27 dezembro 2017

Resenha - Não Conte a Ninguém

Título: Não Conte a Ninguém
Autor: Rebecca Done
Cortesia: Paralela / Companhia da Letras
Skoob
Páginas: 400
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Jessica Hart nunca se esqueceu de Matthew Landley, o primeiro e único grande amor de sua vida. Juntos, eles se entregaram a um romance proibido, capaz de curar as mais profundas feridas e, ao mesmo tempo, arruinar suas vidas por completo.
Dezessete anos depois, Matthew e Jessica se reencontram por acaso. Ele tem um novo nome, uma nova identidade e uma família que nada sabe sobre o seu passado sombrio. Ela, uma carreira de sucesso, um namorado lindo e uma vida aparentemente equilibrada. Apesar de completamente mudados, os dois não conseguirão mais ignorar os laços e o segredo que ainda os unem.
Prepare-se para questionar as suas próprias regras com esta história inquietante, provocativa e absolutamente viciante.






“Nunca encontraria outra pessoa como Jess, daquilo eu tinha certeza. Eu a amara desde o inicio. Sabia que ela estaria presente pelo resto da minha vida, fosse no meu coração ou ao meu lado.”

Matthew Landley nunca se imaginou se vendo viver um grande amor, mas quando ele começa a dar aula em uma das melhores escolas da região ele logo vê sua vida mudar ao ter seu caminho cruzado com o de Jessica Hart, uma menina de 15 anos e sua aluna. Vivendo um amor intenso, mas extremamente proibido aos olhares alheios, tanto pela diferença de idade de dez anos entre eles quando por ele ser seu professor, eles se veem cercados por ameaças e pela eminencia da descoberta -  algo que vem a acontecer ao se verem ameaçados por alguém que dizia ter provas dos dois. Apavorados, eles fogem juntos para o sul da Itália, onde acabam por ser pegos fazendo com que ele seja preso por estar com uma adolescente de 15 anos (sendo a maior idade lá apenas 16 anos) e ela enviada de volta para casa. 


“Sua mão cobriu a dela, como sempre fizera, e o calor de sua pele foi o suficiente para fazer o coração de Jess disparar.” 


Dezessete anos depois, Jess agora já é uma mulher e uma importante chef de cozinha tendo seguido o seu sonho de muito tempo. Dona de um bufê e com um namorado bonito, rico e um importante médico em Londres, ela tinha tudo para se ver reconstruindo sua vida e seguindo em frente; no entanto, com a constante presença de Matthew (ainda que apenas um reflexo de sua mente a lhe pregar peças), Jessica se vê sempre relembrando do passado e de tudo que perdeu quando acabou se separando daquele a quem entregou seu coração. Mas quando o destino resolve coloca-la frente a frente com ele, ela não em atropelar nada em busca do encontro com aquele que até hoje está marcado em seu coração. 


“Fazia semanas que via o fantasma de Matthew: um vulto fora do seu campo de visão, que sempre desaparecia antes que ela pudesse enxerga-lo de verdade, como um gato perseguindo uma sombra.” 


Reconstruir a vida não foi fácil para Matthew, mas desde que saiu da prisão ele se viu mudando de nome para Will e começando de novo. Encontrando uma mulher que desconhecia sobre seu passado e tendo uma filha com ela, ele inicia a vida com sua nova família. No entanto, com a volta a Norfolk ele se vê tendo que enfrentar seu passado e recebendo a chance de se desculpar por tudo que causou – ainda que não tivesse culpa. Se reencontrando com aquela que tão cedo arrebatou seu coração, os dois notam que nem mesmo os anos que passaram separados se mostraram capazes de fazer com que o que um sentia pelo outro diminuísse. Com uma química e uma atração capaz de incendiar até o mais úmido dos locais, os dois se veem tendo que lutar contra o que sentem visto que as coisas não são mais como costumavam ser antes. Com vidas muito diferentes e segredos que insistem em perseguir a sua história... Mas quando 17 anos de segredos e mentiras resolvem vir a tona o que isso poderá significar para eles? Haveria uma chance para tentar de novo agora que as coisas já não são como era antes ou o melhor seria esquecer, não contar a ninguém e seguir em frente? 


 “Eu não sabia na época, claro, mas foi no instante em que a aceitei no clube que minha vida inteira mudou.” 


