02 fevereiro 2018

Resenha - Atormentada

Título: Atormentada
Autora: Jeannine Garsee
Editora: Grupo Editorial Pensamento
Páginas: 368    
Skoob
Onde comprar: Amazon

Rinn é uma garota bipolar, que mantém o transtorno sob controle com a ajuda de medicação. Ela mora com a mãe e estuda no Colégio River Hills, onde dizem que a piscina é assombrada por Annaliese, uma adolescente que se afogou ali vinte anos antes. Quando coisas terríveis começam a acontecer aos seus colegas e não a ela, Rinn promete descobrir por que não pode ser “atingida” pelo espírito de Annaliese. Ela consegue fazer contato com o fantasma, que não se mostra nada pacífico. Ao descobrir o motivo, Rinn pede ajuda para seu namorado Nate, e elabora um perigoso plano para descobrir a verdade. Logo realidade e fantasia se confundem, até Rinn perceber que é quase impossível diferenciá-las. Diante de uma força malévola que ameaça a vida de todos de quem ela gosta, Rinn se pergunta se de fato pode confiar no que sente ou se está novamente perdendo o contato com a realidade.






Insano. Perturbador. Surpreendente. Atordoante.

 Rinn Jacobs poderia ser uma adolescente comum se não fosse seus segredos, os quais ela tenta manter escondido  a sete chaves de todo mundo, segredos esses um tanto quanto atordoantes, para início:

1 – Ela tem uma doença, ela tem distúrbio bipolar;
2 – E talvez esse seja seu maior e mais sombrio dos segredos: ela se sente responsável pela morte da avó que ela tanto amava.

Como se a culpa que a corroí não fosse o suficiente, seu padrasto a culpa pela morte da avó, como se fosse ela a assassina, como se sua doença a fizesse ser menos perante ele, e com a culpa a matando aos poucos, a acusação de algo que ela no fundo tem fé que não fez, Rinn tenta se matar, pois se ela é doente e uma assassina, que falta ela faria? Seria tudo tão mais fácil, sem culpa, sem acusação; mas ela não contava que a mãe chegaria a tempo para salvá – la.

Após a falha tentativa de suicídio, Rinn e sua mãe decidem mudar de cidade, deixando tudo e todos para trás pois elas precisam recomeçar a vida, afinal  Rinn esta sob o controle dos medicamentos, ou seja, sem surtos psicóticos, sem vozes, ou era isso que ela pensava.

“ Meus remédios fazem isso comigo ( ...) todos os dias, e essa é uma das razões que me fazem detestar tomá – los.
Um antidepressivo.
Um estabilizador de humor.
Um antipsicótico suave.
Rivotril, um calmante para evitar ataques de pânicos.
Ah, e pílulas anticoncepcionais.”

Já na nova cidade, Rinn conhece Millie amiga de infância de sua mãe e Nate, um jovem pelo qual ela
se sente encantada e atraída quase que de imediato. Era para tudo estar correto, sem complicações, mas em seu primeiro dia de aula além de fazer novos amigos, ela acaba descobrindo que existe um corredor e uma piscina mal assombrada na escola, lugar onde á exatos 20 anos atrás uma jovem se matou, essa jovem era chamada Annaliese, e desde esse ocorrido ninguém passa por esse corredor sozinho, sempre  acompanhado, quanto mais pessoas melhor.
       
Com a curiosidade aflorada e sem se sentir intimidada com essa história de fantasma, Rinn acaba se
obcecando com a história de Annaliese, questões e dúvidas começam a revirar sua cabeça: será que Annaliese realmente se matou? Quem era ela e porque acabou com sua vida em um rompante inexplicável?

Como se essa obsessão não fosse o suficiente, ela descobre que a nova casa onde mora com sua mãe era habitada pela avó de Annaliese, a qual se matou sem motivos, e então esse é o gatilho final para que Rinn mergulhe de cabeça na história e passado dessa jovem, com isso ela pede a ajuda de Nate, o garoto pelo qual ela nutre sentimentos até então desconhecidos.

Mas o que Rinn não sabe é que mexer com o passado de fantasmas, nunca acaba bem. Enquanto ela sai nessa busca alucinante pelo passado, coisas estranhas começam a acontecer com pessoas próximas a Rinn, mas não são coisas comuns, mas sim inexplicáveis; móveis se mexendo sozinhos, pesadelos, vozes, personalidades mudadas, entre outras coisas terríveis.

E como fazer as pessoas acreditarem em você, sendo que a vida toda você foi a louca? O que fazer se você vive em um estado de estupor contínuo por conta dos medicamentos? Como discernir loucura e verdade? Realidade e ilusão? Mas talvez seja isso que Annaliese queira, que ela pense que é louca, que ela mostre as pessoas o quão insana ela é ou pode vir a ser; mas o que Annaliese não esperava era que Rinn iria lutar com todas as suas forças para poder proteger aqueles que ela ama, que ela iria até o fim para descobrir e provar a todos a verdade sobre ela. 

“Se você é forçado a viver sua vida em um estado de estupor solitário, então me diga: para que continuar vivendo?”



[ - Minhas Impressões - ]

Bem, devo dizer que Atormentada foi uma experiência maravilhosa, completamente diferente de tudo o que já tinha lido, foi a verdadeira: saída da zona de conforto, pois aqui temos uma protagonista com bipolaridade, então temos a seguinte questão: bipolaridade é uma doença grave, na qual as pessoas podem ter realmente surtos psicóticos, manias, humor exaltado, ou seja, o humor da personagem oscila como que de norte a sul ( oras esta alterado, oras deprimido, eras normal) e a gente pode perceber isso através da Rinn, podemos conhecer seus pensamentos, como ela encara a doença, é claramente perceptível o quanto ela acha que vive sob uma redoma, na verdade pode ser encarado como uma prisão, e a jaula são os medicamentos, que a privam de certas sensibilidades, como a dor de uma perda, o derramar da lágrima, o fervor do amor, pois certos medicamentos usados por ela tem essa característica, mudar e até mesmo moldar seu humor.


Podemos ver e sentir a culpa que a personagem sente e podemos sofrer e sentir junto com ela, pois a escrita da autora nos proporciona isso. E falando em escrita, posso ressaltar que me apaixonei por esse quesito, pois ela flutua, trança a nostalgia com a ironia (características marcantes da história) se mostrando um dos fatos que lhe prende e faz devorar o livro (o que aconteceu comigo rs); mesmo que algumas vezes tenha vindo a me sentir irratada com a Rinn - pois a via como uma egoísta em certas decisões (mas enfim, sou mestre em implicar com alguém).

 A proposta da história foi cumprida com maestria pela autora, no meu ver não deixou a desejar, muitos dirão que é uma estória confusa, sem lógica, mas essa é a jogada da autora, pois você interpretar o desenrolar da história por dois caminhos: 

1 – Que tudo realmente aconteceu;
2 – Que tudo é fruto da mente conturbada de Rinn, que a doença dela cooperou com tudo isso.

Bem, eu só digo: leiam e fiquem a vontade para interpretar e concluir da maneira que acharem melhor (haha), minha conclusão foi que realmente aconteceu.

Os personagens secundários, bem devo dizer que alguns ali eram “dispensáveis”, serviu como distração somente e algumas vezes, posso dizer, serviram só para confundir nossa mente, pois alguns ali estão interligados como que por um fio invisível do passado, por segredos que tentam manter soterrados.

A trama/mistério foi um dos ápices da estória, a autora soube desenvolver bem a proposta, soube nos confundir em alguns momentos e quando chega no final, tudo o que você jurava saber se encontra completamente ou parcialmente errado.

Atormentada  é um suspense gostoso de se ler, algo que recomendo para quem quer ler algo completamente diferente e inovador; mas leia com a mente aberta, pois ali temos como um fundo o tema suicídio (tentativa e indício de indução a morte) o que para algumas pessoas podem ser bem fortes.

A edição do livro está bela, os capítulos são separados por datas o que achei bastante legal e diferente, pois assim acompanhamos o dia a dia da vida da personagem. Houve alguns pequenos erros na digitação como: palavras sem acentos, duas palavras sem espaçamento, mas creio que isso foi somente na minha edição, enfim, não é algo que nos atrapalha muito. 



Se Inscreva e Participe!!!








24 comentários:

  1. Bom, vamos lá.. tua descrição e comentários já mostram o peso deste livro, misturar realidade e fantasia são um prato cheio para um livro ser muito bom, desde que, o autor não se perca no caminho. Mas pelo jeito não foi o que aconteceu. Adoro historias perturbadoras e se tiver oportunidade este eu não quero perder de ler. gostei!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Byanca!
    Conhecia o livro só por nome, não tinha lido nd sobre ele ainda.
    Eu curti bastante o enredo, parece que a leitura flui, prende e agrada o leitor, eu gostei do tema proposto pela autora, espero conseguir ler me breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Como não conhecia o livro,foi tudo muito novo para mim ler a resenha dele. E só o título e a capa já chamaram a atenção logo de cara.
    Amo histórias assim, que trazem essa pitada de realidade(a doença),mas que também se dão ao luxo de deixar o leitor se pegar nas perguntas:Onde termina a realidade e começa o devaneio?
    Já vai para a lista de desejados com certeza!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Na minha opinião como estudante de psicologia, a autora fez uma pesquisa aprofundada sobre o transtorno bipolar, mostrando de maneira clara os sintomas presentes na personagem, e a confusão existente na mente das pessoas que possui a doença. Se tratando da trama, me pareceu muito envolvente, principalmente por mexer com nossos sentimentos, e questionamentos, nos fazendo pensar que aquilo tudo era apenas ilusão, ou realmente aconteceu todos esses fatos. Bom, estou super ansiosa para ter esta obra em mãos, e me aventurar neste mistério psicológico.

    Venha participar do Top Comentarista e concorra o livro "O Maravilhoso Bistrô Francês": http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/


    ResponderExcluir
  5. Oi Byanca.
    Já li esse livro e achei ok.
    Até hoje ainda fico pensando nos dois caminhos e ainda fico na dúvida. Acho que tendo mais para a opção de que tudo é imaginação dela rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia este livro, achei bem diferente a história dele. Que bom que para você a leitura de Atormentada foi uma experiência maravilhosa, e completamente diferente, e que a escrita da autora é muito boa. Pela sua resenha este livro parece ser muito bom, como gosto de histórias com mistérios, pretendo ler este livro.

    ResponderExcluir
  7. Eu preciso desse livro!! Não conhecia a história antes, mas parece ser um prato cheio para algumas noites em claro lendo sem parar. Gostei do fato da autora nos deixar em cima do muro nos perguntando se a história realmente está acontecendo. O fato Finn ter bipolaridade me chamou muito a atenção.
    Beijos
    Nerd Fox

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho visto a foto da capa desse livro em diversos bookstagrams e fui conquistada logo de cara.
    Depois de ver essa sua resenha então, fico cada vez mais curiosa! Mesmo não sendo muito chegada em suspense, essa história tem chamado muito a minha atenção e acho que eu vou gostar muito se decidir ler. Que bom que você teve uma experiência tão boa e que a autora abordou um assunto sério assim!
    Venho deixar carinho e te convidar a conferir o primeiríssimo post do blog :)
    Beijos,
    Carol | Fantasma Literário
    http://ofantasmaliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada parecido, fiquei curiosa para ler, afinal sair da zona de conforto de vez em quando é bom.
    Que bom que você gostou da trama, parece ser uma leitura muito interessante.

    ResponderExcluir
  10. Oi Byanaca!
    Gosto muito de livros que trazem alguma doença psicológica e ainda vem o o bônus de se desvendar um grande mistério.
    E ver livros nesse gênero, serem bem escritos, prendendo a atenção do leitor e ainda deixando uma dúcida ao seu término se realmente aquilo tudo aconteceu ou não, traz um desejo insano de poder fazer a leitura.
    Fico feliz em ver que saiu da sua zona de conforto e gostou da leitura.
    Desejo um final de semana esplendoroso e um mês mais que abençoado!!
    “Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você.” (Cynthia Kersey)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  11. Eu ando maluca para ler este livro e muito mais depois de ler sua resenha.


    http://entrepaginaseafe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Não sou fã desse tipo de livro e não acredito que vou ler.
    Na sua resenha vc mencionou que a estória é meio confusa(talvez por causa da personagem), mas ainda sim, a estória teria que ser muito boa para eu não abandonar um livro assim
    Gosto de livros em que a autora sabe trabalhar tanto com os personagens principais quanto com os secundários (e não parece que foi o caso desse)
    Espero que quem é fã desse gênero goste da estória

    ResponderExcluir
  13. Nossa gostei muito da ideia de ela ser bipolar e coisas estranhas estarem acontecendo porque realmente confunde o leitor. Ótimo ponto! Imagino que realmente como você disse seja um pouco confuso devido também a parte da história. Vivo comentando que adoro esse gênero então foi uma excelente dica que já procurei mais pra ver preços e etc.
    Quanto aos personagens, percebi que os secundários foram um pouco deixados, o que pra mim é um ponto negativo o que imagino que seja uma das causas da nota 4/5 mas de modo geral realmente fiquei interessada. Bjs

    ResponderExcluir
  14. Não tinha lido nada a respeito desse livro ainda, mas, fiquei bem interessada, eu gosto de livros que abordam distúrbios, é um assunto meio perturbar, mas que me agrada muito, adoro tentar entender a mente das pessoas. Imagino que o fato da estória ser confusa é realmente pelo distúrbio da Rinn, a autora deve feito dessa maneira para fazer quem estar lendo se sentir um pouco na pele dela! Enfim adorei a resenha, e apensar de você ter mencionado que alguns personagem secundários são dispensáveis eu fiquei muito curiosa para ler o livro! Vou adiciona-lo a minha lista de próximas leituras!

    ResponderExcluir
  15. Olá.
    Eu confesso que nunca tinha ouvido falar deste livro mas a premissa leva a crer que ele é muito bom! Já li dois livros em que as protagonistas sofriam com distúrbios e ambos me prenderam à historia a ponto de nao conseguir larga-los, e acredito que este seja assim também! Com certeza já o considero como desejado!

