20 dezembro 2017

Resenha - Depois do Fim

Título: Depois do Fim
Autor: Daniel Bovolento
Cortesia: Planeta
Skoob 
Páginas: 224
Onde comprar: Amazon

Como fica a minha vida depois de você? Como é que a gente faz para esquecer alguém? Os primeiros vestígios do fim, as despedidas, deixar alguém, ser deixado, o recomeço, a necessidade de se acostumar a viver sozinho de novo, os flashbacks, as ligações de madrugada, a falta que persiste, os novos encontros, os velhos encontros, a gente encontrando a gente, um mundo novo surgindo, a luz no fim do túnel. Em Depois do fim, Daniel Bovolento conta a trajetória de todo mundo que terminou alguma coisa e tem que aprender a lidar com as diferentes dores e superações de quem perdeu um amor. São 50 textos em que se misturam crônicas e desabafos sobre recomeço, aprendizado e a esperança de um novo final feliz. “Cada um de nós encontra uma maneira diferente de encarar o fim. Cada um de nós passa por fins diferentes, por mais que tenhamos tido histórias parecidas.






Depois do Fim é um livro abarrotado de sentimentos que envolvem despedida que me fez chorar do começo ao fim, e logo depois que finalizei a leitura senti um alívio tremendo em meu coração. Foram palavras extremamente necessárias e que serviu como lições que carregarei a vida toda. 

"Tô te implorando lentamente pra dizer alguma coisa que me pare enquanto eu declaro que tô desistindo de você. Tô levando na mala só o que é meu, e deixo o que era nosso pra você fazer fogueira do passado."

Daniel Bovolento nos faz refletir sobre os amores, as perdas, o luto, a dor. E nos mostram vários estágios do que acontece depois do fim. 

Tem muito sentimento e delicadeza nas palavras, ainda que sejam envoltas pela dor e de não ter mais ao lado aquele alguém que amamos. 

"Tempo é relativo. Pra você pode ter sido um ano, pra mim pode ter sido uma vida. A gente nunca sabe quanto tempo o outro vai morar na gente depois da despedida."

A obra é composta por 50 textos maravilhosos e é quase impossível não se identificar com algum deles. Com toda certeza já passamos por algo idêntico e se ainda não passamos, a certeza é que um dia passaremos. 

Ainda que seja muito doloroso enfrentar todas estas experiências, Bovolento nos mostra que são perdas necessárias para a formação de quem seremos. São as cicatrizes deixadas que contarão nossa história e é a superação que cura toda dor. 


Ainda que seja quase impossível passar pelos 50 textos sem derramar uma lágrima, vemos uma "luz no fim do túnel" com estas vivências. Conseguimos enxergar que nada é para sempre, nem mesmo o sofrimento causado pelas situações. Sempre há um modo de debelar a agonia, a ansiedade, a dor. 

"Cê acha que isso aqui vai demorar muito? Não o filme, mas a gente. Isso aqui que a gente tem e que um dia passa."

Finalmente entendi que finais são sempre necessários para que haja o recomeço (mesmo que doa, mesmo que te quebre em pedaços, mesmo que você não saiba como tirar aquele sentimento de luto dentro de você). Sempre que uma história acaba, outra acontece naturalmente. E é na transição do fim para um novo começo que angariamos experiências para sempre sermos melhores do que já fomos um dia. 

"Quando você achava que nunca aconteceria nada disso com você, quando o fim era uma perspectiva tão imprevisível quanto o início, você acaba tendo uma única certeza: ele ainda está dentro de você. E seu maior problema agora, mais do que qualquer outro, é descobrir como tirá-lo daí.". 

Classifico a leitura de Depois do fim como I-M-P-R-E-T-E-R-Í-V-E-L! Algum dia você vai precisar do consolo que tais palavras trazem. 

Este foi um dos trabalhos mais sensacionais da Editora Planeta. Não tenho palavras para descrever tamanha grandiosidade desta obra. O trabalho gráfico está sensacional. As frases que abrem cada capítulo nos dão uma pista do que vem pela crônica em frente. 

A capa relata muito bem o sentimento contido no livro e acredito que casou muito bem com o título. 

"Tentam me dizer que eu vou nunca conseguir ser feliz sozinha, que não fui feita para ser sozinha. Discordo."

Desejo que todos vocês tenham oportunidade de realizar esta fantástica leitura. Garanto que o sentimento de superação e acolhimento os acompanharão para sempre.

Esta foi uma das leituras que salvou meu 2017!

Se Inscreva e Participe!!!!


7 comentários:

  1. Antes de qualquer coisa, lá vai eu colocar o livro na lista de desejados!Como chegar em uma resenha assim e não desejar sentir tudo isso também?
    Não conhecia o livro e pela capa, não fazia ideia do que se tratava, mas lendo a resenha, a gente fica com aquela agonia gostosa no peito e eu preciso urgente conhecer mais da história!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Que legal, eu curto bastante livros que destacam sentimentos.
    Pelo que entendi é um livro apenas com textos, eu acho que gostaria de ler em um momento mais propicio, se tivesse me perdido, ou perdido alguém. Mas ficará guardado comigo este nome, para quando eu precisar.

    ResponderExcluir
  3. Adoro livros de crônicas, acho que sempre nos identificamos com alguma coisa nos textos e conseguimos extrair alguma coisa para nossa vida. Esse tema de perda e dor é terrível e é uma constante na vida de todos. Inevitavelmente vamos passar por várias situações do tipo durante nossas vidas e, por mais que doa visitar histórias assim, também acredito, assim como você, que é uma experiência importante e construtiva. Dica anotada. <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá Amanda, tudo bem?
    Não costumo ler crônicas, mas me lembro de quando era adolescente e lia a série "Para gostar de ler", com crônicas e contos de autores brasileiros. Desde então, não tenho lido nada neste estilo.
    Este livro em questão parece versar especificamente sobre a perda, e mostrar como lidamos com ela. Concordo que a identificação com nossa própria realidade é o que nos fascina nesta leitura, e que a literatura traz consolo para quem lê.
    Uma proposta bastante interessante, e os quotes muito bem escolhidos. Gostei principalmente do último, que quebra a ideia de que não é possível ser feliz sozinha.

    ResponderExcluir
  5. não sou não sou muito de ler crônicas acabo deixando livros assim um pouco de lado vou deixar essa sugestão de lado por hora

    ResponderExcluir
  6. Amanda!
    Importante falar sobre as perdas e as dores que elas causam em nossa vida, afinal, tudo tem um fim, embora nunca estejamos preparados para aceitá-lo.
    Textos edificantes que podem nos tornar mais conscientes e que mexam tanto conosco ao ponto de expressarmos nossos sentimentos através das lágrimas, são profundos e nos fazem refletir e tentar melhorar um pouco mais nosso comportamento em relação as perdas.
    “Celebrar o Natal é crer na força do amor, é isto que transforma o homem e o mundo. Feliz Natal!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda ;)
    Não conhecia o livro a fundo, apenas de vista, e não sabia que ele era tão emocionante assim! Se fiquei emocionada apenas com sua resenha, quando ler o livro vou chorar demais, já estou sentindo haha
    Realmente só que sofreu e perdeu alguém sabe a dor que sente, e acho que vou gostar da reflexão que o autor faz na obra. Não sou muito fã de livro com crônicas, mas acho que pelo tema vou me identificar muito com alguns dos escritos do Bovolento.
    Espero gostar do livro tanto quanto você ;)
    Bjos

    ResponderExcluir