[ - Minhas Impressões - ]

Não Conte a Ninguém é um livro que se apresenta como uma narrativa sem medo de mergulhar em tabus ao atrelar ao seu enredo uma situação que pode não ser vista com bons olhos por muitos, ao mesmo tempo em que faz refletir sobre até que ponto algo do tipo é errado. Confesso que me vi rapidamente arrebatada pela sua trama e torcendo por esse casal que começou da forma errada (ou não) e que mesmo após dezessete anos ainda se encontra a enfrentar obstáculos difíceis e quebrar o que seria visto como correto pela sociedade. No entanto, eu preciso falar que apesar de Rebecca Done apresentar uma escrita extremamente envolvente em um ritmo constante repleto de reviravoltas, o final foi uma das decepções literárias que eu já tive em 2017. Se mostrando extremamente aberto, sem o encerramento esperado ao longe de 400 páginas, me senti extremamente decepcionada e até raivosa, ouso dizer, por me ver diante desse limbo sem respostas tão aguardadas por mim. Mesmo sem ter o clímax mais esperado da trama para mim, agora eu até consigo entender um pouco do que a autora desejou fazer ao escrevê-lo dessa forma e mesmo achando que poderia ser muito melhor, ainda sim me vi extremamente encantada por seus personagens complexos e cheios de falhas – mas extremamente reais! 


Jessica Hart é aquela típica protagonista cujo ponto de vista consegue se fazer presente mesmo em uma narrativa em terceira pessoa; se mostrando uma mulher determinada que sempre soube ir atrás do que desejou, ela não teme em se arriscar e se atirar (literalmente) pelos caminhos da vida em busca do que mais deseja.  No entanto, se mostrando alguém de certa forma hipócrita, por agir da forma como logo no inicio se viu criticando ainda que com consciência de que está o sendo logo depois, e extremamente frágil, ela é alguém que não se impõe e se deixa levar pelo que a vida impõe a si de forma que chega a ser irritante. Aturando uma relação em que claramente ela não se vê confortável, ela é alguém que desperta no leitor a vontade de sacudir e falar: “ei, você merece coisa muito melhor então sai dessa!” principalmente nos momentos em que se contradiz quando diz sentir uma coisa, mas suas atitudes são simplesmente de deixar para lá. Complexa, ela é alguém que uma hora amamos e em outras odiamos; confesso que por muitas vezes me vi gostando mais da Jess de 15 anos do que a adulta que se tornou que se deixa levar e desiste fácil das coisas. Mesmo assim, ela é alguém que se mostra bem construída e condizente com a idade que apresenta no decorrer das páginas ainda que esteja longe de ser aquela que cativa os corações dos leitores a primeira vista. 

Matthew Landley ou Will é um protagonista que também passou longe de poder ser considerado apaixonante, apesar de algumas de suas atitudes tocarem nosso coração ao longo da leitura. Se mostrando um cara integro, mas ao mesmo tempo facilmente influenciável pela situação ao seu redor, ele é alguém que por diversas vezes tive vontade de sacudi-lo e falar para que ele tomasse uma atitude sobre quem realmente deseja ao invés de ficar se escondendo atrás da desculpa de sua filha. Com capítulos narrados sobre a sua perspectiva, ele é alguém que nos envolve em sua trama e nos acontecimentos do passado de forma intensa e real; logo me vi torcendo por eles e me esquecendo de qualquer diferença e padrão que a sociedade facilmente condenaria. Muito bem construído, ainda que com atitudes que não me convenceram, ele é aquele típico personagem que gostamos quase sem gostar e que nos envolve ao mesmo tempo em que mantem distancia. Podendo ser muito mais explorado, senti que a autora acabou por seguir por caminhos seguros depois de um começo diferente e intenso, o que acabou por diminuir um pouco o meu interesse ao longo das páginas. 


Alternando a narrativa entre presente e passado, somos levados a conhecer mais sobre a trajetória desse casal (ou não) ao longo de suas páginas enquanto o vemos lidando com diversas situações e segredos que os envolvem. Levantando diversos questionamentos, essa é uma obra que faz com que o leitor experimente um misto de emoções e sentimentos com seu desenvolvimento. Seguindo rumos poucos esperados e até mesmo desagradáveis ao leitor, essa é uma história com uma pegada mais misteriosa onde os segredos e as revelações ganham foco sobre o romance – ainda que este esteja presente em grande parte de seus capítulos. Equilibrando as partes mais intensas com o romance na dose certa para quebrar os momentos de tensão, Rebecca Done soube escrever uma obra que apresenta uma leitura agradável e uma fluidez que impressiona. 

Já sua edição feita pela Editora Paralela é um ponto que merece destaque ao conseguirem dar um toque único à capa, mas sem perder a referencia a original ao mesmo tempo em que se mostra simples enquanto impressiona com os pequenos detalhes. Muito bem trabalhada, esse é um livro cujos erros não foram encontrados por mim e que apresenta uma diagramação com os toques na medida certa de forma a não se tornar exagerado nem ser simplório demais. Com páginas amareladas, uma fonte de tamanho agradável e muito bem dividido no tempo de forma que o leitor saiba a que momento ela se refere, Não Conte a Ninguém se mostra mais um trabalho de qualidade e excelente que atrai com sua aparência e transforma com suas reflexões e história. 


