01 julho 2015

Resenha - A Formatura




O futuro nunca foi tão incerto e desesperador. Cia Vale jamais imaginaria que as coisas pudessem chegar a esse ponto. Ela tem uma importante missão: liderar as ações para a verdadeira reconstrução do mundo pós-guerra, um caminho sem volta. Agora, ela é a peça-chave para concretizar o plano de pôr fim ao Teste, para o bem das pessoas.
Diante de um horizonte cheio de cicatrizes brutais, uma guerra prestes a começar e um governo cruel e corrompido, Cia não tem escolha a não ser se preparar para chegar às últimas consequências – se for preciso.
Será que seus colegas a seguirão para a batalha final? O amor de Tomas será forte o suficiente para aceitar e sobreviver à prova mais difícil de suas vidas? Os riscos são maiores do que nunca, e para Cia só resta confiar nos próprios instintos.
A formatura, o desfecho da distopia que nos fez perder o fôlego!

Livro: A Formatura
320 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Única || OndeComprar ||

                                                             

Ele disse que a balança da justiça simboliza a necessidade de o governo equilibrar humanidade e bondade com lei e justiça.








Antes de seguirem leitura pela resenha abaixo saibam que este é o último livro da Trilogia O Teste e sendo assim é claro que há alguns spoilers, por isso eu recomendo a ida até a resenha de O Teste caso não conheçam a trilogia distópica - vale a pena - ou para a resenha de Estudo Independente caso já tenham lido o primeiro mas estejam meio desencorajados - o que eu duvido muito dado o final do primeiro - para iniciar a leitura do segundo. Fica a dica. E para aqueles que já leram ou não se importam: boa leitura!!

Cia está decidida e disposta a acabar com O Teste, ela sabe que os métodos utilizados para a realização de tal não são mais corretos ou necessários, porém agora que suas lembranças estão de volta ela sabe o quanto O Teste revelou sobre ela, o quanto ele a fez perceber e crescer, e então ela se entristece ao perceber que apesar de não concordar com ele, ela vê a lógica por trás da prova. O que antes era preto no branco agora assume um tão preocupante de cinza.

Porém, por mais que ela entenda a dureza da prova pela qual ela passou, Cia sabe que ela tem que terminar, matar centenas não justifica a escolha de um bom líder, matar centenas de mentes brilhantes apenas para que um não cometa os erros de nossos líderes passados não é uma opção e agora que Cia sabe que a rebelião a qual ela estava ajudando não passa de uma fraude, não passa de um truque esperto do Dr. Barnes para manter aqueles que querem acabar com ele sobre controle, ela se vê tendo que procurar ajuda em outro lugar. Ela tem que ir até a fonte de poder, tem que encontrar alguém capaz de mover forças. Ela tem que ir até a presidente Collindar e lhe contar tudo, é arriscado, ela pode estar se condenando mas ela tem que tentar.

Ela só não contava com a decisão da presidente; ela esperava um pouco de descrença, um monte de perguntas e o direcionamento de tarefas para membros da equipe dela, ela esperava prisões e talvez algumas mortes, contudo o que ela recebeu foi uma lista com doze nomes e um prazo de uma, talvez duas semanas para ter matado todos eles. Só assim O Teste acabará, só com a morte dos responsáveis, uma vez que se eles continuarem vivos podem muito bem se levantar em revolta e mergulhar o país numa guerra civil que devastará tudo o que eles levaram décadas para reerguer.

Será que ela é capaz? Será que ela conseguirá sujar as mãos com sangue intencionalmente? Ela não sabe, mas uma coisa é certa, se ela não fizer nada muitos irão morrer agora e no futuro. E se ela decidir fazer algo precisará de ajuda, afinal não tem como matar doze pessoas sozinha, não quando são pessoas importantes que causaram o reforço da segurança ao redor das outras. Ela precisa de uma equipe, uma equipe confiável e para decidir quem fará ou não parte dela. Cia precisará criar seu próprio Teste.

Seguindo o mesmo estilo de narração dos outros dois livros, vemos uma Cia em crise interna mas coordenando ações importantes por fora, essas são características de uma verdadeira líder, características que ela adquiriu.

- Os símbolos são importantes. Principalmente aqueles que têm a ver com mudança. Os revolucionários que formaram os Estados Unidos tinham suas listras e estrelas. A revolta européia contra a coalização usou um punho fechado. Resolvi criar para nós uma versão diferente do seu símbolo. - Ele indica com um aceno de cabeça o círculo que envolve meu pulso. - Na mitologia, o raio representa perda da ignorância ou punição para aqueles que ultrapassam seus limites. Usei dois raios, uma vez que pretendemos fazer as duas coisas. 


Desde o primeiro capítulo temos ação, não há um momento de pausa neste livro, em todo momento ela está pensando em algo, planejando algo, explodindo algo, correndo de algo, descobrindo algo, bem acho que já deu para perceber o quão dinâmico esse livro é, mais alucinante que o primeiro e com revelações chocantes.

Não sei muito bem o que falar, afinal eu não esperava menos da Joelle, contudo apesar de eu ter devorado as páginas de bom grado me peguei várias vezes refletindo sobre tudo aquilo, deve ser bem desafiador possuir o entendimento que a Cia adquire sobre seu país e seus colegas ao longo do livro.

Gostei de como a autora destacou a mudança em Cia, de como ela tem consciência do que um dia ela foi e que não será nunca mais, porém não posso dizer que gostei do final, eu quis gritar quando virei e vi que era a última página, e não que o fim tenha sido ruim - longe disso -, mas como eu estava comentando com a Silvana, o livro acabou com uma situação que eu considero um ponto e vírgula para a estória e não um ponto final e isso numa distopia pode ser arriscado, este é um gênero que eu acho que deve ser bem amarrado, para não restar dúvidas quanto ao destino em seu fim e não foi isso que eu vi, eu fiquei bem chateada - o que não diminui todo o restante da trilogia - e isso me fez tirar uma estrelinha, mas não me fez parar de indicar, afinal eu sou daquelas que acredita que um livro é muito mais que seu final e essa trilogia me encantou, conquistou e me ensinou muitas coisas.

4 comentários:

  1. Oi Agatha!
    Eu li essa trilogia e adorei! A autora tem uma narrativa envolvente, e em cada volume, podemos notar o amadurecimento dos personagens \o/
    Muito bom!
    BJks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Carla.
      Concordo contigo, a cada livro vemos os personagens amadurecerem, e isso é ótimo, também adorei essa trilogia.
      Bjokas

      Excluir
  2. Oii, Agatha!

    Essa trilogia me conquistou completamente, desde o início! Eu também acho que o final deixou várias opções para uma continuação, rsrs. Não gosto de finais assim, prefiro tudo amarrado mesmo. Mas mesmo assim amei! <3
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Dessa.
      Sim! Eu também amei, não muda esse fato, mas o final poderia ter sido melhor poxa...kkkkk.
      Bjinhos

      Excluir