29 março 2018

Resenha - A Lady de Lyon


Título: A Lady de Lyon
Autora: Julie Garwood
Cortesia: Editora Universo dos Livros
Skoob / Goodreads
Páginas: 464
Onde comprar: Submarino / Livraria da Folha

Christina Bennett causou furor na sociedade londrina. A arrebatadora beldade esconde com sucesso o segredo de seu misterioso passado até a noite em que Lyon, o Marquês de Lyonwood, rouba-lhe um beijo ousado e sensual. O arrogante aristocrata com coração de pirata prova o gosto do fogo selvagem que arde por baixo do charme indiferente de Christina e anseia por possuí-la intensamente. Mas a destemida e insolente Christina não será conquistada com tanta facilidade. Dona do próprio coração e de sua fortuna, ela resiste às sensuais carícias de Lyon. Ela se atreve a não se render ao seu amor... pois, se o fizer, também terá que abrir mão de seu precioso segredo... e de seu destino prometido!




Lyon, o temido Marquês de Lyonwood, teve sua confiança traída por seu irmão e quem pensava ser o seu grande amor. Depois disso, vê-lo sorrindo se tornou um evento raro na sociedade londrina. Até o dia em que conhece Christina Bennett, a princesa recém chegada sobre a qual todos comentam e seu misterioso passado que desperta a curiosidade do Marquês. No entanto, conseguir as respostas que ele busca não será tão fácil quanto espera.

O que Lyon não sabe é que Christina fora criada por Alegria, filha do chefe dos Dakotas, tribo indígena das Américas, após sua mãe fugir grávida dos domínios de seu pai, um rei ditador, e ser morta em um ataque. Alegria prometeu à mãe de Christina que a criaria como uma guerreira e, quando fosse a hora, a mandaria de volta à Inglaterra onde ela pertence, e assim ela foi parar nas mãos de sua tia cruel para aprender as regras da cultura inglesa.

Na leitura do testamento do avô, Christina e sua tia descobrem que a herança, por ser mulher, somente será recebida em duas hipóteses: ou Christina se casa no prazo de dois meses e a herança passa a ser administrada pelo marido, ou seu pai receberá tudo o que lhe é de direito. Após ler o antigo diário da mãe, Christina tem razões para crer que o pai tentará matá-la, então não pensa duas vezes antes de optar por um casamento arranjado, e Lyonwood é seu principal candidato.

Christina e Lyon sentem uma atração instantânea, mas o passado de Christina e a forma peculiar com que ela age não será o único empecilho para esta relação, ambos terão que aprender a ceder e confiar para trabalhar juntos e enfrentar os desafios que o destino lhes reservou no momento em que Christina chegou à aldeia com apenas dois anos de idade.



[ - Minhas Impressões - ]

É de conhecimento universal que eu sou apaixonada por romances de época, mas como todo leitor sabe, ler muito do mesmo tema acaba ficando repetitivo e é cada vez mais difícil ser surpreendido. A Lady de Lyon me prendeu e surpreendeu desde a primeira página (só não digo o primeiro parágrafo porque eu ainda não entendia o que estava acontecendo), o tema, as descrições, os personagens! A leitura só foi melhorando com o decorrer das páginas e é com um imenso prazer que eu venho compartilhar um pouco disso com vocês.

A primeira coisa que eu preciso falar é das descrições, especialmente do início que mostra a infância de Christina (me marcou na hora), a narração de como ela chegou à aldeia é maravilhosa, com ênfase no maravilhosa. O fato do livro ser em terceira pessoa também nos dá uma visão ampla da personalidade dos protagonistas. Christina é forte e frágil, Lyon é reservado e vulnerável, a autora explora as qualidades e defeitos de seus personagens de forma sutil, tornando-os mais verdadeiros.

É um daqueles livros em que a gente também se apega aos personagens secundários e quer saber mais sobre a história deles, fiquei muito feliz com o desfecho da história da irmã de Lyon. O enredo nunca fica tedioso, tem sempre algo (ainda que minimamente) acontecendo e uma direção a ser seguida, sem cair no previsível.

Meu único porém com relação ao livro é não ter mais passagens sobre o período em que Christina cresceu com os dakotas. A família indígena dela foi rapidamente apresentada, mas eu amaria ver esses personagens sendo mais bem aproveitados (eu amaria ler um livro inteiro sobre esse período, na verdade). Mas não é algo que realmente faz falta na história, ela foi muito bem "amarrada" na minha opinião.