Não Conte a Ninguém é um livro que eu até agora, tempos depois de ter lido, ainda me encontro na dúvida acerca do que eu realmente achei de sua obra visto que eu me vi arrebatada em 80% da história e odiei por completo o final – ainda que alguns tenham gostado. Seguindo o rumo que poderia no momento, mesmo que meu gênio não consiga admitir algumas escolhas tomadas pelos personagens, essa é uma obra que se mostra crível e real e que leva a refletir sobre padrões pré-estabelecidos através de críticas sutis e ate mesmo de perguntas dos próprios protagonistas. 

Sofrido, essa é uma história que está longe de ser um conto de fadas com finais felizes pré-definidos e onde tudo se vê magicamente dando certo. Mostrando o quanto um estigma pode acabar por destruir a vida de alguém, Done soube fazer uma obra que irá tocar a muitos e que de forma alguma passará despercebido na vida de alguém. Amando ou odiando, concordando ou não, Não Conte A Ninguém é uma obra que veio para sacudir uma sociedade que insiste em condenar sem conhecer e que mostra um lado do ser humano que está longe de ser belo ou bonito, mas que é como é... Deixando para o leitor a principal questão do livro, Rebecca não impõe sua opinião, mas leva a cada um a desenvolver a sua própria. Confesso que até agora ainda não me conformei com o final dado, mas entendo o porque de ter sido escrito da forma que foi. Será o amor algo realmente errado por questões tão frívolas quanto a idade?  Será que algo que começou como errado pode acabar com um final feliz? Leiam e descubram por si só e depois me contem, eu já tenho a minha opinião – mas não revelarei a vocês até que leiam! 

Um beijo


Se Inscreva e Participe!!!

7 comentários:

  1. Pelo enredo da estoria eu não sei se eu gostaria de ler este livro, mas confesso que parece ser bastante envolvente, acredito que eu também me decepcionaria com o livro, mesmo sem ler já estou sabendo rsrs
    As fotos que você tirou são muito lindas <3

    ResponderExcluir
  2. Bela resenha, gostei de sua opinião sincera, pela sinopse mostra que não seria uma história com final feliz e claro que o livro ia decepcionar. Amei suas fotos <3 Quando li o título do livro, achei que era o Harlan Coben hehehehe
    Beijos
    www.mandyline.com

    ResponderExcluir
  3. Quando li a primeira resenha deste livro, já o coloquei na lista de desejados(que só aumenta nos últimos tempos :/) e espero sinceramente poder ler ele em breve!
    É uma história que vai além do "casal",mas por tudo que li, envolve almas, questionamentos e talvez, respostas a ambos.
    Não são personagens comuns, que viram clichês apenas. Trazem vida e história atrás de quem são.
    E eu amo essa mistura de passado e presente!
    Vou ler com certeza!
    A capa é um show à parte.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Bruna!
    A princípio de seu relato, achei que seria um daqueles romances onde há o desencontro no passado e quando chega ao presente eles teriam uma nova história de amor, mas pelo visto, não é bem assim, já que tantos mistérios escondidos por tanto tempo, levam o enredo para outros rumos...
    Entendo sua dúvida em relação a avaliação, porque um livro sofrido demais e com final péssimo, embora o miolo tenha dado para levar, causa dúvida mesmo.
    Só lendo para conferir o que acho...
    Um Novo Ano repleto de realizações!!
    “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Fiquei bem interessada na leitura desse livro eu gosto de livros que abordam a história de diferenças de idade então com certeza vou ler esse livro no próximo ano

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruna ;)
    O livro está em minha lista de leitura, e me interessei demais por ele depois da editora anunciar esse lançamento, pena que o livro não te cativou muito.
    Gosto dessa trama clichê de um casal com uma diferença grande de idade que se apaixonam, e sendo professor e aluna, e foi isso que me chamou a atenção primeiramente. Estou meio receosa com esse final, pois gosto de um final arrasador kkkk
    Quero ler o livro agora no começo de 2018, espero gostar da leitura!
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Olá! Acho engraçado quando temos uma reação tão "violenta" sobre um livro. No seu caso foi o final que te decepcionou tanto que deu pra sentir no seu texto, rs. Acho que esses são livros que nos marcam muito, seja pela confusão que causam, pela indignação, enfim. Mas ainda assim é uma pena que você tenha se envolvido tanto com a trama e com os personagens e se sentido tão desiludida no final.
    Beijos.

    ResponderExcluir