06 dezembro 2018

Resenha - Insensível #2


Título: Insensível (The Originals #2)
Autora: Andy Collins
Ano: 2017
Páginas: 379
Onde Comprar: Amazon

''Arrogante. Playboy. Insensível. O guitarrista da famosa banda Originals ostenta com orgulho qualquer um desses adjetivos. Dono de um corpo invejável e uma voz capaz de aquecer o Alasca, ele tem apenas uma coisa em mente: A única mulher que conseguiu dar aquilo que procurava. Mas, se aproximar dela não será tão fácil como de costume...
Callie Prescot tinha organizado sua vida, e ficar longe de tudo o que lhe fez mal era o seu objetivo, o que incluía o único cara que rompeu suas barreiras. Porém, quando ela se vê diante daqueles olhos azuis, não é só seu coração que dispara.
Ter um relacionamento nunca esteve nos planos de Micah Donovan. Ele não queria se entregar ao amor, até hoje...''



Se quiserem conhecer o primeiro livro da série
acesse Insano #1


Neste livro conhecemos Micah o guitarrista da Originals, uma das bandas mais famosas do momento. Ele parece ser um cara que não se importa com ninguém, ele pode parecer ser apenas mais um cara famoso querendo mulheres, porém ele tem seus segredos. Até que ele conhece Callie uma mulher bem resolvida e trabalhadora que não quer compromisso, apenas algo casual. Ambos entram em uma aventura de dominação, algo que os dois sabem ser passageiro. Então eles se encontraram em um de seus piores momentos, ambos querem distância do amor, mas juntos eles encontraram não apenas amor e paixão, eles encontraram o amor verdadeiro e genuíno. Porém não será uma estrada fácil até que se entreguem ao que realmente sentem. Será uma estrada que poderá mudar a vida deles para sempre.

''Callie era como uma força da natureza, uma mulher que só se deixava ser domada dentro do quarto. E era eu quem fazia isso.''

Neste segundo volume da série, encontramos uma escrita um pouco mais dinâmica, até porque os temas abordados no livro são mais desenvoltos. Então sua escrita é mais proativa, ou seja, é ao mesmo tempo leve e com mais ação, no entanto é bem rápido de ler. Quanto mais lemos mais ficamos presos a trama e queremos saber o que irá acontecer. Mas a Andy Collins sabe como dosar muito bem sua escrita para o momento certo que precisa ser mais leve e nos momentos que precisa de mais carga emocional. Quando começar a ler o livro, separe um tempo, pois não conseguirá mais larga-lo.

''Meu pequeno ponto de luz, meu pequeno vaga-lume, já é dona do meu coração.''

No primeiro livro vemos uma participação bem grande de Micah , pois no seu livro ficamos mais empolgados, pois passamos ter uma relação de amor e ódio. Eu o adorei, mesmo tomando algumas atitudes que não concordava sei que eram necessárias para a trama. Ao decorrer da sua história passamos a conhece-lo mais, seus medos, inseguranças, seu passado tudo o que esta por trás da faixada de Playboy Insensível. Vemos que ele é muito mais do que um pegador, passei a gostar um pouco mais dele neste livro. Eu adorei saber mais sobre o Micah, porque ele é um personagens muito cativante, engraçado e a maneira como a autora o desenvolveu ficou ainda mais envolvente na história.


Em contra partida temos a Callie que é outra personagem que me surpreendeu bastante, ela é uma pessoa durona, por conta de seu passado. A sua trama individual também evolui ao decorrer do enredo, vemos que ela conseguiu construir seu bar e ser dona de si mesma. Ela não precisa de ninguém na sua vida para conseguir ir atrás dos seus sonhos. Mas quando esses dois se conhecem um pouco antes do inicio do livro, vemos que possuem uma atração, então começam uma amizade que evolui para algo mais. A amizade de ambos é muito bonita e mesmo quando as coisas mudam eles continuam cúmplices de uma amizade que é a base de qualquer relacionamento.

Neste livro a autora aborda um pouco mais sobre a dominação, não costumo ler muito sobre esse tipo de tema, porém apesar de ser explicito o que ambos fazem, essa não se tornou o assunto principal do livro. O que para mim foi importante, pois conseguimos ter tanto o lado mais sensual quanto o emocional, que gostei bastante. Pelo tema logo inicial ser esse, pensei até que a trama se encaminharia para um lado, mas me surpreendeu indo para outro que preferi bastante. Suas vidas mudam e precisam se adaptar a nova realidade. Por tal acontecimento que eu achei que foi um diferencial para os temas abordados, o que me deixou ansiosa para continuar a ler.

