27 dezembro 2017

Retrospectiva - Melhores do Ano


Esse ano de 2017 foi de ótimas leituras para mim. Li muitos livrinhos bons. Houve algumas decepções, mas a vida literária é assim mesmo. Tinha em mente uma meta de 50 livros para cumprir, porém como o ano foi meio agitado pra mim, consegui ler apenas a metade. Ou seja, 25 livros.

Destes 25 escolhi os dez melhores para indicar para vocês. Não vou falar na ordem de preferência e sim na ordem que eu fiz a leitura.






Lobo por lobo 

Sabe aquele livro que você tem expectativas altíssimas a respeito do mesmo, e quando finalmente lê, todas as expectativas são superadas? Pois é. Esse livro é Lobo por lobo. Acredito que por gostar muito do contexto Segunda Guerra Mundial, e de personagens femininas fortes, esse livro tenha me agradado. A ideia dele é muito original e os personagens são muito bem desenvolvidos. Assim, minha primeira leitura do ano foi também a melhor.




Sinopse: O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão?



Too late

Esse é mais um livro que colleen Hoover escreve para nos dar um tapa na face. O único defeito desse livro, é ele não ter sido lançado fisicamente. Too Late foi escrito pela autora no Wattpad e ela assina como C Hoover por que esse livro segue uma linha , digamos, mais pesada. Trata de abuso sexual, violência doméstica e contém muitos palavrões. Porém, para mim, é um dos melhores livros de CoHo.





Sinopse: Sloan atravessaria o inferno por aqueles que ela ama. E ela faz, todos os dias.
Depois de encontrar-se presa em um relacionamento com o perigoso e moralmente corrompido Asa Jackson, Sloan fará o que for necessário para conseguir até que ela seja capaz de encontrar uma saída.
Nada entrará no caminho.






A Rebelde do deserto
A rebelde do deserto está nessa lista por que eu não tinha nenhuma expectativa a respeito desse livro, e ele me surpreendeu pra caramba. Eu não curto muito fantasia, então esse livro fez o impossível se tornar realidade. Talvez porque, assim como Lobo por lobo, a protagonista, seja mulher e totalmente dona da po**a toda.




Sinopse: O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.



Fãs do impossível

Fãs do impossível é do tipo de livro onde os adolescentes são ferrados na vida, estao indecisos com sua propria sexualidade, tem péssimos pais e etc. Coisas que já estamos acostumados. Mas esse teve um diferencial, além de ser bem escrito, sabe tocar fundo no coração da gente, faz lembrar bem a nossa adolescência, nossos dramas e tudo mais. É um livro muito incrível.





Sinopse: Fãs do impossível conta a história de três amigos, Mira, Sebby e Jeremy, em meio aos complexos conflitos da adolescência. Mesmo sentindo-se despedaçados, sem motivos para serem amados e tentando não sucumbir à solidão, os três lutam pela vida, cada um à sua maneira.
Mira está começando em uma escola nova, depois de passar um tempo no hospital. Ela se sente insegura no novo ambiente e acha que não vai conseguir ficar longe de seu melhor amigo, Sebby, um garoto brincalhão que leva a vida com boas doses de mentira e bom humor, até que seu lado mais destrutivo vem à tona. Jeremy está retornando à antiga escola, depois de um tempo afastado por causa de um incidente traumático que arruinou seu ano letivo. Tímido e quieto, ele deseja se aproximar de Mira e Sebby. 
Juntos, contra todas as expectativas, eles vão viver o impossível.


Amityville

Amityville é o tipo de livro de terror que faz arrepiar até os fios de cabelo da sua alma. Talvez por se tratar de um caso real. Juro que acordava no meio da noite pensando nesse livro. E teve uma vez que acordei as 3:15, e o livro cita que o personagem acordava toda noite nesse horário, 3:15. É, assustador. Mas não podia ter deixado de ler.



