08 janeiro 2019

Resenha - O Homem de Areia



Título: O Homem de Areia
Autor: Lars Kepler
Editora: Cia das LetrasPorto Editora
N° de páginas: 462
Skoob
Onde comprar: Amazon

Em uma noite extremamente fria em Estocolmo, um homem aparece sozinho e desnorteado em uma ponte. Quando ele é encontrado, a hipotermia já toma conta de seu corpo. Ao ser levado para um hospital, descobre-se que há sete anos ele foi declarado morto.
Seu assassinato foi creditado ao serial killer Jurek Walter, que foi preso há alguns anos pelo detetive Joona Linna e sentenciado a prisão perpétua em uma ala psiquiátrica. Enquanto investiga o aparecimento desse homem e tenta entender onde ele esteve durante os últimos sete anos, evidências desconhecidas começam a aparecer e influenciar o caso que já estava arquivado.
Com capítulos curtos e ritmo alucinante, O homem de areia é um thriller envolvente sobre os limites da maldade.
                                                         


Aqui estou eu com mais um thriller psicológico que merece todo o meu respeito. Eu estou falando do maravilhoso livro de suspense "O Homem de Areia", que me manteve ávida e grudada às suas páginas devorando todo o seu conteúdo.

Eu realmente amo ler, porém amo em igual intensidade a capacidade que os autores têm de nos conectar às suas histórias. Sinceramente para mim isso é tão fabuloso que chega a ser mágico. Mas chega de rasgamento de seda e vamos à resenha (risos).

"Ele está atrás das grades.
Mas o pesadelo nunca termina".

Pois é... partindo dessa premissa que por si só já é um chamariz e tanto para falar sobre o livro que eu dou início à resenha e às minhas considerações sobre a obra.

Jurek Walter, um serial killer altamente cruel e frio em suas ações sente um prazer sádico em sequestrar entes queridos arrebatando-os de suas famílias, e assim causando-lhes dores e sofrimentos sem fim, pois as famílias não têm a menor ideia se seus filhos, maridos, esposas, netos e outros familiares possam estar vivos ainda. Mas Jurek Walter está preso e sentenciado a prisão perpétua em uma ala psiquiátrica. O pesadelo enfim acabou. Será?

''O sangue escorre pelo braço esquerdo do homem e pinga da ponta de seus dedos.
O rapaz cambaleia e se senta no trilho, depois volta a se levantar e continua andando.
Seu nome é Mikael Kohler-Frost. Ele desapareceu há treze anos e foi declarado morto seis anos depois".

Uma vítima ressurge do mundo dos mortos e a polícia, mais precisamente o detetive Joona Linna vê aí uma grande oportunidade de descobrir aonde enfim Mikael que, à época, era somente uma criança foi mantido em cativeiro durante todos esses anos. Só que o rapaz está tão traumatizado e perturbado com tudo o que viveu nesses longos treze anos desaparecido que o detetive teme que ele não possa ser de grande ajuda para elucidar o caso.

O reaparecimento de Mikael causa imensa alegria a Reidar Frost, que acreditava nunca mais se vê frente a frente com seu amado filho. Agora o que Reidar mais deseja é proteger e resguardar o filho de todo e qualquer eventual perigo, todavia mal sabe ele que seu pesadelo está novamente começando, mas de um jeito ainda mais horrível e aterrorizante do que ele possa imaginar.

Jurek Walter está preso, mas mesmo assim ele é capaz de infringir terror, medo, angústia e desespero nas pessoas que estão do lado de fora das grades e somente Jonna Linna e sua equipe serão capazes de pará-lo, antes que ele instaure o caos novamente.

Capaz de manipular as pessoas a seu bel prazer Jurek Walter não é um criminoso qualquer, e por isso mesmo deve ser levado muito a sério por todos que porventura cruzarem seus caminhos ao dele. Ele é perverso, frio, calculista, sanguinário e dotado de uma inteligência que intriga e irrita o detetive Jonna, e para acabar com ele de uma vez por todas só há um meio (que vocês já devem ter adivinhado qual é), mas antes de enveredar por esse caminho o detetive Jonna tenta uma jogada que colocará em risco a vida da detetive e amiga, Saga Bauer em perigo e direto na toca do lobo mal.

"Saga permanece sentada. Ela sabe que está em posição agora, que sua missão começou. Ela é uma paciente fortemente vigiada na unidade de segurança máxima e sabe que o serial killer Jurek Walter está muito próximo".

E agora, será que o detetive Jonna Linna não se arrependerá de ter colocado a também detetive Saga Bauer na mira do impiedoso assassino?

Vocês só irão descobrir como essa história termina se lerem o livro todinho, assim como eu fiz. Mas eu afirmo que essa história irá prender a atenção de vocês do início ao fim.



[- Minhas Impressões -]

O livro O Homem de Areia foi sem sombra de dúvidas uma leitura extraordinária! O casal de autores Alexandra e Alexander Ahndoril, que adotaram o pseudônimo de Lars Kepler são dotados de uma mente incrível e muito imaginativa, pois construíram história e personagens verossímeis e tremendamente cativantes. Deu gosto de ler esse livro e eu mergulhei em suas páginas com total abandono que para mim foi bastante sofrível quando eu precisei parar de ler por algum motivo. É esse o efeito que livros do gênero causam em mim. Eu fico completamente fissurada na história e nos personagens.

Uma das coisas que mais agradou na leitura desse livro foi a esperteza com que os autores escreveram os capítulos, pois todos eles eram muito curtos e ágeis. Muita coisa acontecia e logo acabava o capítulo, o que me impulsionava a querer ler e saber o quanto antes o que iria acontecer no capítulo seguinte. Isso com certeza impediu que o livro se tornasse longo e massante, e só fez aumentar mais e mais a minha curiosidade e o meu afã em ficar por dentro de todo o desdobramento da história.

