20 junho 2017

Resenha - Mentiras como o Amor



Título: Mentiras como O Amor
Autor: Louisa Reid
Cortesia: Editora Novo Conceito
Skoob / Goodreads
Páginas: 473
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Audrey sabe que sua mãe está certa quando tenta salvá-la de si mesma.
Ela sabe que tem sido injusta, por isso precisa, por seu irmão mais novo e por sua mãe, seguir em frente. Audrey tenta manter todos felizes. Juntos, eles estão em busca de dias melhores.
A mãe de Audrey, à sua maneira, tenta ajudar a filha a controlar a doença para que ela possa encontrar um recomeço seguro.
Então Audrey conhece Leo, mas ele torna a vida dela realmente complicada, pois essa amizade faz com que ela deseje ousar ser ela mesma, enfrentar a vida.
Agora, Audrey precisará decidir: cuidar de sua família especialmente de seu irmão ou continuar sonhando com a vida que tanto deseja?
Mentiras Como o Amor é deslumbrante e de partir o coração. É o novo romance de Louisa Reid, a autora aclamada de Corações Feridos.







(…) felicidade é ser amada por quem você é sem nenhuma reserva ou hesitação, sem retroceder ou se importar com o que qualquer pessoa venha a pensar.”
            
Audrey desde seus treze anos sofre com a depressão. Escutando vozes que insistem em instiga-la a cometer atos contra si e seu corpo, e com uma Coisa que a persegue onde quer que ela vá, ela vive em constante pânico e a espera de sua próxima crise. Extremamente tímida e tendo sua vida controlada pela sua mãe, ela não possui amigos, vive indo a diferentes médicos e tomando incontáveis medicações. Agora, depois do incidente com sua casa que acabou pegando fogo, ela se vê indo morar em uma cidade totalmente nova com seu irmão, Peter, e sua mãe, Lorraine; tendo uma nova chance de recomeço.

A Granja, no entanto, está longe de poder ser chamada de lar. Cercada por agua e com uma aparência de abandono, Aud sente que as coisas estão longe de melhorarem. A agua a chama a mergulhar em suas profundezas, e a Coisa mantem-se presente e ao seu redor apenas esperando que ela dê uma abertura para que ela se aproveite. Seu único desejo é poder ser normal e aliviar o peso de sua mãe que além de fazer inúmeros plantões como enfermeira, ainda tem que cuidar de dois filhos, sendo uma dela com constantes crises de depressão. Ela só quer fazer todos felizes, e acredita que ali, longe de todo o bullying já sofrido, ela finalmente poderá conseguir, ou pelo menos irá tentar para que seu irmão não se ressinta acerca do novo lugar.

“Virei-me para ir, mas a Coisa bloqueava a porta e eu não consegui passar por ela, e, naquele calor, uma gota de suor escorreu pelo meu pescoço, descendo pelas omoplatas e pelas costas. A Coisa me empurrou para a frente outra vez, contra a beirada do fogão, e a água se agitou e entornou e borbulhou e respingou e queimou e eu gritei.”

Leo, é um garoto um pouco mais velho que Audrey e seu vizinho, mas está longe de ser alguém perfeito. Tendo que conviver com seus fantasmas e com idas constantes ao seu psicólogo, ele não se sente preparado para voltar a sua rotina anterior, e nem deseja. Longe de sua mãe e de suas cobranças constantes, ele finalmente se sente leve e livre, uma vez que conviver com sua tia, Sue, era muito mais fácil... Ainda mais cercado pela natureza que aquele lugar proporciona. No entanto, com uma nova família se mudando para casa ao lado, ele finalmente acredita estar pronto para novas amizades, principalmente se isso significar estar mais perto de uma certa menina de cabelos longos e da cor do sol!

Logo de cara, Leo percebe que não será fácil se aproximar de Aud... Mas ele não irá desistir de manter contato com ela, não quando em muito tempo ele não sentia vontade de estar com alguém como deseja estar com ela. Quanto mais os dois irão se conhecendo, mais perigoso passa a ser para ela; em sua companhia ela senti que não há nada a temer e pode ser uma garota normal, mas com a constante ameaça sobre si essa segurança pode não ser uma boa coisa. Lorraine insiste que ele faz mal para ela e que ela deve manter distancia, na escola novos bullyings começam por causa dessa proximidade entre eles... Juntos eles se sentem livres, prontos para enfrentar qualquer coisa, mas seria o amor o bastante para afastar tudo que faz mal? Ou tudo seria apenas uma ilusão para algo ainda pior?



[ - Minhas Impressões - ]
           
Mentiras como o amor é uma obra que pode ser definida como transformadora. Possuidora de um enredo complexo e intenso, é impossível ao leitor não se sentir envolvido em sua trama e, principalmente, não se colocar na pele de Audrey; uma menina que já sofreu tanto e mesmo assim ainda se preocupa mais com aqueles que se apoiam nela, do que em si mesma. Seu começo é um pouco lento e simples, não fazendo jus ao que será encontrado no decorrer de suas páginas, mas que é essencial para a criação de todo um clímax para a história. É uma obra cuja temática é extremamente forte e em alguns pontos até assustadora diante da crueldade encontrada, mas não é algo exagerado, simplesmente a autora escreve sem medo de descrever fielmente a realidade de muitos que sofrem com esses transtornos.