Um livro que me fez rir, ficar triste, indignada, surpresa e apaixonada ao mesmo tempo não pode receber menos do que cinco estrelas. É um dos melhores romances de época contemporâneos que eu já li, uma montanha russa de emoções que vocês precisam conhecer! Estou animada para ler outras obras da autora e descobrir se há outras boas surpresas pela frente. Para os que também adoram o gênero, é leitura obrigatória para 2018, ok?

Se Inscreva e Participe!!!


8 comentários:

  1. Oi Luana.
    Também amo romances de época e quero muito ler Lady de Lyon. Vi várias resenhas positivas sobre esse livro.
    Fiquei feliz em saber que o livro te surpreendeu bastante. Para aqueles que leem muitos romances de época sempre tem uma trama clichê.
    Christina e Lyon parecem personagens incríveis e já estou curiosa para saber mais sobre a interação deles.
    Espero ler esse livro logo.
    Adorei a capa!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. As vezes o mais legal de um livro não é a resenha e sim as "minhas impressões" dele. Eu não teria dado a menor bola para esse livro, embora tenha gostado da capa, mas a maneira empolgada que tu comentou sobre a infância da Christina me deixou com vontade de ler e ver qual é. As vezes os comentários são tao animadores que tu chega num livro cheia de vontade, embora eu já tenha quebrado a cara com isso sempre gosto de sentir empolgação nas resenhas.Obrigada por essa.

    ResponderExcluir
  3. Genteeeeen que bafo de capa,adorei essa capa e a premissa DO LIVRO. ADOREEEEIIII AS FOTO TAMBÉM MUITO LINDOS. Adoro um romance em que a mocinha esconde um segredo. Já quero ler para ontem. Vou ja adicionar a minha lista de desejados. *----*

    ResponderExcluir
  4. Primeira resenha que leio deste livro e nem sabia da existência dele. Também amo um bom romance de época, mas esse mais do mesmo tem até se tornado meio cansativo.
    Mas pelo que li acima, esse livro traz todo o diferencial, para que principalmente o casal de protagonistas não sejam iguais a todos os outros.
    Até pelo fato de trazer uma mulher já tão independente,seja por sua criação diferenciada ou pelo simples fato de não igual a todas(daria no mesmo?rs)
    Vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Luana!
    Concordo com você, eu amo romances de épocas mas é cada vez mais difícil encontrar surpresas, o que me deixa mais curiosa pra ler Lady de Lion. Adoro quando os personagens secundários também são valorizados, acho que eles tem um papel importante na historia também. Uma pena a autora não ter detalhado mais sobre o período da Christina com os Dakotas, mas acho que isso não influencia tanto na qualidade e tenho certeza que irei gostar bastante da leitura.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Luana!
    RUDYNALVA22 de fevereiro de 2018 21:07
    Priscila!
    Já gostei porque o livro se passa em uma Londres do século XIX, amo romances que são ambientados nesse século.
    Gosto dos bailes, das vestimentas, da culinária, fico encantada quando um livro é bem descritivo nesse aspecto e claro que o romance...parece ótimo.
    Sem contar que traz a infância da protagonista, o que é um grande diferencial nesse tipo de livro, porque quase nunca vemos isso nos romances de época.
    “Não cruze os braços diante de uma dificuldade, pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos!” (Desconhecido)
    BOA PÁSCOA!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Oi, Luana! Gostei muito por você ter dito algo que seempre penso: é cada vez mais difícil gostar de romances de época, principalmente por eles quase sempre seguirem a mesma linha de acontecimentos e intrigas. Eu não costumo ler muito esse tipo por essa razão, principalmente por já ter um romance de época favorito, sendo ele minha base de comparação que faz com que os outros me decepcionem bastante (ja disse isso em duas resenhas atrás hauahauah). A lady de Lyon, embora nao me empolgue como "orgulho e preconceito", me chamou bastante atenção pelo diferencial da criação pelos indígenas. Creio que isso foi um toque muito legal, porque dá brechas pra autora apresentar uma cultura nova pro leitor, o que geralmente torna a história mais interessante e original; mas é uma pena que isso não tenha sido tãao desenvolvido. Maas, adicionei na minha lista, pode ser que valha a pena e eu finalmente encontre um romance que me encante de novo com todos os detalhes de antigamente que são sensacionais! Bjo!

    ResponderExcluir
  8. É bem verdade que a gente acaba às vezes se cansando de um gênero por não ter nada de novo né? E é ótimo quando vem umas surpresinhas dessas! Que bom que o livro te conquistou e foi inovador a ponto de te surpreender. Ponto super positivo pros fãs de romance de época ficarem de olho neste livro. Beijos.

    ResponderExcluir