Esse mérito com certeza é todo dos autores porque eles mandaram muito bem ao longo de todo o livro, mas, se há algo que eu possa apontar contra o livro seria o gran finale. Pois é... as últimas folhas me decepcionaram um pouquinho, mas nada que tenha tirado o brilho e o mérito da obra, que, diga-se de passagem alcançou um saldo bastante positivo a meu ver. No entanto, eu discordo terminantemente de como as coisas se sucederam nos últimos parágrafos de O Homem de Areia e por isso acho válido deixar registrado o meu descontentamento com o desfecho, o que me levou a dar quatro estrelas para o livro ao invés de cinco, já que eu estava segura de que faria exatamente isso. Quando vocês lerem vão entender melhor o que eu quis dizer com isso, pelo menos assim espero.

O que me levou a ler o livro com certeza foi a sinopse e a capa, que logo de cara prenderam a minha atenção. Amei a escrita rápida e fluída dos autores e a forma sensacional com a qual eles conduziram a história. Foi prazeroso, tenso e intenso ler O Homem de Areia e, eu espero que vocês se sintam assim também se porventura vierem a ler.

Inscrições Abertas - Participe !!


8 comentários:

  1. O ano começou bem quente nas indicações e com certeza, este livro tem dado o que falar! Seja pela capa, título e sinopse. Mas agora com esta resenha de já tirar o fôlego,sem chance de não desejar de o ter e ler o quanto antes.
    Amo o gênero e isso de investigação, crime, sumiços e aparecimentos sempre renderam enredos ótimos. Ainda mais quando tudo isso é agregado a detetives astutos, que além de irem decifrando tudo, carregam também o peso de suas próprias vidas!
    Fiquei lendo e já imaginando este roteiro num filme!rs Ou até uma série!!!
    Já está na listinha de desejados!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Já na introdução, tu colocou um ponto que concordo e me encanto da mesma forma que tu: a habilidade e talento que um escritor tem de fazer com que a gente se envolva na sua escrita, ter sentimentos reais a medida que a historia vai se desenrolando. Isso realmente é magico.
    Por sorte, ganhei esse livro num sorteio e ainda não tive oportunidade de ler. ADORO thriller psicologico, mas esse me causou um pouco de receio, pelo tom de crueldade que tu menciona, isso realmente me "agride" se o foco do livro for a descrição do tipo de tortura causada, entende? Mas ao longo da resenha, deu pra perceber que não é esse o caminho, ufa!!!. Me pareceu mesmo uma trama bem costurada, envolvente e com tanto elogios queria saber o porquê da nota 4/5. Agora entendo, se devora um livro, se sofre com ele, torce, xinga e o final vem aquele Hã? Só isso?? ahahahah. Estou mega ansiosa por ler.

    ResponderExcluir
  3. Certeza que não vou ler. Haha
    Li meu primeiro thriller no fim do ano, eu gostei, mas o fato de ter o YA no meio colaborou; esse, me atrevo a dizer, que além de thriller psicológico tem uma grande pitada de terror.
    Não quero nem imaginar como que um cara preso consegue aasustar as pessoas... me parece uma leitura pesada.
    Achei interessante ser escrito a 4 mãos, e capítulos curtos trazem uma agilidade para história, gosto muito.
    Inevitável não ficar curiosa com o desfecho, porque pelo início da resenha eu jurava que iria favoritar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá! Confesso que não conhecia o livro, mas um suspense é sempre muito bem-vindo, ainda mais quando bem escrito. A história parece ser bem perturbadora, afinal várias perguntas ficam no ar e a vontade de descobrir tudo o mais rápido possível só aumenta, por isso, já prevejo uma leitura madrugada adentro (risos). Achei super interessante a história dos autores hein.

    ResponderExcluir
  5. Olá Kaline!
    Eu viciei em suspenses, adoro ler e ficar imaginando o final das personagens e também muitas vezes fico decepcionada com certos finais...Mas vai saber o que se passa na cabeça dos autores ..
    Eu fiquei intrigada com essa resenha, quer dizer o rapaz fica todo esse tempo desaparecido, dado como morto..e reaparece do nada. E para deixar tudo mais complexo o seu algoz está preso..como pode?
    Será que essa vítima estava em cárcere privado? Quem o manteve afastado ? Eu já fico criando teorias na minha cabeça. .
    Adoro esse tipo de história que nunca se sabe para onde vai ..lembrou Hannibal!
    O jeito é ler O homem de areia !

    ResponderExcluir
  6. Oi Kaline, tudo bem?
    Eu sou a louca dos livros de triller, eu simplesmente adoro cada história que me deixa grudada no livro e sem conseguir parar de ler.
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas claro que já fiquei intrigadíssima para saber o que aconteceu com o protagonista por ter ficado tantos anos desaparecido.
    Confesso que fiquei com um medinho do final, mas só lendo para saber né?
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Kaline!
    Um bom thriller psicológico, misturado com um certo mistério, é sempre bom, pelo menos eu acho.
    E ver que os capítulos são curtos e de fácil entendimento, nossa, já me deixou curiosa.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Oi Kaline,
    Ao olhar para essa capa eu não imaginava uma história tão "uau". Ando me aventurando bastante no gênero, e com certeza essa exatidão toda do enredo é o que faz querer não parar a leitura!
    Por falar em enredo, a cada palavra sua fiquei mais curiosa, querendo saber mais, principalmente sobre Jurek, sempre gostei mais dos vilões, e esse me pareceu interessante demais.
    Bem, minha mania de julgar pela capa fez com que eu não tivesse dado bola pra esse livro, me arrependo, quero ler demais.
    Beijos

    ResponderExcluir