20 junho 2017

Resenha: Em Águas Sombrias



Título: Em Águas Sombrias
Autor: Paula Hawkins
Editora: Grupo Editorial Record
Skoob / Goodreads
Páginas: 364
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã. Jules não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre para cuidar da filha adolescente que a irmã deixou para trás.
Mas Jules está com medo. Com um medo visceral. De seu passado há muito enterrado, da velha Casa do Moinho, de saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos...
Com a mesma escrita frenética e a mesma noção precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo em seu explosivo livro de estreia, A Garota no Trem, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura vigorosa e que supera quaisquer expectativas, partindo das histórias que contamos sobre o nosso passado e do poder que elas têm de destruir a vida que levamos no presente.








                                                       
A história desse livro é recheada de suspense e mistério.

Partindo desse ponto começa a se desenrolar uma trama com muitos personagens que têm muito a perder se seus pecados forem descobertos, e farão de tudo para que continuem bem escondidos e no passado.

Nel, a personagem central do livro nos é mostrada desde sua adolescência até os dias atuais como uma mulher que faz o que bem quer e não se importa muito com a opinião dos outros. Do outro lado temos Julia, ou Jules como prefere ser chamada. Elas são irmãs com alguns anos de diferença, sendo Nel a mais velha e também a mais bonita com seu corpo magro e esbelto, sempre rodeada de amigos, principalmente do sexo masculino. Já Jules, é a típica irmã caçula que vive à sombra da irmã mais velha, e sendo gorda e desajeitada ela é sempre deixada de lado por Nel e seus amigos já que todos parecem sentir vergonha de serem vistos ao lado dela, especialmente a própria Nel.

Elas enfrentam uma situação difícil e triste relacionada a saúde de sua mãe e com isso são obrigadas a passarem mais tempo juntas do que gostariam. Em um certo dia, após Jules sofrer mais um constrangimento e humilhação envolvendo Nel e o namorado Robbie, e também os amigos deles, a pobre e já fragilizada garota se deixa levar pela bebida e sofre uma grande violência ocasionada por uma pessoa inevitavelmente próxima a ela, e isso faz com que ela tome uma atitude drástica de dar fim a sua própria vida no que é impedida por sua irmã. A partir de um mal entendido ocorrido neste mesmo dia as duas irmãs se afastam irremediavelmente.

Muitos anos já se passaram desde aquele fatídico dia em que o relacionamento entre Nel e Jules foi bruscamente interrompido e elas deixaram de se falar. Nel tem uma filha adolescente, Lena, que em muito se parece com ela nessa mesma idade. Ambas moram na casa que pertenceu à família de Nel há alguns anos, desde que Jules partiu, mas sem o menor sinal do pai da garota uma vez que a mãe nunca lhe revelou o nome do homem que a engravidou.

Nel é uma escritora de relativo sucesso e inquieta por natureza, e ao começar a escrever seu mais novo livro ela se envolve nos mistérios que cercam a morte de várias mulheres em épocas completamente distintas umas das outras. Todas essas mulheres se afogaram após "supostamente" se atirarem de um penhasco direto no rio em um local conhecido como o "poço dos afogamentos", mas parece que a história não é bem assim como todos conhecem, e ao tentar desvendá-la, Nel pagará um alto preço para que a verdade venha a tona. Só que ela não fazia ideia que o preço a ser pago seria sua própria vida.

Ao receber a notícia da morte da irmã, Jules volta à casa de sua infância e lá se depara com a sobrinha que não conhecia, mas que a odeia por nunca ter respondido aos inúmeros telefonemas que a mãe fez em várias tentativas de retomar o contato com ela. Então além de sofrer pela perda da mãe, Lena sofre também pela perda de sua melhor amiga, Katie, que também morreu no poço dos afogamentos.

Jules será confrontada por lembranças de um passado que ela quer esquecer que um dia existiu, mas essas lembranças se sucederão em uma velocidade vertiginosa a partir do momento em que ela se vê no lugar onde tudo aconteceu, e o pior ainda estar por vir quando ela começa a ficar a par das tristes e estranhas mortes e o motivo pelo qual cada uma dessas mulheres morreram.