''Aprendi que um lar não é formado por quatro paredes, um lar é formado por batimentos cardíacos, por risadas, por discussões. Um lar é formado por pessoas''

Podemos ver também a continuação da trama dos personagens paralelamente a principal, podemos
ver com outros pontos de vista a extensão do livro anterior e de próximos livros, o que é bem legal, pois conhecemos mais além do universo que a autora criou. Notamos alguns encaminhamentos para um futuro livro em pequenas pistas, o gancho para o próximo livro me pegou de surpresa, pois não estava esperando por algo assim e nem como a história continuaria depois do que aconteceu.

A relação entre a banda continua muito legal e dinâmica, porque o grupo possui uma sintonia muito bacana, além dos palcos são amigos verdadeiramente. Eles construíram ao longo dos anos uma família, e continuam a completar. Apesar dos livros serem de romance com mais um toque picante, a trama sempre se desenvolve no entorno da banda, é a ligação central para todos os livros e desenvolvimentos.

Enfim...

Gostei como a autora trabalhou a mudança dos personagens, sutilmente junto de outros conflitos o que deixa uma história mais rica e divertida para o leitor que se prende a cada nova palavra. Podemos notar que a família tem um papel importante nesse livro e na vida de Micah, pois são grandes responsáveis para o desenrolar da história, podemos ver dois lados a família perfeita e não tão perfeita assim.

“Naquele dia, meu corpo reconheceu o dele como sendo um só. Ela nasceu para se submeter a mim, e meu corpo era dela, para lhe dar prazer.”

Insensível trouxe-me alguns ensinamentos importantes e me cativou de uma maneira muito bonita, assim como as sensações que apenas os livros nos trás. É um livro que é sobre amor de duas pessoas se entregando a outra sem perceberem, sobre amizade, família e muito mais. É sobre valores que nos fazem quem somos, é uma trama que vai te trazer um misto de sentimentos.

Inscrições Abertas - Participe !



15 comentários:

  1. Eu adoro o gênero, ainda mais quando parte para uma pegada mais forte, com sensualidade e oh, fiquei bem animada em ler que há ao menos um pouco sobre dominação. Não que eu entenda grandes coisas,mas...eu gosto de ler sobre o assunto!
    E gosto também deste colocar músicos de rock e amores..rs essa mistura costuma ser bem explosiva.
    Fiquei bem feliz em ler que há mais personagens e que isso foi bem construído pela autora!!
    Espero começar a saga o quanto antes!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Eu li a resenha sobre o 1° livro.
    Esse parece abordar mais temas relevantes do que o outro, mas não me parece ser tão cativante.
    Bom saber que transmite uma mensagem bonita.
    Talvez eu leia quando a série estiver completa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nayara
    Ainda não conhecia essa série, mas gostei muito da premissa do livro.
    Gostei muito da personagem Callie que é forte, batalhadora, que mesmo com uma relação apenas casual se tornam amigos, parceiros e ainda conhecem o amor.
    Deve ser uma leitura maravilhosa por esse universo que gira em torno da banda.
    Quero ter oportunidade para ler, beijos!

    ResponderExcluir
  4. Eu não costumo ler muitos livros do gênero, as minhas experiências me trouxeram histórias sem trama nenhuma, onde só o que importava eram as cenas mais quentes entre os protagonistas, e isso me decepcionou bastante. Nesse livro, no entanto, percebi que várias tramas paralelas se desenvolvem no decorrer da narrativa, inclusive a história da banda, o que eu acho que enriquece o enredo. Além disso, a relação entre os protagonistas é construída sobre uma base sólida de amizade e cumplicidade e torna tudo mais crível para o leitor.

    ResponderExcluir
  5. Olá! Gente, assim não dá para resistir a leitura, o primeiro livro já me deixou aqui, doida para alterar minha lista de leitura, agora com esse está cada vez mais difícil resistir (risos). Micah é aquele típico personagem que a gente chega até a odiar e depois morre de amores (bipolaridade de leitor). Que bom que dominação não é o foco principal da história, acho que torna a leitura mais interessante, afinal esse tema está tão corriqueiro, que poderia atrapalhar a história. Ter mais dos personagens é sempre tão bom, já fiquei curiosa para saber mais sobre o próximo livro.

    ResponderExcluir
  6. Nayara!
    Deve ser um livro bem apimentado, já que tem BDSM.
    O que me intrigou e deixou com dúvida em relação a ler ou não, é o comportamento de Micah, não suporto arrogância e a tristeza em ver que Callie não resiste a tentação sexual em relação a ele...
    De qualquer forma, como é uma série e temos de ler esse para chegar ao próximo, vejamos o que virá.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Nunca li esse género, tampouco essa autora, mas nunca é tarde para conhecer .
    Gostei pois os personagens são bem humanos, apesar de fugirem do amor, acabam se envolvendo e se entregando. Acho que isso enriquece o livro.
    Também gostei de saber que os personagens secundários ganham importância na trama, acho muito chato quando um livro se sustenta apenas num casal de protagonistas.
    Só tenho dúvida a respeito do assunto dominação , nunca li ,não sei mesmo se iria gostar,mesmo assim fiquei curiosa com o romance entre Callie e Micah.
    A capa é perfeita para o livro.

    ResponderExcluir
  8. Como comentei na resenha de "Inesquecível", nunca li livros relacionados ao uma banda de rock, seria uma experiencia bacana, porem a historia contata nesse resenha não me animou tanto quanto a anterior. Essa me pareceu chata, com um cara fútil e uma menina que sofre pacas por causa dele, tema que sinceramente não me chama atenção, porém ví que é uma trilogia e quem sabe o conjunto da obra seja bacana.

    ResponderExcluir
  9. Olá, existem algumas obras que não precisam ser originais para cativarem o leitor, e esta parece ser uma delas, ainda mais pelo fato de abordar uma série de temas que notadamente figuram a vida de muita gente. A relação entre os protagonistas é construída de forma gradual e coerente, não havendo aquele superficialismo que se encontra em outras obras parecidas. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá Nayara!
    É muito bacana a maneira como a autora explora a personalidade dos personagens, fazendo-nos entender porque eles são como são e quais acontecimentos levaram a isso. Muitas vezes nos surpreendemos simpatizando com um personagem "intragável". A ideia de deixar pistas para os livros posteriores também é bem legal pois o leitor pode ter uma pequena prévia do que está por vir. Enfim, esse não é um dos meus gêneros preferidos mas a história tem bastante potencial.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi, Nayara!
    Achei legal a base do relacionamento de Micah e Callie ser a amizade, geralmente quando o casal protagonista inicia a relação primeiro com amizade que evolui para um relacionamento amoroso eu nunca entendi o porque da amizade ser colocada de lado e muitas vezes esquecida, penso como você a amizade é a base de qualquer relacionamento...
    Gostei da personalidade da Callie, curto personagens duronas que vai atrás dos seus sonhos sem precisar de ninguém, e confesso que fiquei bem curiosa em relação ao passado dela.
    Essa parte de dominação não faz muito o meu estilo, sem falar que, como eu disse na sua resenha de Insano, não curto livros que se passam no universo de banda de músicas... mas quem sabe eu acabe me interessado pelos próximos livros da série e decida arriscar a leitura?!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Nayara!!
    Ainda não conhecia essa série e essa foi também foi a primeira resenha que li sobre esses livros. Gosto de quando a autora coloca os personagens femininos fortes e determinadas como a Callie. E também curto muito série de bandas que em cada livro conte a história de um integrante da banda.
    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Como comentei na resenha do primeiro livro, eu evito ler livros de banda pois sempre fazem continuação com os outros integrantes e estou fugindo de séries, porém esse livro me parece ser um pouco mais profundo que um simples romance hot, como disse, trabalha o pessoal dos personagens, mas ainda o enredo não me pegou, as vezes é só o momento que não estou para esse tipo de livro mesmo

    ResponderExcluir
  14. Oi Nayara.
    Gostei de saber que apesar de ter na trama o tema dominação, ele não foi o que mais predominou na história. Isso já me deixa mais inclinada e ler essa série.
    Micah parece um personagem controverso, ou que talvez precisasse ser melhor compreendido e Callie parece a mulher certa para isso. Os dois parecem personagem personagens bem marcantes, que tem um bom suporte familiar. Adoro histórias assim.
    beijos

    ResponderExcluir
  15. EU confesso que estou um pouco estafada desse tipo de tema: banda/badboy/dominação, mas o livro pareceu ser bastante legal e confesso que sua resenha me deixou curiosa a respeito dele, quem sabe não dou uma chance????
    kkkkkkkk, amei seu blog, muito lindo!

    ResponderExcluir