03 maio 2018

Resenha - Simon vs. A Agenda Homo Sapiens


Título: Simon vs. A Agenda Homo Sapiens
Autora: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Página: 272
Skoob
Onde Comprar: Saraiva / Amazon

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte. Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar. Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu. Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.




Simon é gay e isso nunca lhe foi problema nenhum. Ele sempre esteve bem resolvido quanto a sua sexualidade e sempre soube o que queria. Contudo, ele nunca contou esse segredo para ninguém. Não por medo, ou por vergonha, mas por não querer que as coisas mudassem e não querer que os outros o enxergassem de uma maneira diferente.

Blue é o mensageiro anônimo que Simon conheceu através de um fórum no tumblr do colégio, onde Blue falou abertamente (porém anonimamente) sobre sua sexualidade. Os dois começaram a trocar e-mails e conversar não só sobre ser gay, mas sobre as mais diversas coisas e os mais diversos assuntos. Dessa forma eles se aproximaram muito e se tornaram muito amigos, mesmo sem um saber quem o outro era.

O papo entre eles fluía naturalmente e foi inevitável que eles se apaixonassem. Mas o medo de serem descobertos sempre impedia que eles se declarassem e saíssem detrás das máscaras nas quais eles se escondiam.

“Nada é pior do que a humilhação secreta de ser insultado por semelhança” 

Contudo, Simon esquece seu e-mail aberto em um dos computadores da escola e um menino chamado Martin lê as trocas de correspondência entre ele e Blue. Com essa informação na manga, Martin começa a chantagear Simon a fazer o que ele quer, que no caso é uni-lo com uma de suas melhores amigas, a Abby. Agora Simon terá que forçar uma amizade entre Abby e Martin para garantir que ele e Blue fiquem seguros. Mas todo esse malabarismo entre manter sua identidade secreta, satisfazer a vontade de Martin, não trair seus amigos – especialmente Abby –, se tornará uma tarefa mais difícil do que o garoto imaginava.



[ - Minhas Impressões - ]

Esse foi meu primeiro contato com a escrita da autora Becky Albertalli e preciso dizer que eu fiquei encantada. Me apaixonei por esse livro de uma maneira que eu não esperava. A estória é uma delícia e nos guia perfeitamente para a realidade das pessoas que estão vivendo o drama de “sair do armário” por receio de lidar com o preconceito. O fato de a narrativa ser em primeira pessoa apenas enriquece o enredo, pois nos faz estar ali e ouvir os pensamentos do personagem, sentir com ele o que ele está sentindo.

“Embora essa coisa toda de sair do armário no fundo não me assuste. Acho que não. É uma caixa gigantesca cheia de constrangimento, e não vou fingir que anseio por esse dia. Mas provavelmente não seria o fim do mundo. Não para mim.”

Os personagens são todos encantadores e eles também estão lidando com seus próprios problemas relacionados à adolescência e às mudanças da vida, tudo isso enaltece a obra. Eu amei essa riqueza de detalhes e de sensibilidade presentes. Os pais de Simon roubam bastante a cena, sendo pessoas espetaculares e lidando com a sexualidade do filho de uma maneira que todos os pais deveriam lidar: com naturalidade.

"Todo mundo devia ter que declarar o que é; devia ser uma coisa bem constrangedora, não importa se você é hétero, gay, bi ou sei lá o que.”

Esse tema é tão importante e é tão incrível podermos nos deparar com livros como esse. Precisamos de mais representações LGBT no mundo, precisamos de livros que deem voz a esses problemas que eles têm que lidar para que, quem sabe em um futuro, não exista mais problema nenhum, e “sair do armário” não vá ser algo que causará um rebuliço ou mudança brusca.

O livro é de leitura rápida, ainda mais por conta dos mistérios que permeiam o enredo: Quem é Blue? Martin irá parar de importunar Simon? Simon conseguirá admitir sua sexualidade para seus amigos?

É impossível larga-lo até obtermos todas essas respostas. E elas são todas entregues de uma maneira incrível e sensível. É um daqueles livros que nos deixa triste quando acaba. A edição é boa e eu sou apaixonada pela capa. Adoro o desenho que a adorna. Ela chama bastante atenção pela sua cor vermelha e pelo nome da obra, que desperta a curiosidade no leitor.


"Tudo o que eu faço é sair do armário. Tento não mudar, mas estou sempre vivendo essas pequenas mudanças. Arrumo uma namorada. Tomo uma cerveja. E, todas as vezes, preciso me reapresentar para o universo."

Se Inscreva e Participe!!!


14 comentários:

  1. Bom dia Ste!
    Esse livro é um amor, eu não li mas me apaixonei pela capa e pelo enredo estou querendo demais comprar ele para ler e depois ir assistir o filme. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá! Esse livro vem passando pela minha lista já faz algum tempo, mas ainda não senti que chegou o momento de iniciar a leitura, acho que devo mudar esse status o quanto antes (risos). A história reflete um momento bem atual, onde (infelizmente) ainda é preciso ter “cautela” para enfrentar o mundo e seus pré-conceitos em relação a quase tudo, ainda mais nessa fase da vida. Bacana saber que os pais do Simon são sensatos em relação ao filho (viu, ainda há esperanças). Concordo com você, quanto à necessidade de ter mais livros que abordem esse tema.

