu fiz faculdade de letras, e percebi sempre um preconceito muito grande na área acadêmica em relação aos livros que não fazem parte do cânone literário. No meio universitário, tudo o que não é clássico é considerado como sub-literatura. Eu nunca escondia que adorava Stephen King, e prometia a mim mesma que assim que eu terminasse a faculdade, eu iria ler o que bem quisesse e bem entendesse (quanto mais trash melhor!). E é justamente o que faço hoje, leio de tudo um pouco e adoro thrillers, terror e Young Adult (apesar de já haver passado a muito tempo desta faixa etária.
    Também concordo com Lulu Santos, acredito até que uma forma de texto pode levar à outra, a pessoa pode começar lendo livros que não são considerados tão importantes e chegar aos clássicos. Porém, não creio ser válido fazer comparações de valor.

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruna.
    Nossa eu acho isso tão desagradável, as pessoas precisam parar de se meter na vida umas das outras. O incentivo a leitura é muito importante, e não interessa a ninguém o gosto literário do outro. Vamos ler mais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá! Tudo bem?
    Nossa, já sofri muito preconceito literário! AS pessoas tem que entender que eu posso ler tanto um romance clássico ou tanto um livro de youtuber que eu vou ser a mesma pessoa, não é porque eu leio um livro de youtuber que eu vou ser "menos inteligente". AS pessoas tem que entender que livro é livro, tanto faz o seus conteúdos.
    Adorei o texto e concordo super com você!!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Já sofri preconceito quando li Crepúsculo! Meu Deus kkk Eu conheci a saga pouco antes do primeiro filme, e quando saiu o filme virou uma loucura! Não dava para mais para falar sobre o livro com minhas amigas que já era um mimimi danado sobre modinha e etc... nossa que raiva que eu tinha dessa história de modinha rsrs
    Mas confesso que tenho um preconceitozinho com livros de youtubers, mas já li uns :P o problema dos livros de youtubers é saber indicar para o público certo, pois muitos youtubers são mais velhos e falam coisas que não acho que criança ou adolescente deveria ler, digo isso pelos que já li ne rs).
    E sobre os clássicos... já vi muita gente se achando top pois só lê clássicos mesmo! Estou até hoje tentando terminar A moreninha. Help

    ResponderExcluir
  7. Oi, Bruna!

    Concordo muuuito com você. Acho que há muito preconceito em relação a alguns livros, principalmente aqueles que têm sido lançados por youtubers, e já vi várias pessoas falando que sentem falta de uma "literatura de verdade". Acho que eles são muito bons porque incentivam os jovens a ler, sabe? Às vezes a pessoa pensa que não gosta de ler, mas o único problema é que ela ainda não achou o gênero certo pra ela... Dessa forma, ela acaba se descobrindo e conhecendo mais a respeito de seus gostos literários.

    Beijos,
    Isa
    Viciadas em Livros
    Participe do Amigo Secreto Literário do Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruna.
    Eu adorei sua sinceridade.
    Eu acho esse tipo de preconceito desnecessário, já que para mim toda forma de leitura é válida, isso é uma questão de gosto e não cabe a mim julgar.
    Eu não leio clássicos, não porque não gosto, porque faço o único problema para mim é a escrita, sempre acaba me incomodando e acabo deixando a leitura de lado.
    Por diversas vezes já ouvir pessoas dizer que não sou uma leitora de verdade por que não leio clássicos, isso para mim é o cúmulo, já que tenho que ler o que gosto e não o que as pessoas acham que devo ler, sou feliz assim e isso é tudo que importa.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Adorei a ideia do post! Felizmente nunca passei por uma situação dessas, mas sei que esse tipo de preconceito acontece bastante, o que é bem triste, já que cada um tem seu próprio gosto. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Preconceito literário não tenho, mas já vi muitos criticando todos por gosta de livros que eles não gostam. Realmente essa coisas que as pessoas fazem e super ridículo, eu particularmente não levei preconceito em nada e tampouco dei. Na minha opinião e totalmente desnecessária esses tipos de coisas.

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?? Adorei o post, apesar de nunca criticar ninguém e nunca ter sido criticada pelo que leio, acho isso algo muito sério vendo que existe preconceito com até o que as pessoas leem, todos devem ler o que gostam o importante é ler.

    ResponderExcluir