"Eu Não entendia você, mas se você me causava estranheza naquela época, agora me é completamente desconhecida. Estou aqui, sentada na sua casa, no meio das suas coisas, e é a casa que me é familiar, não você. Eu não a conheço desde que éramos adolescentes, desde que você tinha 17, anos e eu, 13. Desde aquela noite em que, como um machado sendo enterrado num pedaço de madeira, as circunstâncias nos separaram, deixando uma fissura larga e profunda".

O que fica muito claro logo de cara é que alguns desses personagens têm muito a esconder e eles estão dispostos a fazer qualquer coisa para que nada venha a tona.

O livro gira em torno de vários outros personagens, sendo eles Sean, o oficial responsável pela investigação das mortes ocorridas no rio, sua esposa Helen, seu pai Patrick, e a estranha relação que existe entre os dois, sua mãe Lauren, a policial Erin, o professor Mark e também Nickie a mulher que é considerada louca por todos, pois ela afirma que "fala" com os mortos, Josh, irmão de Katie, sua mãe, Louise, Anne Ward e por fim, a pequena Libby.

Como vocês bem podem ver, são muitos personagens, mas cada um com sua história e seu momento relevante à trama.




[- Minhas Impressões -]

Quando vi o anúncio do lançamento desse livro colado no vidro de um ônibus fiquei super empolgada e com uma baita vontade de ler, afinal, era mais um livro da autora Paula Hawkins, a mesma do livro "A garota no trem", que eu já havia lido e gostado imensamente. Por isso, decidi que o leria o quanto antes e assim o fiz. Depois de terminada a leitura e até mesmo durante, minha empolgação foi diminuindo consideravelmente, não pela escrita, que é bem consistente e instigante, e sim pelos personagens que foram sendo apresentados com suas personalidades por muitas vezes mesquinhas e maldosas. O enredo do livro é muito interessante e a sinopse ajuda muito no fato de fazer com que nós, leitores, nos vejamos cativados pela trama a partir do momento em que a lemos.

A personagem principal é apresentada como uma mulher cheia de defeitos e bem realista, sem o estereótipo de mocinha perfeita e indefesa, e isso, ao meu ver, é um ponto a favor da autora, mas ela me irritou muitas vezes por ser exatamente o contrário da irmã. Ela parecia que não tinha apego por ninguém, salvo a própria filha. Só que o que me incomodou muito ao longo da leitura foi que eu realmente não "engoli" o por quê da Katie também ter morrido. Achei completamente desnecessário o motivo que a levou a morte. Encarei como puro egoísmo a autora ter dado esse fim para ela.

Jules a todo momento é mostrada como uma personagem fraca e lenta. Teve momentos que eu senti vontade de entrar na história e estapeá-la para ver se ela acordava para a vida! Mulherzinha desenxabida! Tinha vezes que eu achava que ela era até meio maluca, mais depois eu entendi o seu comportamento.

Cada um dos personagens surpreende à sua maneira a medida que fui conhecendo mais de suas histórias. O professor Mark então, me surpreendeu muito!

Senti muita pena de Josh, irmão caçula da Katie, que ainda tão criança parecia carregar o mundo nas costas desde que a irmã morreu.

O pai e a esposa do Sean desde o início me pareceu uma dupla muito estranha e a medida que eu fui lendo e conhecendo mais deles, percebi uma relação meio doentia entre eles, sem contar que de velhinho bonzinho ele não tem nada.

Agora, o que me chocou demais da conta foi o Sean. O quê foi o final que a autora escolheu dar ao seu personagem?!? Simplesmente incrível!

Posso não ter concordado e muito menos gostado, mas tenho que reconhecer que foi um final e tanto, e que eu jamais imaginei que seria dessa forma. Por isso, a leitura é muito válida e não  me arrependo de ter lido, mas não é um dos meus livros preferidos no momento.

