26 março 2018

Resenha - Escândalos de Elisabeth


Título: Escândalos de Elisabeth
Autora: Eléonore Fernaye
Cortesia: Editora Bezz
Skoob
Páginas: 380
Onde comprar: Amazon 

Paris, 1778.
A bela Elisabeth Arsac atrai milhares de olhares, porém, esta jovem mulher rejeita todos os pretendentes, porque quer preservar sua independência e evitar as inconveniências do casamento. No entanto, em um baile de máscaras, ela cai nos encantos de um americano sedutor, com quem trava uma galante conversa.
Então, ela se joga de cabeça em um caso clandestino, que é interrompido quando ele pede sua mão. Elisabeth não tem a menor intenção de aceitar um marido, mas o destino pode ter decidido de outra forma...




Elisabeth é uma bela jovem que sempre atrai muitos pretendentes devido sua beleza e jovialidade. Além disso, ela é uma garota bem diferente das demais, pois não tem pressa nem pensa em se casar tão rápido. Ela não abre mão de sua independência para ficar no controle de um casamento e marido. Só que sua mãe, a condessa de D`Arsac, sempre prezou muito pela tradição da família e por isso, constantemente insiste para que a filha se case a fim de ter uma estabilidade um dia na vida.

``-De qualquer forma, mantenha isso em mente. Você deve se comportar com dignidade, não importa seu gênero ou classe social. Isso será muito importante para o seu futuro.``

Então, após escutar o sermão de sempre de sua mãe, Elisabeth vai à casa de sua grande amiga Félicité du Plessis para se prepararem para o Baile da Ópera, um grande evento popular que acontecia em Paris.

``...Acontecia duas vezes na semana, e era a primeira vez, naquele ano, que as duas amigas iriam frequentá-lo. E também era a primeira vez que decidiam fazê-lo sem acompanhantes.``

``Escondida pela escuridão, Elisabeth se permitiu sorrir amplamente. Ela sentiu um tipo de emoção violenta, que inchou seus seios e sentiu uma sensação de alegria e ansiedade, dúvida  e antecipação. Pela primeira vez, sentiu-se livre. E estava destinada a se divertir.``

Assim que chegam ao destino, Elisabeth e Félicité se veem conversando e se divertindo com os convidados presentes, até que Elisabeth se perde de sua amiga e sozinha começa a observar tudo que está a sua volta. Só que ela não esperava que fosse avistar um cavalheiro mascarado que viria lhe despertar um desejo muito forte, isso apenas com uma simples troca de olhares.

``Quando tentou castamente desviar o olhar, simplesmente não conseguiu. Cativada, tinha a sensação de estar exposta frente àquele estranho que tanto a incomodava, embora ela não quisesse fugir. Não naquela noite.``

``O homem a tinha olhado com tal intensidade que chegou a ficar convencida de que, mesmo tendo durado apenas uma fração de segundos, o salão inteiro tinha reparado. ‘’

Com o coração acelerado, Elisabeth, que sabia que não seria reconhecida por estarem ambos mascarados, acaba tomando a decisão de se aproximar do misterioso cavalheiro conhecido como Henry Wolton. Este era um cidadão norte americano que estava em Paris já há dois meses e que não gostava muito de frequentar a alta sociedade, porém após a insistência de seu amigo Louis, acaba cedendo e assim se encantando com aquela bela moça que estava bem a sua frente.


Após um tempo sem reação, ele a convida para uma dança e logo após, se encaminham a um camarote onde ambos se entregam aos desejos incontroláveis. Mesmo sabendo que não estava sendo correto devido a tudo ser tão inusitado.

``Interiormente, Henry não era assim tão orgulhoso, mas era exatamente por isso que não queria ser amigável, nem mesmo compreensivo. Sentia que tinha cometido um grande erro, o que nunca aconteceria se ela não o tivesse atraído até aquele lugar desavergonhado. Ele cerrou os dentes. Não, não tinha a ver com o lugar. Fora aquela mulher que inflamara seus sentidos, os quais ele pensara estarem adormecidos.``

Percebendo que haviam passado dos limites, Elisabeth e Henry se despedem acreditando que nunca mais se encontrariam novamente, porém o destino faz com que eles se reencontrem. Henry vai jantar na casa de seu grande amigo Louis e lá é apresentado a sua irmã Elisabeth no qual acaba sendo surpreendido, pois ela é a moça que tinha conhecido e ficado no baile. Já Elisabeth fica bastante desconcertada com toda a situação quando o vê e por isso, não sabia como reagir a esse encontro tão inesperado.

