04 dezembro 2017

Resenha - Simplesmente o Paraíso

Resultado de imagem para Simplesmente o ParaísoTítulo: Simplesmente o Paraíso
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Skoob
Onde Comprar: Saraiva / Amazon

Honoria Smythe-Smith é parte do famoso quarteto musical Smythe-Smith, embora não se engane e saiba que o dito quarteto carece sequer do menor sentido musical e tem esperanças postas que esta seja a última vez que se submeta a semelhante humilhação. Esta será sua temporada e com um pouco de sorte conseguirá um marido.
Durante um jantar, põe seus olhos em Gregory Bridgerton, um dos mais jovens da família Bridgerton. Sabe que não está apaixonada, mas ele parece uma opção mais que válida.
Marcus Holroyd é o melhor amigo do irmão de Honoria, Daniel, que vive exilado na Italia. Ele prometeu olhar por ela e leva suas responsabilidades muito seriamente. Odeia Londres e durante toda a temporada, permaneceu vigilante e intermediou quando acreditava que o pretendente não era o adequado.
Honoria e Marcus compartilham uma amizade, pouco atípica, fruto dos anos que se conhecem e que o torna parte da família.
Entretanto, um desafortunado acidente faz que ambos repensem sua relação e encontrem a maneira de confrontar o que surge entre eles, se tiverem coragem suficiente.




Simplesmente o Paraíso foi, sem sombra de dúvidas, o romance mais fofo que eu já li da autora Julia Quinn, tão conhecida por ter uma pegada um tanto sensual nos seus livros, mesmo se tratando de romances de época. Entretanto esse livro não foi assim, me surpreendendo, visto que a autora trouxe uma história mais leve e um romance que evoluiu através de uma bonita amizade entre os personagens. 

Desde a série os Bridgertons, conhecemos a tradição da família Smythe-Smith. Eles reúnem anualmente quatro de suas jovens damas, com idades elegíveis para se casar, para tocar no quarteto e torturar/entreter a sociedade londrina. 

Nesse primeiro livro, iremos conhecer a história da Honoria Smythe-Smith, que é a violinista do quarteto, ela está em plena consciência da sua falta de talento para música, por isso precisa se casar, porque só o casamento pode livrar ela dessa tortura, que é tocar em um quarteto sem talento algum para a música. 

Odiava ser o centro da atenções, mas, por Deus, desejava ser o centro da atenção de Honoria.

Marcus sempre foi muito tímido e muito discreto, cresceu sendo filho único e isso fez com que tivesse uma infância solicitaria, isso muda quando ele conhece Daniel, seu melhor amigo e companheiro de diversão. Pela primeira vez, Marcus soube o que era fazer parte de uma família grande e barulhenta,  ao ir nos feriados escolares à residência dos Smythe-Smith, sentindo que enfim tinha encontrado o seu lugar. 

Por ser melhor amigo do seu irmão, Marcus sempre foi uma constante na vida e infância de Honoria, por isso no decorrer dos anos, surgiu uma amizade em entre eles. Então quando Daniel, seu irmão, é obrigado a deixar o país, ele incumbiu Marcus da missão de proteger sua irmãzinha dos caça dotes e homens que não a farão feliz. Porém, o que Daniel não contava, é que para Marcus ninguém é bom o suficiente para ela, exceto, talvez, ele. 

Inclinou-se para a frente, tomou o rosto dela entre as mãos e capturou sua boca em um beijo apaixonado. Honoria se sentiu arder, então derreter e quase evaporar. Teve que se controlar para não rir alto de tanta alegria e se ergueu na ponta dos pés para tentar chegar mais perto.

Honoria é uma jovem determinada, e desde pequena mostrou que não está disposta a abrir mão dos seus ideais, por isso bola um plano mirabolante para conseguir a atenção de um jovem pretendente, porém, Marcus acaba sendo vítima de sua artimanha e sofre um pequeno acidente, que não só colocou sua vida em risco, como também seu coração.



[ - Minhas Impressões - ]

Simplesmente o Paraíso traz de volta uma trama que começou a se desenvolver em Os Bridgertons, onde novamente a autora trouxe um romance bonito e de tirar o fôlego. É quase impossível não se apaixonar por essa família, esse quarteto e esses personagens.

Personagens esses que vieram de mundos tão diferentes, mas, que aprenderam a amar e abrir seus corações para as coisas novas. O ponto alto da trama para mim, foi a personalidade do Marcus. Porque, como já é costumeiro em romances de época, sempre encontramos mocinhos bonitos que são galanteadores e que vivem rodeados de mulheres, porém, Marcus não é assim, ele tem seus medos e inseguranças, principalmente quando precisa declarar seu amor por uma certa dama. 

— Eu estava pensando que este momento é simplesmente o paraíso.
Ele ficou em silêncio por um instante, depois sussurrou, tão baixo que Honoria não teve certeza se ouvira direito:
— O paraíso não poderia se comparar a este momento.