Sinopse: Depois de passar algumas décadas fechada, a propriedade no número 112 da Ocean Avenue no subúrbio de Nova York finalmente abre as portas para os leitores da DarkSide® Books. Cercada pela natureza, com janelas amplas e uma sacada espaçosa, ela poderia ser uma casa de bairro tranquila como todas as outras, não fosse seu passado devastador e sangrento. Em 1975, George e Kathleen Lutz resolveram recomeçar a vida em uma nova residência que compraram por uma pechincha. Vinte e oito dias depois, os cinco membros da família fugiram aterrorizados, deixando a maior parte de seus pertences para trás. Estranhos eventos começaram a acontecer, afetando a vida dos Lutz e indicando que uma presença maligna habitava a casa. Embora tenha sido amplamente divulgada pela mídia, em especial nos jornais e nas revistas da época, muitas vezes de maneira sensacionalista, a história da casa nunca havia sido contada com riqueza de detalhes — até Jay Anson decidir reconstruí-la e transformar seu livro de não-ficção em um dos relatos paranormais mais importantes e conhecidos de todos os tempos. Baseado nas experiências sobrenaturais reportadas pelos Lutz durante o mês de dezembro de 1975 e o começo de janeiro de 1976, Amityville é um dos livros mais aguardados pelos leitores da Caveirinha. Por isso mesmo, muito mais do que dar apenas aquela demão de tinta, a DarkSide® Books vai fazer uma reforma completa na casa, apresentando a sombria construção em detalhes, do quarto secreto no porão às verdadeiras manchas nas portas e nas paredes escondidas pelas tintas do tempo — tudo exatamente como aconteceu, com todos as entidades e vozes que habitaram o sótão, o porão e demais cômodos da casa —, em uma edição assustadora e com o cuidado quase sobrenatural da editora mais dark do Brasil. Adaptada várias vezes para o cinema e contando também com diversos spin-offs, a história de Amityville hoje é amplamente conhecida e é considerada um dos mais importantes relatos sobre casas mal-assombradas da cultura popular.


A Guerra que salvou minha vida


Esse aquele tipo de livro que tive que adquirir por causa da capa. É uma daquelas edições caprichadas da Darkside que comemos com os olhos. Tem uma historia narrada por uma criança e que se passa na Segunda guerra,  e me fez refletir muito sobre muitas coisas. Se arrependimento matasse por eu ter escolhido o livro pela capa, eu não poderia estar mais viva. O livro é incrível.



Sinopse: Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando. Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor.Kimberly Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa. Essa é uma das belas surpresas do livro: mostrar a guerra pelos olhos de uma menina, e não pelo ponto de vista de um soldado, que enfrenta a fome e a necessidade de abandonar seu lar. Assim como a protagonista, milhares de crianças precisaram deixar a família em Londres na esperança de escapar dos horrores dos bombardeios.Vencedor do Newbery Honor Award, primeiro lugar na lista do New York Times e adotado em diversas escolas nos Estados Unidos.

É Assim Que Acaba


Posso dizer que li esse livro antes de ele ser lançado aqui no Brasil e já sei do que se trata essa belezura. Afinal é Colleen Hoover, a gente só pode esperar tiro. Personagens fortes, dramas que nos comovem e fazem chorar. Esse livro também é pesado e trata de violência domestica. Ele vai dar muito o que falar. Esperem só.




Sinopse: Um romance sobre a força necessária para fazer as escolhas corretas nas situações mais difíceis. Da autora das séries Slammed e Hopeless. Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.


Sangue por sangue


Sangue por sangue é a continuação de Lobo por lobo. E não teve uma pessoa que ficou mais ansiosa do que eu para esse lançamento. Logo de início a leitura já me cativou. O jeito como foi narrado foi exatamente como eu gosto de ler aventura. Porém o final não foi como eu esperava, mas não deixa de ser um bom livro e final de série.



Sinopse: Para o Terceiro Reich, a Segunda Guerra Mundial pode ter acabado, mas para a resistência a luta está apenas começando. Yael é sobrevivente de um campo de extermínio e tem uma habilidade especial é uma metamorfa, capaz de mudar a aparência física e assumir a forma de qualquer pessoa. Ela também é uma garota em fuga o mundo acabou de vê-la atirar e matar Adolf Hitler. Yael é a inimiga número 1 da Germânia e de seus aliados, e vai precisar se infiltrar no território inimigo mais uma vez se não quiser pagar com o seu próprio sangue. Em meio a segredos sombrios acompanhados por verdades obscuras, apenas uma pergunta paira na mente de todos do grupo de Yael o quão longe você iria por aqueles que você ama.

O vilarejo


Morro de amor e ódio por esse livro, pois não sei como posso amar a ideia dele e ao mesmo tempo repudiar as cenas descritas. Afinal é um terror cru, com mortes e canibalismo e pessoas sendo totalmente cruéis. Mas deve ser isso: a leitura me tirou da zona de conforto. Talvez isso tenha a tornado marcante. Esse Raphael montes é sim, incrível. Embora só tenha lido esse livro dele.





Sinopse: Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.
As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.



Tartarugas até lá embaixo

É o novo e tão comentado livro do John Green. Que particularmente eu gostei muito, foi uma leitura bem fluida e rápida e supriu as expectativas. É tocante. E muito melhor que alguns dos outros livros do autor.



Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

e Inscreva e Participe!!!!


7 comentários:

  1. De todos eles eu só li Tartarugas até lá embaixo... sou bem desatualizada mesmo rsrs eu ainda estou lendo coisas que queria ter lido ano passado... ou livros publicados faz tempo, essas novidades eu acabo lendo anos depois! Mas gostei bastante de Tartarugas, apesar de achar meio viajado o nome e não ter entendido o motivo, a piada na verdade.

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti ao filme de terror e foi um dos que mais tive medo. Também ficava dias pensando sobre ele. O livro que mais gostei de ler esse ano foi Garota Exemplar. Eu escrevo no lianepatricia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Puxa, não li nenhum dos livros citados acima :/,mas a maioria já estava na lista de desejados. Também li muito pouco este ano, corrido demais e quase sempre, acabava dormindo em cima dos livros.
    Espero que no próximo ano eu consiga me organizar melhor e dar mais tempos aos meus livros.
    A Guerra que salvou minha vida me chamou muito a atenção e por não conhecer a história, já fui atrás!Parece ser realmente um livro maravilhoso!! Lobo por Lobo e Sangue por Sangue já li muitas resenhas super positivas e não vejo a hora de conferir também!
    O Vilarejo é o único livro do Raphael que ainda não tenho. Aliás, foi um presente enorme descobrir esse autor. Ele é o melhor nacional, na minha opinião!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Brena!
    Como li apenas dois livros da sua lista que foi O Vilarejo, que por sinal foi um dos melhores do ano par mim também, e Amityville, nem sei o que comentar, sabia?
    Tenho A guerra que salvou a minha vida aqui e vou procurar fazer a leitura logo no início do ano já que é tão bem indicado.
    Um Novo Ano repleto de realizações!!
    “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Eu adorei ler a Rebelde do deserto adorei ler o livro mas não curti muito a continuação

    ResponderExcluir
  6. Oi Brena ;)
    Adorei conhecer os seus melhores do ano!
    Sem dúvida esse foi um ano com ótimas leituras, conheci novos autores e li livros incríveis. Um que se destacou sem dúvida foi o It Ends With Us da CoHo, que li e foi a leitura que mais me emocionou.
    Too Late já li, e é uma leitura pesada mesmo, espero que alguma editora traga ele para cá.
    Também li A Guerra que Salvou a Minha Vida, e foi uma ótima leitura, muito tocante!
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Quantos livros ótimos! Estou interessada em ler Amityville, A Guerra que Salvou Minha Vida e A Rebelde do Deserto! Espero dar conta dessa lista em 2018, rs.
    Beijos!

    ResponderExcluir