‘’Surpreendentemente, ele lhe parecia mais misterioso em plena luz do dia do que no baile. No dia anterior, ela havia se derretido nos braços de um homem, que imaginava ter uma posição no exterior que lhe permitia visitar Paris para aprender os segredos da cidade. Agora, era um visitante taciturno, de quem ela era incapaz de prever as reações.``

Assim, com o passar do tempo, Elisabeth e Henry terão que saber lidar com a convivência, pois eles ficarão cada vez mais próximos e será impossível evitar a grande atração e o sentimento que sentiram no primeiro encontro. Além disso, Elisabeth terá que tomar uma decisão muito importante por conta da situação financeira de sua família e será que isso pode ser uma saída para preservar a sua honra também? Será que ela e Henry darão certo? E sua liberdade, como ficará? Isso e muito mais vocês descobrirão lendo essa obra, pois a história não para por aí, pois muitas reviravoltas surgirão nos capítulos que se seguem...



[- Minhas Impressões -]

Assim que iniciei a leitura o que acabou me chamando bastante atenção foi à questão de como a personagem se portava em relação a sua independência, pois no começo ela se mostrava bastante decidida de que um casamento com ela não funcionaria. Só que com o passar das páginas e após o encontro com Henry, tudo acaba mudando, pois o relacionamento de ambos, apesar de bastante distante no início, acaba nos mostrando como é importante o diálogo e o respeito em meio aos muitos desentendimentos que surgem.

Sinceramente, gostei muito da trama desenvolvida pela a autora e também que a construção da narrativa foi muito bem fluida com personagens muito bem descritos e construídos. Isso fez com que cada um deles tivesse uma participação extremamente importante na trama toda. Só que o foco mesmo da história foi mesmo o desenvolvimento da relação entre Elisabeth e Henry e de como ambos ficam se fazendo de teimosos ao invés de tomar a iniciativa de resolver os problemas que os impedem de ficarem juntos. 

Eu até achei interessante a autora ter abordado o tema de dialogo, pois independente do problema que esteja ocorrendo, é sempre bom conversar e esclarecer as coisas para que não prejudique o bom andamento do relacionamento. Do contrário, tudo pode se tornar sofrimentos bastante desnecessários que podem ser evitados.


Mais tenho que confessar que senti falta de algo a mais na história, algo que me prendesse e me fizesse ficar sem fôlego sabe? Pois apesar de ter gostado bastante do romance e da maneira como ele foi desenvolvido, eu esperava mais intrigas que movimentassem um pouco as coisas, principalmente porque na época qualquer escândalo era vergonhoso, principalmente com moças de boa família que acabavam tendo relações fora do casamento. Isso eu percebi que não foi questionado em nenhum momento pelos pais de Elisabeth, tampouco por seu irmão Louis. Ninguém ficou sabendo de nada e isso de certa forma poderia ter sido uma abertura para poder colocar algo a mais em todos os acontecimentos. E acreditem, eu realmente acho que um escândalo seria algo que poderia ter dado várias reviravoltas na vida de Elisabeth e de seu relacionamento com Henry, estão me entendendo?

Outra coisa que me chamou bastante atenção no livro foi a boa relação e cumplicidade de Elisabeth e seu irmão Louis e claro, sua amizade com Félicité. Porém, devo dizer que senti falta de mais aprofundamentos entre todos, até porque queria poder conhecê-los mais e saber da vida de cada um. Queria que eles fossem mais presentes durante os capítulos que iam surgindo sabe? Eles apenas foram essenciais nos momentos oportunos que se desenrolaram.
Mas, acredito pelo que andei pesquisando sobre a série, que teremos uma história sobre o irmão de Elisabeth e aí sim iremos conhecê-lo melhor. Quem sabe né? Vamos aguardar...