    ResponderExcluir
  3. Tenho namorado muito este livro e também o filme! Desde o lançamento,só tenho lido coisas positivas.
    Parece que o tema foi tratado com tanta doçura, tanta ternura que tornou Simon aquele tipo de personagem que a gente quer dentro de casa.
    Pretendo ler em breve!!E claro, ver o filme também.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Quero muito ler esse livro, a história parece ser fantástica e contada de uma maneira leve e delicada, ainda não assisti ao filme também.

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. O livro "Simon vs the Homo Sapiens Agenda", ao que tudo indica é uma leitura bem encantadora, sensível e que aborda um tema, que infelizmente, ainda é visto como "polêmico". Tenho visto, que nos últimos meses nós tivemos um crescente numero de obras, abordando o público LGBT, e isso é ótimo. Ainda não tinha conhecimento sobre a obra de Becky Albertalli, espero que brevemente, eu tenha a oportunidade de ler.
    E eu também espero, que futuramente o termo "sair do armário" não seja mais usado!

    ResponderExcluir
  6. Oi Stephanie.
    Li o livro e achei apenas ok. Acho que estava com altas expectativas, pois todos estavam falando muito bem dele.
    Gostei da representatividade dos personagens, mas a trama em si é bem simples.
    O que eu mais gostei foi os capítulos alternados entre o presente e os emails. Acho que tornou a leitura bem dinâmica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Stephanie!
    Realmente o livro parece ser excelente. Além de conter todo esse drama da adolescência, ele trata sobre o homossexualismo e como é pra um adolescente encarar essa descoberta. Acho que os pais deles devem ser seguido como exemplos para todos os pais da vida real que muitas vezes não reagem tão bem quanto deveriam. Enfim o livro me parece ser leve, divertido, e que trata de assuntos bem importantes.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Bom dia meu doce, tudo bem?
    Então, agora faz sentido o motivo de ver tantas pessoas que sigo ter esse livro em casa, é incrível!
    Saber que os pais não condenam o filho por ser gay é de certa fôrma um alivio, pra mim foi.
    Desejo sinceramente que o final seja feliz para nosso protagonista, a situação dele não é nada fácil, mas creio que essa chantagem, no final, o tenha feito amadurecer.
    Não me interessava pelo livro, mas após passar aqui no blog, me apaixonei.
    O Top comentarista vai além de tentar ganhar um prêmio por participar, traz conhecimento e informação pra quem acompanha também, estou de fato encantada em saber do que o livro fala, bem surpresa, e foi graças a participação que estou me sentindo mais atraída ao mundo literário. Com certeza irei ler esse livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Stephane!
    Não conhecia Simon vs. a Agenda Homo Sapiens, mas fiquei interessada, principalmente por causa do tema abordado... Quantas pessoas sentem essa dificuldade de sair do armário?! Enfrentar o preconceito não é mesmo nada fácil...
    Confesso que só de ler sua resenha fiquei com uma baita de uma raiva do Martin, sacanagem ele chantagear o Simon, hein?!
    Mas enfim, valeu pela dica, já anotei na minha lista de leitura! Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Oi Stephanie,
    Concordo totalmente que precisamos mais dessa representação, e achei o enredo do livro bem parecido com a realidade, acredito que o medo do que os outros vão pensar é sempre grande, difícil se libertar disso. Não tem como não torcer por um final feliz para Simon, e, tenho a impressão de que BLUE estava sempre mais perto do que ele imaginava...
    Enfim, claro que quero mto ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. A capa é bem legal, cor vibrante e combina bastante com o enredo. Acho também muito importante enredos sobre o tema e de uma maneira agradável lidando com a situação. Dessa forma fica uma leitura interessante independente da situação abordada, pois outros elementos acabam se mostrando mais em foco do que a própria questão sexual em si e frisando nos relacionamentos. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  12. Stephanie!
    Não tive oportunidade ainda de ler o livro ou assistir o filme, mas por sua resenha vejo que parece um livro sensível que soube abordar o tema LGBT com muita propriedade e ainda traz uma narrativa em primeira pessoa, fazendo com que o leitor se conecte com a personagem, gostei.
    Tem sido lançados vários livros com a temática e acho maravilhoso podermos discutir o tema.
    “Eu gosto de escutar. Eu aprendi muito escutando cuidadosamente. A maioria das pessoas nunca escuta. “(Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  13. Ainda não li e nem vi o filme, mas estou bastante curiosa faz tempo com essa leitura.
    Achei bem legal a forma como o assunto foi abordado com naturalidade, e acho bem importante que tem sido lançados bastante livros com essa temática.
    Já estou curiosa para saber quem é Blue!

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  14. Apesar de todo reconhecimento à importância desse assunto, não sinto vontade de ler.Mas que ótimo saber que os personagens se apaixonam e o livro não fica apenas em cima dessa abordagem, sabendo citar o valor de país presentes e amorosos, também o uso das redes sociais facilitando as relações pq se não fosse assim eles teriam começado?

    ResponderExcluir