Julia Quinn deixou uma importante lição sobre a família e quão é importante é essa união. Honoria não gosta de se apresentar para a sociedade londrina, porque sabe que todas elas carecem de um pouco de talento, todavia, ela é muito feliz participando dos ensaios com suas primas e valoriza isso acima de tudo, porque, se elas estão juntas, as demais coisas são apenas detalhes.

Os personagens secundários foram de grande participação na trama, como a mãe de Honoria, que apesar de ainda sofrer muito com o afastamento do filho, a apoiou em um momento difícil, onde Honoria se via perdida e com medo de perder, aquele que seria o dono do seu coração.

Não podemos deixar de falar também no quarteto Smythe-Smith, composto por Honoria, Sarah, Iris e Daisy. Cada uma tem uma personalidade distinta, mas também muito encantadora, Sarah por exemplo, não vê a hora de se casar e sair do quarteto e é conhecida por ser muito dramática, já Iris com seus cabelos loiros e rosto angelical, acaba por sempre ser subestimada pela maioria de seus conhecidos; tendo todas uma grande participação da trama, contribuindo para nosso divertimento, e apresentando talento nenhum para a música.

Marcus não conseguiria de modo algum descrever o som produzido pelos quatro instrumentos na sala de ensaio das Smythe-Smiths. Não sabia nem se havia palavras para descrevê-lo, ao menos não de forma educada. Abominava a ideia de chamar aquilo de música; na verdade, era mais uma tortura do que qualquer outra coisa.


A trama, apesar de ser bem clichê, teve destaque pelo desenvolvimento do romance entre os personagens. A escrita da autora também é bem leve e fluída e por isso as páginas passaram sem que eu percebesse. Essa série é composta por quatro livros independentes, em que cada um apresenta um casal diferente, porém, para um melhor entendimento, recomendamos que os livros sejam lidos na ordem. Se mostrando uma excelente pedida e uma recomendação pessoal minha para quem gosta de um romance fofo e personagens encantadores.

Se Inscreva e Participe!!!



7 comentários:

  1. Julia é maravilhosa e a cada novo livro lançado a gente ainda consegue se surpreender. Mesmo tendo lido poucos livros da autora, aprecio demais as letras da moça.
    Namoro este livro tem uns dias, quando li a resenha em outro blog que participo. E acho muito bom o lance de fugir um pouco do lado hot que ela tem envolvido suas histórias ultimamente.
    Ir para um romance de fato é muito mais gostoso!rs
    Espero poder ler em breve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Marlene!
    Tenho mta vontade de ler os livros da autora, infelizmente ainda não tive esse prazer, mas espero um dia conseguir ler as séries dela pq pelo que acompanho são lindas...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Tenho muita vontade de ler esses livros... muita gente comenta comigo dizendo ser muito boa! Mas ainda não tive essa oportunidade!
    Gostei da resenha, parece ser clichê mesmo, mas mesmo assim parece bom de se ler, e gostoso.

    ResponderExcluir
  4. Marlene!
    Como amo tramas clichês, porque para mim, não há amor sem ele.
    A Julia Quinn sabe escrever um romance que nos deixa entretida do início ao final, né?
    Marcus parece ser aquele bom moço por quem qualquer mulher se apaixona.
    E Honoria (que nome é esse?) parece ser determinada e altiva e gosto de mulherres fortes como ela.
    Quero ler.
    Que dezembro seja repleto de realizações e a semana cheia de luz e paz!
    “A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi Marlene! Você pareceu bem empolgada com o livro! Eu não sou a maior fã de romances e esse estilo da Julia Quinn não me agrada, não gosto de romances de época, mas gostei de ler a sua resenha. Parece uma história bem leve e bem escrita. Acho legal que o mocinho não seja tããão clichê, aquele príncipe encantado de sempre, isso é bem legal. Mas essa é uma recomendação melhor aproveitada por quem gosta do gênero.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá Marlene ;)
    Adorei a resenha, apesar de esse não ser meu favorito da série e da Julia.
    É um romance muito fofo mesmo, e menos sensual que os outros da autora, mas o que mais gostei foi o terceiro livro, que conta a história da Sarah e do Hugh S2
    Adoro essa união que você falou, principalmente da parte da Honoria, de gostar de treinar ao lado da família, e dessa amizade que as primas tem! No final dos livros elas sempre aprendem a importância desse tempo juntas, mesmo não gostando de se apresentar! Enfim, como sempre a Julia arrasa *-*
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Oi Marlene. Tudo bem?

    Simplesmente o Paraíso foi uma de minhas leituras do ano e simplesmente me encantei com Honória (como não encantar?)

    Além do mais, a escrita de Quinn é maravilhosa. Nos faz sentir realmente dentro de todos os acontecimento e vivemos intensamente a história.

    Concordo plenamente que os personagens são encantadores. Isto faz com que nem percebemos o passar das páginas e quando nos tocamos, ja devoramos todo livro num picar de olhos hahahaha

    Infelizmente ainda não tive oportunidade de dar continuidade na série, mas sei que vem muita coisa legal pela frente em suas resenhas!

    Abraços, Amanda M.

    ResponderExcluir