    ResponderExcluir
  16. Atormentada é um livro que eu li há algum tempo e que acabou sendo uma grata surpresa pra mim. Eu esperava apenas mais uma trama de mistério e fui surpreendida por temas atuais e super relevantes, que a autora conseguiu abordar de forma sólida mas delicada. Acho muito interessante a forma como a protagonista foi desenvolvida, e a maneira como criamos empatia com ela tão naturalmente por conta dessa construção. Não tinha me dado conta das duas interpretações da história que tu menciona, mas acho que dentro desse enredo faz todo o sentido e torna tudo ainda mais interessante. Adorei a resenha e indico o livro pra todo mundo que ainda não conhece também!

    ResponderExcluir
  17. Olá! Honestamente a premissa desse livro me lembrou demais A Menina Submersa. Obsessão, surtos psicóticos, a incerteza se a história contada aconteceu de fato ou não, a depressão e tendência ao suicídio... Apesar de ter gostado da minha leitura da Menina Submersa, é uma experiência que eu não pretendo repetir, não é um gênero que me agrade muito.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oi Byanca!
    Apesar de ter lido poucos livros que falam de doença, eu acho muito interessante, não só pela história, mas também por fazer o leitor conhecer um pouco mais sobre aquilo. Achei o enredo todo bem original, não me lembro de ler nada no estilo, e se confundiu o leitor a ponto de não saber se o que acontece com Rinn, é sinal de que está muito bem escrito. Fiquei curiosa para ler.
    Beijos

    ResponderExcluir

  19. Eu amo demais conferir livros com temáticas sobre assuntos diferentes, ainda mais se tratando de doenças e algo do gênero, meu namorado é técnico em enfermagem, então tenho bastante curiosidade sobre livros com este assunto. Realmente a tempos tenho vontade de ler este livro, e depois de conferir tua resenha me deu ainda mais vontade!! Acho a proposta e capa muito chamativas para mim. Espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  20. Oi Byanca!

    Acho que tratar o assunto de bipolaridade é algo bem sensível, e muitas pessoas podem não entender, até mesmo quem lê o livro pode não dar tanto valor à história pelo fato de não compreender os sentimentos da personagem. Mas quem passa por isso, seja por experiência própria ou com alguma pessoa próxima, sabe que é uma doença complicada, e em alguns casos é difícil de lidar com quem sofre com isso. Achei um tema muito interessante, e apesar de eu não gostar de ler coisas que envolvem suicídio, gostei bastante da proposta do livro e de como te faz parar e pensar e até tirar suas próprias conclusões do enredo.

    Ótima indicação :) bjs

    ResponderExcluir
  21. Oii Byanca ;)
    Eu já conhecia o livro de vista, mas nunca procurei saber sobre o que a história iria falar. Adoro livros que me tiram da zona de conforto, e acho que nunca li um livro com um(a) protagonista que sofre de bipolaridade.
    O livro parece intrigante e ao mesmo tempo surpreendente, com, certeza fiquei interessada em ler ele, e adorei a resenha! Pelos seus comentários ele me lembrou um pouco a trilogia Nocte da autora Courtney Cole. Os livros tem um viés sobrenatural que apesar de terem me deixado confusa, eu adorei... indico!
    Bjos

    ResponderExcluir
  22. Nossa, já amei a premissa do livro pois é muito dificil ver livros que retratem o transtorno bipolar! Acho muito bacana pois trás pra gente um forte sentimento de empatia em relação aos personagens que acabamos levando pra vida! Sua resenha me deixou com mais vontade de ler e eu amei a capa! E olha que normalmente não curto essas capas com gente auhaushuah

    ResponderExcluir
  23. Oi Byanca, tudo bem?!
    Eu sou fã de livros que falam de doenças mentais, ainda mais as mais comuns em nosso dia a dia e que ainda assim as pessoas tem tanta dificuldade para tratar.
    A capa não é muito atrativa para mim, parecem aqueles livros da Mara Dyer e por essa razão nunca fui atrás de ler nem a sinopse.
    Contudo, lendo sua resenha, confesso que adorei a premissa e a ideia de viajar pelas emoções e confusões da protagonista. Irei dar uma chance!

    Beijos Chrys

    ResponderExcluir
  24. Oi Byanca!
    Menina, que livro é esse?! Caramba. Eu amo livros que tratam de transtornos psicológicos, desde depressão, transtornos alimentares, perda de alguém que amamos e etc., mas nunca li nenhum livro que fale sobre bipolaridade e essa história me despertou uma vontade incrível de ler. Apesar de muitas vezes odiar terminar um livro com a dúvida se tudo foi real ou não, a história parece ser muito boa! Quero ler logo! Um beijo!

    ResponderExcluir