É uma leitura que chega a incomodar em algum pontos de tão realista que é, o tempo todo está presente na obra cenas com cargas emocionais fortes e com uma tristeza que chega a sufocar. Os momentos em que Audrey tem contato com a Coisa que a persegue, transmitem a agonia e o desespero da personagem, o que só mostra o talento e conhecimento da autora para escrever sobre o tema. Quando se acha que não é possível que algo se torne pior, uma reviravolta ocorre mostrando que o que antes já era horrível de se imaginar pode piorar e muito... Louisa não fantasia a realidade para tornar algo cruel em algo belo, ela entrega ao leitor um retrato fiel daquilo que alguém que sofre tem que conviver e enfrentar diariamente. Os contos de fada e seus finais felizes não possuem espaço aqui, a felicidade é algo que não acompanha a todos e nem sempre a vida possui um final digno de “e viveram felizes para sempre”; por isso, não se deixe enganar pensando que se trata de um romance e um drama simples e fofo, porque essa história está longe de ser algo assim!



Audrey, a protagonista do livro, é uma personagem real em todas as formas. Ela sabe que sofre de depressão e tenta de todas as formas facilitar a vida daqueles que vivem com ela, onde mesmo cercada de escuridão e com um sofrimento que chega a doer em quem acompanha sua história, ela se esforça para ficar bem e não se deixar abater. Abandona pelo pai quando pequena, com criticas cruéis de sua mãe, vozes que insistem em fazê-la acreditar que é merecedora de dores físicas, sofrendo bullyings constante no colégio, a vida de Aud não é fácil e a garota desconhece o significado de ser feliz. Mas nem por isso ela deixa de fazer de tudo pelo seu irmão, e até mesmo pela sua mãe apesar de todos os insultos... Como muitas vitimas, ela se sente culpada por coisas que não são sua culpa e acaba se mutilando para infligir em si todo o sofrimento que ela crê ser a responsável.

Leo é um garoto que também já sofreu muito na vida e teve sua própria cota de drama familiar. Ele está longe de ser um protagonista perfeito e sem falhas, sua construção é feita de forma a ser tão real quanto a de Audrey, onde ele possui inseguranças, medos e está aprendendo a conviver novamente com as pessoas ao seu redor. Bem construído e complexo, sua presença na obra e suas narrações servem para complementar um enredo que não deixa pontas soltas e que surpreende a cada paragrafo. Os personagens secundários também tem papeis fundamentais e essenciais na obra, todos ali estão diretamente inseridos na trama de forma a proporcionar e dar sentido aos acontecimentos no decorrer da história e as mudanças vistas nos protagonistas.

Em relação à narração, por uma questão pessoal minha, eu prefiro as que acontecem em primeira pessoa... Por isso acabei me envolvendo mais nas partes em que eram narradas pela Audrey, uma vez que as do Leo eram em terceira pessoa. No entanto, eu acredito que o formato escolhido pela autora foi essencial para toda a construção da trama e para que pudéssemos conhecer um pouco mais acerca dos protagonistas. O livro não seria igual se não houvesse o ponto de vista focado no Leo, e, tendo sua parte narrada de forma a dar uma maior amplitude, permitiu que não ficassem falhas no enredo. Outro ponto forte é que os capítulos são bem divididos, sendo assim em momento algum o leitor se confundia acerca de quem estava contando o seu lado da história... algo que eu costumo sempre admirar quando se trata de narração por mais de uma pessoa.

Já quanto à construção da trama, eu não tenho do que reclamar. Eu acredito que a Louisa foi bem feliz na hora de montar seu enredo de forma que cada detalhe era inserido na hora certa, onde alguns detalhes a um primeiro olhar pareciam nem ter importância, apenas para que no momento propicio tudo se juntasse para formar uma grande revelação surpreendendo o leitor. É uma história com uma grande carga dramática, que surpreende constantemente durante sua leitura e é tão original que é impossível se desprender até chegar ao seu fim. Do inicio ao fim, em alguns momentos mais intensos do que os outros, o leitor é levado a refletir e aprender sobre seu drama. Me atrevo a dizer que Mentiras como o amor é tão real que chega a ser perturbador na mesma intensidade em que é incrível.

Preciso dizer que essa é uma obra que mexe com quem lê, eu mesma há muito tempo não me via tão aflita e instigada a desvendar as páginas de um livro. A diagramação convidativa, suas páginas amareladas e fonte no tamanho ideal só tornaram essa experiência ainda mais prazerosa. Louisa Reid é uma autora que busca sempre trazer em suas obras esse quê de drama forte e real, que levam a se refletir sobre o tema e aprender mais sobre si mesmo e sobre as pessoas ao seu redor. Com elementos fortes e bem combinados, essa é uma obra que tem tudo para ser um best-seller e que deveria ser muito mais conhecido do que já é. Intenso e emocionante, esse livro irá mostrar que até mesmo o amor é capaz de machucar da forma mais cruel e perversa... Mas muitas vezes não notamos isso até que seja tarde demais.


Essa é uma obra capaz de transformar pessoas e ensinar sobre temas tão importantes, mas que não tem a devida atenção no dia a dia. É uma obra que você não espera o que acontece no desenrolar e cujo desfecho segue a mesma linha da história. Aqui não tem aquele final feliz obrigatório, podendo acontecer qualquer coisa, assim como na vida real! É uma história sobre aprender sobre si e sobre aqueles a sua volta, é uma história sobre amor e principalmente sobre recomeços... Mentiras como o Amor é diferente do que você vê por ai na literatura, mas é muito melhor que muitas dessas coisas. Leiam, essa obra irá mudar muito a forma de como as aparências se mostram para você e você jamais será o mesmo depois disso! Após o termino dessa leitura, eu fiquei a me perguntar o porque de eu ter demorado tanto para realiza-la; e se eu pudesse voltar no tempo, definitivamente a leria antes! Bem mais que um drama adolescente, essa é uma história de como uma garota, cuja vida não foi fácil, aprendeu a recomeçar...



PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!





10 comentários:

  1. Olá!
    Não conhecia o livro mas gostei bastante. Gosto muito de livros que falam sobre depressão. Esse, ao contrario de muitos não parece ser pesado e parece ser bem gostoso de ler. Além de trazer uma ótima lição de vida no final <3
    É bem meu estilo de livro, então vou adicionar na listinha de desejos (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Gostei da estória pois aborda um tema muito comum hoje em dia e acho importante ficarmos mais atentos a muitas questões, espero muito ter a chance de ler e conhecer a protagonista, acho que vou agradar.
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. Esse livro parece ser bem bonito. Gostei da sinopse dele e parece ter uma história forte, que emociona, é triste e cruel e realista. Com reviravoltas e muito drama, fazendo a gente se importar com a personagem e tudo que passa.
    Gostei do Leo também.
    E achei legal essa forma da narração. Pra mim é sempre bom ter mais perspectivas na história, mais vozes contando e não só uma visão de tudo. Acho que fica mais amplo assim, mais completo e real.
    Parece bom.

    ResponderExcluir
  4. Oii *--*

    Acho o titulo desse livro tão triste. Ja o tinha visto antes, mas só agora parei realmente para ver sobre o que fala e deve dizer que estou impressionada. É um tema que as pessoas não falam tanto, e achei sensacional um autor trazer em pauta. Esse livro é exatamente o tipo de estória que gosto, cheio de drama e mensagens profundas. Já anotadinho na lista.

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, mas já fiquei muito curiosa para ler, primeiro porque amei essa capa e segundo porque a premissa me conquistou também. A história realmente parece ser muito bem construída, e o tema abordado é muito importante. Achei bem legal o livro ser bem realista assim, mas talvez eu também me incomode um pouco. Fiquei interessada nesse livro, e já coloquei ele na minha lista :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Bruna!
    Os livros que trazem um enredo bem próximo da vida real, são sempre instigantes e nos fazem manter uma conexão mais direta com os protagonistas, porque sentimos as mesmas coisas e nos colocamos no lugar deles.
    E ver que o final é aberto e uma incógnita, como a própria vida, fica ainda melhor para se ler.
    Boas festas juninas!!!!
    “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá !!
    Ainda não conhecia esse livro Mas me apaixonei !!!
    Adoro esses livros realistas que nos obrigam a entrar na personagem !!
    Amei ♡♡

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Ainda não conhecia o livro, mas essa capa é muito linda, eu gosto de dramas, livro que tenham o enredo intenso, acho que vai ser uma leitura bem difícil, pois o tema depressão é muito delicado e importante, é bom saber que apesar de tudo é um livro sobre recomeços, acho que vou gostar e me emocionar muito com esse livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruna,
    Estava ansiosa aguardando uma resenha desse livro, pois fui fisgada pela premissa quando vi o lançamento. Confesso que não apostava que o livro tinha tanto potencial assim. AMO livros que trazem histórias que abordam temas fortes de uma forma realista, com uma narrativa nua e crua, sem contos de fadas ou romantização. Essa leitura promete ser angustiante e com uma carga emocional dramática intensa, não há como não ficar interessada em ler, pois amo livros desse estilo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. estou já chorando com a resenha imagina lendo este livro.
    adoro quando o livro te faz pensa e passa uma mensagem tão linda, livro que fazem o corarão fica em pedaços são um dos meus favoritos.
    Achei a capa linda ( sou aquelas doidas que ama o livro pela capa e compra ele por este mesmo motivo ). Essa já vai entra na lista

    ResponderExcluir