Narrado em primeira pessoa por cada um dos personagens e dividido em quatro partes e não capítulos, somando 364 páginas de uma narrativa muito bem escrita e sem nenhum erro ortográfico, com uma capa muito sugestiva onde mostra um rosto submerso nas águas e envolto por algas e plantas o título da obra não poderia ser outro que não "Em Águas Sombrias".





PARTICIPE !! SE INSCREVA !!!




9 comentários:

  1. Olá!
    Gostei muito da sua resenha! Já li A Garota no Trem também, mas não gostei muito, achei um pouco fraco pra tanto falatório. Já vi bastante crítica negativa sobre esse livro, suas opiniões são bem plausíveis não estou muito animada para ler. Mas fiquei curiosa para saber o final, talvez eu leia só por isso hahaha.
    Espero gostar <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Já tinha lido uma resenha desse livro que me agradou muito e está na minha lista infinita de desejados, não li A garota no trem porque nunca me despertou muito interesse, mas talvez nesse livro quem sabe?
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. Queria ter lido aquele outro livro dela mas até hoje não consegui. Gostei do jeito desse e por ser da autora. Mas parece ter uns personagens um tanto irritantes heim? Olha, achei isso legal até. É interessante quando o autor consegue passar uma coisas para o leitor, fazer a gente ficar com raiva ou triste por um personagem ser de tal jeito e agir de tal jeito, fazer a gente se questionar se as atitudes deles são válidas...acho bom isso por fazer pensar. Quem sabe esse não faz assim né ^^
    O final dele parece impressionar. Isso é bom.
    Deve valer a pena ler.

    ResponderExcluir
  4. Eu estava com bastante vontade de ler esse livro, justamente por também ter amado A Garota do Trem. E fiquei bem interessada nesse livro, a história dele parece ser muito boa. Mas acho que não vou gostar muito desses personagens :/
    Mas fiquei super curiosa pra saber qual é o final do Sean.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oiiii *--*
    Juro que tentei gostar do livro A garota no trem, eu comecei a ler ele pelo menos umas três vezes e sempre empacava. Quando saiu esse livro pensei que poderia ser um boa tentar novamente, masss não sei que curtiria esse enredo, e algumas coisas que você citou me inclinam a ter certeza que iria gostar. Apesar de tudo, acho a capa desse livro maravilhosa, trás um teor mais sombrio e pelo que vc disse, diz muito sobre a estória.

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Kaline!
    Já em saber que o final é inesperado e traz grande reviravolta, torna a leitura atraente e sabendo que é um tremendo thriller psicológico, estilo que a autora desenvolve muito bem, quero ler de qualquer jeito.
    Boas festas juninas!!!!
    “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá !!
    Já tinha visto comentarios positivos sobre A Garota do Trem e anotei para as próximas leituras .. Não conhecia esse outro livro mas estou ansiosa para o ler! !!
    Parece ser um ótimo trailer psicológico e com suspense! !!

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Um bom livro de suspense sempre é bom, já tinha visto esse, mas ainda não tive a oportunidade de ler, também adorei a Garota do Trem e é complicado quando um autor faz um livro tão bom, pois criamos uma super expectativa para o seu próximo lançamento, sua resenha me deixou bem curiosa em descobrir esse final tão surpreendente, apesar dos pontos negativos que você elencou, como a personalidade dos personagens, acho que a escrita da autora (que é maravilhosa) compensará esses aspectos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Kaline,
    Quero muito conhecer a escrita dessa autora, ainda não tive a oportunidade de ler o livro tão comentado A garota no trem, quero ler logo de uma vez para assistir o filme em seguida.
    Adoro um bom thriller, com um suspense de tirar o fôlego e que prende o leitor. Confesso que não tenho nem ideia do desfecho dessa história tão intrigante.
    Não vou criar muitas expectativas com esse livro, mas mesmo assim ainda espero me surpreender com esse jeito sombrio da autora escrever. O que fica a desejar são esses personagens pouco atrativos.
    Beijos

    ResponderExcluir