Para finalizar, adorei nossos protagonistas. Adorei a maneira como a Elisabeth se portou e também a achei bastante livre para tomar suas decisões. Henry se mostrou um homem realmente cavalheiro e bastante atencioso, apesar de ficar boa parte distante na relação com Elisabeth. Isso de certa forma me cativou na história, pois em nenhum momento foi uma relação controladora. Eles até formam um casal bastante respeitável, apesar de como disse, da TEIMOSIA! (risos)

Um Romance que sem dúvida vale a pena todos lerem, porém não criem expectativas para não se decepcionarem, porque normalmente isso acaba acontecendo em qualquer obra que esperamos muito. Mas, podem ler tranquilos, porque a história é rápida e promete uma ótima distração. Sem contar a mensagem importante que a autora incluiu no enredo. LEIAM que vocês entenderão!

Quanto à diagramação, essa parte o livro é inquestionável, pois a editora fez um trabalho excelente na edição. A capa é linda e chama bastante atenção. As páginas são amareladas e a fonte é de um bom tamanho facilitando bem a leitura. Não tenho reclamações não! A Editora Bezz caprichou e está de parabéns!

Inscrições Abertas - Participe !!

7 comentários:

  1. Genteeeeen do céu,que fotos maravilhosas. Eu não conhecia esse livro, já quero urgentemente compra para ler, adorei a resenha, mesmo você falando que faltou algo na história eu me interessei em ler, sou doida por um romance haha. Adoreeeei. Bjs. Já vou add a lista de desejados.

    ResponderExcluir
  2. Oi Silvana.
    Escândalos de Elisabeth parece uma boa história, mas parece que a autora poderia ter trabalhado melhor no desenvolvimento dos personagens.
    Pelo título e pelo que ocorreu entre Elisabeth e Henry eu esperaria mais drama e repercussões na história.
    Fiquei curiosa para saber mais sobre a história e conhecer a escrita da autora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. A edição é linda, e, considerando que a história se passa nos tempos mais antigos, o livro acaba se tornando muuito interessante. O duro é que, qualquer livro de época, eu comparo em tudo com "orgulho e preconceito", que me encanta sempre pelo enredo, pela caracterização forte dos personagens, e por abordar diferentes conceitos da época. Isso acaba me desanimando, ainda mais quando, como vc disse, o foco fica em apenas um ponto da trama, e nao desenvolve muito bem outras potenciais intrigas. Maas quem sabe eu leia no futuro.. vou tentar tirar orgulho e preconceito da cabeça hahahaha!

    ResponderExcluir
  4. Os romances de época cada vez mais ocupam seu lugar nas estantes e mãos dos leitores. E isso é maravilhoso. Teve uma época que eles andaram tão esquecidos né?
    Não conhecia este livro e apesar dos pontos negativos citados, gostei muito do que li acima. Gosto quando a estória traz uma mocinha decidida, sem esse lance que existia no passado de achar marido a todo custo, mas que quando encontra o amor,fica em dúvida se quer sua liberdade ou se entregar ao amor sem medo de ser feliz!
    A capa do livro é lindíssima e se tiver oportunidade, quero muito poder ler.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Como disse a leitora Keyse, realmente as fotos do post chamam muito a atenção, acho que mais ainda que a historia. Parabens!
    Eu sempre comento que por mais que eu goste de romances de epoca, 90% sao historias muito parecidas, com uma protagonista a frente de seu tempo, forte e independente e que se apaixona blablabla... Sinto falta de um fato novo e pelos teus comentários isso nao ocorre nesse livro.

    ResponderExcluir
  6. Oi Silvana!
    Lendo a sinopse achei que seria mais interessante do que quando li na sua resenha.
    Gostei da personagem ser um pouco diferente, de querer ser independente e tudo mais.
    Uma pena que o que acontece é muito a teimosia dos dois, acabo me cansando um pouco. Também não gostei só do romance, acho que sempre acrescenta na história uma ação ou algum evento inesperado.
    No geral parece ser bom mas devido aos muitos romances de época que eu tenho atualmente vou deixar passar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Silvana!
    Interessante mesmo ver a autora abordar o tema diálogo, principalmente em um livro de época, pois as mulheres eram mais submissas e naquela época, não havia muito diálogo entre os casais, o que é essencial em tudo, condorda?
    Gosto demais de romance históricos, porque além de podermos apreciar o romance e as ‘mocinhas além de seu tempo’, podemos apreciar também um pouco da história da época, aprender um pouco mais…
    Pena que achou que algo faltou...
    “Não cruze os braços diante de uma dificuldade, pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos!” (Desconhecido)
    BOA PÁSCOA!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir